História Falling In Love (Coletânea Imagines Seventeen) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Imagine Dino, Imagine Dk, Imagine Hoshi, Imagine Jeonghan, Imagine Joshua, Imagine Jun, Imagine Mingyu, Imagine Scoups, Imagine Seungkwan, Imagine Seventeen, Imagine The8, Imagine Vernon, Imagine Wonwoo, Imagine Woozi
Visualizações 298
Palavras 1.083
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá ^^

Estou aqui no nosso oitavo dia trazendo o último membro da Hip Hop Team o visual da nação Kim Mingyu. Sei que essa foi a menor estória até agora, mas isso foi por que eu senti que estava Sad demais e não quis me alongar muito...

Espero que gostem e lembrem-se que comentar não cai a mão ;)

Mingyu é seu Bias? Conta pra mim :)

Capítulo 8 - Apenas continue me abraçando, Mingyu (Day 08 Mingyu)


Fanfic / Fanfiction Falling In Love (Coletânea Imagines Seventeen) - Capítulo 8 - Apenas continue me abraçando, Mingyu (Day 08 Mingyu)

Day 08 — Mingyu

Título: Apenas continue me abraçando, Mingyu

Seul, South Korea.

__________ Point Of View.

Era difícil para mim aceitar que tudo aquilo estava acontecendo novamente, o pânico me consumia e eu sequer conseguia respirar enquanto encarava o papel a minha frente. Simplesmente, assustador.

Encarei o homem que dormia ao meu lado na cama, Kim Mingyu era simplesmente perfeito em tudo. Cabelos castanhos claros, olhos escuros, traços extramemente marcantes, altura bem elevada comparado comigo, e a maldita mania de dormir com as pernas sobre as minhas que o deixavam mais lindo ainda com a carinha enterrada no travesseiro de fronha branca.

Mas, todo conto de fadas dura bem pouco, e eu sou a prova mais que viva disso. E, para que compreendam como conheci Mingyu, preciso voltar a época mais sombria da minha vida, quando tinha dezesseis anos e meio ou coisa assim, estava no colegial, e era perdidamente apaixonada por Yoon JeongHan.

Yoon JeongHan era o cara mais perfeito que eu havia conhecido, mesmo que seus cumpridos o fizessem parecer uma garota, ele era realmente o homem que qualquer garota gostaria de namorar. E eu, tinha que ter sido a escolhida. Eu e o Yoon nos amávamos mais que qualquer outra coisa, mesmo que nossos pais não quisessem nem saber e exigissem a nossa separação.

Cinco meses depois, um mês antes de eu completar meus dezessete anos, algo caiu em mim como uma bomba nuclear que acabaria com toda a minha vida... Eu estava grávida. Claro que nossos pais foram completamente contra, mas eu e JeongHan resolvemos assumir a responsabilidade e criar o bebê como pudiamos.

Era uma garota, e Sayu nasceu cheia de saúde. A cada dia que passava ela parecia crescer mais, e logo já havia completado um ano de seu nascimento... Foi aí que tudo começou a dar definitivamente errado. JeongHan acabou falecendo em um assalto a mão armada, e eu descobri que minha filha tinha uma deformação gravíssima no pulmão. Tudo isso naquele maldito ano.

Onde Kim Mingyu entra em toda essa história? Bem... Sayu teve de ser internada e monitorada para garantir que sobrevivesse, e o médico responsável por ela era um recém formado em pediatria, tinha apenas vinte e oito anos, no caso, pouca idade para ser médico, e eu o chamava de Doutor Mingyu.

Mingyu cuidou de Sayu como se cuidasse da própria vida, eu podia ver em seus olhos o quanto ele amava o que fazia e, acima de tudo, o quanto ele gostava dela. Graças a isso, nós começamos um relacionamento e dois anos depois, ele viria a ser padrasto de Sayu, se apegando ainda mais a minha filha.

Infelizmente, ela faleceu nos braços dele. Mingyu desde então havia ficado perturbado, por que não se perdoava por não ser capaz de salvá-la, então ele estava sempre tendo pesadelos ou olhando para as próprias mãos enquanto chora. O baque na época para mim foi tão grande que, eu simplesmente não queria ver Mingyu. Não por que o culpava, mas sim por que ele me lembrava dela.

O fato é que não consegui ficar longe dele por muito tempo e, no final do ano passado, nos casamos. Não houve festa e não avisamos ninguém tirando as testemunhas (alguns amigos de profissão de Mingyu), apenas fomos, assinamos os papéis e juntamos nossas coisas, indo finalmente morarmos juntos em outra casa.

—Jagiya... — Mingyu resmungou apertando mais ainda minha cintura. — Por que não está dormindo? É tarde...

Por mais que ele tivesse resmungado, sabia que ele não estava acordado, já que tinha a mania de falar dormindo, e não se lembrava no dia seguinte. Mesmo que eu tentasse, naquele momento eu jamais conseguiria dormir devidamente ou sequer pregar os olhos por um minuto sequer.

Acabei caindo no sono quando foi por volta das cinco e meia da manhã, e quando acordei, Mingyu me encarava com raiva, bastante raiva. Engoli em seco enquanto me sentava na cama, vendo que o papel estava todo amassado pelas mãos dele, eu havia esquecido de guardá-lo ou escondê-lo. Me encolhi quando o observei respirar fundo, bem fundo.

—Ia me esconder isso? — Seus olhos fixaram em mim e eu quase podia ver chamas queimando neles. — Quando foi que...?

—Fiz já fazem dois meses, mas só tive a coragem de pegar o resultado ontem. — Respondi com medo da reação que ele pudesse ter, Mingyu surtaria, disso eu tinha certeza.

—O QUE? VOCÊ É MALUCA? — Ele finalmente havia explodido de raiva enquanto puxava os cabelos castanhos. — Isso foi perigoso demais ________! Podia ter acontecido um desastre! Não podia ter sido tão descuidada assim!

Sem que percebesse, acabei chorando. Não que Mingyu estivesse me assustando, eu já esperava uma reação assim justamente por ser esse assunto. Estava com medo de falhar novamente, medo de que tudo acontecesse novamente, eu jamais suportaria que a história se repetisse. Só então a ficha dele caiu e então ele me abraçou bem forte.

—Desculpe... — Sussurrou mas pude ouvir seu fungar também. — Vai dar tudo certo, eu prometo... Eu mesmo vou cuidar de você e...

Apenas continue me abraçando, Mingyu... Por favor não me solte em hipótese alguma. — Supliquei tentando conter os soluços que insistiam em querer sair da minha garganta. — Estou assustada... E-Eu...

Mingyu se abaixou levemente e me roubos vários selinhos estalados, na intenção de me acalmar e dizer que estava tudo bem, que ele estava ali e não sairia de perto de mim. Demorei um tempo, mas consegui me acalmar, ele não parou e continuou roubando os beijinhos.

—Você pode... — Cada palavra que ele dizia, um beijinho era depositado em meus lábios. — Me dizer? Preciso ouvir da sua boca, Jagiya... — Assenti sorrindo.

Eu estou grávida, Mingyu. — Parecia que um peso havia saído das minhas costas, me sentia milhões de vezes mais leve, principalmente quando ele me beijou.

Não importa quantas vezes eu o beije, sempre é algo diferente. Dessa vez, eu conseguia sentir a sua felicidade através do contato que era calmo, mas ao mesmo tempo intenso. Acabamos caindo deitados na cama enquanto riamos, estávamos felizes e ao mesmo tempo inseguros demais pra comemorar de verdade.

—Dessa vez, seremos uma família pra sempre, Hm? — Falou pegando meu rosto entre as mãos, depositando um breve selar na minha testa.

Pra sempre é muito tempo, não acha? — Brinquei, ele pareceu refletir por um tempo, mas logo voltou a sorrir feito bobo apaixonado.

Então... Sei que parece clichê mas... — Fez uma pausa para entrelaçar nossos dedos, enquanto beijava a pele onde se encontrava a minha aliança. — Que seja eterno enquanto dure...


Notas Finais


E então? Espero que tenham gostado, vejo vcs nos comentários ;)

Até amanhã com a One do Jeonghan :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...