História Fallen Angel - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Loona
Personagens Choerry, Chuu, GoWon, HaSeul, HeeJin, HyunJin, JinSoul, Kim Lip, Olivia Hye, ViVi, Yeojin, Yves
Tags Catfish, Chuuves, Heehye, Hyewon, Hyunsoul, Lipseul, Loona, Vives, Ywon
Visualizações 38
Palavras 3.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aqui está a segunda atualização do dia

Capítulo 15 - Consideração



 Sooyoung acordou lentamente, sentia todo seu corpo doer e uma enorme fraqueza. Parecia que havia sido atropelada por vários carros, isso sem contar a enorme tontura que estava sentindo.

 Coçou os olhos e começou a olhar ao redor, queria saber onde estava, mas ainda estava zonza demais para dizer se aquele lugar era familiar ou não. Só conseguiu processar que estava em um quarto, mas fora isso não havia percebido mais nada que julgava ser importante.

 De repente, a Ha enfim notou algo que já deveria ter percebido antes: pela primeira vez em meses estava totalmente no controle de seu corpo sem sentir que o perderia a qualquer momento.

 Arregalou os olhos ao notar esse detalhe, quase pulou da cama pela surpresa, porém uma tremenda dor no estômago lhe impediu. Olhou para baixo e por fim viu o curativo em sua barriga, isso lhe fez lembrar da facada que levou.

 Na realidade só se lembrava que ia levar a facada, porém não se lembrava da dor que deveria ter sentido quando a lâmina perfurou sua barriga. Sabia que não se lembrava disso porque bem naquele momento, após ter empurrado Chaewon para o lado, Yves havia voltado para o controle, então ela quem deve ter sentido a dor na hora.

 A relação de Sooyoung e Yves era um tanto quanto estranha, provavelmente seria vista por qualquer um como um disturbio de personalidade ou algo assim, mas o buraco era mais embaixo. Eram duas almas diferentes no mesmo corpo, ambas lutando diariamente pelo controle daquele corpo que, no momento em que passou a ocupar as duas, passou a ser da que estivesse no comando naquele momento.

 Sooyoung sabia desde o início que Yves não era uma personalidade dela, mas sim um outro alguém convivendo consigo, alguém que gostava de lhe controlar algumas vezes. A única coisa que não entendia era como Jiwoo havia conseguido colocá-la em si, afinal, como ela havia deixado uma outra alma em uma maçã? Melhor ainda, como sabia que quando ela mordesse a fruta aquela alma ficaria presa ao seu corpo?

 Realmente Jiwoo dava medo.

 A garota realmente estava achando tudo isso estranho, geralmente quando recuperava o controle, mesmo que por poucos minutos, Yves ficava a todo segundo tentando voltar ao comando, mas dessa vez ela estava quieta. Sooyoung já estava no controle por uns bons minutos, mas Yves nem ao menos tentava alguma coisa.

 Será que ela estava bem?

 Mesmo que sua vida provavelmente estivesse arruinada por culpa dela, Sooyoung tinha uma mínima consideração por aquela alma. Acreditava que ela não era uma pessoa ruim de fato, mas sim alguém te tinha influências ruins.

 Não julgava tudo o que Yves deve ter feito, afinal, não sabia se ela era obrigada a agir assim. Enxergava ela apenas como alguém que queria ter uma vida, mas claramente uma vida oposta à de Sooyoung.

 E se Jiwoo havia tirado essa alma de algum corpo e colocado no seu? Seria justificável o motivo de querer sempre ficar no comando, além de claramente não aparentar confiar muito em Jiwoo.

 Sim, Sooyoung não conseguia ter noção de metade do que Yves fazia quando assumia o comando, mas conseguia sentir o que ela sentia quando Jiwoo estava perto. Não eram sentimentos bons, parecia que ela se sentia intimidada, como se sentisse medo da Kim, mas também parecia sentir desconfiança.

 Sooyoung não lhe julgava, ela também passou a ter medo de Jiwoo em algum momento.

 Era impressionante como, mesmo depois de tudo, a Ha tentasse entender o lado de Yves. Talvez ela tivesse um coração bom, tão bom que não percebia que certas pessoas não mereciam toda essa compreensão.

 Em meio a todos esses devaneios, a porta do quarto se abriu e uma garota loira adentrou ele. Ela sorriu quando viu que Sooyoung estava acordada, provavelmente deve ter sido ela que fez o curativo em sua barriga.

- Você acordou, isso é bom - pronunciou se aproximando - Você ficou apagada por uma semana

- Uma semana... - estava surpresa, não imaginava que esteve desacorda por tanto tempo - Quem é você?

- Jinsoul, eu que te ajudei - a loira respondeu - Qual seu nome?

- Sooyoung

 A Ha conversou com Jinsoul por um tempo, ambas tiravam as dúvidas uma da outra em relação ao que havia acontecido. Sooyoung explicou como havia sido ferida, enquanto Jinsoul explicava onde havia lhe encontrado.

 Ao que tudo indicava, Sooyoung havia sido jogada ou caído do penasco do Eden, ao menos era a única explicação para Jinsoul ter visto ela literalmente caindo do céu. Provavelmente isso seria cômico em outro momento, mas naquelas circunstâncias era trágico.

 Conversaram mais um pouco e por fim a loira saiu do quarto, disse que iria buscar algo para a Ha comer, afinal, ela provavelmente começaria a sentir fome já que não comeu durante uma semana. Enquanto a garota esperava sentada, já que foi instruída pela Jung para não tentar levantar ainda, pode ouvir a porta ser aberta novamente e avistou de canto de olho uma figura loira.

 Logo pensou que Jinsoul havia esquecido algo e havia voltado para buscar, porém quando se virou notou que era Chaewon que estava alí, ela lhe encarava com uma cara nem um pouco boa. O olhar da mais nova parecia carregado de fúria, Sooyoung não a culpava, tinha noção que Yves não havia sido legal com ela.

 Respirou fundo, estava na hora de esclarecer o que havia acontecido nesses últimos meses, tinha quase certeza que a Park não acreditaria, mas não iria desistir. Precisava conseguir o perdão da garota, sabia que provavelmente nunca mais teria uma amizade com a loira e muito menos um relacionamento devido as circunstâncias, mas não iria conseguir viver em paz sem o perdão da garota que amava mais do que a si mesma.

- Chaewon, eu preciso te explicar porque devo ter sido uma idiota com você nos últimos meses - viu a garota se aproximar de si, então continuou a falar pensando que a mais nova estava disposta a ouvi-la - Sei que vai soar estranho, mas quem te tratou assim foi a Yves, ela é outra al...

 A frase de Sooyoung fora cortada pela atitude que Chaewon havia acabado de ter, a loira havia lhe acertado um soco bem forte em seu olho direito. A mais velha ficou atordoada por alguns segundos, não estava esperando levar um soco, por mais que achasse que merecia, não imaginava que a Park realmente agiria assim.

- Está me achando com cara de idiota?! - a mais nova lhe encarou com fúria - O que raios você ia falar? Que Yves seria o seu eu maligno e que você não tem culpa de nada?! Eu parece burra por acaso Ha Sooyoung?!!

 Chaweon fez questão de agarrar a mais velha pela blusa, enguendo bruscamente a Ha e fazendo assim uma dor enorme surgir em sua ferida. A Park não parecia ligar para a expressão de dor que surgia no rosto da mais velha, parecia que seu lado minimamente racional havia sumido.

- Chaewon, está... está doendo - Sooyoung fechava fortemente os olhos enquanto tentava suportar a dor da ferida que, ao julgar que começou a sentir algo quente em sua barriga, deveria ter começado a sangrar com a movimentação brusca - Me solta, por... por favor

- Pouco me importa se está doendo ou não! Você nunca se importou comigo, então não vejo motivo de me importa com essa sua dorzinha idiota, você não era um anjo? Então por que a idiota não se cura?! - a Park balançou agressivamente o corpo de mais velha, fazendo assim algumas lágrimas brotarem nos olhos da maior devido a dor - Você vai chorar? Eu deveria me importar com sua dor? Porque você nunca pareceu se importar com a minha

 Enquanto tudo isso acontecia, Yves observa tudo pelos olhos de Sooyoung, não entendia como a Ha ainda não havia tomado nenhuma atitude em relação a isso. Elas realmente era tremendos opostos, enquanto Sooyoung era boazinha demais e aceitava qualquer coisa calada, incluindo esse absurdo do momento, Yves jamais agiria do mesmo jeito.

 Era engraçado o fato de Yves conseguia ter noção do que acontecia quando não estava no controle, diferente de Sooyoung, esta nem parecia saber que também poderia ver tudo através dos olhos de Yves. Infelizmente a Ha realmente não parecia saber de muita coisa em relação a essa divisão de almas no mesmo corpo, isso acabava deixando a outra alma um passo a frente em muitos casos.

 Já era surpreendente o fato de Sooyoung saber que fora Yves que havia sentido a dor daquela facada, por mais que provavelmente isso deve ter sido mais uma intuição do que conhecimento dessa convivência em si. Era bem provavelmente que a Ha não soubesse que uma delas poderia morrer alí, dependendo da forma que o corpo fosse ferido, apenas uma delas morreria e a outra alma teria o controle total do corpo alí presente.

 Esse era o tipo de informação que torcia para que Jiwoo jamais tivesse conhecimento, caso contrário a Kim poderia querer matar Sooyoung e ela não queria isso.

 Yves não era de admitir muito isso, mas tinha uma pequena consideração por Sooyoung, mesmo que não demonstrasse ela se importava com a outra. Uma prova disso era o momento atual, estava irritada com a forma que Chaewon estava tratando Sooyoung, porém sabia que a garota era muito "boba" quando se tratava da loira, então ela poderia lhe jogar em um tanque de tubarões que a Ha não tentaria nem ao menos escapar.

 Queria ter forçar para retomar o controle brevemente, só gostaria de ensinar uma bela lição para a "loirinha folgada" que estava ameaçando a outra alma daquele corpo. Infelizmente aquela facada havia lhe deixado fraca, na realidade aquilo quase lhe matou.

 O que raios Jiwoo tinha na cabeça? Ela nunca lhe falou que pretendia tentar matar alguém, tudo bem que ela sempre pareceu insana, mas nunca demonstrou que chegaria a esse ponto.

 Ou talvez ela sempre tivesse sido assim e Yves nunca notou.

 Talvez ela estivesse cumprindo ordens de uma total maluca esse tempo todo, não que isso lhe surpreendesse totalmente. Já fazia alguns dias que vinha questionando as atitudes da Kim, porém admitia que tinha um certo medo de contesta-la.

 A realidade era que Yves só passou a existir graças a Jiwoo, porém ela sempre teve que cumprir suas ordem como forma de "agradecimento". As ordens da Kim passaram de favores simples para coisas absurdas, o caso de Hyejoo era um deles, Yves sentia um certo arrependimento de ter feito a garota ter sido jogada do Eden.

 Voltou a observar o que estava acontecendo com Sooyoung, não que fosse muito fácil, os olhos da garota estavam quase de fechando, sem contar que pareciam embaçados por possíveis lágrimas. Deduzia que a garota estava quase desmaiando pela dor, Sooyoung nunca pareceu ser muito boa suportando dor e isso apenas deixava Yves com mais raiva da loira que estava provocando isso.

 Como raios Chaewon não conseguia perceber que elas realmente era pessoas diferentes? Como ela nunca estranhou a mudança repentina de Sooyoung quando ela começou a ficar no controle?

 Se ela realmente amasse Sooyoung, a Park não deveria ter estranhado isso e ter tentando encontrar uma explicação? Ela não deveria ter descobrido o que Jiwoo fez? Não deveria ter descobrido sobre as duas almas?

 Continuava pensando nisso enquanto olhava a visão de Sooyoung, os olhos da garota se fechavam cada vez mais enquanto a loira falava coisas que nem fazia questão de prestar atenção. Estava começando a se preocupar, não sabia o que Chaewon faria se Sooyoung desmaiasse.

 Não que fosse deixar a loira machucar a Ha estando desmaiada, se fosse necessário juntaria sua pouca força do momento e voltaria ao controle e falaria umas poucas e boas para Chaewon. Quem sabe se fizesse isso a Park percebesse que eram duas pessoas diferentes, assim ela só teria raiva de uma delas.

 Aquilo lhe irritava, como Chaewon tinha coragem de dizer que Sooyoung nunca se importou com ela? A Ha havia lhe salvado de uma facada e ela ainda tinha coragem de dizer isso? Ou melhor, toda essa raiva que ela tinha era pela droga de um término?!

 E como ela tem a audácia de simplesmente falar que, se ela era um anjo, poderia se curar? Provavelmente Yves e Sooyoung não eram mais anjos, no máximo anjos caídos, mas era bem mais provável que a queda apenas tivesse lhes deixado mortais, logo não poderiam se curar.

 Yves gostava cada dia menos de Chaewon, como alguém poderia ser tão birrenta ao ponto de causar dor física em alguém só por causa do fim de um namoro? Não se arrependia de ter acabado com o relacionamento de Sooyoung com a Park, cada dia tinha mais certeza que havia livrado a Ha de uma idiota.

 Infelizmente Sooyoung não percebia isso, a garota amava muito Chaewon e nem ao menos questionava as atitudes da mais nova. Chegava a ser meio preocupante, isso realmente não parecia o caso de um amor saudável.

 Yves não conseguia acreditar que Sooyoung vivia em função da Park, tudo girava em torno da loira. Até sua motivação para retomar o controle era causada pela mais nova, a Ha só queria estar no comando novamente para se entender com a loira.

 Realmente Yves não compreendia isso, não era possível que esse amor fosse bom. Não é uma paixão saudável quando você ama alguém mais do que sua própria vida, certo?

 Enquanto pensava sobre isso, Chaewon ainda gritava com Sooyoung sem ao menos ligar que a mais velha está prestes a desmaiar. Isso realmente estava se tornando irritante, principalmente pelo fato da Ha não tentar reagir a nada.

 Nesse meio tempo, Jinsoul estava voltando para o quarto acompanhada de Hyunjin. As duas haviam escutado algo que parecia uma discussão enquanto estavam na cozinha, então foram conferir o que estava acontecendo, só não imaginavam que encontrariam uma Chaewon tão furiosa com a pobre Sooyoung.

- Ei, o que está acontecendo aqui? - Hyunjin questionou enquanto se aproximava para tentar apartar a confusão.

- E então Sooyoung?! Você quer mesmo que eu acredite que a droga de um apelido faz você mudar suas atitudes do nada? - acertou pela segunda vez um soco no olho da garota, a loira nem pareceu ter notado a presença das duas garotas, ou simplesmente não ligava - Você é e sempre será uma idiota! Não passa de alguém que merece apodrecer nas profundezas do inferno e...

 O mais improvável aconteceu, Chaewon levou um soco no nariz. Esse ato foi tão inesperado que a Park acabou soltando a mais velha, não imagina que a Ha reagiria dessa forma, ela parecia amedrontada até o momento.

- O que pensa que está faze... - mais uma vez a frase da loira fora interrompida, dessa vez por um segundo soco que fez seu nariz sangrar - Sua idiota!

- Eu sou a idiota?! - Yves agarrou a loira pelo colarinho, agora as posições haviam se invertido - Você que agride a Sooyoung sem nem deixar ela se explicar e eu sou a idiota?!

 Yves não sabia explicar de onde havia tirado forças para voltar ao comando antes da Ha desmaiar, mas provavelmente as palavras irritantes da loira tivessem sido uma boa motivação. Não iria deixar a Park continuar tratando Sooyoung dessa maneira, se a loira estava agindo como uma idiota briguenta, nada lhe impedia de retribuir da mesma forma.

- Por que você está falando de si mesma na terceira pessoa? - Chaewon conseguiu empurrar a mais alta, conseguindo assim se soltar - Você está maluca!

- Eu não estou falando de mim mesma na terceira pessoa, sabe por que? Porque eu não sou a Sooyoung!

 Agora Jinsoul e Hyunjin assistiam a cena totalmente perdidas, afinal, claramente as duas garotas alí estavam discutindo sobre um assunto que elas não estavam por dentro. A única coisa que estavam entendo era que Sooyoung havia tido uma mudança repentina de atitude, porém não conseguiam compreender o motivo.

 Deveriam intervir? Provavelmente, mas estava atordoadas demais para pensar em fazer alguma coisa.

- Você insiste em agir como se realmente a droga de um apelido te mudasse?! Eu não vou mais perder meu tempo com você - Chaewon estava pronta para sair do quarto, porém a mais velha lhe segurou - Ha Sooyoung, me solta agora!

- Eu não sou a Sooyoung e não vou te soltar até você me escutar!

- Me solta agora ou...

- Ou o que?! Vai me bater? - soltou uma risada irônica - Se eu estou de pé mesmo sangrando acha que seus soquinhos vão fazer diferença? Eu não me rendo a dor tão fácil quanto ela e nem vou deixar isso barato

 Isso não deixava de ser verdade, Yves realmente parecia mais resistente a dor do que Sooyoung, tanto que desde que voltou para o controle a dor daquela ferida não parecia lhe incomodar. Inclusive não sentia a vontade de desmaiar que Sooyoung sentiu, Yves conseguia ser mais forte que a Ha em alguns pontos, esse era um deles.

- Agora vê se escuta, Sooyoung e eu não somos iguais e muito menos somos a mesma pessoa, somos duas almas diferentes na mesma droga de corpo - continuava segurando o pulso da mais nova - O seu problema é comigo e não com ela, está entendo? Eu realmente não gosto de você, mas a Sooyoung gosta, então eu acho melhor você escutar ela e entender que sou eu que você deve odiar e não ela, fui eu que te tratou mal durante os últimos seis meses

- Você insiste nessa droga? - a Park conseguiu se soltar das mãos da mais velha - Vai fazer isso por quanto tempo Sooyoung? Vai continuar usando essa desculpa de duas personalidades diferentes para justificar seus atos?

 Definitivamente não adiantava conversar com a loira, parecia que ela não conseguia aceitar nada que lhe contrariasse.

- Você não passa de uma covarde - Chaewon pronunciou enquanto saia do quarto.

 Yves respirou fundo, se conteve para não responder a loira uma última vez, Sooyoung não merecia levar a culpa por mais uma de suas atitudes. Sem contar que, provavelmente teria que gastar seu tempo no controle para se explicar para as duas garotas em sua frente, elas ainda pareciam perdidas com o que aconteceu.

Maldita hora que começou a se importar com Sooyoung.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...