História Fallin' All in You - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Visualizações 111
Palavras 1.882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteiiiii!!!
Não tenho o que dizer, então só comentem o que acharem e é isso.
Bjs e boa leitura!

Capítulo 5 - Do not guard your heart.


Fanfic / Fanfiction Fallin' All in You - Capítulo 5 - Do not guard your heart.

Goiânia-30/06-8:30

- Rachel, Rachel! – abro lentamente meus olhos e ouço batidas frenéticas na porta.

- Mas que porra! – praguejo enquanto vou até a porta, cambaleando pelo fato do quarto estar um breu, abrindo-a. – O que você tá fazendo aqui a essa hora da madrugada?

- Madrugada? Já são 8:30 da manhã. – diz o moreno rindo e entrando no meu quarto abrindo as cortinas que até então estavam fechadas deixando o cômodo totalmente escuro.

- O que você quer comigo as 8:30 da manhã?

- Esqueceu do nosso tour?

- Totalmente. – dou um tapa na minha testa.

- Pensei que você estava animada para sair com o seu “crush”. – ele gargalha fazendo aspas com os dedos.

Esse povo sempre acorda animado desse jeito?

- E eu to só que eu tava DORMINDO.

- Te espero lá embaixo, e coloque algo melhor que isso. – ele diz me secando de cima abaixo por causa do meu pijama curto e dando um sorriso malicioso.

- Vai se fode.

- Vamos. – ele gargalha saindo e fechando a porta.

Por mim nós colocava o Lights On em prática aqui agora, anjo. Vou em direção ao banheiro, faço  minhas necessidades, escovo meus dentes, tomo um banho. Acho um  short jeans e um cropped da adidas na minha mala, que já estava uma zona de guerra, e visto. Ato meus cabelos em um coque desajeitado, e calço um tênis branco da adidas. Bem tumblr né beninas. Passo um pó pra esconder a oleosidade, um rímel e um gloss só pra dar um pouco de cor nos meus lábios.

Desço as escadas até o restaurante estilo Elena Gilbert, avisto a mesa do Shawn e sua equipe e vou na direção deles.

- Bom dia canadenses! – digo alegre.

- A gente não é canadense. – diz Josiah, Andrew e Cez. Não respondendo ao “bom dia” igual os outros.

- Bom dia estadunidenses. – digo com ironia na voz.

- Bom dia brasileira. – os 3 respondem normalmente.

- Dormiu bem? – diz Shawn depois de um tempo.

- Melhor impossível. – digo dando um gole no meu café com leite. – As camas de hotel são sempre as melhores. – rio. Bruno mars.

- Isso porque você nunca dormiu no meu ônibus de turnê. É melhor ainda. – ele sorri malicioso.

- Tu tá muito saidinho pro meu gosto Mendes. – gargalho. – Tá muito tempo sem... – não completo a frase.

- Meu amor, eu sou Shawn Mendes, não sou homem de ficar na seca. – sorri vitorioso dando uma mordida no seu pão de queijo.

- Queria ter esse amor próprio. – digo dando o assunto por encerrado.

- Pessoal, a van já tá esperando na parte de trás do hotel onde não tem fãs. Prontos? – diz Andrew chamando nossa atenção.

Quando todos já estavam na van, partimos para a Praça do Sol. No caminho coloquei várias musicas brasileiras para tocar.

- Vamos lá comigo: Vai malandra, han han, eta louca, tu brincando com o bumbum. – grito.

- Desculpa, mas isso é muito difícil. – diz Mike rindo.

- Tá bom, desculpo vocês. – digo desapontada. 

- A gente tava pensado em ir em algum bar hoje a noite. Conhece algum? – pergunta Josiah.

- Não sei se é uma boa ideia Josiah. Tem muitas fãs na cidade. – diz Andrew antes que eu pudesse responder algo. – Mas tem um bar no hotel que nós podemos ir.

No fim todos concordaram em ir tomar uns drinks no bar do hotel depois do jantar. Altos porres. Do hotel até o parque levava em torno de 10 minutos, então não demoramos muito a chegar.

- Chegamos. – diz o motorista da van.

Logo depois dele dizer isso parecíamos uma tropa ao sair da van. Como não tinha muita coisa a se fazer ali, Josiah aproveitou pra fazer altas fotos no “Eu amo Goiânia” e com as paisagens naturais.

- Srt. poderia me acompanhar? – Shawn pergunta me estendendo o braço com ar brincalhão.

- Com certeza. – sorrio e enlaço meu braço no seu. Olho para sua equipe e todos estavam entretidos em tirar fotos zuadas.

- É tão bom ter contato com alguma fã igual eu to tendo com você. – ele diz com o olhar direcionado pra frente enquanto dávamos uma volta pelo parque.

- Aé? Então você podia ter contato com mais delas.

- Eu tento, mas a minha vida é tão corrida que eu não tenho tempo suficiente pra isso. E é raro encontrar uma fã igual você que não quer agarrar meu pescoço e não soltar nunca mais e me tratar como se eu fosse frágil igual um diamante. – o moreno suspira. – Sabe o quão difícil é encontrar alguém que não se aproxima de você só por causa da fama? Mas sim por quem você realmente é? – ele direciona seu olhar a mim. – Você me entende?

- Não. – digo negando com a cabeça. – Porque eu não sou igual você, não sou essa pessoa maravilhosa, e eu não digo isso por você ser O Shawn Mendes, mas só... o Shawn. As pessoas ligam demais pra bens materiais hoje em dia e cagam pra sentimento e essas coisas do coração. As vezes eu fico imaginando como você tem tanta força pra aguentar a pressão que você sofre. Tipo “Shawn não faça isso”, “Shawn isso vai estragar sua imagem”. Eu por exemplo não serviria pra isso. E olha o tanto de fã que você atende por dia, é super exaustivo.

- E eu sinto que não faço o máximo, os fãs fazem tanto por mim, e eu sinto que não faço nada por eles. – aperto mais seu braço. – Eu nunca falei disso com ninguém, obrigado por escutar meu desabafo. – ele sorri tímido.

- De nada. – sorrio.

- Mas então, tem algum desabafo pra fazer também?

- Na verdade eu só tenho vontade de bater no meu ex namorado até não querer mais. Sabe o que ele falou ontem quando você já tinha ido embora do aeroporto? – ele negou com a cabeça. – “Vejo que você realizou seu sonho de adolescente idiota” – imito a voz do babaca. – PELO AMOR DE DEUS EM QUE MUNDO VIVEMOS QUE EXPRESSAR AMOR POR UM ARTISTA É IDIOTICE? – grito chamando atenção de algumas pessoas do parque. – E o que mais me dá nojo é que ele quer dar lição de moral, mas ELE ME TRAIU COM A PORRA DA MINHA MELHOR AMIGA. – suspiro.

- Eu te entendo, eu também fui traído pela Lauren, com um dos meus melhores amigos e ainda por cima ele era meu vizinho. – ele gargalha. – Temos o título de cornos.

- Isso é sério?

- Você acha que The Weight veio da onde? – fiquei em silencio sem saber o que dizer.

- Então todas as suas músicas são algo que aconteceu na sua vida? Porque se for, meu amigo, tu sofreu por amor mais do que todos os seres humanos juntos. – gargalho.

- Não, nem todas. – ele acompanha meu riso.

- Lights On é real então?

- Próxima pergunta.

- Where were in the morning?

- Próxima pergunta.

- Patience?

- Não toca no meu ponto fraco.

- E quem é a mulher que você se inspirou pra compor Particular Taste? Why é sobre a Camila?

- Você serviria pra uma boa entrevistadora. – ele sorri.

- Eu sempre shippei você e a Camila, vocês são meu OTP máster. E por falar nisso e a Hailey?

- Eu e a Camila somos só amigos, juro de pé juntos, e a Hailey também.

- Ah vai dizer que você não deu uns pega em nenhuma das duas?

- Jura não contar pra ninguém? – nego com a cabeça cheia de curiosidade. – Não. – ele sussurra no meu ouvido e sorri convencido.

- Shawn Peter Raul Mendes quem não te conhece que te compre. – digo rindo. – Eu não te acho nem um pouco santo.

- E eu não sou, mas não peguei nenhuma das duas. – ele dá de ombros.

Continuamos nosso passeio em um silencio agradável até que ouvimos gritinhos histéricos vindo de trás de nós.

- Ah não. – Shawn diz olhando pra trás avistando um grupinho de mais ou menos 30 pessoas. – Vai encontrar minha equipe e fique com eles. – desvencilho meu braço do dele. – Tá louco? Não vou deixar você aqui sozinho.

- Eu vou ficar bem, são só fãs. – ele diz simplista.

- Então eu vou chamar o Cez.

- Não é preciso.

- É sim e cala boca. – começo a correr igual nunca corri antes chegando até onde sua equipe estava. – Cez... – digo escorando minhas mãos no joelho recuperando o folego.

- Onde está o Shawn? Sequestraram ele? – o homem de meia idade me pergunta assustado e nego com a cabeça.

- A gente tava caminhando e conversando e surgiu um grupo de fãs do nada, ai ele me mandou até aqui, e eu falei que ia te chama, ele pediu que não, mas acho que é melhor você ir até lá. – mal terminei de falar e o homem já correu na direção do tumulto. Quando tava seguindo ele Andrew me parou.

- Acho que é melhor você ficar aqui, se não quiser sair em nenhuma revista de fofoca amanhã. – ele pousa sua mão direita no meu ombro e somente assenti, não tinha como discutir com o empresário do Shawn.

Me sentei em um banquinho de concreto e bebi uma agua que Dave tinha me oferecido. Fiquei pensando em tudo que Shawn tinha me falado, eu literalmente não serviria pra ser uma pessoa famosa e aguentar tudo o que ele passa, por exemplo. Agora entendi o real sentido de In My Blood, e de certa forma me deu vontade de abraçar ele e soltar nunca mais, e só sussurrar em seu ouvido “eu estou aqui”.

- Diga X – diz Josiah me tirando do meu transe e atirando um flash. – Ficou ótima, já pensou em ser modelo?

- Eu devo tá com a maior cara de nojenta. – digo roubando sua câmera e olhando a foto, é até que não ficou tão ruim. – Não sirvo pra ser modelo, digamos que eu seja tímida. – devolvo a câmera para o homem.

- Que pena, a IMG Models tá perdendo uma grande modelo. – ele diz rindo.

- Quem me dera chegar aos pés de alguma modelo da IMG. – digo e Shawn chega.

- Voltei. – ele se joga no banco ao meu lado e lhe ofereço a garrafinha de água que ainda estava na minha mão. – Obrigado. Do que vocês estavam falando?

- Do dom da Rachel pra fotografia. – diz Josiah tirando uma foto de mim e Shawn.

- Aé mesmo? – Shawn pergunta direcionando seu olhar a mim.

- Bobagem dele.

- Bobagem nada, eu reconheço muito bem uma pessoa que se sente confortável as lentes da câmera.

- De todo modo, posso afirmar que não sirvo pra isso. Meu dom é moda, mas só isso.

- Moda? – pergunta Andrew.

- Ela fez uma Merch incrível pra Illuminate Tour, posso até dizer melhor que a original. Quando você fizer uma nova quero ter o prazer de ser o primeiro a ver. – diz Shawn.

- Que isso, nem sou tudo isso. – digo olhando pro chão tímida e sinto o moreno revirar os olhos.

- A gente precisa voltar. – diz Andrew olhando o relógio. – Já são quase meio dia.

No caminho até a van ouvi Mike sussurrar para Shawn:

- Pare de ser bobo Shawn, não deixe esse coração fechado em sete chaves.           


Notas Finais


Capítulo bem clichê mas prometo esquentar as coisas. NÃO ESQUEÇAM DE COMENTAR.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...