História Falling Apart - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chávez, Christopher Uckermann, Lily Collins, Originais, Rebelde (RBD)
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Lily Collins
Visualizações 17
Palavras 1.635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo 1


O sol brilhava fortemente naquela manhã, fazendo com que a claridade invadisse o quarto de Anahí. Ela acordou com um feixe de luz em seu rosto e fez uma careta em resposta. Ela preferia os dias chuvosos, em que o clima estava fechado e com nuvens pesadas pairando sobre o céu, com o vento soprando à todo instante e trazendo gotas de chuva consigo. Era chato demais ler com o dia ensolarado e passarinhos cantando, ou pintar seus quadros na varanda, por isso ela sempre optava pelo porão de casa, que servia mais como um santuário. Infelizmente nunca se acostumou com a cidade praiana de Bonita Springs, Flórida.

Decididamente se levantou e fora fazer sua higiene no banheiro, suas obrigações como única mulher da casa e filha mais velha contribuíram para que jogasse o sono pra longe. Não que se incomodasse de fazer as refeições ou limpar a casa e ainda trabalhar meio período em uma lanchonete indiana, afinal seu pai, Henrique, dava duro limpando piscinas para que tivessem uma vida razoável. Ele nunca deixara faltar nada desde que sua mãe falecera, por isso aceitava seu destino de bom grado.

Depois do banho, foi se vestir para o primeiro dia de aula depois do feriado da primavera. Finalmente dali a dois meses deixaria o ensino médio para trás e com ele, sua invisibilidade. Se olhou no espelho e franziu a testa, era realmente uma esquisitona, como todos chamavam desde a sexta série. Não tinha nada de especial, além de seus olhos, mas em sua opinião, a população com olhos claros era geneticamente defeituosa, já que tinham maior probabilidade em ficar cegos. Meio caminho andado, pensou com ironia, já que usava uma armação preta quase maior que o próprio rosto, com lentes de três graus e meio para miopia.

Vestiu seu macacão jeans favorito, pois era o que usava quase todos os dias, independente se tinha aula de artes ou não. Ele já estava surrado e com manchas de tintas de todas as cores, que nunca mais iriam sair, mas quem disse que ela se importava? Seu par de all star pretos também diziam a mesma coisa, já que mostravam respingos até mesmo na sola. Fez uma trança única em seu longo cabelo ressecado, culpa das longas horas que passara na piscina jogando vôlei com Joshua, seu irmão mais novo.

Na cozinha, se apressou a fazer torradas e ovos mexidos, colocou waffles congelados na torradeira e encheu um copo de suco de laranja. Correu escada acima e bateu na porta do quarto.

- Josh, acorda logo! Seu café está pronto... - falou, mas não obteve resposta.

Bateu mais vezes e ouviu um gemido vindo do quarto, apostaria todo seu salário que seu irmão virara a noite jogando no seu nintendo. Revirou os olhos e o chamou mais uma vez.

- É sério Josh, você ficar pra trás! Vou cuspir no seu suco... - disse em um tom sério tentando esconder a voz divertida - E vou juntar com meu catarro também, meu tempero especial... - fez sons de escarro e de repente a porta abriu, revelando um Joshua, com o cabelo que apontava em todas as direções e olhos sonolentos. - Bom dia, irmãozinho! - sorriu.

- Bom dia Any - disse com mal humor - Duvido que você faria isso... - cerrou os olhos, desconfiado.

- Bom, você nunca vai saber, não é? - disse enigmática e lhe entregou o copo de suco, logo em seguida foi para seu próprio quarto, juntar seu material.

-

"Bom dia galera da Thomas Jefferson High School, hoje é o primeiro dia de aula depois de duas curtíssimas semanas de spring break! Quem ai curtiu viajar pra casa do vovô e da vovó na Flórida hein? Certamente não a nossa miss popularidade e futura rainha do baile Jessy Mckeenzie que cultivou uma grande galhada na cabeça da estrela e capitão do time de futebol americano, também futuro rei do baile, Alfonso Herrera... Como já diziam, sorte no jogo e azar no amor. Vai Lions! E Herrera, essa é pra você meu camarada..."

No alto falante da escola soou uma música qualquer com a estúpida mensagem que ele se recusara a acreditar. Ele, Alfonso Herrera chifrudo? Como assim? Tinha sido um namorado fiel todos esses anos, para que Jessy estragasse sua reputação logo nas últimas semanas de aula. Buscou a causa do seu problema pela multidão de alunos que passavam, eles o olhavam e davam risadinhas, sua resposta era nada mais, nada menos, que o silêncio.

Avistou quem tanto queria, lá estava Jessy. Linda e estonteante como sempre, pele bronzeada pelos intensos dias de sol que passara em Cancun com as duas melhores amigas aproveitando o feriado, seu cabelo loiro perfeito refletia os raios solares, fazendo com que ficassem ainda mais brilhantes. O corpo se moldava a um tomara que caia rosa e justo, assim como sua calça jeans. Ela ria como se nada tivesse acontecido ou como se não tivesse preocupação no mundo. Aliás, não tinha, já que seu pai era um dos multimilionários da região, mas Alfonso nunca se preocupara em perguntar o que fazia.

Sua raiva e impaciência aumentavam a cada passo que dava e finalmente a alcançou. Suas amigas o avistaram primeiro e logo ficaram quietas. Jessy queria saber o que gerara a súbita mudança de humor nas meninas e se virou.

- Precisamos conversar, agora! - exigiu, de braços cruzados. Sentia olhares vindo de todas as direções, mas não se importou.

Aquilo era comum em seu mundo. Primeiro da classe, presidente do grêmio estudantil e capitão do time de futebol três anos seguidos, sua fama corria não somente em sua escola, mas assim como em todas da cidade. Todos pensavam que o conheciam bem, mas ninguém de verdade queria. O que eles queriam mesmo, era seus nomes associados ao famoso Alfonso Herrera, dizer que já festejaram ou jogaram com ele, mas saber dos seus gostos ou pensamentos, não. Isso eles não queriam.

- Poncho, que saudade! - Jessy tentou abraça-lo mas ele não cedeu, a pegou pela mão e andou até um canto afastado do pátio.

- Que porra de história é essa que você me traiu? É verdade? - a encarou e naquele instante queria se socar por ter confiado em uma garota arrogante e narcisista com Jessy.

- Poncho, do jeito que você fala soa horrível... - fez um biquinho, que antes era irresistível, mas agora lhe causava náuseas.

- Mas é horrível, você tem noção? O que eu estou perguntando, mas é óbvio que você não tem né, nem um pingo de vergonha na cara. Podia ter terminado comigo antes de viajar, pelo menos e não me deixar pagar um papelão desses, sendo o último a saber pelo rádio da escola. - disse frustrado, ele sabia que o lance com Jessy era puramente físico, antes de ficarem juntos até pensava que rolava sentimento, mas depois conhecendo-a bem mudou totalmente de opinião.

Ficarem juntos era confortável, segundo Jessy, e fazia aumentar a popularidade. A contragosto ele continuou o namoro, pelo menos tinha uma garota bonita ao lado e sexo quando queria.

- Ai, Alfonso... - revirou os olhos - Eu não ia terminar com você porque eu não planejei isso, tá legal? Simplesmente aconteceu... - falou sorrindo, sem jeito.

- Se aconteceu, quero que me explique então... - cruzou novamente os braços e esperou a longa ladainha.

- Eu e as meninas estávamos em uma festa na piscina, sabe, curtindo e dançando... - disse sonhadora - Então eu quase escorreguei, o que seria um enorme mico - torceu a boca, como se cair sem querer fosse a pior coisa do mundo - Mas ele me segurou, com aqueles enormes braços, musculosos...

- Ele? Ele quem, Jess? - perguntou Alfonso.

- Derrick, Derrick James! O mais novo cantor em ascensão, de acordo com a MTV... - disse animada.

- Sinto muito, não sei quem é... Mas não importa, e depois? - Ele já estava de saco cheio daquela conversa, pelo menos agora não precisava dar satisfação pra ninguém além de si mesmo.

- Depois nós começamos a conversar e foi tipo...feitos um para outro, sabe? - deu uma risadinha - Sinto muito Poncho, mas eu preciso de um homem de verdade na minha vida. - falou com fingida pena - Você não pensou que eu iria pra faculdade namorando você, né? - perguntou com sua voz delicada e Alfonso só fez uma careta em resposta, afinal, ele realmente pensara aquilo. - Won, que gracinha... Você é tão fofo! - Jessy apertou sua bochecha e sorriu - Não se preocupe, nós ainda vamos no baile juntos bobinho, o rei e a rainha devem ir juntos... - deu um beijo em seu rosto e saiu.

Fora como se estivesse em um sonho e finalmente acordasse. Depois de todos esses anos ao lado de Jessy, sentiu como se um peso saísse de suas costas. Ele encostou na árvore mais próxima e refletiu sobre sua vida. Fazia muito isso quando estava sozinho, porque geralmente se sentia assim. Agora se perguntava o porquê de ter gasto tanto tempo ao lado de uma garota tão superficial quanto Jessy, enquanto podia ter encontrado alguém que lhe entendesse de verdade. Mas ele sabia a resposta bem no seu íntimo... Culpava a escola, seus amigos, seus pais e principalmente, culpava a si mesmo. Ele deixou ser apanhado pela teia que ele mesmo teceu em seu mundo e agora sofria as consequências.

Estava feliz que aquele relacionamento havia acabado, não da forma que queria, mas seria menos um problema em sua cabeça. Agora, seu objetivo era a faculdade. Faltava pouco para que pudesse curtir os melhores anos de sua vida, segundo seu pai. Ainda não estava preparado para a próxima briga que ele sabia que surgiria: seu pai e Columbia versus ele e Yale...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...