História Fall of alliance - 5sos - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Candice Accola, Demi Lovato, Megan Fox, Zayn Malik
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Candice Accola, Dallas Lovato, Demi Lovato, Luke Hemmings, Megan Fox, Michael Clifford, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Queda, Romance, Sobrenatural, Vampiro
Visualizações 8
Palavras 2.575
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Six


Fanfic / Fanfiction Fall of alliance - 5sos - Capítulo 7 - Six

O jatinho que Vlad havia alugado para levar Abi até Perth era completamente preto e cheio de insulfilme, que impediam a passagem da luz solar. A morena de pele avermelhada brincou com o piloto enquanto ele abastecia a aeronave, essa não era a primeira saída dela do Brasil, sua casa natal, aquele país sempre tivera um lugar especial em seu coração e aquele amor incondicional só aumentou quando ela descobriu que sua mãe fora uma índia da tribo xamã e seu pai um vampiro chamado Efesto. Os dois haviam se apaixonado quando a índia fora caçar junto com seus irmãos de tribo, uma ameaça nova que naquela época eram os próprios vampiros que chegaram junto com os colonizadores na terra do novo mundo. Sua mãe encurralou seu pai numa cachoeira o deixando sem saída, mas ao olha-lo um pouco mais de perto a xamã se encantou com o brilho cinza dos olhos dele.


- Já estamos prontos. - o piloto disse tirando Abi dos seus pensamentos.


- Ótimo, vamos que a viagem vai ser longa. - ela disse esticando os braços e sorrindo.


Ela adentrou na aeronave com sua mochila e uma única mala pequena e suficiente, a morena imaginava que não iria ficaria tanto tempo longe do Brasil.


- Aperte o cinto, Nat.


- Ok, obrigado Jefferson.


Depois de descobri sobre sua origem, seu tio Vlad lhe contou que seu nome era Abi e conforme o tempo foi passando ela adotou o nome de Natália, a cada 20 anos ou no máximo 35 anos ela mudava de cidade e de nome. Hoje ela residia em Niterói, Rio de Janeiro, cidade do seu herói preferido, o índio Araribóia era símbolo de determinação e lealdade, ele havia ajudado os portugueses na conquista da Baía de Guanabara frente aos tamoios e franceses. Para Abi seria estranho ficar longe daquele calor agradável que o Brasil tinha, e mesmo no inverno que parecia estar uns 35 graus.


"- Tio Drac? - ela tentou contato, sem ter sucesso"


Provavelmente ele deveria estar conversando com o vampiro que ela teria que encontrar assim que chegasse na Austrália. Jefferson anunciou algum tempo depois que ela poderia soltar o cinto e finalmente descansar, pois a próxima parada seria na França e por último a chegada em Perth.
Única decisão que parecia plausível naquele momento era fechar os olhos e descansar um pouco, Abi pegou seu celular e abriu a playlist que havia preparado para suas viagens, deu play numa música e a melodia suave tomou conta do ambiente inteiro.


"- Abi? - a voz de sua melhor amiga lhe chamou na mente e a vampira despertou rapidamente.


- Oi Esme.


- Esme não, por favor! Isso me lembra aquela garotinha bizarra de Crepúsculo! - a vampira do outro lado começou a rir sem parar.


- Ta bom, Esmeralda, feliz? - Abi brincou, sua amiga sempre citava esse filme e realmente era engraçado ver como os vampiros foram sendo modificados ao longo dos anos.


- Muito! Já viajou?


- Estou sobrevoando Fortaleza, eu acho? Por que?


- Paul entrou em contato, pediu que eu te ajudasse na sua missão, então baby, diga oi Austrália! - Esmeralda contou com toda empolgação possível.


- Ótimo, pelo menos não ficarei sozinha lá!


- Se depender de mim, a última coisa você vai ficar é sozinha, me respeita que eu sou a lady vamp mais quente que tu teve o prazer de conhecer!


- Realmente, o que seria de mim sem você Esme... Opa foi mal! - Abi brincou mais uma vez.


- Olha só, eu exijo respeito ta legal?


- Foi mal é força do hábito, você vem quando?


- O mais breve possível, tenho só uma coisa para acerta antes de ir...


- Cielo?


- Esse é o meu maior problema! Vou resolver isso e irei te encontrar.


- Ok, vou te esperar em Perth, até mais irmã.


- Até a Austrália, irmã"


As duas foram apresentadas por Paul logo que ele, Abi e Peter fundaram as Três Lunas, organização que cuidava dos interesses dos vampiros na América do Sul a noite e pela manhã, os interesses dos índios nativos eram o foco, apenas para disfarçar o real motivo dela existir.


A empatia entre as duas foi imediata, Abi viu em Esmeralda a irmã que sempre sonhou em ter, pois por ser filha única, ela acabava encontrando nos poucos amigos os irmãos que não tinha.


Abi tornou a encostar sua cabeça na poltrona reclinada e aproveitou a batida suave a fazia lembrar dos anos que ela passara junto aos Maias, foi junto a eles que ela aprendeu a controlar seus poderes e descobrir os novos. Seu tio Vlad a visitava com frequência e sempre falara de sua filha, Elleanor, e o quanto ele gostaria que as duas se dessem bem, pois elas eram as únicas coisas que importavam realmente.


A viagem até a França durou pouco mais de seis horas, o jetlag a deixava muito mais cansada que qualquer outra coisa, mesmo sendo meio vampira, Abi sentia todo cansaço de um ser humano.


Eles pararam no aeroporto de Paris apenas para abastecer, ela então aproveitou para tentar um contato novamente com seu tio, já que a algumas horas atrás não obtivera sucesso.


"- Tio? - chamou mentalmente.


- Diga, Abi. -ele respondeu.


- Só para lhe avisar, estou na França, Jeff parou pra abastecer e daqui a pouco iremos levantar voo.


- Tudo bem, cuidado quando chegar em Perth e fique de olho na Ella. - ele pediu.


- Pode deixar, já sei o que fazer, vou descansar, amo você tio Drac."


Abi não via a hora de sair daquele país, desde que Jeff informou que eles estavam sobre a França, ela foi tomada por uma sensação estranha. Era como se alguma coisa de muito poderoso dominasse aquele lugar.


- Vai demorar? - ela perguntou impaciente.


- Só mais uns cinco minutos, Natalia.


- Finalmente. - ela disse voltando pra dentro da aeronave.


A morena não sabia ao certo o que significava aqui, mas definitivamente tentaria desvendar esse mistério futuramente. Seus deuses iriam lhe contar, eles nunca esconderam nada dela.


Jeff entrou no avião e anunciou que já iriam decolar, Abi travou novamente o cinto de segurança e fechou os olhos.


Finalmente, é Paris... eu voltarei para te desvendar.


Essa foi a promessa feita em uma anotação mental pela morena, talvez seu tio Vlad soubesse de algo, ou mesmo Paul, já que seu tio acabara de acordar de um torpor. Ela deu de ombros e tentou ignora aquela sensação, sua mente viajava serenamente e ela conseguia ver através do casco duro da aeronave, o céu, as nuvens, aquela imensidão azul, a luz da lua iluminando graciosamente tudo, hoje em especial era a lua minguante mais simétrica que já existira.


Horas depois Jeff pediu que Abi libera-se o cinto pois eles já estavam estáveis e que a viagem até Perth seria muito longa. E assim ela fez, a morena pegou um livro qualquer e sorriu ao ver que se tratava de um romance policial. Um dos hobbies de Abi era ler, era quase uma compulsão, sua vida era adicionar conhecimento ao seu cérebro.


A cada hora que passava Abi ficava nervosa, ela odiava viajar tanto tempo assim, geralmente suas viagens eram rápidas e o tempo de estadia no local eram curtos. O piloto havia informado que eles estavam sobrevoando algum país na Ásia que ela não se importou em saber, a única coisa que ela prestou realmente atenção foi no tempo, só mais duas horas e essa tortura acabaria.


O que não demorou para passar, duas horas e alguns minutos depois a menina já se encontrava em solo australiano, dentro de um carro, indo em direção ao endereço que precisava. Seu tio havia planejado tudo, então ela não teve que se preocupar realmente em nada que não envolvesse se mexer de um local para outro.

O sangue xamã facilitava na hora de andar no sol, poucas pessoas desconfiariam que ela era uma vampira, sua pele não ficava esbranquiçada como a dos outros de sua especie. Abi chegou ao hotel que Jeff havia indicado, um rapaz loiro abriu a porta do carro em que ela estava e a morena desceu sentindo aquele cheiro típico de cidades que haviam lobisomens.

- Boa Tarde senhora, a recepção é logo ali na frente. - o rapaz loiro indicou indo pegar as malas.

- Obrigado!

Abi deu uma olhada para a fachada monumental do hotel, seu tio não economizou em nada mesmo. Assim que entrou na recepção ela foi recebida por uma moça loira.

- Boa Tarde, eu tenho uma reserva em nome de Natália Lewis.

- Boa Tarde, só um minuto. - a loira sorriu simpática e verificou no seu computador.

- OK - a morena deu de ombros.

Enquanto esperava a verificação da recepcionista ela resolveu dar uma olhada no local. Os tons em marrom e dourado davam um charme aquele lugar, os detalhes entalhados nas bordas das paredes realmente eram impressionantes.

- Eu também fiquei assim quando cheguei nesse hotel. - Abi ouviu uma voz feminina ao seu lado. - Prazer, Iana.

- Abi. - a morena disse num reflexo rápido e suspirou tornando a olhar para os desenhos. - Nossa, é muito lindo! Acho que nunca vi nada parecido.

- Nem eu, acabou de se mudar? - a menina de cabelos cacheados perguntou vendo a mochila que a morena carregava.

- Sim e não, na verdade eu espero que não precise! - Abi revirou os olhos, ela realmente não queria isso.

- Ué se decide mulher! - Iana brincou.

- E você? É nova na cidade?

- Sim, mas também não sei se é definitivo... - a de cabelos roxos olhou para o sol que fazia lá fora. - Tudo vai depender de um único encontro.

- Oh! Você é vampira? - Abi perguntou cochichando no ouvido da negra que riu e assentiu. - Sou xamã, mas também sou vampira.

- Acho que já ouvi falar de vocês em algum momento da minha vida, mas não estou lembrando agora. - Dahl deu de ombros. - Como soube?

- Pude sentir sua energia. - Abi explicou. - Eu consigo sentir a energia de cada pessoa ou ser sobrenatural nessa cidade.

- A bicha é poderosa né. - a vampira brincou. - Eu vou indo pro meu quarto, qualquer coisa estou no 13° andar, quarto 1304.

- Tudo bem, sinto que seremos grandes amigas. - Abi sorriu.

- Eu também acho, gostei de você e acho que minha melhor amiga também vai gostar. - ela disse se virando em direção ao elevador.

Abi retornou a recepção e a loira sorriu ao notar seu retorno.

- Senhorita Natália, sua reserva foi encontrada, aqui está sua chave. - ela pegou um cartão magnético e entregou a morena. - 29° andar.

- Uau! Obrigado. - Abi agradeceu pegando o cartão da mão da loira e se virou em direção ao elevador.

...

O carro estacionou em frente a uma casa de festas, então a morena saltou do carro. Ela observou tudo ao redor, esperando encontrar alguém com as características que seu tio havia lhe passado.

- Oi, boa noite! - a morena disse se aproximando do rapaz de cabelo azul em frente a um caminhão de bebidas. - Estou procurando por Luke ou Elleanor.

- Luke? - Michael perguntou estranhando. - O que deseja?

- Vlad me enviou... - o colorido tentou não demonstra nada só ouvir aquele nome. - Tio Drac pediu para eu me apresentar a ele e a minha prima.

- Espera, o que? - o colorido arregalou os olhos.

Luke nunca tinha comentado sobre isso com ele, uma prima? Se Elleanor já estava morrendo de ciúmes de Aurora, agora que ela ia morrer mesmo.

Um barulho no interior do salão chamou atenção dos dois, a porta da frente se abriu e revelou Elleanor com uma cara de curiosidade latente

- Oi, tudo bem sou sua prima, tio Drac me mandou aqui pra te ajudar com seus poderes. - Abi disse com uma empolgação que Elleanor estranhou.

- O que? - a ruiva olhou para a menina como se ela fosse retardada.

- Seu pai, Vlad, ele está desperto e me enviou aqui por que aquele fofoqueiro do Foster disse pra ele que voce é tão poderosa quanto eu.- a morena gesticulou e revirou os olhos. - E pediu que eu te ajudasse nos seus poderes.

- Eu tenho toda a ajuda que preciso, obrigada. - a ruiva sorriu forçado.

- Ele bem me disse que você era torrona também. - Abi deu um risinho baixo. - Bom, eu só vim me apresentar e quando Luke chegar me avisem. - ela caminhou até onde Michael e Elleanor estavam e entregou um cartão com um número do hotel.

- Não sou torrona, só não te conheço, e não preciso de ajuda - a ruiva falou fazendo aspas com as mãos na palavra torrona e Michael pôs a mão em seu ombro, como se pedisse silenciosamente para ela parar.

- Tudo bem, eu entendo essa sua "agressividade" comigo, bom, já fiz o que o tio Drac pediu e agora eu vou indo, não esqueçam assim que o Luke retornar, me liguem. - a morena sorriu uma última vez e virou de costas para os dois.

- Quem essa menina acha que é? - Ella perguntou revirando os olhos.

- Pelo visto, sua prima - Mike falou rindo.

- Que prima? Eu não tenho prima coisa nenhuma. - a ruiva jogou os braços pra cima e saiu a passos largos, claramente irritada com aquela situação.

- Ella, não adianta ficar com raiva, seu pai sempre foi assim, fazendo o que quer - o colorido disse indo atrás da menina e olhando para o cartão em sua mão.

- Ele tinha que cuidar de mim e não dá filha dos outros, tio gatinho, a sorte dele é que eu tinha vocês!

- Você sempre vai ter a gente Ella. Ei, para - ele pegou no ombro da menina, a fazendo parar de andar.

- Eu tô chateada tio, por que ele mandou ela? Por que ele não veio? Será realmente que ele me ama como vocês dizem? - a ruiva choramingou um pouco.

- Ella, ele quer seu bem, tanto que mandou alguém pra te ajudar, não fica pensando nisso. - Michael sentiu o braços da vampira envolverem sua cintura e sorriu.

- Meu bem? Ah me poupe né? Ele deveria ter vindo, se bem que eu nem lembro da cara dele... - ela fechou os olhos contendo as lágrimas. - Eu preferia que ele nem tivesse acordado.

- Não diz isso minha princesa, ele é seu pai, independente de tudo. - Michael respirou fundo abraçou a ruiva.

- Vocês sempre dizem isso, mas ele sempre mostra o contrário. - ela fungou um pouco e abraçou ainda mais o colorido.

- Ella, nós não podemos julgar os outros, muito menos os sentimentos dos outros, precisamos esperar pra ver o que acontece. Mas saiba que eu e seu tio sempre vamos estar com você.

- Tudo bem, vou espera, mas quando ele chegar eu vou dizer poucas e boas pra esse cara.

Enquanto Michael tentava inutilmente acalmar Elleanor, a ruiva ainda remoia e buscava compreender realmente o que levara seu pai não vir até ela e mandar uma "prima".

Ja Abi saiu sorrindo satisfeita dali, a morena já imaginara que Elleanor não fosse baixar a guarda. As ruas de Perth estavam até movimentadas e aquilo encantava cada vez mais a garota, mas uma coisa fora do comum chamou atenção e prendendo sua visão. Um homem de mochila preta claramente nervoso, ele tremia por inteiro e a morena não sabia explicar como ele conseguia andar.


Notas Finais


Oi loves!

Já deixa sua estrelinha logo e seja feliz
O que acharam da Abi/Natalia?
She's a brazilian vampire, bitch 👊
Quem pegou a dica que eu dei nesse capitulo? É treta vindo né?
Estejam preparadas para o capítulo sete, just saying 😊
Beijoxxx drica♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...