História Faking It - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, One Direction, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Niall Horan, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Tags Drama, Família, Fingindo, Jarry, Sean
Visualizações 13
Palavras 2.293
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eae galera!! Eu não morri e voltei do além, juro!

Tive um enorme bloqueio durante esses 11 meses, não conseguia escrever de jeito nenhum.

E para os que lêem minhas outras histórias, sinto muito em decepcionar vocês mas só irei atualizar Faking It a partir de agora. Faltam apenas dois ou três capítulos para terminar :(

Me desculpem a demora!

Votem e comentem bastante

Ily all -A

Capítulo 7 - Here we go again



Jean Pov's

Desperto na manhã seguinte e ainda de olhos fechados passo minha mão sobre o lado da cama, onde supostamente deveria estar Harry. Mas ele não estava.

Sinto meus olhos marejarem e logo engulo seco me sentando na cama olhando em volta. Tudo parecia estar em seu lugar, nada de roupas espalhadas ou resquícios da noite anterior. Se não fosse apenas pelas marcas em minha pele e a falta de roupa em meu corpo, eu duvidaria se teria ou não acontecido tudo aquilo ontem.

Suspiro alto e logo ouço meu celular tocar distante do quarto. Lembro-me de tê-lo deixado no banheiro na noite anterior e então traço meu rumo até lá mesmo nua. Olho o visor do celular e praguejo ao ler o nome de Liam.

Droga, Liam. Ainda havia muito o que fazer com toda essa situação de Rosie, Maria e Liam. Eu só queria poder cuidar dos meus próprios problemas, que no momento não eram poucos, sem nenhuma interrupção ou desvio de atenção, eu precisava urgentemente resolver aquilo.

Mas Liam merecia minha ajuda, eu devia isso à ele depois de tudo que aconteceu!

Aperto os olhos ouvindo o toque do celular reiniciar indicando que ele ligara novamente e então decido atender. Ele, mais do que ninguém, merecia minha atenção agora.

[...]

Uma semana havia se passado e depois de muitas discussões e longas conversas, Joseph finalmente deu o braço à torcer e deixou que Liam finalmente conhecesse a menina.

Joseph fora duro na queda por não entender o porquê de Liam querer tanto ver sua filha, ele não queria que ninguém do passado sujo de sua ex mulher invadisse a vida da menina. Mas logo entendeu que Liam não tinha culpa pelas coisas que Rosie fazia, ele simplesmente se apaixonou por uma prostituta que escondia a verdade sobre sua família e a existência de sua filha. Joseph o entendia, afinal, também caíra nas mentiras dela, mas mesmo com suas mentiras continuava a ama-la. No final de tudo, ele entendeu que eles dois tinham muito em comum; os dois queriam se agarrar a única herança viva da garota que ambos amaram.

E era hoje esse dia.

Hoje aconteceria o encontro e Liam nao parava de andar de um lado para o outro em minha sala de estar. Reviro os olhos em pura irritação enquanto terminava de dar a mamadeira de Thomas, que desde que dera seus primeiros passinhos desengonçado essa semana, não parava mais quieto.

Madison, por sua vez, ainda sentia medo de ficar até em pé sozinha, só ficava se fosse com auxílio de alguém, e esse alguém geralmente era sua irmã mais velha, Kimberly. Nunca vi crianças tão apegadas quanto essas duas, e eu amava tanto isso.

Termino de dar a mamadeira de Thomas o ajeitando no carrinho ao lado de Maddie que estava distraída com sua chupeta.

- Prontinho, Liam! - virei-me para ele que suspirava em alívio

- Graças ao meu bom Deus! - Brincou e logo tirou seu celular so bolso provavelmente olhando a hora - Temos 10 minutos para chegar ao parque - Ele alertou com nervosismo evidente.

Revirei novamente os olhos.

- Não é como se você fisse participar de uma reunião com o presidente e precisasse estar la no horário!

- É quase isso - Ele rebateu me fazendo rir um pouco, logo o silêncio pairou por nós algum tempo - Jean, você tem certeza de que esta tudo bem? E se Joseph...

- Liam - o interrompi - é claro que está tudo bem, não vai acontecer nada demais. Samantha e Adam também estarão lá, terá todo apoio possível, fique tranquilo.

Ele suspirou ainda desanimado e então tomei a liberdade de colocar a mão em seu ombro.

- Ela vai adorar você- Digo e ele abre um enorme sorriso animando-se com a ideia - Agora vamos, são quase quatro e meia. - Ele assente e me segue ajudando-me com as crianças.

O caminho até o parque fora mais lento que o normal, o nervosismo de Liam agora me atingia. Ao empurrar o carrinho dos gêmeos pelo vasto gramado, finalmente começamos a nos aproximar do pequeno grupo. Liam para a alguns metros de distância deles e eu paro um pouco depois o olhando sem entender. Ele estava parado com as mãos em seu bolso, olhando fixamente para um ponto, parecia maravilhado. Sigo seu olhar e logo encontro o motivo de sua paralisia, ali estava Maria, ou melhor dizendo, ali estava Rosie.

Incrivelmente, a garota hoje se parecia bem mais com sua mãe, seus cabelos loiros soltos ao vento e seu vestidinho balançava sem parar enquanto ela corria de seu pai com um sorriso enorme no rosto.

- E-Ela é...- ele começou porém travou no meio de sua frase.

- Sim, ela é a cópia fiel de Rosie - Conclui seu pensamento e ele assentiu ficando ao meu lado - Como nunca tínhamos reparado antes?! Estava na nossa cara o tempo todo!

Ri incrédula e antes que Liam tivesse a oportuniade de falar, um gritinho animado foi ouvido. Maria abraçava Kimberly calorosamente e logo em seguida veio correndo em minha direção, me envolvendo em um também caloroso abraço.

- Tia Jean! Senti saudades - Sorri me olhando ainda abraçada comigo

Retribuo seu sorriso ainda atônita com tudo. Eu não sabia como me sentir olhando pra Maria hoje, meu coração doía ao vê-la e lembra-me de sua mãe e me confortava ver os olhos e o sorriso feliz de minha melhor amiga outra vez.

- Quem é você? - Maria me solta de seu abraço e se volta para Liam que se mantinha parado olhando tudo

- Meu nome é Liam, e o seu? - Ele perguntou se abaixando na altura da mais nova que sorriu tímida

- Maria...

- Nossa, que nome lindo! - Ela o agradeceu sorrindo e logo olhou em volta vendo as crianças brincarem - Então, Maria, do que você mais gosta de brincar?

- Hmm...- Ela olhou pro chão pensativa - Pique-Pega! Mas meu pai não gosta de brincar assim comigo - Fez beicinho

- Nossa, que ótima brincadeira - Liam sorriu simpático - E que tal eu brincar com você?

A menina pareceu pensativa enquanto Liam so a observava admirado.

- Ok então...mas tá com você - ela gritou e logo em seguida se pôs a correr gramado a fora

Liam não perdeu tempo correu atrás a mais nova, sorrio ao perceber que Kim se juntara aos dois.

Me aproximo de Sam que desde o início olhava tudo sentada no chão quieta com Adam em seus braços, provavelmente o ninando. Joseph estava alguns metros de distância de nós, mas continuava atento à sua filha e Liam brincando.

Sorrio para Sam que retribui ainda em silêncio, forrei o chão, coloquei os gêmeos os cercando de brinquedo e me sentei ao lado de Sam.

- Eles estão se dando muito bem - Disse Sam

- Sim, ele leva jeito com crianças- Dou de ombros me lembrando das vezes que deixara Liam a cuidar das minhas crianças por alguns minutos

- Joseph está tão tenso - Ela suspira - Acho que em sua cabeça, Liam quer roubar Maria dele - Fez uma careta e eu a segui, sabíamos que não ia acontecer - Odeio toda essa confusão, que droga Rosie!

Ela olha para o céu como se estivesse realmente brigando com alguém e eu me permiti rir baixo. O tempo estava muito agradável, os raios já meio frios do sol iluminavam nossas peles, o lugar parecia leve.

Ficamos em silêncio até que Sam decide o quebrar.

- E como vai...- Ela deu uma paisa e suspirou - E como vai com Harry?

A olho e sinto meu coração errar até algumas batidas.

Desde a última vez que tivemos contato direto, nunca mais o vi. Ana dizia que ele ia lá em casa quando eu estava de serviço ou na rua para ver as crianças, ficava até um pouco antes de eu chegar. Ele claramente não queria me ver mais.

Meu coração doía so de pensar na hipótese de um dia Harry me largar novamente, eu não quero que termine assim. Na verdade, eu nao quero nem que termine.

Suspiro olhando para o chão e Sam entendeu claramente

- Que droga, Styles não pode ficar te ignorando assim. Droga, você errou mas ainda sim é a esposa dele! Não sabe nem em qual hotel ele esta hospedado? - Neguei com a cabeça

A real era que eu realmente não fazia ideia de como agir com isso. A falta que ele faz deixa meu corpo doente. Queria apenas ter contato visual com ele, ja melhoraria alguma coisa. Mas nem isso, ele não me dera mais a oportunidade nem de sentir seu cheiro pairando no ar. Cogitei até a hipótese de que ele esteja agindo assim porque se arrepende de quando dormimos juntos a última vez. Talves tenha sido realmente um erro para nós dois.

Sam não fez mais perguntas sobre esse assunto, agradeci mentalmente por ela ter mudado de assunto. A tarde fluia naturalmente, e melhor até do que imaginávamos, Liam até passou um tempo conversando com Joseph!

Já era noite quando decidimos seguir o rumo de casa, Liam pegara um táxi para seu apartamento enquanto Joseph e Sam iam para casa com as crianças em seu carro, Kim passaria a noite com Maria, festinha do pijama.

Ao estacionar na vaga, franzo o cenho ao perceber as luzes dentro de casa acessas, eu me lembro de ter dispensado a Ana...ou será que não o fiz?

Entro em casa meio atrapalhada com o carrinho e logo pego as crianças no colo, uma em cada braço. Ao subir as escadinhas que davam para a sala, comecei a chamar por Ana.

- Ana? - Adentro a sala e vejo todas as luzes apagadas apenas a silhueta ilumana pela luz da cozinha de uma pessoa sentada no sofá- Ana do céu, achei que tivesse te dispensa...

Acendo a luz paro de falar na mesma hora em que vejo Harry sentado no sofá olhando intensamente para mim. Meu coração começou a bater mais forte assim que meus olhos caíram sobre ele. Ele parecia normal, seus cabelos agora estava mais curtos do que na ultima vez que eu o vi e seus braços mais musculosos. Ou será que era impressão minha?!

- O-o que...- Tentei começar e me xinguei mentalmente por ter feito isso - O que veio fazer aqui? - Peguntei calmamente

Coloquei as crianças no chão que às pressas engatinharam até o Pai que pegou um de cada vez em seu colo com o seu típico sorriso bobo no rosto. Não pude deixar de sorrir.

- Vim conversar - Ele disse sem ânimo

Suspirei aliviada

- Ah, Harry, que bom eu...

- Eu já pedi o jantar - Ele me cortou com um tom frio em sua voz

Meu sorriso se desmanchou e lágrimas começaram a encher meus olhos, me segurei pra nao deixá-las cair. Sem pronunciar mais nada, apenas assenti e fui até ele pegando as crianças, subi logo em seguida com elas e em menos de quarenta minutos, os dois já haviam mamado e agora estavam dormindo. Sorri satisfeita e supirei nervosa ao sair do quarto deles descendo em direção a cozinha.

Ao adentrar a cozinha, percebi que Harry colocava a mesa havia duas caixinhas de yakisoba. Andei até lá e logo me sentei, ele sem perder tempo já começou a comer, o acompamhei.

O jantar ocorreu muito silencioso, um silêncio que torturava. Eu queria falar, pedir desculpas, talvez até recomeçar. Mas ele não parecia nem um pouco disposto a conversar hoje, mesmo que sua vinda aqui tenha sido para isso. Ele só falara uma vez a mesa, que foi perguntando onde estava Kim.

Ele terminou seu jantar primeiro e logo saiu da cozinha deixando que eu tirasse a mesa, sempre faziamos isso juntos...era tudo diferente agora.

Lavei a pouca louça que tinha na pia e me apoiei na mesma me preparando para ir para a sala, eu precisava encarar isso. Sequei minhas mãos e saí da cozinha indo para a sala. Harry estava sentado olhando fixamente para um ponto qualquer enquanto tinha um envelope em mãos.

Engoli seco.

- Jean, eu vim aqui somente com o propósito- Disse ainda olhando para o nada

- Qual? - Perguntei, ele me olhou e senti todos os pelos do meu corpo se arrepiarem pela intensidade do olhar

Ele se levantou do sofá e supirou andando até mim, parou alguns centímetros de distância e me entregou o envelope. Olhei para o embrulho branco e franzi o cenho olhando para ele de novo.

- Eu marquei a data do exame de DNA - Suspirou e meu coração acelerou

- Achei que não precisássemos fazer isso agora, correndo - Respondi e ele nem sequer pareceu ligar, ele se distanciou dando alguns passos oara longe de mim indo até o porta-casaco.

Ele pega seu casaco e olha para mim novamente.

- Provavelmente não estarei aqui quando sair o resultado, por favor, me ligue imediatamente, não importa de quem eles sejam - disse ríspido fazendo menção às crianças

- Por que não estará aqui?

- Estarei em Chicago- Ele colocou seu agasalho

- O que? O que você...

- Eu vou me mudar, Jean - Respondeu de uma vez fazendo todas as lágrimas descerem involuntariamente.

Demorei alguns segundos para digerir essa informação, ainda o olhando, lágrimas desciam pelo meu rosto sem parar.

- Harry, por favor, não! E o nosso casamento? - Supliquei em soluços

- É temporário, eu prometo - Se aproximou de mim - Preciso de um tempo!

Fechei os olhos sentindo a dor no peito aumentar.

- O que você fará lá? Não conhecemos ninguém de lá! - Exclamei desesperada

- Eu tenho alguns amigos lá - Suspirou- É melhor pra nós dois

- Eu não quero um tempo, Harry - Dei um passo em sua direção mas ele parecia irredutível

- Sinto muito.

- Por favor, não...

- Não vamos conversar sobre isso hoje...- Ele disse e se aproximou de mim beijando-me a testa

Ele se afastou e sumiu do meu campo de visão, logo ouvi a porta sendo batida. E lá estava eu, olhando para onde ele havia ido fixamente enquanto lágrimas rolavam pelo meu rosto.

Isso não pode estar acontecendo de novo!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...