História Fake Smile - War Princess - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO, G-Dragon, Mamamoo, Stray Kids
Personagens Hwasa, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Jong-in (Kai), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lee Felix, Lisa, Lu Han (Luhan), Min Yoongi (Suga), Moonbyul, Oh Se-hun (Sehun), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Seo Chang-bin, Solar
Tags Imagine Bts
Visualizações 4
Palavras 987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Científica, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong peoples! Espero que vocês gostem muito dessa fanfic que escrevi, fiz com muito amor e cheia de inspiração para as amantes da ação e tramas amorosos, com um gostinho de máfia.

Capítulo 1 - "É Apenas O Início"


Fanfic / Fanfiction Fake Smile - War Princess - Capítulo 1 - "É Apenas O Início"

O suor escorria por minhas costa, meus cabelos se colavam em minha testa, a respiração ofegante se sintonizava ao som dos meus batimentos cardíacos, eu me forçava a continuar correndo, minha coluna já doía de tanto correr, mas, eu não poderia arriscar em desistir. E uma fumaça escura se inalou no ar, era sufocante, me apertava no peito, naquele instante parei, foi como dar uma pausa no tempo, estava tudo em câmera lenta, meu corpo parecia ter sacas de pedra em cada osso de tão pesado que estava.

Lutava contra mim mesma, todavia eu não conseguia respirar, meus olhos pesavam, e em alguns segundos estava tudo escuro. Não está tudo perdido... Não posso ter perdido tão facilmente... Sei que vou conseguir... Só preciso continuar. Era o que eu repetia a mim mesma, em cochicho como uma espécie de reza, e um milagre aconteceu. Disparos soaram, um som ensurdecedor, fazendo meu corpo despertar.

Meus olhos abriram rapidamente, meu corpo estava no chão, o cheiro de fumaça dava para ser sentido a distância. Me levantei impondo força nas pernas, me encostando em um poste, voltei meu olhar para atrás. Vendo um abismo nas ruas de Daegu, casas virando cinzas, inclusive a minha, que queimava como uma folha de papel, tanto trabalho sendo jogado fora, me lembro como se fosse ontem, o frio em minha barriga e o orgulho de ter comprado uma casa com minhas economias, e agora? Estava tudo no fogo, e não servia para mais nada, e nem aquelas lágrimas que estavam sendo derramadas pelos meus olhos seriam capaz de apagar as chamas em minha alma.

Quando voltei a mim mesma novamente, enxuguei minhas lágrimas juntamente com meu suor, respirei fundo, cerrando punhos e dentes, senti naquele momento que eu estava pronta para embate. Corri até esgotar minha última fonte de energia. Já fazia em torno de 3 anos que tragedias vem acontecendo ao meu redor, eu não iria deixar que isso continuasse a acontecer, nem que eu tivesse que morrer, já perdi muito, isso foi o suficiente para mim. Não sei o que acontecia de fato, todos que estavam relacionados a mim estavam tendo fins cruéis, era quase inevitável tentar parar isso. 

Enquanto eu corria, minhas intuições me mostravam que alguém me seguia, talvez eu estivesse certa, então, era a hora de provar, eu não tinha que fugir, eu tinha que enfrentar, buscar respostas ou soluções pelo menos. Fui diminuindo minha intensidade nos passos, chegando em Yeongnam.

Acalmando minha respiração, foquei meu olhar no céu, quem diria que uma noite como aquela, as estrelas iriam continuar brilhando tão intensas e lindas no céu, tenho até que inveja delas por isso.

- SEI QUE VOCÊ ESTÁ AI!!! 

Gritei o mais alto que pude, com minha respiração ofegante, sentindo minhas pernas tremerem.

- Se continuar me seguindo irei revelar quem eu sou! 

Tive que apelar para o plano B, não sei quem estava me seguindo, mas aquilo me perturbava.

- Você sabe quem eu sou?... Sou Moonbyul, sabe quem é a minha mãe?-

E um som de palmas me interrompeu a fala, me fazendo arrepiar pela surpresa, a curiosidade, medo e adrenalina me assumiram, pensei em mim virar e tirar as dúvidas, entretanto, permaneci de costas.

- Então agora você reconhece de quem é filha?

Me fazendo engolir em seco, uma voz grave, grossa e simultaneamente bela, me fez virar rapidamente, onde voltei meu olhar para um belo rapaz. Alto, um pouco mais moreno do que os outros garotos que já conheci, muito lindo, seus cabelos negros combinavam com a cor dos olhos, ele travava o maxilar, enquanto suas mãos ficavam dentro do bolso da calça. Sua vestimenta era combinada, tudo extremamente preto assim como a cor do céu naquela noite.

- Agora se calou?

A forma de como ele falava me dava arrepios, era meio sarcástico, e quando terminava de falar, um sorriso ladino se completava em seus lábios, pura ironia em apenas uma só pessoa.

- Me achou tão bonito assim que não consegue nem responder minhas perguntas?

Além de bonito era egocêntrico, para minha surpresa? Claro que não, conheço bem esse tipinho.

- Não se engane, quando fico em silêncio. Não é reparando em beleza alheia, e sim pensando em outras coisas.

Quem era ele? Ele conhece minha mãe? Parece ser jovem, como ele poderia ter uma relação com minha mãe? 

Minha mente só se bagunçava cada vez mais nas dúvidas e perguntas não respondidas, era como um questionário do Enem em que eu não tinha estudado nenhum pouco.

- Hum... É engraçado a forma de como você fala.. lembra muito a sua mãe. 

O jovem de preto começou a caminhar em passos lentos e curtos em minha direção, enquanto seus dedos deslizavam sobre seu queixo, ele parecia está gostando daquela situação, era como se fosse uma refeição, e pelo seu olhar brilhante, eu me via como uma presa na frente de um lobo.

- Você conhece minha mãe?

O vi sorrir e parar de andar. Engoli em seco.

- Você não tem mais pai, amigos, colegas, trabalho, casa, mas ainda sim fala tão orgulhosa. Você acha mesmo que eu conheço sua mãe?

- Não estou entendendo aonde você quer chegar. Você conhece sim ou não a minha mãe?

Quando terminei minha pergunta, senti algo frio tocar em minhas costas, era meio pontiagudo, além de uma respiração perto de meu ouvido.

- Ao invés de fazer perguntas, fique em silêncio e ande.

A voz que soava perto de meu ouvido era mais suave do que a do misterioso de preto, mas ainda sim me dava medo e arrepios, e após ele ter dito aquilo, todo o meu corpo se paralisou.

- Não precisava ter sido tão curto Golden Maknae.

O de preto falou meio ríspido.

- Tae Tae não me diga como devo agir ou falar.

Isso foi a última coisa que ouvi, até minha visão ser preenchida por escuridão, parecia meio que um fim.


Notas Finais


O que será que vai acontecer com Moonbyul? O que ela terá que enfrentar? E suas perguntas serão respondidas? Acompanhe os próximos capítulos e descubra com a nossa querida Moonbyul sobre sua nova história, com amores, lutas, tramas e triângulos amorosos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...