História False Marriage - Imagine Jung Hoseok - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Adultério, Bangtanboys, Bts, Casamento, Hentai, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Marriage, Min Yoongi, Minifosa, Rap Monster, Rose, Suga, Taehyung
Visualizações 94
Palavras 2.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olhá só quem ta de volta? E com um capítulo gigante para me redimir. Agora estou com mais tempo então a fanfic vai voltar a ser atualizada. Espero que gostem do capítulo e boa leitura <3

Capítulo 6 - VI


Fanfic / Fanfiction False Marriage - Imagine Jung Hoseok - Capítulo 6 - VI

– Alô? –...– Você está aqui na frente Nayeon?? – O observo de longe ao celular e percebo o quanto ele está excitado fazendo eu cair na realidade do que estávamos fazendo, começo a vestir meu vestido novamente, e fico observando a cara de frustrado do Hoseok enquanto respondia a namorada. – Ok... certo já vou abrir a porta.

– Vou subir – Digo já lhe dando as costas e indo em direção as escadas, porém o mesmo me segura pelo pulso, fazendo-me virar para si.

– Desculpa, nós não devíamos ter...

– Concordo, foi um momento de carência que não vai voltar a acontecer. – Lhe interrompo de forma ríspida, tentando não transparecer que eu estava completamente sem saber o que fazer depois do que fizemos no sofá.

– Que bom que pensa assim. – Ele diz, e fico feliz que ele concorda que o que fizemos é pura carência e que erramos, porém, um pedaço de mim não gostou da resposta.

Droga! Ele estava fudidamente sexy sem camisa desse jeito, seu peito subia e descia de maneira descompensada enquanto me encarava, com os cabelos desarrumados... Aff o que eu estou fazendo? Eu não devia estar pensando nele dessa forma! E nem ter feito aquilo, eu me sentia suja por ter sido infiel com o Kookie, e ele jamais pode saber disso do que aconteceu aqui. Eu sei por estarmos “casados” isso deveria ser completamente normal, mas não é já que fomos obrigados a esse matrimônio e na verdade não gostamos um do outro. Merda S/N você é burra! – Hey, melhor você se ajeitar. – Digo apontando para o seu estado.

– Tem razão. – Ele ri sem jeito indo em direção a sua camiseta jogada num canto aleatório da sala, e confesso que ver isso foi constrangedor e engraçado ao mesmo tempo, pois não lembrava de ter jogado a camiseta tão longe. Enquanto ele a vestia, volto a subir a escada rapidamente já que eu não teria cara suficiente para encarar a Nayeon por um bom tempo até eu colocar minha mente no lugar. – Hey S/N! – Paro quase no topo da escada com o chamado do ruivo que me encarava da base da escada com uma expressão que eu não conseguia identificar. O que ele quer agora comigo? – Quer que eu te chame para o jantar?

– A-ah, não obrigada estou sem fome. – Para minha infelicidade eu gaguejei, não entendo porque estou tão nervosa agora, e não entendo porque eu esperava que ele fosse dizer outra coisa. Bom pelo jeito parece que ele quer tentar fazer com que voltássemos ao normal e fico feliz por isso.

– Tudo bem, boa noite. – Ele diz coçando a nuca e agora nesse momento escuto batidas na porta. Deve ser ela.

– Boa noite. – Saio correndo para fugir logo dessa situação e me tranco no meu quarto me jogando na cama que nem um trapo, enterrando meu rosto contra o travesseiro depositando ali um grito entalado. Eu ainda sentia meu corpo estremecer de prazer, um prazer contido já que não conseguimos terminar o que começamos, e minha calcinha estava tão encharcada que vou me obrigar a tomar um banho. Quem sabe um banho de água fria dá um jeito nesse fogo no rabo.

Durante o banho me desabo a chorar, me sentia mal por ter traído o Kookie e eu me odiava também por estar chorando pela Nayeon existir na vida do ruivo. É, o Hobi estava certo, mal conseguimos nos controlar em menos de 2 dias e isso estava completamente errado. Depois desse banho demorado, e de ter conseguido esfriar aquele tesão que teimava em queimar pela extensão da minha pele saio do box e me visto com um pijama confortável. Vou até minha cama e tento de alguma cochilar, mais tarde eu acordo para o jantar, porém agora eu precisava me isolar um pouco de uma pessoa chamada Jung Hoseok.

20:40 PM

Sou despertada ao escutar uns ruídos e conforme eu fui ficando lúcida percebi que eram batidas leves na porta. Me levanto já respirando fundo já que terei que ser obrigada a encará-lo atrás daquela porta.

– Ah, oi S/N. – Ele diz friamente, completamente fora da personalidade que eu estava acostumada. O garoto mal me olhava e o clima estava meio pesado a nossa volta. Ao observá-lo, vejo que ele estava com uma roupa meio despojada e estilosa como se ele estivesse prestes a sair.

– Fala. – Digo já sem paciência.

– Vou jantar fora com a Nayeon, então se você ouvir algum barulho na casa não é eu. – Porque ele está me avisando essas coisas? Parece que quer se aparecer por estar saindo para jantar com a tão amada garota. – Deixei comida para você na geladeira caso bater a fome.

– Okay. – Vou voltar a fechar porta, no entanto o garoto me impede de concluir o ato e agora, com relutância, ele me olhava nos olhos.

– Pode me ligar se precisar de alguma coisa. Logo estou de volta. – Tento fazer a cara mais fria que eu conseguia naquele exato momento e lhe respondo.

– Não se preocupe comigo, não temos nada. Divirta-se no jantar. – Antes que ele dissesse qualquer coisa eu fechei a porta e a tranquei.

Voltei a me deitar e puder ouvir os passos dele se afastando da porta e a voz irritante da Nayeon perguntando se ele já estava pronto. Fiquei esperando o barulho do carro pois seria um sinal verde de que a casa estava vazia e que eu podia descer para comer, já que antes eu não queria me atrever a cruzar pelos dos na sala. É... prevejo que essa noite será mais uma sessão de “gemidos” da vadia lá.

1 SEMANA DEPOIS

Bom, mais de uma semana já se passou e esse casamento de mentira só vai de mal a pior. Desde aquilo que aconteceu comigo e o Hoseok na sala ele se tornou uma pessoa completamente diferente, estava extremamente frio e nós só conversávamos o suficiente para manter o mínimo de harmonia na casa completamente tensa. Como por exemplo, comentar se o clima estava frio ou quente, se a comida estava boa e se eu dormi bem, nada mais que isso.

Isso tudo já estava me irritando, ele não precisava agir assim, nós já havíamos comentado que aquilo não passou de um momento de loucura e carência e nada mais. Ele agindo dessa forma faz parecer que eu fui a vilã! Que fui eu que fui lá e agarrei ele naquele sofá, sendo que quem começou com as investidas foi ele.

A QUE INFERNO DE VIDA!

E para piorar cada vez mais aquela mocréia da Nayeon frequentava mais essa casa, até parece que ela se tornou a dona. E cada vez menos o meu Kookie vem me visitar. Ele não me chama mais com tanta frequência e até me deu vácuo algumas vezes. Eu sei que ele tem uma vida problemática e sempre que agia dessa forma era porque ele tinha tido alguma espécie de briga com o pai dele.

Esse era meu último sábado de “férias”, já que minha faculdade irá iniciar essa próxima segunda-feira, porém vejo isso como um lado bom, ficar nessa casa já estava se tornando tedioso para mim e será bom eu ficar o máximo de tempo afastada desse ruivo.

– Dormiu bem essa noite? – O ruivo pergunta sentado à minha frente na mesa enquanto mexia no celular sem olhar para mim. Já estava cansada dessa pergunta.

– Sim... dormi. – Como ele conseguia agir dessa forma depois do que fizemos?! Não tem problema ele querer esquecer o que aconteceu, até será melhor para mim, no entanto ele poderia voltar a ser o Hoseok engraçadão que conheci naqueles primeiros dois dias de casados.

– Está meio frio hoje, né? – Eu estou prestes a tocar essa maça na cara bonitinha dele se ele continuar com esses assuntos toscos.

– Hoseok, é sério, se é para ficar falando essas coisas todos os dias prefiro que fique quieto. – Criei coragem e falei o que estava entalado na minha garganta faz 1 semana. Ele me olhou na mesma hora, e essa foi uma das poucas vezes que ele olhou para mim essa semana, pelo incrível que pareça.

– Ah, desculpa se sou entediante. Porque não chama aquele seu namoradinho para te entreter. Jungkook, certo? Ah lembrei, ele tá sumido né? – Sim senhoras e senhores, esse ruivo maldito mudou da água para o vinho em menos de 5 segundos, jogando todas essas palavras na minha cara de uma só vez. Percebi que os olhos deles transmitiam um mix de raiva e deboche, mas logo ele suavizou a expressão quando percebeu que o que ele falou me afetou de certa forma e logo pude sentir uma lágrima escorrer pela minha bochecha. – S/N, me desculpa, eu não queria...

– Esquece. – O interrompo, dizendo fracamente para não transparecer a voz de choro. Então me levantando da mesa vou rumo a cozinha deixar meu prato e copo sobre a pia, e quando me viro ele já estava ao meu encalço parado logo a minha frente.

– S/N. – Ele diz se aproximando mais um pouco, e eu acabo dando passos para trás até que encosto meu corpo contra a pia. As mãos dele se apoiaram uma de cada lado do meu corpo, as mantendo firme sobre o mármore enquanto me olhava com uma expressão que eu não conseguia decifrar. Só sei que não gostei dessa aproximação repentina.

– Me deixe sair! – Tento tirar um de seus braços para sair de seu encalço, mas pareci uma tola tentando, já que tenho força nenhuma.

Não. – Ele sussurra contra meu rosto, me fazendo estremecer.

– Não? Porque ainda está aqui? Eu também sou entediante. Porque não chama sua namoradinha para te entreter nesse sábado friozinho? Ela está quase morando aqui mesmo. – Digo, e logo me arrependo pois ficou parecendo muito que estou com ciúmes, e noto que não fui só eu que achou isso, já que um sorriso de canto brotou no rosto desse desgraçado. Ele não só sorriu como pude ouvir sua risada e confesso que foi música para meus ouvidos já que não a ouvia desde que tivemos aquele nosso momento no sofá.

– Você fica fofa com ciúmes.

– Ciúmes?! Ai me poupe Hobi. – Falo desviando do seu olhar penetrante, ainda estou aqui processando essa mudança de humor do ruivo. Será que me casei com um caso raro de bipolaridade?

– Só falo verdades. – Volto a olhá-lo e começo a sentir seu perfumo invadir meus sentidos, e os olhos do maior começaram a abaixar para os meus lábios. Resolvi cortar logo o clima que estava se instaurando.

– Eu tenho o Kookie meu querido! Eu sei que ele não está mais frequentando tanto aqui, e que mal tenho a possibilidade de ir visita-lo, mas você não precisa esfregar seu relacionamento perfeito com a Nayeon na minha cara só porque para vocês está tudo bem, okay?! Que bom que você tem sorte no amor! É eu que seu uma desgraçada mesmo... – Digo já sentindo as lágrimas voltarem a escorrer sobre meu rosto, no entanto como um movimento repentino, sinto ele começar a secá-las segurando meu rosto.

– Me desculpa pelo o que eu disse antes... – Fala depositando um beijo na minha testa. – E fico feliz por vê-la me chamando de Hobi de novo.

– Você estava estranho a semana toda, então eu não conseguia mais te chamar pelo apelido. – Digo em meio a um soluço que escapou de tanto que eu chorava.

– Você também estava triste por causa disso? – Assinto timidamente percebendo que assumi que isso me entristeceu. Então eu sinto seus braços me envolverem num abraço e acho que a primeira vez que fizemos isso, e com a cabeça apoiada em seu peito pude ouvir seus batimentos bem rápidos. – Me desculpa por isso, e-eu não sabia como lidar com você depois do que fizemos lá na sala, me senti mal e confuso pela Nayeon, e também eu não queria que aquilo que fizemos estragasse nossa amizade de casados.

Que soco foi ouvir essas últimas palavras, mas eu esperava o quê? Que ele se declarasse? Ai S/N acorda, agora você tem que se preocupar com algo mais importante, que é seu Kookie.

– Só quero que a gente volte a agir normalmente, que nem antes daquilo. – Falo fracamente contra seu peito já que ainda estávamos abraçados.

– Eu também, pirralha. – Ele diz bagunçando meus cabelos e isso faz eu rir involuntariamente, acho que é a primeira vez que eu rio em um bom tempo. – Se arrume, vou te levar de carro até a casa do Jungkook, pelo que percebi ele mora longe, então vou ajudar vocês dois a se verem.

– Sério? – Ele assentiu. – Obrigada Hobi! – Lhe abraço mais forte.

QUEBRA DE TEMPO

Já estávamos na estrada, eu e o Hobi estávamos conversando normalmente agora, ele até já fazia aquelas suas piadas debochadas que eu sentia falta. E estava tão divertido andar de carro com ele que cheguei ao ponto de quase esquecer o sentido daquele passeio. Foco S/N, você está indo ver seu namorado Jungkook.

– Hey S/N. – Olho para ele enquanto dirigia, e até que ele ficava mais atraente desse jeito todo independente.

– Oi.

– Vou ser obrigado a te corrigir de novo. – Franzi o cenho já que eu não lembrava de nada de errado que eu tenha feito ou falado.

– O que eu fiz?

– Falou. – Ele corrigiu. – De novo você acha que eu e a Nayeon somos namorados e temos um relacionamento perfeito. Se esqueceu que eu já te disse que ela só é um lance meu? Tudo bem que nos vemos várias vezes, mas essa relação está longe de ser perfeita. – Percebo que o tom de voz dele ficou sério ao falar sobre essas coisas.

– Desculpa, prometo não chamá-la mais de namoradinha. – Falo debochada e fico feliz por ter quebrado o clima tenso fazendo o mais velho rir soprado. Da janela, percebi pela paisagem que já estávamos chegando na casa do Kookie, estávamos passando próximo à praça que costumávamos passar o tempo juntos.

– Já você sim, tem namorado, está bem melhor que eu. – Ele diz sem desviar os olhos da estrada e percebi que ele apertou um pouco o volante.

Amante você quer dizer. – Disse para descontrair.

– Hahaha é você tem razão, esposa. – Ele respondeu dando ênfase na última palavra e vi que o fiz corar.

– Para.

– Oi? – Ele pergunta não entendo já que ainda faltava um pouco até chegar no endereço.

– Para agora o carro! – Ele faz o que digo e percebeu que meu rosto já estava cheio de lágrimas.

– O que houve?! – Hobi perguntou confuso.

– Meu relacionamento não está melhor que o seu. – Digo apontando para a cena que ocorria num banco da praça. Vi o Jungkook aos beijos com uma garota que eu nem fazia ideia quem era, e eles pareciam bem apaixonados. Abaixei minha cabeça já que não aguentava mais ver a cena. – Podemos ir embora agora. – Falo tristemente.

– Não. – O ruivo diz com uma voz rouca e vi ele soltando o cinto com certa brutalidade e saiu do carro as presas chegando aonde o Jungkook estava com a garota. O ruivo o puxou pela camiseta e depositou um soco no rosto dele, deixando o moreno sem reação. Vi o Hobi agora dizendo coisas que eu não conseguia ouvir e depois ele voltou para o carro como se nada tivesse acontecido e aquilo me deixou em choque.

– Hobi. – Ele respirava rápido e me olhou de uma forma meio diferente. – Obrigada.

– Não foi nada pirralha, vamos para nossa casa agora.


Notas Finais


O que acharam amores? Adoro quando comentam ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...