1. Spirit Fanfics >
  2. Faíscas de um futuro >
  3. E o final (quase) perfeito

História Faíscas de um futuro - Capítulo 3


Escrita por: e Naliet


Notas do Autor


Ora ora, olha quem chegou no final
Não me matem, pls
Agora que chegamos ao fim eu gostaria de agradecer a todos que ajudaram a fanfic, sendo na betagem, capa e avaliação, mesmo que tenha demorado ela saiu
Espero que ela tenha divertido vocês, não deixem de dar uma olhada nas outras fics do projeto, são perfeitas😔😔😔😔

Capítulo 3 - E o final (quase) perfeito


“— Adolescentes do colégio de superdotados têm aparecidos controlados por um ser que ninguém sabe a identidade. O criminoso pega suas vítimas fragilizadas e obriga-as a fazer coisas com sua individualidade.

Ele é chamado atualmente de 'devorador de mentes'. Mais notícias e voltamos com vocês!” 

 

A repórter na televisão se encontrava em frente ao colégio, no meio da imensa chuva que caía. Era como se o mundo estivesse desabando sobre a Terra.

A voz da mulher que aparecia na TV ecoava dentro da biblioteca, tudo culpa da bibliotecária. A senhora havia aparecido ali há poucos minutos dizendo querer ver uma notícia na televisão, mas saiu correndo segundos depois, deixando o aparelho ligado e os adolescentes perplexos. 

— Aquela velha é doida! — gritou Taeyong com uma vassoura em mãos.

— Doida é apelido! — Yuta respondeu, suspirando.

— Parem de reclamar, seus mole… — A frase não foi terminada, pois um estrondo gigantesco invadiu a biblioteca e de repente uma figura apareceu flutuando. 

Era uma pequena garota com aparência fofa, ela possuía uma marreta e sapatos fofos amarelos.

— Bongsoo?! — perguntou Jieun, encarando a amiga.

A vilã havia parado em cima de um martelo que parecia extremamente pesado, a janela estava totalmente quebrada e a chuva era visível pelo buraco gigantesco.

— Você conhece ela, bateria? — Taeyong perguntou em posição de ataque, o rapaz não queria atacar uma amiga de Jieun, porém era necessário, não iria apanhar para uma garotinha daquelas.

Bateria?! Vocês tem até apelidos?! — A vilã encarou eles com o queixo caído, porém logo se recompôs e deu espaço para um sorriso sarcástico. — Que gracinha.

Bongsoo abaixou a cabeça, ficou cerca de quinze segundos assim, e quando ergueu sua cabeça novamente, os olhos se encontravam totalmente pretos. É, o vilão estava agindo. Soo agarrou seu martelo e correu em direção a eles, tentou bater neles como se fossem pregos sedentos esperando para serem “pregados”. Os três eram bem rápidos, mas ela também era.

— Não deixem ela acertar vocês! — gritou Jieun, correndo para o lado oposto. — Ela tem super força!

— E você só me avisa agora?! — Yuta gritou de volta, enquanto entrava em um combate corpo a corpo com a vilã.

— Idiota! Saí daí! — gritou Taeyong.

— Eu estou tentando! — trincou os dentes e gritou, tudo enquanto desviava de um soco da pequena garota.

Taeyong saiu de onde estava e jogou uma linha fina de gelo até Bongsoo. Como a pequena garota estava distraída, ele conseguiu acertar seu pé, assim a congelando no lugar.

 — Isso! — Jieun gritou, cantando vitória.

No entanto, o gelo não aguentou tanto tempo, ela se remexeu tanto que por fim aquela água congelada se partiu em vários pedacinhos. 

— Isso não é bom… — Taeyong falou indo para o lado de Yuta.

Uma brilhante ideia invadiu a mente de Jieun, porém teria de ser muito bem executada, caso desse errado a coisa ficaria feia para eles.

— Yuta! Taeyong! — Os dois moveram as cabeças na direção da garota. — Quando eu disser já, vocês pulam!

— Pera, o quê?! — Taeyong perguntou confuso.

— Já!

Os dois pularam no mesmo momento. Segundos depois de dizer aquilo, Jieun estendeu as duas mãos em direção ao chão coberto de água e quando soltou sua eletricidade, pôde ver Bong soo, que estava bem em cima das poças, se contorcer e cair no chão. Taeyong se aproximou da garota caída e se agachou encarnado-a.

— Você matou ela?! — perguntou desesperado, cutucando o rosto dela com o dedo indicador.

— Claro que não, seu idiota! — aproximou-se dele irritada. — Eu apenas fiz ela desmaiar.

— Não se movam, crianças! — Um homem vestido como herói se aproximou dos três adolescentes, ele estava em posição de batalha, porém relaxou completamente ao ver os jovens calmos diante da situação. Olhou ao redor e perguntou: 

— Onde está o vilão?!

— Aqui. — Yuta falou, encarando a garota caída.

— Quem fez isso?! — Ele pareceu completamente abismado. — Foram vocês?!

— Bem…. — Jieun falou coçando a nuca. 

— Vocês são brilhantes! Como conseguiriam derrotar um vilão poderoso assim? — perguntou animado, porém antes de um dos três sequer abrir a boca, o homem gritou: — Não digam! Vocês devem ser heróis misteriosos!

— Nós não somos heróis — falou Taeyong.

— Ainda! — completou o homem. — Eu vou preparar uma comemoração para vocês. Aguardem! 

Os três se encararam e deram de ombros, no final eles formavam uma boa equipe e isso que importava.

[...]

O tal homem vestido de super herói decidiu dar uma festa para a comemoração e premiação dos três adolescentes que deteram um super vilão extremamente poderoso sozinhos, o cara estava se achando o máximo dizendo que os heróis jovens brilhantes se inspiravam nele e que ele era como um ídolo para eles. Tudo lorota, é claro.

— Acho que o segredo para o sucesso deles é o amor gigantesco por uma pessoa extremamente especial… — Taeyong prestava atenção em tudo que o homem falava, tudo parecia extremamente importante e real para ele. — Eu!

Jieun fingia prestar atenção nele, porém ao sentir o pé de um de seus amigos — ou mais que amigo — bater em sua perna descoberta, ela rapidamente se despertou e encarou o amigo à sua esquerda, era Yuta a encarando com os pequenos olhos extremamente arregalados.

Preciso falar com você… —  cochichou encarando a garota, se levantou de mansinho e foi acompanhado pela garota, que o encarou e seguiu-o em silêncio. Taeyong estava tão concentrado  nas palavras do herói velho mentiroso que nem percebeu seus dois colegas dando no pé.

Os dois adolescentes correram para fora do salão rapidamente. Yuta parou bruscamente, assim fazendo Jieun também parar e bater diretamente com o rosto nas costas fortes do garoto.

— O que queria falar? — perguntou para ele ainda de costas, o garoto parecia mais retraído que o comum, IU se preocupou, afinal das contas, ela tinha uma pequena quedinha por Yuta.

— É algo complicado… — suspirou e se virou, encarando diretamente a garota. — E bem confuso.

— Respire fundo e diga — encorajou-o calmamente.

— Eu não consigo! — respondeu por fim.

— Respire e diga! — insistiu e encorajou-o novamente. — Você consegue!

— Eu gosto de você! — Yuta proferiu rapidamente aquelas palavras, no mesmo momento Jieun travou e ficou encarando o garoto com os olhos arregalados. — Você não sente o mesmo?! 

— Sinto… quer dizer, não sei! — respondeu extremamente confusa. — Eu tenho uma quedinha por você… mas nunca pensei nisso mais a fundo.

— Podemos tentar, certo? — aproximou-se da garota e segurou suas duas mãos cuidadosamente.

— Certo… podemos tentar! — sorriu e abraçou o garoto.

[...]

— Congela ele, Taeyong! — Yuta gritou do outro lado da rua.

— Como se gelo fosse aguentar um cara desse tamanho! — falou como se fosse óbvio, o que realmente era. 

Eles enfrentavam um cara gigantesco que se vestia de lutador mexicano, ele tinha uns dois metros e meio e uma raiva maior que sua altura.

— Congele apenas alí! — Jieun que estava em seu lado apontou o dedo anelar na direção dos pés do monstro, no mesmo momento a aliança de prata no dedo da garota reluziu em frente ao sol, Taeyong arregalou os olhos e gritou.

— Com quem você está namorando, IU?! — Ele pareceu extremamente bravo por não ter sido avisado que sua melhor amiga estava namorando. — Quem é o mané?! 

No mesmo momento Yuta fechou a mão direita em forma e punho na tentativa de esconder o seu dedo anelar, porém os rápidos olhos de Taeyong percorreram a mão do amigo e ele rapidamente abriu a boca na forma de um perfeito “O”.

— Por que não me contaram?! — indagou furioso. — Eu sou o melhor amigo de vocês dois! 

— Taeyong… temos que nos concentrar no vilão… — Jieun disse tentando desviar do assunto.

— Não temos não! — esperneou. —  O vilão pode esperar!

O homem gigante encarou a discussão um pouco confuso, ele sabia que aquele trio parada dura era extremamente bom em deter vilões, mas nunca teria imaginado que eles teriam uma discussão tão boba naquele momento. Aproveitou a distração dos três e agarrou a menina, a colocando em seu ombro como se fosse um saco de batatas.

— Me solta! — gritou raivosa. 

— Vocês deveriam ter me contado... — suspirou e se sentou no chão. 

— Não fique chateado, cara… — Yuta se aproximou e tocou o ombro do amigo.

— Não é hora pra isso! — concentrou toda sua energia e gritou, soltando-a no vilão mexicano. — Podemos resolver depois!

O homem caiu rapidamente e os dois heróis se aproximaram de Jieun.

— Nós estamos juntos no final… — Yuta falou agarrando a mão da namorada.

— Só queria que tivessem me contado antes… — suspirou e se levantou. — Mas que seja! Pelo menos agora eu vou saber todos os seus podres, Yuta! Vou falar mal de você com a Jieun!

Os três heróis saíram alegres, enquanto Taeyong puxava a amiga para um abraço, e esta era puxada pelo namorado para um beijo.

Calma rapazes! — falou alegremente. — Tem Jieun para todo mundo!

 


Notas Finais


Cá estamos no último cap, incrivel como vocês me aturaram até agora.
Obrigada a @SEOKLY pela betagem, você é incrível!
Passem na conta do @heterouniverse e leiam todas as fics deles!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...