História Falsas paixões ? - Capítulo 27


Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Personagens Originais, Sabine Cheng, Tom Dupain
Tags Adrinette
Visualizações 112
Palavras 1.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Mutilação
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoje eu tô doida huehuehiehue

Bora se esconder de baixo da cama ?? Bora !

Aproveitem e... disfrutem desta beleza, chamada VERGONHA!

Capítulo 27 - Sem controle (final)


Fanfic / Fanfiction Falsas paixões ? - Capítulo 27 - Sem controle (final)

(Uma hora depois...)


*Visão de Adrien*


Estava conversando com algumas pessoas presentes no baile, alguns amigos ou colegas meus.


Mari havia se afastado de mim, disse que iria comer e beber alguma coisa. Sinceramente, não vejo problema nisso, por mais que eu seja um namorador super-protetor, às vezes é necessário deixa-la ser livre e á vontade também. Mesmo assim, tem quase uma hora que não a vejo, melhor ir procura-la, pelo menos para eu saber que ela está bem.


Antes que eu pudesse dar um passo sequer, ouço algo cair no chão, resultando em um estrondo muito alto... pode-se dizer que todos ouviram aquele barulho. Parecia que algum objeto de vidro caiu no chão. Espero que isso não seja coisa que envolva a Marinette.


Com esse pensamento, a única coisa que me veio á cabeça foi que Mari não estivesse bem. 


Me dirijo até um local no qual havia uma multidão de pessoas em volta. Passando pela multidão chego a frente da enorme mesa de jantar... e infelizmente vejo algo que não queria ter visto...


Marinette se envolveu em uma briga feia com Chloe. Além de que ambas estavam sob efeito do álcool, isso não é nada bom, tanto para mim, quanto para a Marinette. Assim que eu tirá-la daqui, teremos uma longa discussão!!!


Vou até as duas, a fim de separar a briga. 


- O que estão fazendo ?!


Gritei, furioso pelo estado em que se encontravam.


- Foi ela quem começou !!


Chloe falou, apontando para a Marinette.


- É mentira !! Foi a Chloe quem me convenceu á beber !!!


Retrucou, colocando a culpa na Chloe.


- Não quero saber quem começou nada. Vamos embora Marinette, você já se "divertiu" demais por hoje !!!


Retruquei com Marinette, mas desta vez em um tom mais furioso ainda.


- Me obrigue!!!


Recusou- se virando as costas e fazendo cara feia.


Imediatamente peguei um de seus pulsos com força, arrastando-a para fora do colégio. Sentia olhares sobre nós, apenas ignoro e continuo puxando-a insistentemente pelo caminho enquanto a mesma recusava-se e se debatia.


(Quebra do tempo)


Quando chegamos em casa, a primeira coisa que fiz foi ir até meu quarto.

Chegando no local, coloco Marinette na cama, logo em seguida tranco a porta e sigo novamente até onde Mari estava.

Prenso seus pulsos na cama, ainda com uma expressão de raiva em meu olhar. Às vezes quando fico neste estado, acabo sendo muito cruel e impulsivo e também... acabo fazendo coisas que não queria fazer.


- Você não tem vergonha ? Aparecer bêbada diante de todo mundo é divertido para você?!


Questiono, alterando minha voz para ela ficar amedrontada.


- Qual é... você poderia ficar mais calmo ??


Falou num tom despreocupado e manhoso, por conta dos efeitos da bebida.


- Você tem noção de que acabou de pagar um grande mico?!


- Que mico? Foi tão divertido ver a Chloe furiosa!


O que foi que ela bebeu ?? O que tinha nessa bebida?? Ela está quase fora de si, nunca a vi desse jeito antes!


- Adrien...


Chamou- me, ainda manhosa.


- O que foi ?


Falei num tom de desgosto, revirando os olhos e voltando a encara-la.


Rapidamente a mesma ataca meus lábios ferozmente, quase que deixando- me sem ar. Sem mais opções, segui seu ritmo e me deixei levar, tentando esquecer de minhas preocupações. Antes que eu pudesse toca-la, a mesma encerra o ato.


- O-o que deu em você?


Questionei, ainda surpreso com seu ato.


A mesma aproxima-se de meus ouvidos lentamente, exibindo um sorriso nos lábios.


- Quero que me torne sua essa noite.


Murmurou, fazendo com que eu me arrepiasse ouvindo aquela frase.


Antes de afastar-se, a mesma mordiscou rapidamente o lóbulo de minha orelha.


Ainda assustado com tudo aquilo, ouço meu coração palpitar loucamente naquele instante, o que fez o clima ficar cada vez pior


- V-você não sabe o que diz. Está s-sob os efeitos do álcool!


Afirmei, tentado convece-la de que ela não sabia o que estava dizendo.


- E isso realmente importa ?


Perguntou, fingindo-se de desentendida.


- Isso não é uma b-boa idéia !


Neguei, soltando seus pulsos e afastando- me da mesma. 


- Mas não era isso que você queria esse tempo todo?


Perguntou novamente, na tentativa de me provocar.


- Prefiro fazer esse tipo de coisa quando você estiver sóbria.


Aluguei, indo em direção à porta.


Antes que eu pudesse abrir a porta, sinto a mão de Marinette me puxar de volta para a cama.


- Sei que você quer tanto quanto eu, gatinho!


- N- não. E- eu não quero!


- Pare de resistir. Quando teremos outra chance de fazer isso ?


Questionou, um pouco triste dessa vez.


Pensando bem... por outro lado ela pode estar certa, pode ser que essa seja uma oportunidade única de fazer Marinette se tornar minha por uma noite, além do mais, isso iria ajuda-la no tratamento de sua depressão. Nunca se sabe quando irá surgir outra chance assim. Pra falar a verdade... eu também quero fazer isso. Quero que ela esteja entregue á mim por completo!


- Tem certeza de que quer fazer isso? Depois do que vamos fazer, não haverá mais volta!


Perguntei, antes de agir.


- Absoluta!


Confirmou.


- Mas já vou logo avisando que não me responsabilizo pelos meus atos.


- Como assim ?


- Eu posso perder o controle e acabar te forçando a fazer coisas contra sua vontade.


Expliquei, atentando- a.


- Tudo bem por mim. Eu quero dar à você todo prazer que puder!


- Tudo bem...você quem pediu.


Alertei-a pela última vez.


Após isso, deito- a na cama, ainda com seu olhar sob o meu. Me aproximo lentamente de seu pescoço, quando já estava perto o suficiente analiso o local, alisando-o cuidadosamente com meus dedos gélidos e enfim, mordo o mesmo com vontade,  ouvindo um grunhido baixo em resposta pela parte de Marinette. Me afasto devagar, observando a marca roxa se formando aos poucos, como se não fosse o suficiente, decido umidecer o mesmo local, com um pouco de minha saliva, apenas para provocar Marinette. Em seguida, faço mais marcas como essa por todo o seu pescoço. Com certeza, se alguém perceber essas marcas roxas, saberá que Marinette já tem dono!


- Está tudo bem ?


Perguntei, para me certificar de que tudo ocorria conforme o planejado.


- Sim...  por favor, peço que continue!


Pediu, parecia mais que ela estava suplicando, na verdade!


Vou até seu ouvido, enquanto sentia seus olhos me observando atentamente.


- Aguente, eu estou só começando!


Cochichei, num tom de voz que a fez se arrepiar dos pés á cabeça.


Sinto que o prazer já está tomando conta dela. Continuo próximo á mesma, nisso decido partir para os seus lábios, aqueles doces lábios que eu tanto amava. Sem avisar, vou rapidamente até seus lábios depositando um provocante e profundo beijo, a fim de despertar todo o prazer possível ainda escondido dentro de si. Começo com um selar quente, já partindo para um beijo totalmente selvagem e prazeroso, nossas línguas começavam á lutar por espaço na boca um do outro, às vezes mordia seu lábio inferior, para tornar aquilo mais apetitoso do que já estava enquanto tocava o seu corpo, para torná- lá mais sensível, naquele simples ato, nós dois começamos a sentir nosso prazer fluir a flor da pele, fazendo com que a gente quisesse mais e mais!


- P- pare de... me torturar!


A mesma falou, sem romper o beijo, com certa dificuldade.


Acabo por encerrar o ato, a fim de dar total atenção à ela.


- O que quer dizer com isso ?


- Estamos apenas nas preliminares. Tenho certeza de que você sabe o que eu quero...


- Está certo !


Confirmei, já entendendo o seu recado e partindo para o verdadeiro prazer.


[...]


No fim, acabou que aquela se tornou a noite mais prazerosa que poderíamos desejar. Essa foi uma experiência única e bastante satisfatória. Ainda assim, espero que Marinette não se lembre dia no dia de amanhã.



Continua...











Notas Finais


Que tal ?

Desculpa ter "censurafo" a melhor parte, mas... fazer o que, né ? Kkkk


Sem idéia para opções...

Agora digam: o que acham que vai acontecer no próximo capítulo ?
COMENTEM!
pfvr... ^-^

Bjos e até mais !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...