História Falso Positivo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 1.357
Palavras 1.410
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Grávida?!


Mais tarde no domingo eu estava deitada novamente no quarto de Sasuke. Eu estava mais sonolenta do que de costume. Sasuke veio até o quarto e deitou-se ao meu lado.

— Hey dorminhoca. — ele beijou minha têmpora. — Está tudo bem? Eu não queria te magoar, sinto muito por tê-la feito chorar hoje.

— Tudo bem... Eu só estou um pouco sensível.

— Eu sei, mas me perdoa... Vamos começar uma vida juntos e não quero que você tenha mágoas por algo que eu tenha feito. Eu gosto de você, gosto muito, mais do que imaginava.

— E porque só percebeu isso agora?

— Não sei, acho que estava reprimindo esses sentimentos. Eu queria uma liberdade e você queria um namoro e eu não achava que estava preparado pra isso.

— E porque agora esta preparado? Por causa do bebê?

— Não me acho preparado pra ter uma família agora. Mas eu estou pronto para cuidar de você e dele, porque é minha responsabilidade e se eu não gostasse de você, não iria querer formar uma família.

— Eu tenho medo... — falei com os olhos marejados.

— Medo do que?

— De que você me deixe...

— Sakura... Eu não vou te deixar, nunca.

Com cuidado, indaguei:

— Mesmo que eu não tivesse grávida?  

— O que quer dizer com isso?

— Se eu não tivesse grávida, você não iria se casar comigo. — Tentei controlar a preocupação e a irritação.

— Bom, talvez não, mas eu senti sua falta no tempo que estivemos separados. E esse bebê me abriu os olhos. Me fez perceber o quanto você é importante pra mim... — Sasuke segurou uma lágrima dos meus olhos com o polegar.

— Hey, não chore. Vamos ficar juntos minha princesa. — ele sorriu e me afagou.

Eu queria dizer muito mais. Porém não tinha coragem, deveria dizer a verdade, ou tentar ficar grávida? Prometi a mim mesma que se eu não engravidasse essa noite iria desistir desse plano e terminar com Sasuke.

|...|

 

À noite quando Sasuke estava tomando banho peguei as camisinhas que estavam na gaveta e furei com uma agulha – pedi uma agulha para a mãe dele, com a desculpa que meu vestido tinha descosturado. Fiz alguns furos no meio sem abrir a embalagem e fiquei rezando para que passasse despercebido por ele.

Passei o perfume que ele adorava e coloquei uma lingerie preta. E estava preparada. Esperava que por um milagre eu engravidasse nessa noite. Quando Sasuke saiu do banheiro sorriu. Ele não estava vestido, somente com uma toalha na cintura. E quando me viu ele tirou rapidamente a toalha e deitou ao meu lado.

Com meu coração batendo descontroladamente e meu corpo quase tremendo de expectativa, virei-me para que eu pudesse envolver o pescoço dele com os braços. Com um meio sorriso, Sasuke me beijou. No começou foi doce e macio. Então ele abriu os lábios e nossas línguas se encontraram numa dança lenta, porém faminta para dar e receber, exigir e entregar.

 Capturou as pontas sensíveis dos meus seios com as mãos, rolando-as nos dedos, brincando com elas até os espasmos de prazer migrarem dali diretamente para mais embaixo no meu corpo.

Minhas coxas tremeram. Impulsionei os quadris. Um instante depois, ele se inclinou mais e cobriu um seio com a boca, sugando com força, profundamente.

— Huum... — gemi, enredando os dedos em seu cabelo. Erguendo o outro braço, eu o pousei atrás de mim, apoiando-o no ombro forte de Sasuke. Cravei os dedos em sua pele musculosa, apertando e arranhando enquanto ele me dava prazer.

Sasuke reagiu deslizando a mão pelo meu corpo, acariciando sob meus seios e então envolvendo minha cintura, a parte superior do meu quadril. Finalmente ele chegou às coxas e deslizou a mão entre elas, os dedos roçando levemente em meus lábios inchados e doloridos. Arfando de encontro à boca dele, arqueei em sua mão, desejando mais. Ele aquiesceu, encontrando meu clitóris e acariciando-o até eu estar quase chorando por causa da sensação deliciosa. Mantendo o polegar lá para continuar aquele prazer, ele baixou mais os dedos, explorando, brincando.

Quando ele finalmente deslizou um dedo e depois outro para dentro do meu corpo estreito, eu me contraí, cerrei os dentes e cheguei ao clímax tão rapidamente. Tombei meu corpo para trás enquanto tremia com espasmos lentos de prazer cálido que pareciam se prolongar e ampliar, mais e mais, mais intensos do que qualquer orgasmo que eu já havia experimentado. Fiquei confusa, eu nunca tinha chegado a um orgasmo tão rapidamente.

 — Quer continuar? — ele indagou rouco.

— É claro — falei. Eu ainda preciso concluir o meu plano.

Sasuke sorriu e então, ele pegou a camisinha, meu coração começou a bater fortemente. Pensei que fosse enfartar. Sasuke abriu a camisinha, e respirei aliviada quando ele colocou. E então ele puxou a ponta da camisinha e fez uma cara estranha.

— Essa camisinha esta estranha...

— Estranha como? — senti minhas mãos suarem de nervosismo.

— Não sei, está esquisita, diferente... Vou colocar outra — disse e tirou a bendita camisinha. Quase chorei nesse momento. Eu havia furado somente uma camisinha. Merda! Sasuke colocou outra e se preparou para entrar em mim.  Eu estava completamente decepcionada. Eu senti o coração apertado no peito. Mas isso não me impediu de transar. Eu estava com um desejo incontrolável.

Ele resistiu por um momento, longo o suficiente para pousar a boca em meu seio e sugar meu mamilo de volta a um pico de sensações latejantes. Então, com um gemido baixo e impotente, ele agarrou meus quadris e começou a me penetrar devagar. Eu estava completamente úmida e mais excitada do que nunca.

Então, passando os braços em volta do pescoço dele, eu impulsionei o corpo, aceitando-o numa investida profunda que me preencheu até o âmago.

— Sakura? — sussurrou ele, enquanto beijava meu pescoço e continuava as investidas doces e alucinantes que tinha ido de curtas e superficiais a lentas e profundas, depois retornando ao ritmo anterior. — Está tudo bem?

— Ótimo — respondi. Envolvendo minhas pernas firmemente em torno de sua cintura, eu beijei seu rosto, sua têmpora, permitindo que ele nos levasse cada vez mais alto. Tremendo, eu sabia que essa poderia ser a nossa última vez.

Depois novamente, ele recostou-se, mudando o ritmo, roçando contra meus lábios, lentamente, suavemente. Uma bagunça de hormônios e emoções se fundiam em mim, mas Sasuke não pareceu perceber. No ápice do prazer ele me deu um beijo suave e deitou do meu lado.

Cansada fisicamente, exausta emocionalmente e sem ter mais como lutar eu fechei os olhos, sentindo-me derrotada.

 

|... |

 

No dia seguinte me despedi da família de Sasuke. Estava na hora de ir pra casa. Peguei a manhã de folga do meu trabalho para ir ao ginecologista. Enquanto Sasuke iria para o trabalho dele. Sasuke subiu comigo até o apartamento, pois fez questão de levar a mala para mim. Não encontrei Ino no apartamento, pois ela estava trabalhando.

— Vou te ligar mais tarde pra saber como foi no ginecologista — Sasuke disse dando-me um beijo logo em seguida.

— Tudo bem — sorri.

— Não quer mesmo que eu vá com você?

— Ah não precisa. É uma consulta simples, só quero tirar algumas dúvidas... Na próxima você vai — falei, tentando amenizar.

— Ok, até mais. Cuida-se e cuide do nosso bebê. — ele sorriu passando a mão pela minha barriga. Ele estava realmente feliz por ser pai. Nunca havia visto Sasuke tão feliz.

— Vou cuidar...  — falei e percebi que estava na hora de acabar com essa farsa. — Eu te amo — falei. Sabendo que era a última vez que poderia dizer o quanto o amava. Depois que ele soubesse que eu não estava grávida, tudo iria acabar.

— Amo vocês — disse. Duvidava que Sasuke me amasse, mas eu sabia que ele amava esse filho. Ele me beijou e saiu.

 

 Fechei a porta e cai na cama, liguei para minha ginecologista Tsunade que também era uma grande amiga.

— Hey, preciso me consultar hoje — falei.

— Oi querida, estou com a agenda cheia... Pode ser na próxima semana?

— É urgente, estou com problemas hormonais, eu acho. Minha menstruação esta atrasada, me sinto sempre enjoada, tive crise de choro, minhas roupas estão apertadas...

— Você já fez um teste de gravidez?

— Claro e deu negativo... — falei e então Tsunade riu.

— Esses testes de farmácias podem errar. Olha Sakura, eu aposto que você está grávida... Passa aqui mais tarde, vou te dar a guia para fazer um exame de sangue, que é bem mais confiável.

— Ok... Obrigada — quase não consegui falar.

Meu coração palpitava. Será que eu estava realmente grávida e por estar tão obcecada em engravidar não havia percebido? Meu Deus! Eu estava prestes a surtar. 


Notas Finais


Hey pessoal, capitulo curtinho, mas logo mais postarei o próximo.
Eai, será que a Sakura realmente está grávida? veremos rs
Um beijo e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...