1. Spirit Fanfics >
  2. Fallen Angel (Imagine Jungkook hot) >
  3. Zelotypy

História Fallen Angel (Imagine Jungkook hot) - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Zelotypy


Fanfic / Fanfiction Fallen Angel (Imagine Jungkook hot) - Capítulo 7 - Zelotypy

Estava deixando o supermercado a caminho do carro, com as mãos ocupadas de sacolas. Era a primeira vez em um bom tempo em que eu fazia algo sozinha, pois Jungkook não quis me acompanhar alegando estar com aquelas estranhezas no corpo.

Estava tão destraída que acabei deixando as chaves do carro caírem mas, por sorte— ou não— , um homem as apanhou antes mesmo que eu pudesse recusar sua ajuda.

— Obrigada. — agradeci desconfiada, destravando o carro.

— Só isso? — o encarei surpresa por sua impertinência. Que atrevido!

— Desculpe, esperava receber uma medalha de honra ao mérito de gentileza do ano? — ironizei, abrindo a porta do carro e colocando as compras no banco. Quando voltei a olhá-lo, ele havia um sorriso presunçoso no rosto.

— Não, seu número está de bom tamanho.— disse o estranho, o que me fez rir em desgosto e revirar os olhos.

— Adeus. — entrei no carro e dei partida, deixando o estranho para trás.

                          (...)

— O que está fazendo? — perguntei a Jungkook ao tempo que fechava a porta atrás de mim com o pé.

— O dever de casa. — respondeu, cercado de livros ao seu redor.— E você não vai fazer o seu?

— Claro que vou... em uma outra hora.— deixei as compras em cima da mesa, logo as guardando e enquanto o fazia, involuntariamente lembrei-me do homem do supermercado e sorri balançando a cabeça ao lembrar de sua audácia.

— Porque está sorrindo para o macarrão? — perguntou Jungkook com a sobrancelha arqueada, me assustando ao tirar-me de minha inércia.

— Só estava me lembrando de algo.— respondi guardando o macarrão na dispensa.

— Você não vai me dizer se eu perguntar o que era, não é?

— Exatamente.— sorri brincalhona para o anjo que não retribuiu.— Você está ficando esperto, Jungkook.

Fui para a sala sentindo a presença do anjo logo atrás de mim, e joguei meu corpo no sofá, ligando a TV em um canal aleatório, onde passava um filme aparentemente de ação, mas inesperadamente este toma um rumo diferente, mostrando um casal trocando beijos e carícias.

— O que eles estão fazendo?— perguntou Jungkook desviando seus olhinhos brilhantes do livro para a TV.

— Nada, eles não estão fazendo nada.— respondi rápida, desligando a televisão antes que Jungkook me deixasse mais constrangida com suas perguntas indiscretas.— Eu vou fazer o jantar.

— Mas ainda são cinco da tarde. — retrucou o anjo, mirando o relógio grudado à parede acima da TV.

— É que eu não almocei, só comi aquela comida horrível da escola.— levantei do sofá e rumei a cozinha, tentando pensar em algo para cozinhar.

Minhas habilidades gastronômicas eram quase que desastrosas, desde que minha família é rica e sempre tivemos alguém para cozinhar e limpar, até nos mudarmos para Seul após nossa antiga casa em Incheon ser invadida por ladrões em nossa ausência. Então decidimos comprar uma casa modesta no intuito de não chamarmos atenção de possíveis perigos. Entretanto, sinto falta das mordomias e do conforto mas estava decidida a ser independente.

                           (...)

— Estou... er... como é aquela palavra? — Perguntou o anjo indeciso sobre seu traje, enquanto encarava seu reflexo no espelho.

— Bonito. E sim você está. — respondi desanimada, arrumando seu colarinho. Jungkook estava muito atraente, mais do que o habitual, a jaqueta de couro o deixava mais viril e um tanto rebelde, e a calça jeans parecia estar se fundindo com suas coxas fartas. Queria atacá-lo alí mesmo mas me contive em apenas admirá-lo, como eu fazia todos os dias.

— O que os humanos fazem em uma festa? — perguntou afastando-me de meus devaneios.

— Eles dançam, conversam e... algumas outras coisas.

— Que outras coisas?

— Vai saber assim que chegar lá.— Infelizmente.

— Hm... Está bem.

— Eu vou me arrumar, me espere lá embaixo.

Assim que Jungkook saiu do quarto, me dirigi ao closet, não tinha a menor ideia do que vestir. Ao mesmo tempo em que eu não queria me arrumar tanto pois , não queria ir à festa, eu também queria me destacar e deixar Yeri furiosa.

E depois de tanto pensar decidi que iria arrasar. Vesti um vestido preto de alças que marcava minhas curvas e um sapato de cetim de mesma cor com um salto moderado. Não me empenhei muito na maquiagem pois não precisava de tanto para acabar com Kim Yeri.

Após passar meu melhor perfume, desci as escadas e Jungkook que antes assistia TV, desviou seu olhar para mim ao ouvir o som dos meus saltos batendo nos degraus de madeira. O moreno percorreu seus olhos pelo meu corpo esbelto, como se estivesse gravando cada pedacinho dele em sua mente, no entanto, notei quando o anjo fixou brevemente sua atenção em meus seios que estavam um pouco mais salientes do que o usual, pela a ausência do sutiã.

O que está acontecendo com ele? Por que ele me olha assim?

— Vamos, Jungkook? — perguntei um tanto tímida ao notar o quanto estava absorto em meu corpo, apanhando as chaves do carro.

— S-sim.

O percurso até a festa estava sendo demasiadamente silencioso, bem como estranho visto que, silêncio não era algo recorrente em um ambiente no qual Jungkook está presente.

— Está nervoso? — perguntei desviando rapidamente minha atenção para o anjo que, mantinha os olhos no vidro da janela.

— Estou um pouco.

— Não se preocupe, está indo para se divertir e quem sabe fazer alguns amigos.

— E-eu nem sei como fazer isso.

— O que? Se divertir ou fazer amigos? — Parei o carro devido a um sinal vermelho e mirei o anjo que retribuiu o gesto.

— Ambos.

— Você só precisa ser você mesmo e vai achar pessoas que gostam de você.

— Tem certeza?

— Mas é claro. — sorri para o moreno de maneira que o acalmasse. — E quanto à diversão, só relaxe.

— Está bem, só relaxar... — repetiu para si.

— E não aceite bebidas de ninguém, ouviu?

— Sim, pequena humana.

— Estou falando muito sério, Jungkook. Não aceite nada de pessoas estranhas e não vá para longe de mim, certo? — o anjo concordou silenciosamente, sorrindo ladino.

— Ótimo. — o sinal abriu e eu continuei a dirigir, parando o carro novamente minutos depois, ao chegarmos na casa de Yeri. — Chegamos. — dei uma rápida checada no cabelo no espelho do carro e saí, vendo o anjo fazer o mesmo.

— É enorme... — disse o moreno, fascinado, referindo-se ao tamanho da casa. Puf! Isso não chega aos pés de minha antiga casa.

— Vamos logo. — Caminhamos até a porta de vidro que estava aberta e adentramos a casa. A música alta ecoava por todos os lados, as pessoas dançavam e se agarravam como animais selvagens.

Estava apavorada por pensar nas possibilidades de Jungkook ver algo que possa o fazer mudar completamente. Minha consciência gritava para levá-lo embora dali, mas tinha em mente o quão triste Jungkook ficaria. Me vi em uma indecisão insuportável.

Olhei para Jungkook que encarava tudo e todos ao seu redor com seus olhinhos brilhantes arregalados, logo senti sua mão envolver a minha, apertando-a.

— Você quer dançar? — Perguntei aos gritos para Jungkook que, apenas acenou com a cabeça.

Nos guiei para onde havia um maior aglomerado de pessoas dançando e comecei a mexer meu corpo lentamente no intuito de fazer o anjo repetir os movimentos. Jungkook estava muito retraído, mal movimentava o corpo, portanto peguei ambas de suas mãos e as direcionei para minha cintura recebendo um olhar assustado do anjo. Me aproximei de seu corpo que emanava um calor instigante e comecei a balançar de um lado para o outro, sentindo os músculos de seus braços relaxarem à medida que os movimentos se tornavam cômodos para si.

Ao perceber que Jungkook se soltava um pouco mais a cada batida da música eletrônica, afastei-me de seu corpo a fim de deixá-lo guiar seus próprios movimentos. No entanto, ao virar-me para o seu lado oposto, senti novamente suas mãos envolverem minha cintura com possessão, colocando-me no encaixe de seu corpo.

O jeito como ele passou a guiar nosso embalo de quadris me deixou extasiada, o contato de nossos corpos resultou em sensações desconhecidas e indesejadas em mim. Queria sair dali o mais rápido possível.

— E-eu vou beber algo, não saia daqui!— gritei para o anjo, não o dando chances de responder. Saí às pressas do lugar, finalmente, recuperando todo o fôlego que havia perdido ao ter ficado tão perigosamente perto de Jungkook.

Sem ao menos perceber, estava no quintal onde havia uma piscina e uma multidão de pessoas dentro dela.

— Toma. — disse um garoto que estendia um copo de tequila em minha direção, logo o reconheci.

— Está me seguindo? — Indaguei curiosa ao "estranho do supermercado", que sorria ladino.

— Pelo visto, você não deve ter conhecimento da palavra "acaso". — provocou, em seguida bebendo da tequila que havia me oferecido.

— Estou mais habituada a palavras como "perseguição" ou "inconveniência". — retruquei cruzando os braços, enquanto o estranho sorria escuso, parecendo gostar da situação.

— Então não acredita em destino?

— Acreditando ou não, não vai mudar o fato de que tive o desprazer de lhe reencontrar.

— Me surpreende o quanto consegue odiar alguém que não conhece. — aproximou-se lentamente, mas continuei parada.

— E mesmo assim não foi o suficiente para mantê-lo longe, não? — ele riu, jogando os fios de cabelo de sua franja para trás.

— O ódio tem suas finalidades. Se quiser... posso lhe mostrar uma delas.— lambeu os lábios vermelhos e olhou-me profundamente sem desviar um segundo sequer. Visto que eu havia me calado, aproximou-se mais ainda, deixando seu rosto na altura do meu. Estava prestes a me entregar para ele quando, arregalei os olhos ao lembrar de Jungkook.

— Merda... Tenho que ir. — O estranho abriu a boca para falar mas eu estava nervosa demais para prolongar a conversa.

Dei as costas para o desconhecido e andei de volta até a casa o mais rápido que meus saltos permitiam . Passei pela porta olhando para todos os lados à procura do anjo, mas ele não estava lá. Fui para onde estávamos na última vez que o vi, esbarrando nas pessoas e quase caindo vez ou outra. Eu estava entrando em desespero, vendo que Jungkook não estava alí.

Andei até o sofá e me sentei, estava cansada demais e meus sapatos não colaboravam. Maldita festa. Agachei um pouco afim de tirá-los e os deixei alí mesmo, sem me importar se iriam roubar. Minha cabeça estava latejando e meu corpo suado. Precisava beber algo.

Levantei do sofá atravessando novamente aquela multidão. Fui até a cozinha pegando um copo de algo que eu nem sabia o que era. Quando levei o copo aos meus lábios, parei subitamente ao desviar minha atenção para uma cena que eu certamente não gostaria de ter presenciado.

Jungkook. Yeri. Juntos.

Foi tudo o que eu pensei antes de jogar com força o copo no chão, espalhando pedaços de vidro pelo local. Virei para ir embora mas acabei pisando no vidro já que estava descalça. Me apoiei na bancada, gemendo um pouco de dor, mirando novamente onde antes Jungkook e Yeri se beijavam, mas só pude vê-los subindo as escadas. Ri sem humor de minha ingenuidade ao pensar que Yeri pararia apenas nos beijos.

— Quer ajuda?


Notas Finais


Desculpem a demora, escrever esse capítulo não foi fácil 😔
Mas espero que tenham gostado tanto quanto eu, e me digam o que acharam do cap.✨

Até o próximo sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...