1. Spirit Fanfics >
  2. Falling in love >
  3. Love is hard to ignore - One

História Falling in love - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


INHAAAE!! Então, eu acabei não postando o capítulo da Sunflower juntinho com o primeiro capítulo da falling in Love e tals.. Mas eu prometo que não faço de novo!! E em breve o capítulo da Sunflower vai sair, paciência!
Espero que gostem desse capítulo, eu fiz ele com muito carinho e amor, beijinhos e boa leitura ~~
☆♡☆

Capítulo 2 - Love is hard to ignore - One


Fanfic / Fanfiction Falling in love - Capítulo 2 - Love is hard to ignore - One

Após uma longa noite Josuke acordou radiante como sempre, em um sobressalto levantou da cama enquanto cantarolava uma de suas músicas favoritas de um famoso musical americano. No caminho ao banheiro o Higashikata pegou vários pentes, um pote de gel e spray fixador. Abriu a porta do lavabo dando uma checada no espelho para então piscar ao ver seu reflexo.


- Boy you got me helpless.. - Cantarolou sonoro, seu forte não era o canto mas o garoto tinha jeito


Tomou um longo banho frio para acordar de vez, se preparando fisicamente e mentalmente para seu primeiro dia de aula depois de longas férias de verão. Saiu do box com uma toalha presa em volta de sua cintura, uma menor no pescoço e uma outra que utilizava para secar seus fios úmidos. Quando o menino se virou, o reflexo consebido pelo espelho foi a imagem de sua marca hereditária em formato de estrela que se encontra na parte esquerda da nuca. 
Penteou suas madeixas negras que chegavam a ser um pouco azuladas no seu topete habitual que tanto amava, também tendo a crença que ele o deixava muito mais atrativo e legal.
O estudante era um amante da música, gostava de musicais, jazz, pop.. Uma variada expansão e diversidade musical que o atraía facilmente apenas por amar todas as sinfonias e sons, tratando a música como um tipo de arte; o adolescente expressava todo seu sentimento por meio de notas musicais, era sua maior fonte de inspiração e expressão.


- Josuke? Você já acordou? Venha tomar o seu café antes que esfrie! - A voz feminina de sua mãe ecoou pela casa


- Hai! Apenas estou terminando de me arrumar! - Escovou seus dentes com certa pressa, correndo para fora do banheiro em busca de seu uniforme


Tomoko era uma mãe adorável e forte, sempre protegeu seu menininho com garras de ferro mesmo com a ausência do pai de Josuke. Joseph Joestar já era um idoso portando os seus oitenta anos de idade, conseguindo ser mais velho que o avô de Josuke; Quanto a Jotaro Kujo, sobrinho do garoto portava atualmente seus trinta e um anos.
Em meio a um alvoroço o moreno vasculhava seu armário em busca do uniforme colegial, quando o achou não perdeu tempo o vestindo. Olhou-se no espelho dando algumas batidas na roupa para tirar qualquer amassado possível, aproveitando a oportunidade para checar seu cabelo incrível.
Correu para a cozinha ao ter o segundo chamado de sua mãe, que agora estava começando a ficar irritada.


- Você ficou a noite inteira jogando, e agora está atrasado! - Assim que viu o menino por o pé na cozinha, começou a reclamar por suas altas horas em seu vídeo game que havia ganho de Natal de sua irmã Holly


- Eu já pedi desculpas, Okasan! - Se desculpou novamente


Com certa pressa, pegou uma das torradas que descansavam na mesa as levando ate a boca mastigando sem pensar duas vezes, também agarrou a sua caneca favorita com uma estampa onde três garotas faziam uma pose em cima de uma meia estrela, onde representava dois musicais que tanto amava; Heathers e Hamilton. Bebericou seu café com leite não deixando de queimar a língua pelo líquido estar extremamente quente, soprou algumas vezes enfiando o resto da torrada na boca. Levantou indo em direção a sua mãe que o entregou sua mochila, distribui um selar carinhoso na bochecha da mulher que apenas sorriu retribuindo o beijinho.


- Estou saindo! - Foi acompanhado de Tomoko até a porta, iniciando uma corrida enquanto acenava para a mulher na saída de casa


- Se cuide!! - Em um tom alto, alertou ao rapaz também acenando


Sua corrida até o colégio foi calma, encontrou Koichi e Okuyasu no caminho e os três tiveram uma conversa tão profunda que parecia que não se encontravam faziam anos, estavam tão envolvidos na conversa que algum desconhecido poderia olhar para eles pensando que eram velhos amigos que depois de meses nas férias de verão se encontraram nas voltas aulas, mesmo que ambos se encontraram no fim de semana em uma casa de jogos.


- Então quer dizer que o Rohan-Sensei contratou vocês para fazer faxina na casa dele? - Questionou aos colegas, que confirmaram na maior animação possível


- Ele vai nos pagar muito bem, Josuke! Aliás, o sensei está procurando mais um faxineiro, deveria tentar. Estaríamos juntos, além de que Rohan sempre nos da um tempinho para fazermos nossas lições e até mesmo chega a nos ajudar! - O baixinho com cabelos platinados começou


- Heh, Josuke, com essa grana fácil você conseguiria comprar aquele jogo novo que queria em menos de uma semana - Okuyasu estragou os dedos, simulando o tanto de dinheiro que ganharia com os trabalhos extra curriculares na casa do artista


- Essa é uma ótima ideia, Okuyasu! Mas acho que Rohan-Sensei nunca me aceitaria.. vocês sabem


- Deixa disso, Josuke! Afinal, o que fez de tão mal para ele ao ponto dele não querer te ver? - Koichi questiona, fazendo o Higashikata revirar os olhos


- Vamos começar, eu quebrei a cara dele com o Crazy Diamond, queimei sua casa, fui um trapaceiro nos jogos com os dados e nem pedi desculpas! Além de que também não acreditei nele quando disse que estava com aquele stand estranho nas costas - Depois de tantos argumentos, Koichi ainda pensou em uma brecha


- Bem, Rohan-Sensei gosta bastante de mim, tenho certeza que se eu pedir com um jeitinho ele de aceita, aproveitamos hoje no intervalo da escola para pensarmos em uma desculpa decente! - Positivo como sempre, olhou para Okuyasu em busca de aprovação e recebeu um "ok" feito pelas falanges do Nijimura


- Pode até dar certo, Koichi! Agora vamos nos apressar, não podemos chegar tarde no primeiro dia!


Por ser o primeiro dia após as férias de verão, a única coisa que os garotos tinham que fazer era entregar vários trabalhos que foram passados para si antes do recesso no colégio. Okuyasu não entregou nenhum dos trabalhos, mas por sorte Koichi e Josuke estavam lá para auxiliar o colega a termina-los antes do prazo que o professor os deu. Já no intervalo, estavam distanciados do prédio principal, ao lado da escola perto dos vestiários de educação física onde algumas cerejeiras desabrocharam os três discutiam sobre seu plano o qual haviam nomeado "Desculpas ao Rohan" após uma discussão de nome, já que Okuyasu sugeriu um "plano para ganhar grana fácil", Josuke também quis por o nome da operação "That would be enough" simulando uma de suas músicas, e por fim Koichi decidiu o nome enfim chegando ao "Desculpas ao Rohan"


- Certo, Josuke! Vamos repassar o plano - Começou - Depois da aula iremos diretamente para casa do Rohan-Sensei, eu e Okuyasu temos uma faxina lá hoje, derrubaremos um dos vasos que ele tanto ama pra então você vai usar essa brecha como uma desculpa para utilizar o Crazy Diamond e arrumar o vaso! Assim o Okuyasu vai sugerir que seria muito mais facíl trabalhar com você, já que por ser descuidado demais poderia quebrar algumas coisas de alto valor e não precisaria pagar tão caro por um concerto! Aí então, quando estivermos terminando a limpeza você pode ir pedir desculpas a ele, entendeu?


Processava tudo, havia entendido bem o plano e deixou aquilo claro. Olhou para Okuyasu que parecia fritar seu cérebro para relembrar das três primeiras palavras ditas por Hirose.
Voltaram para as aulas que foram bem vagas, e como combinado na saída foram em rumo a casa do artista. Ao chegarem, Koichi subiu as escadas ficando na varanda da renomada "mansão" de Kishibe, tocou a companhia e aguardou; Assim que a porta foi destrancada, os rapazes tiveram a visão de Rohan acabado, parecia que não dormia à décadas, utilizava um roupão branco com alguns detalhes em verde limão. O mesmo segurava uma caneca com uma estampa que chamou bastante a atenção de Josuke, mas não se alarmou.


- Rohan-Sensei, está tudo bem..? - Primeiramente Koichi perguntou, já que Okuyasu parecia em transe e Josuke um pouco distraído


- Apenas cansado. O que esse idiota está fazendo aqui? - Referindo-se à Josuke, bebeu um pouco do líquido em sua caneca


- Okuyasu e eu pensamos que seria uma boa ideia trazer o Josuke para nós ajudar com a limpeza, e já que começamos novamente com as aulas ele pode nos ajudar com as lições também...


- Entendi, enfim entrem logo.. - Deu espaço para os adolescentes, e quando entraram trancou sua porta


O interior não estava bagunçado, pelo contrário, tudo estava em seu devido lugar! A única coisa que incomodava a todos ali presentes era a poeira que consumia cada móvel de decoração na casa; Os três sabiam que apenas pelo estado de Rohan o artista não estava dando conta de sua carreira social e de sua vida pessoal. Um estalo ressoou no cômodo, o nijimura acabara de derrubar uma estatueta de gesso que fora esculpido por um dos artistas favoritos de Rohan, o mangaka fuzilou o garoto no olhar que desviou seu rosto totalmente para Josuke em busca de abrigo; Por outro lado, o moreno foi tranquilo até a obra de arte que estava em ruínas no chão o concertado facilmente logo o devolvendo ao seu lugar de origem.


- Ora ora.. Para um incompetente até que você vai ser útil. Eu aceito seus serviços, andem logo com isso. - Balançou a mão, ignorando os garotos boquiabertos. Subiu as escadas de sua casa indo diretamente para seu escritório


- Isso foi bem mais fácil que eu pensei. - Comentou Josuke, que olhava Koichi desapontado


- Bem, o plano aconteceu sem que precisássemos interpretar.. Agora você só precisa se desculpar.. né? Boa sorte, amigão - Okuyasu corrige os meninos, recebendo um olhar de reprovação - O que foi? Eu esbarrei no pilar sem querer, ok?


- Cara, que desculpa eu vou usar para me aproximar do Rohan-Sensei agora? - Bateu a mão na testa


- Eu não sei. Vamos começar a limpar logo.. aí podemos pensar em algo, temos a tarde toda.


A hora da limpeza começou, Koichi ficou encarregado dos banheiros, Okuyasu da cozinha, Josuke dos quartos e quando terminassem iriam se juntar para limpar a enorme sala de estar e a entrada da casa, juntamente a escadaria.
Quando foi limpar um dos quartos pendentes no segundo andar, ouviu uma doce e serena voz cantarolando uma música que de longe iria reconhecer.
☆ Mori Mori Mori Mori-Oh Radio Radio ~ ☆
O locutor do rádio se apresentou com sua carismática voz, que aquece o coração de todos os seus ouvintes, inclusive Josuke. Infelizmente o moreno estava ocupado demais apreciando a voz que cantava em tão perfeito tom uma música conhecida.


- Mama, take this badge off of me.. - Seguiu a voz, se deparando com a porta do escritório de Rohan entre aberta


Boquiaberto, continuou apreciando o esverdeado que sorria; Fazendo o moreno automaticamente ter um rubor em suas bochechas por nunca ter visto o homem a sua frente que sempre tinha uma carranca na face sorrir.


- I can't use it anymore...It's gettin' dark, too dark to see - Continuou sua cantoria, estava focado demais em seus desenhos que nem percebeu o Higashikata adentrar a sala


- I feel I'm knockin' on heaven's door.. - Josuke acompanhou a letra, agora com os braços apoiado na poltrona que Rohan estava, onde o moreno ainda segurava os utensílios de limpeza


- Knock, knock, knockin' on heaven's door.. - Em uníssono terminaram a parte refrão da música, agora surpreso, Rohan se levantou da poltrona um pouco afoito encarando o Higashikata


- O que diabos está fazendo no meu escritório? - Com seu Stand a vista pronto para atacar o moreno, viu Josuke levantar as mãos em rendição


- Me desculpe, Rohan-sensei! O ouvi cantando.. E eu realmente gosto dessa música, e também estava atrás de você para pedir desculpas por todas as coisas que já fiz e.. - Foi interrompido pelo artista, que franzia o cenho acariciando sua têmpora agora encostado a sua mesa


Sua mão direita estava para cima, sinalizando que desejava silêncio do mais novo.


- Eu não tenho raiva de você, Higashikata - Suspirou pesado, dando as costas para o moreno; Sentou em sua poltrona e acenou com a mão - Aproveite que já está aqui e limpe o escritório. Havia pedido ao Koichi-Kun, mas já que está aqui.. E eu não quero mais uma palavra vinda de você


Atendeu a ordem do esverdeado, ficou aproveitando a música que passava da playlist que o rapaz tinha e por ser um mangaka de sucesso era dono de uma caixinha de som caríssima.


~ Got my mind on your body, and your body on my mind... ~


- Got a taste for the cherry i just need to take a bite.. - Em um canto baixinho, o estudante começou. Estava tão envolvido na música que não conseguia segurar seus costumes musicais


Don't tell your mother~~ - Artista ou não encarava agora o Joestar, que se surpreendeu com a cantoria


- Kiss one another.. - Tombou a cabeça para o lado onde um sorriso besta surgiu


- Die for each other.. - Completou Kishibe, com um sorriso fraco


- We're cool for the summer - Terminaram juntos, agora aproveitando a batida da música


Se encararam por um tempo, Rohan soltou uma risada gostosa de se ouvir aquecendo o coração do jovem presente no cômodo.


- Para um ninguém.. Até que seu gosto musical é decente.


- Eu nunca ouvi você cantando, sensei.. Sua voz é.. bonita.. - Contou o que desejava, o garoto sempre foi sincero


- Obrigado. - Fez um carinho em seus próprios ombros, com uma feição de dor na face


- Sabe, Rohan-Sensei.. Posso te ajudar com essa dor muscular, com o crazy diamond se quiser! Ou até mesmo uma massagem - Generoso como o habitual, deixou seus objetos de limpeza de lado indo até o rapaz mais velho


- Não preciso da sua pena, Higashikata - Retrucou, mas não se afastou com a proximidade de Josuke


- Estou apenas fazendo meu trabalho como serviçal. - Era claro que o moreno não tinha segundas intenções, mesmo assim Rohan ainda o encarava com os olhos entre abertos duvidando de algo


- Tudo bem, faça. - Quando ganhou a permissão, invocou o seu Stand e em segundos algumas luzes invadiram o quarto, chamando até mesmo a atenção de Koichi e Okuyasu que agora se encontravam vigiando os dois no escritório no canto da porta para não serem vistos


Rohan se sentia bem mais leve, toda sua dor havia esvaido. Encarou Josuke por um tempo enquanto processava tudo e então o agradeceu se curvando e fazendo mais reverências comuns no Japão.
O estudante ficou sem graça por ter alguém mais velho se reverenciando a si e com alguns movimentos desengonçado com suas mãos também coçando a nuca.
Do lado de fora, Okuyasu e Koichi estavam surtando em silêncio por ver o uniponente Rohan se reverenciando a Josuke.


- Eu não sabia que gostava de Hamilton.


- Em nenhum momento cantamos Hamilton, por que acha que eu gosto? - Rebateu o comentário, voltando a ser o mangaka orgulhoso de sempre


- A caneca.. Bem, a estampa dela.. Achei que gostasse.. Mas deve apenas ter comprado ela aleatoriamente - Usou sua fala como uma carta que o levaria a sua Vitória, sabia que Rohan era muito seletivo e escolhia as coisas a dedo


- Você me pegou, eu gosto sim do musical - Revirou os olhos, odiava admitir que estava errado


- Eu amo Hamilton! Tem mais algum musical que goste, Sensei? - Os olhos do menino chegaram a brilhar, o que fez o outro japonês ficar um pouco curioso


- Bem, creio que Wicked e Dear Evan Hansen.. - Quanto mais o esverdeado contava sobre seu gosto musical, Josuke tinha os olhos tão brilhantes que poderiam iluminar toda Morioh-Cho


- Eu amo Dear Evan Hansen! - Aproveitando a proximidade segurou ambas as mãos do mangaka dando alguns pulinhos de animação - Cara!! É a primeira vez que conheço alguém que goste de musicais sem ser na internet


- O que diabos você pensa que está fazendo?.. - Questionou encarando bem suas mãos juntas as do adolescente, que não pareceu ligar dando mais pulinhos de alegria


- Deveríamos marcar de ir assistir um musical juntos, Rohan-sensei!


Após perceber toda aproximação que quebrou apenas por se animar com a ideia do mais velho ter gostos parecidos ao seu se afastou pedindo desculpas repetidamente, entre um olhar vergonhoso que nunca conseguia olhar para o ser a sua frente, Jojo já não estava entendendo mais nada do que passava em sua mente já que apenas desejava sair de lá é ir assistir alguma coisa, ou até mesmo jogar.


- D-desculpe incomodar, e-eu já terminei a limpeza aqui e tenho que ajudar os meninos n-na sala!! - Ao ouvirem isso, Koichi e Okuyasu saíram correndo entre tombos para o início da casa


- Claro.. Vai lá.


Quando o moreno deu as costas para Rohan, o desenhista suspirou pesado e cruzou seus braços. Já estava quase saindo, e quando iria fechar a porta recebeu o seguinte comentário sendo quase em um sussurro: " Me encontre na praça amanhã depois da aula se quiser saber mais sobre meu gosto musical " e com um sorriso fechou por fim a porta.
Começou a fazer alguns sinais com as mãos para comemorar, sussurrando algumas vezes um "yes!!" muito animado! Quando chegou a sala Koichi assobiava alguma canção besta de anime e Okuyasu em sua bela posição de "agir naturalmente"


- O que diabos vocês têm? Credo. - Sem perceber, algo havia mudado em sua fala


- Quem diz credo aqui sou eu! Primeiro você segura a mão do Rohan-Sensei e depois sai falando que nem ele - Koichi parou de varrer o chão, questionando Josuke sobre suas ações


Sem entender, Jojo coçou a nuca pensando em uma resposta platônica para a pergunta do amigo. Primeiro pensou que era impossível terem escutado algo, então deduziu que apenas observavam.


- Rohan-Sensei vai me comprar um ingresso para o teatro, nada demais


- Está mentindo! Você mesmo disse que ele o odiava, por que ele pagaria um ingresso para você? - Cerrou os olhos, olhando Josuke como um investigador profissional


- Lembra que arrumei a estátua? Também curei o corpo dele por estar muito dolorido, e como não quis um pagamento decidi que ele comprasse um ingresso para mim.. - Cruzou seus braços, sem muitos esforços para criar sua desculpa


O primeiro a surtar foi Okuyasu, que se aproximou de do Joestar o chacoalhando e gritando bem para ele ouvir.


- VOCÊ TROCOU O SALÁRIO POR UM INGRESSO IDIOTA!! EU NUNCA VOU PODER TE PERDOAR, JOSUKE! OI, JOSUKE!! - Jojo segurou firme os ombros do amigo, com uma careta


- Não é um ingresso idiota, eu vou assistir a um dos meus musicais favoritos sem pagar por n-a-d-a. E mesmo com o salário eu não conseguiria um lugar VIP como o que Rohan vai me comprar - Mexeu em seu topete, desviando a atenção para a porta já que a campainha ressoou na recepção da casa


Os estudantes se entreolharam, tampouco não demorando para atender a porta e se depararem com um ruivo conhecido dos três, mas que começaram a ter dúvidas sobre o que fazia na casa de Rohan.


- Oh. Não achei que Rohan teria visitas hoje - Sua voz era agradável, Kakyoin utilizava como vestes uma camiseta social branca e uma calça jeans azul


Segurava um caderno, em sua capa estava presente um desenho de um tal Kujo muito bem conhecido à distância; Um estojo com suas divisórias e um reservatório para organizar pincéis.


- Não estamos visitando ele! Pode entrar, Kakyoin-Senpai - Koichi deu passagem para o ruivo, que não cogitou a estadia - Pelo contrário, fomos contratados por Rohan-Sensei, já estamos terminando nossa faxina para irmos embora


- O Rohan está lá em cima no escritório, Kakyoin-Senpai - Josuke tomou iniciativa, se oferecendo para guiar Noriaki até o quarto ao qual o artista se encontrava


Jojo apenas tinha oferecido ser o guia de Kakyoin para rever Rohan, mas como era um bom menino ninguém poderia desconfiar de atos gentis e educados vindos do Higashikata, afinal, ele é adorável.
Como oferecido, levou o homem até o escritório do mangaka e ao chegar antes de poder bater na porta para avisar sua chegada teve uma breve conversa com o ruivo.


- Então quer dizer que você conseguiu se desculpar com Rohan? Ele não é um rapaz fácil


- Eu estou tentando, Kakyoin-Senpai.. Descobri que ele gosta de musicais, e algumas músicas que curto - Com um sorriso radiante desabafou


- Nohoho, boa! - A risada de Noriaki mesmo que estranha tinha o seu charme, chegando a ser fofa


Deu algumas batidas na madeira para avisar sua chegada, por fim abrindo a porta. Tudo estava diferente da primeira vez que entrou no escritório; Rohan tinha separado uma mesinha a qual provavelmente os dois artistas iriam ficar para desenhar e fofocar, uma louça incrível de chá também havia sido separada a dedo pelo Mangaka para uma ocasião especial já que para ele as visitas de Noriaki eram como terapias e de tamanha relevância para o seu social.


- Kakyoin-Senpai! Você chegou um pouco tarde, algum imprevisto?


- Sim sim.. Coisas no trabalho, você sabe muito bem - Uma risada veio de ambos os desenhistas ali, como se fosse uma piada interna a qual Josuke estava de fora sem entender


Sentiu que o assunto era de algo acima de seu conhecimento: A vida adulta.
Algo também o incomodava, o fato de Rohan estar sendo tão convidativo e agradável com alguém o assustava de uma forma que não conseguiria explicar nem em seus mais profundos sonhos, coçou os olhos apenas para ter certeza de que não estava sonhando, e ao se retirar do cômodo um rubor se formou nas bochechas ao pensar que poderia sonhar com o esverdeado, negou com a cabeça tendo em mente que assim como ele, Rohan era um homem, e se sentiria enojado ao saber que estaria sendo o motivo do sonho de um outro rapaz.
Se negava ao ter sentimentos pelo mangaka, em sua consciência aquilo era errado e também, Kishibe nunca o aceitaria ter uma relação, afinal ele o odiava mesmo negando não estar irritado. Uma crise estava sendo iniciada, seu cabelo em tampouco arrumado se encontrava bagunçada com suas madeixas rebeldes arrepiadas em direções contrárias na pura aleatoriedade, um sentimento que floresceu tão inocente agora o consumia e juntamente a ele uma dor incondicional nasceu como os espinhos e ervas daninhas que desabrocham junto às mais belas flores, por ser jovem e sem experiências não sabia o que fazer nem como agir com todos os pensamentos. Um pouco ofegante caminhou até o banheiro -- ou pelo menos onde ele achou que fosse -- e ao chegar trancou a porta, apoiado no gesso que sustentava a pia se olhou no espelho percebendo que seu estado era deplorável. Resolveu jogar água no rosto para tentar se acalmar, e nada funcionava.... Como último recurso cantarolou uma melodia calma, que foi a solução de seus problemas.


- Bro? É você aí dentro? - A voz falha de Okuyasu o chamou atenção, tentou dar um trato em seu cabelo mas não funcionou muito


- Hah! Estou sim.. Algum problema? - Abraçou no meio de todos os produtos disponíveis um gel pra cabelo


- Você não desceu, Koichi e eu ficamos preocupados. O que está fazendo aí dentro?


- Eu.. Eu.. Bem, arrumar meu cabelo! Isso, o topete se desfez e agora está uma bagunça..


- Mas o seu cabelo nunca se desfaz, Bro! - Bateu na porta, preocupado com o amigo


- Okuyasu é sério, eu estou bem, não precisa se preocupar cara - Mesmo com as desculpas de Josuke, o Nijimura era insistente como uma pedra


Deixou o cabelo como tava, abriu a porta com uma careta bastante irritada.


- Bro! Foi realmente o seu cabelo que ficou bagunçado! - Entre uma risada nervosa foi lentamente se afastando de Josuke pronto para correr o quanto fosse preciso, mas o Higashikata não teve nenhuma reação


- Foi o que te disse.. Pode dar licença? Já estou indo ajudar vocês lá em baixo... - Seu braço direito foi agarrado, revirou os olhos levemente para o Nijimura não perceber e deixou ser arrastado para a sala


Ignorou o fato do seu cabelo estar péssimo indo ajudar os companheiros a finalizar a limpeza na enorme mansão, já no escritório de Rohan o tempo corria de uma outra maneira.


- Então quer dizer que o Jotaro te pediu em namoro? - Levou a xícara de chá até sua boca, prestando atenção nos detalhes de tudo que Kakyoin falava


- Eu achei que ele nunca iria pedir, sabe? Desde nossa volta do Egito ele parecia incomodado demais com algo


- Hoho, então quer dizer que o Joestar fortão é um covarde quando o assunto é relacionamentos? Isso não me surpreende tanto, por que será? - Deixou a xícara no pires, pensando um pouco


- Bem.. Talvez por que tenha um Joestar apaixonado por você? - Deixou a fala escapar, e ao perceber isso tentou agir naturalmente agora rascunhando algo em seu caderno


- Eu só conheço um Joestar, que é o Jotaro. E ele está claramente apaixonado por você, Kakyoin-Senpai


Noriaki suspirou aliviado, agradecendo aos deuses por Kishibe ser bastante sem noção.


- Você tem razão.. Acho que acabei perdendo a noção por estar desenhando..


- E quanto ao seu progresso, o que fez no fim de semana? Antes de ontem visitei um museu e foi realmente agradável


- Eu pintei algo na tela, tenho uma foto, quer ver? - Tirou seu celular do bolso, procurando pela galeria a foto citada


Ao achar a foto desejada virou a tela do aparelho para o Mangaka ver. Analisou bem a arte que consistia em uma passagem do oceano onde um garoto com vestimentas pretas vislumbrava o enorme mar e sua grandeza virtuosa. Deduziu ser Jotaro, e ao ver pela feição abóbada de Kakyoin confirmou suas suspeitas.


- O seu traço está cada vez mais bonito, Noriaki-Senpai.. Em breve suas telas podem estar em uma exposição artística


- Você acha mesmo? Eu tenho tido muita inspiração ultimamente.. - Bloqueou o celular o guardando


- Sinceramente, minha criatividade vem sido limitada.. não sei o que está acontecendo, mas nada me chama atenção - Reclamou, com a mão em sua bochecha - Acabei chamando o idiota do Josuke para irmos a praça amanhã, talvez aconteça alguma coisa de interessante, você conhece os boatos.. " Higashikata Josuke atraí coisas bizarras "


- Vocês vão sair tipo um encontro? - Não poderia perder a oportunidade, já que sabia muito bem o que Josuke sentia por seu professor e amigo


- Um encontro? Praticamente não, esta mais para um passeio onde sairemos apenas para conversar sobre musicais, talvez eu pague um sorvete para ele - Kakyoin cerrou os olhos, e completou em sua mente que seria basicamente um encontro


- Certo.. Vai levar sua câmera no seu "passeio" com o Josuke? - Brincou se referindo a saída dos rapazes como um encontro


- Vou sim, ele deve conhecer lugares bonitos para visitar.. Então vai ser bom levar algo para fotografar - Batucou o caderno, pensando em algo para desenhar


- Talvez o Josuke consiga trazer sua inspiração de volta.. Ele pode acabar sendo a sua inspiração ~~


- O que? Claro que não - Olhou Noriaki, com uma cara de "Não vai rolar"


- Nyohoho, apenas estou falando o que acho.. - Deu de ombros com um desenho sapeca em seus lábios


- Eu o invejo, Kakyoin-Senpai - Começou - Você é tão experiente, também consegue reagir a coisas constrangedoras facilmente


O ruivo segurou a risada e acabou por manter sua postura de "Experiente" já que sempre quando ia contar suas façanhas para Rohan acrescentava alguma coisinha a mais para não perceber patético, como da vez que Jotaro gritou com si; Na sua versão da história que comentou com Kishibe havia apenas ignorado o grito e relevando por saber que o Joestar era irritado. Mas na verdadeira história, a primeira vez que Jotaro gritou com Noriaki desabou em lágrimas tendo que ter a ajuda de Joseph, Polnareff e Avdol para o acalmar, além das próprias desculpas do Jojo.. Mas deixaria aquilo em segredo do mangaka.


- O segredo é manter a postura, Anata - Bebericou seu chá - Aliás, o que acha de Koichi? Já que contratou ele para faxina.. Deve confiar bastante nele


- Koichi-Kun? Bem, ele é um jovem maturo e respeitoso, eu o devo minha vida, o respeito muito - Utilizou as palavras certas para se referir ao baixinho


- E o Okuyasu? - Foi lentamente brincando com as perguntas, para Rohan não desconfiar de seu real objetivo


- Okuyasu pode ser tonto, mas não é uma pessoa ruim, eu admito. O garoto tem um bom coração. - Fez alguns sketches na folha


- Então.. O que você acha do Josuke? - Chegou o momento que esperava, ficou alerta a qualquer ponto fraco ou deslize do desenhista para contar ao Higashikata


- Não tenho muito o que falar sobre ele. - Noriaki agora desapontado suspirou pesado - Mas.. Mesmo sem querer ele consegue ser um doce, eu o acho adorável


Calculou por um tempo, piscou os olhos pra ter certeza que não estava delirando.


- Perdão.. pode repetir?? - Pegou seu celular, ligando a gravação - O que disse sobre o Josuke, Rohan-Kun?


- Eu... Eu o acho adorável. . Por que está me perguntando isso? É vergonhoso.. - Escondou o rosto com a palma, corado


- A culpa não é minha! Você disse que o Josuke era adorável! - Parou a gravação, guardando o celular


- O que estava fazendo com o telefone? - Questionou desconfiado


- Ele vibrou.. ia ver se o Jotaro me mandou uma mensagem, mas era apenas o despertador - Deu de ombros, sorridente


- Ah, claro.. Então, o que eu deveria vestir amanhã? Algo simples, não é? Amanhã fará calor.. Talvez uma camiseta beje..


- Acho que seria legal algo bonito e simples.. Afinal, você é Kishibe Rohan o mais renomado mangaka de Mori-Oh! - Afagou o ego do esverdeado, para tê-lo bonito, ajudando Josuke a se deleitar na bela visão que terá


- Tem razão, Kakyoin-Senpai.. Darei o meu melhor para conseguir as fotografias!


- Claro claro, as fotografias! Aposto que vão ficar incríveis.. - Levantou, indo até a janela do escritório - Não seria bom subir as cortinas, Rohan?


- Eu nunca pensei em fazer isso..


- Seria melhor para sua saúde, ver o nascer do sol também poderia te dar uma ajuda a mais na criatividade! - Puxou uma cordinha que subiu as pesadas cortinas negras


A tarde foi bastante calma, o clima não estava nem quente nem frio; Consistia perfeito. A noite já havia caído e os jovens seguiam para suas casas até Josuke puxar assunto.


- Koichi, como percebeu que estava gostando da Yukako? - Com as mãos nos bolsos do uniforme, fitava o seu onde estrelas começavam a surgir


- Bem.. Eu senti algo quente no peito sempre que olhava para ela, como se ele queimasse!


- Huh, entendi.. - Ao perceber Koichi o encarando com um sorrisinho meia boca ficou um pouco irritado - O que foi?!


- Você está apaixonado, não está? É alguma menina que conhecemos? 



- Eu não estou apaixonado, cara! Deixa de ser lunático - Resmungou baixo, encarando algumas casas por quais passavam


- O amor é difícil de ser ignorado - Okuyasu comentou, o que fez Koichi e Josuke o encararem confuso já que o garoto nunca foi de falar coisas que tinham nexo ou sentido


- Enfim.. Boa noite para vocês - Chegando a uma rua que tinha entrada para mais três os rapazes se separaram


Ao chegar em casa Josuke estava confuso, avoado pelo comentário do Nijimura. Tanto que nem ouviu sua mãe chamar por ele a ignorando e indo diretamente até seu quarto, tomou um longo e demorado banho quente, e quando estava na banheira fixou o olhar no teto perdido em seus pensamentos; Ao terminar vestiu qualquer coisa que achou nem se dando o cuidado de enxugar-se direito, foi para a cozinha onde falou poucas coisas com a mãe dizendo que já ia dormir, o que Tomoko estranhou ficando extremamente preocupada com seu filho. Jogou-se na cama, e deitou de barriga para cima com a cabeça apoiada no braço o utilizando como travesseiro, olhava para a luz de seu quarto que encontrava-se apagada e suspirou pesado.


- O amor é difícil de ser ignorado.. - Sussurrou consigo mesmo, e adormeceu 


Notas Finais


Espero mesmo que tenham gostado, Mezzos ~☆♡
Kissus de cerejinha da sua Caesarina ~~♡♡♤♡♧♧☆☆☆
Aliás, eu sei que é chato ficar pedindo toda hora pra comentar, mas o seu comentário me dá carga e vontade de continuar escrevendo.. Então por favor, comentem

Músicas citadas:

https://youtu.be/rm9coqlk8fY
Knockin on heaven's door- Bob Dylan

https://youtu.be/il9nqWw9W3Y
Cool for the summer - Demi Lovato

https://youtu.be/6frd_dHxPRs
Helpless - Lin Manuel Miranda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...