1. Spirit Fanfics >
  2. Falcão >
  3. Explicações Partida

História Falcão - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Explicações Partida


Andava ao lado de Naruto rumo à torre do Hokage. O loiro parecia distraído e irritadiço, algo que não era do seu perfil, mas preferiu ficar em silêncio, se ele quisesse contar algo, contaria por contra própria.

Seiji, um dos ANBU’s amigos de Yahiko que estavam na mesa há dois dias passou ao lado deles, tão próximo de Naruto que ele podia jurar que os ombros deles se chocaram.

Eles deram três ou quatro passos antes do loiro finalmente explodir.

— Esse cara ‘tá me testando...

— Hum?

— Qual é... Vai dizer que não ouviu?

Uma de suas sobrancelhas se ergueu em dúvida.

— O discurso patético deles no pub, dizendo como Hina-chan e Sakura-chan são bonitas, gostosas e blá blá blá... Sei que você ouviu também, apenas disfarçou assim como eu fiz.

Naruto tinha ouvido?

Tinha ouvido e permanecido sentado e silencioso?

— Esse cara... Seiji é do clã Hyuuga.

— Isso é óbvio Naruto.

O homem tinha cabelos compridos e olhos perolados.

— O pai de Hinata havia a prometido em casamento, para ele — O loiro coçou a cabeça e olhou para longe — Mas, depois da guerra eu fui conversar com o pai dela e bem, eu não sei se foi por eu ser um dos heróis da guerra, ou por eu ser cotado para ser o próximo Hokage o pai dela me reconheceu como um bom partido e quebrou o acordo com Seiji.

— E ele não aceitou.

— Não, mas não tem coragem de me enfrentar no mano a mano. Todo Hyuuga é sutil e silencioso, mas esse aí tem que ser uma maldita exceção. Os amigos dele também sabem disso e eles fazem questão de me provocar, em todos os lugares, em todos os momentos. Ficam falando do corpo de Hinata porque sabem que agora ela está comigo, e falam da Sakura também porque sabem do carinho que eu tenho por ela. E eles ficam fingindo que não é pra mim, e isso é o que mais me deixa irritado. Eles não têm coragem de vir falar na minha frente.

Acenou positivamente entendendo tudo o que acontecera.

— Aquele dia no bar, meses atrás, eles estavam falando da Sakura-chan para me irritar, mas acabaram irritando você também. Eles quase nunca falam algo tão baixo da Sakura-chan, costumam se focar na Hinata, mas acho que quando perceberam que bem... Que você... — O loiro limpou a garganta — Se importa... Resolveram te provocar também.

Acenou novamente, enquanto andavam pelo centro da vila.

— E por que não acaba logo com isso?

Perguntou, não entendia os motivos do loiro em aguentar toda aquela baboseira calado.

— Não posso. Estou em fase de observação. Os velhos do conselho não me dão folga, me observam, mandam pessoas para me observarem, estão tentando achar uma brecha, algo que eu faça errado para que possam queimar meu filme, e assim acabar com as minhas chances de assumir o posto de kage quando Kakashi-sensei sair. Eu sei que se eu fizer qualquer coisa estúpida eles vão correndo contar para o conselho, não posso correr esse risco.

Eles continuaram andando, até finalmente chegarem a torre principal, enquanto subiam as escadas, o loiro o perguntou se ele não ia falar nada.

— Estou começando a achar que aí dentro dessa sua cabeça enorme tem alguma coisa parecida com um cérebro.

Foi tudo que ele disse, recebendo um soco no seu braço. Mas a verdade era que o modo como Naruto pensava agora e como parecia responsável era surpreendente.

— Finalmente as duas princesas resolveram aparecer.

Kakashi dissera quando eles entraram em sua sala. O loiro berrou algo, voltando para sua estúpida de cabeça oca, e ele apenas observou os ninjas já presentes na sala.

Os ninjas de Kiri usavam roupas cinza, o homem parecia despreocupado demais assim como a mulher ao seu lado, como se nada no mundo pudesse os atingir. Eles eram tão parecidos que ele podia facilmente deduzir que eram irmãos. Tinham a pele clara e olhos azuis como o mar.

O único ninja de Kumogakure (identificou pela bandana) era o mais velho deles, devia ser um ou dois anos mais velho que ele próprio, usava uma calça negra e uma blusa de gola alta, parecida com a que os Uchihas costumavam usar quando ainda era vivos.

Gaara havia mandado dois de seus melhores ninjas, e ele pensou já tê-los visto em algum lugar, talvez em Suna mesmo, eles eram grandes demais, com cabelos cor de areia e tantos adornos, bolsas e acessórios no corpo que pareciam estar armados para uma guerra.

Foi Kakashi quem o tirou de seus devaneios.

— Bem, esses são os ninjas que vão ajudá-los. Exceto Ryoi de Kumogakure, ele veio acompanhar o chefe de negociações, e por isso, permanecerá aqui. O resto de vocês irão se dividir. Recebemos informações que eles alguns deles estarão nas fronteiras de Yukigakure daqui uma semana, foram contratados para atacarem outro grupo de mercenários. Também tiveram pedido e irão para Moyagakure e provavelmente irão se dividir para atender ambos pedidos, por isso vou dividir vocês também, metade irá para um ponto, os outros para o outro, e assim poderemos atacar com mais eficiência sem precisar ficar procurando-os. São treze, portanto vocês devem matar todos eles, caso fique algum para trás, que não esteja em nenhum desses lugares, a busca ficará por conta de vocês.

— Ótimo, o time sete vai—

— Naruto, não.

Os olhos do loiro vacilaram, e ele parecia uma criança fazendo birra para os pais.

— Mas Kakashi-sensei! O time sete é—

— Você e Sasuke são meus melhores ninjas, é mais sensato deixar um em cada time. Iuzi de Suna — O grisalho apontou para a mulher cheia de adornos pendurados pelo corpo, que mantinha os cabelos cor de areia presos em uma trança firme — É uma iryō-nin, e por isso ficará em um time diferente de Sakura, para que cada um tenha sua própria médica. Naruto, você ficará com Shikamaru, um estrategista e um ser mais pensante que você, com Iuzi e Hachiro — Kakashi apontou para o outro ninja da areia — E os demais, Sasuke, Sakura, Yomo e Yachi ficarão no outro time.

— Mas Kakashi-sensei! Você deixou o teme e a Sakura-chan juntos e só excluiu a mim! Isso não é justo e—

— Naruto, os times foram montados baseados em habilidades, e também o Sasuke precisa de distração, para ver se melhora esse humor azedo e—

— Kakashi-sensei... — Sakura interrompeu, envergonha e sem jeito. Ele quase riu, embora quisesse mesmo socar o Hogake.

O mais velho limpou a garganta.

— Bem, Naruto e os demais irão para a Moyagakure e os outros para Yukigakure. Comuniquem-se depois dos ataques para terem certezas que todos foram eliminados. Não quero que tenham a identidade de vocês descoberta por outras pessoas, então usarão mascaras como ANBUS. Eles provavelmente irão perceber quem vocês são pelo estilo de luta, mas não quero que ninguém, além deles, saiba suas identidades. Entendido? Alguma pergunta?

Todos permaneceram em silêncio.

— Ótimo. Essa é uma missão oficial, livres de penalizações, mas ainda sim, não quero conflitos com as outras vilas, sejam discretos, e não façam algazarras nos lugares em que passarem. Ouviu Naruto?

— Heeeey! Kakashi-sensei, eu sou muito—

— Quando partimos? — Foi Shikamaru quem cortou os berros de Naruto, e ele agradeceu mentalmente o Nara.

— Hoje à tarde, quero que cheguem lá o mais rápido, e se possível, antes deles, quero que eles façam o mínimo de estrago para outras vilas e moradores. Se não tiverem mais dúvidas, podem ir.

Acenaram positivamente, antes de saírem em fila da sala do Hogake.

— Nos encontramos as dezoito na saída da vila.

Shikamaru avisou, antes de partir. Ele podia jurar que ainda iria atrás da ninja de Suna, Temari, antes de partir para a missão. Os outros se dispersaram rápido, até mesmo Naruto, que gritou aos quatro ventos que precisava se despedir de Hinata, e ele não estava nem um pouco interessado no modo como Naruto iria fazer isso.

No fim, restaram ele e Sakura, com o seu usual jaleco branco perdurado no corpo, o sorriso fácil e as mãos inquietas.

— Eu... Preciso pegar algumas coisas em casa e passar no hospital, nos vemos nos portões da vila?

Acenou positivamente. Ela deu as costas, e depois, virou-se novamente para ele.

— Fico feliz por estarmos no mesmo time.

Ela disse, mas ele entendeu o que ela realmente quis dizer.

Fico aliviada por estarmos no mesmo time.

Era a verdadeira frase. Eles se entendiam com olhares e até mesmo com o silêncio, e ele sabia que ela queria mesmo deixar claro que se sentia segura com ele.

Também me sinto seguro com você.

Foi o que ele quis dizer, antes de vê-la virar-se e seguir caminho para o hospital.

Quando ele deu um passo para ir para casa, Shizune o chamou de volta para a torre. Ele subiu as escadas, entrando na sala de Kakashi novamente.

Ele odiava ter que fazer as coisas duas vezes, da mesma maneira, provavelmente por causa de seu passado mal resolvido, ter que fazer coisas parecidas em um curto intervalo de tempo o dava uma sensação de déjà vu e de passado que não o fazia bem, parecia sufocá-lo.

— O que quer?

— Que bom humor! — O Hatake comemorou, sem tirar os olhos de seu precioso livro.

— Kakashi...

— Ok ok... Eu... Coloquei você no mesmo time de Sakura porque você é o que mais consegue lidar com as emoções dela, tudo bem, às vezes você fode com tudo, mas achei que ainda sim você seria melhor que Naruto. Eu não queria mandá-la para essa missão, não sei como ela irá reagir quando encontrá-los de novo, mas achei melhor tirá-la da vila do que deixá-la aqui com o conselho. Creio que essa missão não será difícil, eles não devem ser pareôs para você e Naruto, e até mesmo para Sakura, só derrotaram ela porque tinham noção de sua luta. Na verdade estou mandando-os para lá, para tirar todos vocês da vila. Pelo menos até essa poeira abaixar, não sei se Naruto te disse, mas o conselho está atrás dele... Enfim, acho que fará bem vocês ficarem um pouco longe daqui. O conselho logo descobrirá que vocês saíram em missão para matar os Yoikis, e eu não quero ter vocês aqui quando eles descobrirem isso.

Acenou posivamente.

— Esqueci de entregar isso — O mais velho abriu uma gaveta, e tirou duas pastas exatamente iguais — Aqui estão as informações de todos os integrantes que Gaara conseguiu reunir, pode ajudá-los, entregue uma dessas para Shikamaru, porque Naruto provavelmente perderia nos primeiros minutos.

Pegou as pastas nas mãos, e estava pronto para sair, quando a voz dele o atingiu novamente.

— Cuide de Sakura.

Kakashi não precisava falar que se preocupava com sua ex-aluna como um pai se preocupa com uma filha, afinal, ele estava lá, ainda sentado no chão, enquanto Tsunade estava trancada na sala de cirurgia salvando Sakura quando Kakashi chegou, com os olhos arregalados e os braços cruzados, nas mãos não havia livros, ou pergaminhos.

O mais velho sentou-se no chão, em frente aos dois alunos em silêncio, seu olhar constantemente voltada para a porta da sala, esperando que a loira saísse dali com notícias de sua discípula.

No corredor do hospital, estavam ele, Naruto e Kakashi, e ele pensou que poucas vezes tinha visto o olhar de Kakashi tão desesperado como estava naquele momento.

Não precisa pedir.

Foi o que ele pensou depois de sua divagação. Mas não respondeu, apenas saiu da sala, fechando-a em um baque surdo.

♦ ♦ ♦

Estavam na saída da vila, esperando apenas Sakura e os ninjas de Suna. Naruto mantinha a mochila no chão contando vezes seguidas se estava levando ramén o suficiente até a primeira parada em uma vila. Ele quis vomitar.

— Não acredito que vou deixar a Hina-chan todo esse tempo sozinha, com aquele rato rondando ela.

O loiro fechou a mochila, endireitou a coluna, e acenou para alguém que estava as suas costas. Ele não se virou para ver quem.

— Ainda bem que ela gosta mesmo é de raposa.

O Uzumaki completou, e naquele momento ele tinha certeza que precisava vomitar.

— Cale a boca.

— Você é muito chato teme, quero só ver quando tiver um rato rondando a Sakura-chan também, você vai ver como é...

Ele iria xingar o loiro novamente, mas foi interrompido com a chegada dos outros. Sakura sorriu para ele assim que o viu, segurando uma das alças da mochila negra. Preocupou-se somente em estender os papéis para ela.

— Oh! São os relatórios?

Ela perguntou, e ele percebeu que eles viraram o centro das atenções. Deu os ombros, antes de passar pelos portões tirando a atenção deles.

Odiava ser o centro das atenções.

Como iriam até certo ponto em comum juntos, ele teve que aguentar Naruto gritando e falando (na maioria das vezes sozinho) durante aquele entardecer e durante parte da noite. O loiro também xeretou na vida alheia, perguntando aos outros ninjas seus nomes (que ele já havia esquecido), idade, poderes e um monte de babaquices que não fariam a mínima diferença na missão. Sakura até entrou na conversa, vez ou outra, fazendo um comentário, assim como Shikamaru, mas ele preferiu o silêncio.

Só pararam uma vez, quando estavam perto da fronteira de Konoha para colocarem suas máscaras. Ele encarou a máscara branca com riscos negros em vertical em dúvida. Odiava máscaras, apesar de Kakashi constantemente fazê-lo usar. Ele gostava de assinar seus danos, mostrar seu rosto, assumir suas escolhas, mas segundo o ex-professor era mais seguro para eles que as outras vilas não soubessem quem foram os responsáveis pela morte daquela gangue.

Colocou a máscara em silêncio, acostumando-se com a escuridão e o sufocamento momentâneo. Quando levantou a cabeça, todos os outros já estavam usando suas respectivas máscaras, Naruto usava uma máscara branca, com desenhos em laranja tão berrantes que era como se ele estivesse sem, a própria máscara denunciava sua identidade.

Ele não se atentou a máscara dos outros. Apenas para a pequena figura atrás de Naruto, que agora tinha os cabelos não mais róseos, e sim em um castanho escuro preso em um coque e também a máscara branca com um único risco negro perto dos olhos. Ela olhou-o e ele podia jurar que ela estava sorrindo.

Instantaneamente ele quis sorrir também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...