História Falta de comunicação - Capítulo 1


Escrita por: e channe

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Cbw, Chanbaek, Chanbaekwishes, Channe
Visualizações 1.568
Palavras 5.815
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Único - Segunda chance, elevador e velhinhos.


 

 

Outro dia cansativo após aprender mais ainda sobre obras literárias e escutar diversas palestras de professores rabugentos, e, como Baekhyun gostava de dizer: “zero expressão facial’’.

 

Não que odiasse a área que cursava, na verdade o garoto de pele clara e cabelos claros amava a faculdade de letras, principalmente quando tinha que vasculhar a biblioteca enorme que continha diversos livros de inúmeros autores; mas o que mais prendia a grande atenção dos olhares curiosos do pequeno Byun eram as páginas amarelas dos livros empoeirados e que sempre se localizavam nos topos das prateleiras.

 

Tudo bem que chegar em seu apartamento, tirar os tênis apertados antes de subir no pequeno degrau, que dava acesso à sala de estar e a cozinha limpa e arrumada, e ir tomar um banho relaxante com a água morna batendo em suas costas era, sim, uma das coisas que Baekhyun amava fazer. Tinha vezes que chegava a pensar em desistir da faculdade só para poder dormir até meio dia, almoçar qualquer horário e voltar a dormir até quando desejasse.

 

No entanto, infelizmente a realidade de Byun era totalmente inversa da que vivia em suas imaginações puras que o acompanhavam desde quando era criança. Começou a morar sozinho na época em que conversou com sua mãe sobre querer mudar de escola, já que sua vida havia se transformado em um verdadeiro inferno por causa de um boato horrível que acabou sendo espalhado pelo seu próprio ex-namorado.

 

Assuntos passados, Baekhyun desejava que apenas o seu presente e futuro apagasse todo o passado turbulento que havia suportado no ensino médio, óbvio que teve momentos maravilhosos que jamais iria se esquecer, como na vez que seu grupo de amigos foi suspenso por uma semana depois de ter botado laxante no café da professora rabugenta de geografia. Ou na vez que acabaram quebrando a janela do ginásio, que ficava a metros do chão, com uma bola de vôlei e tiveram que fazer uma vaquinha para comprar um novo vidro a pedido da diretoria.

 

Deixando um pequeno sorriso nascer em seu rosto, Baekhyun abriu a porta do apartamento, escutando-a bater de leve na parede enquanto seu corpo passava rapidamente para dentro do cômodo, tirando seus calçados rapidamente enquanto se trancava em seu doce e confortável lar novamente.

 

— Finalmente. — murmurou cansado enquanto se jogava no sofá.

 

Seus olhos fecharam-se por alguns instantes, dando-se o luxo de deixar seus músculos relaxarem ao ponto da suas costas começarem a doer por conta de tanta tensão guardada dentro de si. Não era nenhuma novidade, já que o último ano na faculdade sempre é o mais puxado e corrido.

 

Levando uma de suas mãos até o bolso da calça, Baekhyun pegou seu celular, desbloqueando-o apenas com a sua digital, logo entrando no facebook com o intuito de ver alguns vídeos engraçados antes de ir até a cozinha preparar algo para comer enquanto terminava de assistir Riverdale na netflix.

 

Deslizando suavemente suas digitais pela tela do aparelho, Byun arqueou as sobrancelhas ao observar a nova foto que Sehun havia postado na rede social, com a legenda: “finalmente você voltou, irmão”, e ao lado de si estava aquela pessoa que fez com que Baekhyun sofresse por longos anos.

 

Park Chanyeol, seu ex-namorado que havia terminado consigo no dia que estavam fazendo seis meses juntos por achar que estava sendo traído com o Luhan, um de seus amigos, quando na verdade ele apenas estava ajudando Baekhyun a preparar uma surpresa de namoro para o maior.

 

Deixando todo o tipo de mágoa para trás, Byun entrou no perfil de Chanyeol, enviando uma solicitação de amizade com o intuito de tê-lo, como os outros diversos “amigos” adicionados na rede social, como um mero enfeite na sua lista de amizade.

 

Após dar uma leve stalkeada no perfil do ex, deixou seu celular jogado no sofá enquanto ia em direção à cozinha para preparar algo para comer, estava morto de fome e só queria ter crédito para poder pedir uma pizza. No entanto, como não havia saído de casa direito naquele mês – tirando o fato de ter que ir e voltar da faculdade a pé –, a preguiça de sair do apartamento e ir até a farmácia mais próxima também o impedia de botar créditos no celular.

 

Suspirou frustrado ao notar que nos armários havia apenas algumas baboseiras para comer, mas a preguiça de cozinhar algo naquele horário era maior que sua vontade de se alimentar, o que ocasionou em um jovem de meias pretas em contato com o chão gelado do apartamento voltando para o sofá com um saco de salgadinho e um copão de refrigerante bem gelado.

 

Após logar em sua conta na Netflix e ir pegar sua coberta quentinha no quarto, junto com seu travesseiro macio, Baekhyun olhou rapidamente seu celular ao senti-lo vibrar perto do seu corpo, enquanto dava play na série e a tela da televisão ficava em cores vivas.

 

Deixando o pequeno resumo do capítulo anterior rodando, Byun aproveitou o momento para pegar seu aparelho e descobrir quem não parava de lhe mandar mensagem, ao tempo que comia um salgadinho e bebia mais um pouco da sua bebida bem gelada. Baekhyun podia jurar que sentiu seu coração falhar em algumas batidas enquanto arregalava seus olhos ao observar a foto da pessoa no ícone do messenger que havia acabado de lhe mandar uma mensagem.

 

Sussurrou um “puta merda” e jogou seu celular no outro lado do sofá enquanto dava pausa no seriado e deixava sua comida e bebida na mesinha de centro da sala. Olhando novamente para o aparelho eletrônico jogado no meio das almofadas, então voltou a pegá-lo nas mãos, notando que suavam frio.

 

Merda, mil vezes merda, pensou.

 

Já havia se passado um bom tempo e seu ex continuava lhe causando sensações estranhas. Não que já ter chegado na idade “adulta” da vida fizera o pequeno Byun esquecer dos seus sentimentos, principalmente aprender a escondê-los, algo que jamais iria conseguir controlar, já que a metade dos seus “furos” na sua vida amorosa após Chanyeol terminar consigo foram causados devido a essa grande demonstração de puros sentimentos.

 

Respirando fundo enquanto sacudia sua cabeça, Baekhyun criou coragem para apertar no chat de Park Chanyeol, lendo cautelosamente cada mensagem que ele havia lhe mandado.

 

Park Chanyeol:

Ei, Baekhyun!

Quanto tempo, não é?

Topa sair qualquer dia desses? Ir numa lancheria…

Um cineminha talvez, como os velhos tempos, o que você acha?  

 

[Enviada,18:24]

 

Baekhyun sorriu ao ler as mensagens, sentindo suas bochechas queimarem de tanta vergonha que estava sentindo. No entanto, ao se lembrar de tudo que havia passado na escola após Chanyeol ter espalhado boatos sobre si pelos corredores do local, o seu sorriso acabou morrendo na hora, enquanto seu lábio era mordido com força pelos dentes brancos.


 

Byun Baekhyun:

Ei, Park Chanyeol.

Faz muito tempo mesmo, rsrs…

E, sendo sincero, não sei se estou pronto para sair com você, na verdade acho que estamos bem assim, um longe do outro, vivendo sua própria vidinha e ponto.

Não vamos misturar as coisas novamente, certo?

 

[Enviada, 18:27]


 

Tirando um print rapidamente da sua conversa com Chanyeol, resmungando diversos palavreados por ter tido a sua mensagem visualizada na hora, Baekhyun foi até o kakao talk, mandando a imagem do messenger para Luhan, esperando que o amigo olhasse o mais rápido possível a sua caixa de mensagem, já que sabia que ele trabalhava em uma cafeteria após sair da aula de literatura.

 

Haviam se tornado mais próximos após virarem colegas de curso, já que Luhan sempre foi mais próximo de Chanyeol na época escolar. O que não mudou foi que Sehun, o cara esquisitão de medicina, ainda tinha um pé atrás consigo, pois toda a confusão com seu ex-namorado ocorreu por conta do Oh, que supôs que Luhan estava tendo um caso consigo no dia em que completava seis meses de namoro com Park.

 

Decidindo que não estava em um momento bom para se lembrar de tudo que aconteceu no seu passado, Baekhyun voltou a dar atenção para as mensagens de Chanyeol, arregalando os olhos e lendo-as novamente, não acreditando no que estava diante dos seus olhos.

 

Park Chanyeol:

Eu imaginei que você me responderia algo do tipo, Baek.

Mas o que você precisa saber é que eu estou disposto a lhe conquistar novamente, bebê.

E eu vou conseguir!

 

[Enviada, 18:28]

 

Byun Baekhyun:

Se eu fosse você, não colocaria tanta fé nisso aí.

E outra

‘’Ainda não de meu nego

Ainda não me chame de bebê

Porque era assim que você me chamava

E um apelido carinho é mais difícil de esquecer.’’

 

[Enviada, 18:34]

 

Park Chanyeol:

É o que veremos então, Byun Baekhyun.

E aliás, eu chamo, sim, pois se é difícil de esquecer, é mais fácil de te convencer.

 

[Enviada, 18:35]


 

Sorrindo abertamente com a mensagem que havia acabado de receber, Baekhyun levantou-se para ir tomar um banho e botar sua cabeça no lugar, já que estava nítido que se Chanyeol continuasse daquele jeito, não daria nem ao menos um mês para estar totalmente entregue nas mãos do maior.

 

Porém, com toda a certeza, a meta era: não se deixar levar pelas palavras de Park Chanyeol.

 

E Baekhyun esperava muito conseguir vencer essa fase.


 

[...]


 

— Puta merda, Baekhyun! — Luhan ditou alto, rindo logo em seguida.

 

— Cara, é sério, eu não sei o que fazer. — o menor murmurou frustrado, sentando de modo “desleixado” na cadeira. — E outra, posso saber o que o senhor estava fazendo ontem pra não aparecer no Kakao? Eu fiquei toda a noite te esperando e nada! — Byun perguntou, encarando o amigo com uma mistura de malícia e indignação.

 

— Não é sempre que o Sehun pode me buscar no trabalho e fazer minha noite ficar boa, não é mesmo? — Luhan comentou. — Eu estava com saudades dele. — finalizou sua resposta enquanto guardava seu celular após dar mais uma olhada no print que seu amigo havia lhe mandado no dia anterior. — Mas então, o que vai fazer em questão do Chanyeol?

 

— Eu não sei ainda. — respondeu confuso. — Ele ainda causa efeito em mim, sabe? Acho que nunca consegui superar de fato… Óbvio que tem o Jongdae, mas ele só foi um casinho que não deu em nada no final. — Baekhyun observou seu amigo concordar com a cabeça. — Enfim, eu não sei. — riu sem achar graça da sua resposta, dando de ombros e observando o quadro cheio de matéria que o professor havia passado antes do intervalo ser anunciado pelo sinal da universidade.

 

— Bom, o Chanyeol mudou… Você também… E ele parece estar a fim de te ter de volta, não acha que pode haver uma segunda chance? — Luhan arqueou as sobrancelhas enquanto olhava nos olhos do amigo.

 

— O problema foi ele ter espalhado aquilo pra escola inteirinha, Lu… Eu fui chamado de muita coisa, você lembra, não é? Isso ainda me machuca muito, lembrar disso no caso, mas não vem em conta, pois nem ao menos um pedido de desculpas eu recebi, entende? — o amigo concordou, arrumando sua postura para apoiar sua mão no ombro de Baekhyun.

 

— Olha, Baek… Eu sou pelo lado de que se a pessoa falha com você, ela merece ao menos uma segunda chance, porque o primeiro passo falso serviu como um ensinamento, entende? O Chanyeol não teve chance de se desculpar com você, já que foi embora sem ao menos avisar seus amigos. — Luhan ditou calmo, sorrindo fraco para o outro.

 

— Você sabe que se eu ficar arruinado novamente, quem vai me suportar será você, não é? — Byun perguntou, logo se sobressaltando ao sentir seu celular vibrar em seu bolso. Pegou-o e viu quem havia lhe enviado mensagem naquele horário. — E falando no dito cujo, olha quem acabou de me chamar.  — curvou-se um pouco para o lado, dando a visão da tela do seu celular para seu amigo.

 

Park Chanyeol:

Bom dia, Baek!

Dormiu bem?

 

[Enviada, 09:17]

 

 

— Ah que bonitinho, Bae! — Luhan comentou ao ler a mensagem. — Ei, o Sehun me convidou pra ir na casa dele amanhã de noite pra comemorar a volta do Chanyeol pra cá, e aí eles vão pedir pizza, quer ir junto comigo?

 

— Ainda não estou pronto pra ver ele, ok? — Baekhyun respondeu rapidamente, logo movendo seus dedos pelo teclado do celular.


 

Byun Baekhyun:

Bom dia, Park Chanyeol.

Dormi otimamente bem, e você?

 

[Enviada, 09:20]


 

— Certo... — Luhan respondeu baixinho. — E lá vamos nós. — revirou os olhos ao notar os alunos entrarem, que nem formigas em um formigueiro, para a sala e no final o professor ranzinza de letras.


 

Park Chanyeol:

Não tem como não dormir bem sonhando com você, não é?

O que vai fazer hoje à noite? Quer ir na casa do Sehun? Vamos pedir uma pizza pra comemorar a minha volta.

 

[Enviada, 09:20]

 

Baekhyun olhou rapidamente para a mensagem de Chanyeol, visualizando-a sem querer. Resmungou um pequeno palavreado, se curvando um pouco para esconder o celular e responder rapidamente o garoto.

 

Byun Baekhyun:

Não quero.

Tô em aula, não posso conversar agora.

Mais tarde nos falamos, tchau.

 

[Enviada, 09:21]


 

[...]


 

Park Chanyeol:

Baekhyun, você está em perigo!

 

[Enviada, 15:30]


 

Baekhyun revirou os olhos ao ler a mensagem de Chanyeol. Já estava quase fechando dois meses desde que havia escutado Luhan com suas palavras de amigo aconselhador, lhe dizendo que todo mundo merecia uma segunda chance na vida, então porque não dar uma para o seu ex?

 

Desde aquele dia, havia começado a se aproximar do maior, no entanto, estava ficando cada vez mais difícil despistá-lo com inúmeras desculpas para não vê-lo pessoalmente, tentando esconder a verdade de todo mundo, mesmo sabendo que Luhan já havia notado a mudança de comportamento do menor.

 

Byun Baekhyun:

Como assim? Por quê?

 

[Enviada, 15:31]

Park Chanyeol:

É que você com essas curvas ai..

E eu sem freio…

Tendeu né?!

 

[Enviada, 15:31]

 

Olhando seriamente para a tela do seu celular após ler mais uma das inúmeras cantadas de Chanyeol sendo direcionadas para si, Byun Baekhyun largou o aparelho em sua cama e afundou o rosto no travesseiro, fechando os olhos com forças e pensando no porquê de ter ido na onda de Luhan.

 

Droga, os sentimentos estavam ali novamente… Na verdade, o garoto de pele clara sempre soube que eles estavam morando em si ainda, porém estavam apenas apagados, na espera do seu amor voltar e lhe aquecer por inteiro novamente.

 

Mas droga! Baekhyun ainda não estava pronto para aceitar Chanyeol em sua vida novamente, quer dizer, ele nem ao certo conseguia entender, já que Luhan lhe perguntava sempre o que faria se Park pedisse para voltar.

 

Bom, talvez iria dizer um não… Ou um sim….Ou com certeza um sim.

 

Não sabia, e se sabia, não ficou sabendo. Mas de uma coisa o loiro tinha convicção, já estava na hora de parar de enrolar e assumir que estava começando a sentir algo por Park Chanyeol novamente.

 

Voltando a encarar o teto do seu quarto, o jovem pegou seu celular em mãos, abrindo um sorriso ao ler as novas mensagens que o outro havia lhe mandado.

 

Park Chanyeol:

Ei, me responda, Baek!

Foi tão ruim essa?

Achei que a do padeiro tinha sido pior…

Baeek, me respondeeeeeee

Já se passou um minuto

Você não demora tanto pra responder assim…

 

[Enviada, 15:32]

 

Park Chanyeol:

Tá falando com quem pra não estar me dando atenção, hein?

Será que eu tenho concorrência?

Baeeeeeeeeeeeeeeeek

…………

 

[Enviada, 15:33]

 

Byun Baekhyun:

Cacete Chanyeol, meu celular vai travar assim, pelamor de Deus!

Eu só estava pensando em algumas coisas aqui…

Aliás, e se você tiver concorrência?

Eu não sou nada seu mesmo.

 

[Enviada, 15:33]



 

Park Chanyeol:

Você não deveria me provocar assim…

Sabe, se eu tiver concorrência mesmo, quero que saiba que não vou desistir de você por nada.

Baekhyun, você ainda voltará a ser meu, escreve o que eu tô dizendo…

Aqueles sentimentos nunca foram embora e eu sinto que com você é a mesma coisa.

Eu quero muito te ver pessoalmente….

Podemos sair amanhã?

 

[Enviada, 15:33]

 

O sorriso que Baekhyun abriu ao ler as mensagens que havia acabado de ler já fazia um bom tempo que não aparecia mais. Sentia seu coração, corpo, alma, mente e sentimentos quentes, estava tudo pegando fogo em si.

 

Park Chanyeol sempre foi o fogo de Byun Baekhyun, assim como Byun Baekhyun sempre foi a luz de Park Chanyeol.

 

A vontade de sair com o maior acabou se fazendo presente, no entanto já havia marcado de se encontrar com Luhan no sábado e, como sempre desmarca por pura preguiça de se arrumar, dessa vez seu amigo havia enfatizado que não tinha escapatórias para sair consigo.

 

Byun Baekhyun:
Ah… Eu não posso amanhã, Chan…

Eu vou sair com o Luhan….

 

[Enviada, 15:34]

 

O azulzinho demonstrava que a mensagem havia sido visualizada na hora, no entanto, o coração de Baekhyun começou a bater fortemente em seu peito ao notar que não aparecia a foto de Chanyeol enquanto ele digitava.

 

Byun Baekhyun:

Chan?

 

[Enviada, 15:35]

 

Novamente o azul demonstrava que a mensagem havia sido lida naquele exato momento. Byun pôde sentir que Chanyeol não estava mais o mesmo, havia acontecido algo, mas o quê? O que teria falado para o jovem ter ficado daquele jeito? Será que havia acontecido algo? Talvez ele tivesse ido ao banheiro e deixado o bate-papo aberto, certo?

 

Baekhyun não sabia, mas seu coração batia tão forte que um sentimento desconfortável veio à tona.

 

Park Chanyeol:

Oi.

 

[Enviada, 15:37]

Byun Baekhyun:

O que houve, Chan?

Por que você tá assim?

Eu falei algo? Você está bem?

Não me deixe preocupado…

 

[Enviada, 15:37]

 

Digitando rapidamente, Baekhyun bloqueou a tela do celular e o encostou no seu peito, fechando os olhos e respirando profundamente, voltando a encarar o teto do seu quarto ao sentir o celular vibrar fortemente diversas vezes.

 

Não queria e nem podia assumir para si mesmo que estava gostando novamente do seu ex, sentia que seu orgulho iria ficar tão ferido que sua felicidade se tornaria escassa rapidamente.

 

Mas o que podia fazer para controlar o sentimento que estava voltando a nutrir pelo mais velho? Sabia que não havia controle e que apenas precisava de um pouco mais de tempo para aceitar que estava se apaixonando novamente por Park Chanyeol.

 

Ao notar a ausência da vibração do celular, Baekhyun desbloqueou a tela rapidamente, clicando no ícone do Chanyeol no messenger, abrindo depressa sua conversa com o garoto. Arqueava as sobrancelhas e arregalava os olhos a cada frase nova que lia.

 

Park Chanyeol:

Não… Na verdade, eu não sei de mais nada, Baek

Tipo, você teve mesmo um caso com o Luhan?

Caralho, vocês dois estão sempre juntos, sério…

E, tipo, pra que sair com ele se vocês estudam na mesma universidade? Na mesma sala?

Porra Baek, se você tem algo com ele, me fala logo, caramba.

Não fica me iludindo assim

Você acha que eu tenho um diploma de trouxa, é?

Que mané diploma, já tô fazendo um livro.

Caramba Baekhyun, é tão difícil de acreditar que eu ainda gosto de você?

Sabe como eu fiquei depois de descobrir que aquilo que o Sehun havia falado pra mim era mentira dois meses depois? Me senti um monstro, agi sem pensar, sei que acabei destruindo sua vida naquela escola, que te machuquei…

Eu tentei entrar em contato com você, mas até de número você mudou…. Sua mãe não quis me dar seu endereço novo, nem ao menos o Luhan… Eu sei que sou um merda, mas pelo menos eu sou um merda tentando concertar as coisas e me desculpar, sacou?

 

[Enviada, 15:42]

 

Byun Baekhyun:

Chanyeol, na boa, vai a merda.

Eu nunca te trai, ok?

E sabe o que mais me machucou mesmo?

Você ter acreditado mais na porcaria do Sehun do que em mim!

E é por isso que eu não aceito estar voltando a gostar de você

A pensar em você desde a hora que eu acordo e até mesmo nos meus sonhos.

Minha mágoa ainda existe, sim, principalmente ao me lembrar de tudo que você fez comigo sem ao menos acreditar na minha versão até vir outra pessoa e confirmar ela.

Em um relacionamento também precisa haver confiança, Chanyeol. E eu tinha em você, cegamente…. Já você sobre mim….

 

[Enviada, 15:46]

 

Park Chanyeol:

Por que você tem que ser tão complicado, hein?

Tá mais difícil que os quebras cabeças da barbie de mais de 150 peças.

 

[Enviada, 15:47]

 

Byun Baekhyun:

É sério que você tá levando isso tudo na brincadeira?

Park Chanyeol, você não mudou nada.

….

 

[Enviada, 15:48]

 

Park Chanyeol:

Não é levar na brincadeira, Baek…

É só que…

Na boa, você quer saber a verdade?

Desde sempre eu fui inseguro em relação a você, Byun.

Por que diabos você, um garoto bonito, inteligente e divertido, teria algum interesse em mim?

Eu sempre me senti, na verdade ainda me sinto, insuficiente.

Sempre parecia que algo faltava em mim, entende? Pra ser suficiente, no caso…

Todo mundo te olhava quando você passava pelos corredores, eu podia escutar os pensamentos impuros das pessoas em nossa volta.

Porra Baekhyun, eu amo você ainda, é tão difícil de notar isso?

Você foi embora.

Eu também.

Mas meu sentimento por você não conseguiu me abandonar depois de tudo que aconteceu...

Eu fui um babaca, sim, na verdade eu sou um babaca pelo simples motivo de ter suspeitado de você novamente com o Luhan.

Caramba, como eu sou um babaca.

Mas eu estou tentando, de verdade mesmo, te conquistar novamente, até alguns minutos atrás eu acreditava que conseguiria meu pequeno de volta…

Desculpa, Baekhyun, eu não queria isso, na verdade nunca quis, eu só fui um idiota perante você e estava tentando mostrar que eu havia mudado, mas…

 

[Enviada, 15:54]


 

 

Com os olhos cheios de lágrimas, Baekhyun leu as mensagens de Chanyeol diversas vezes, sentindo seu corpo inteiro travar, assim como seu coração que falhava em algumas batidas. Era aquilo novamente fazendo moradia em seu coração, em seu sangue parecia bombear o sentimento tão insano que ele desejava só esconder dentro de uma caixinha bem lacrada.

 

Droga, estava amando, e odiava admitir isso para si mesmo, principalmente quando se tratava de Park Chanyeol.

 

Olhando novamente para a tela do celular, o menor optou apenas por bloquear o aparelho e ir tomar um banho. Queria chorar, tirar toda sua mágoa do peito e perdoar Chanyeol de alma e coração. Recomeçar era seu maior desejo e queria pelo menos voltar a ser feliz ao lado de Park.


 

[...]


 

— E o que você respondeu? — Luhan perguntou com uma mistura de animação e curiosidade ao escutar o que havia ocorrido com seus amigos no dia anterior.

 

— Ahn… Nada? — Baekhyun ditou baixinho, encolhendo os ombros ao observar seu amigo arregalar os olhos e dar um pulo do sofá.

 

— Como assim nada, Baekhyun? — o loiro revirou os olhos. — Puta merda, viu? Eu não sei quem é o mais idiota, ele por suspeitar da gente ou você por não assumir seus sentimentos!

 

— Não é uma coisa fácil, Lu… Eu já me machuquei muito quando o assunto se tratava de Park Chanyeol. — o menor rebateu, enquanto seu amigo se sentava ao seu lado.

 

— Baek, me escuta… Eu sei que ele foi um babaca, pelo que você me disse até mesmo ele assumiu… Você deveria também assumir pra ele que o ama ainda. — Luhan falou confortavelmente, sorrindo fraco para o menor. — Ele pediu desculpas, quer recomeçar e eu sei que você também quer!

 

— Eu… — Baekhyun suspirou ao notar que o garoto em sua frente estava certo. — Droga, Luhan! — ditou enquanto pegava o celular em seu bolso, digitando rapidamente. — Eu vou resolver isso. — concentrou-se por alguns minutos no aparelho, logo virando-o para o amigo e lhe revelando o que havia acabado de fazer.

 

Byun Baekhyun:

Certo, minha vez então…

Eu quero deixar nosso passado para trás, ok? Na verdade, deixar tudo pra trás.

Não quero mais me lembrar do que eu passei, do que senti de ruim e do quanto eu chorei naquela época.

Mas tem uma única coisa que eu não quero que fique na sombra do meu passado… E essa coisa é você, Chanyeol.

Sim, eu também sinto algo por você ainda, tão forte que chega a vencer o meu orgulho, coisa que eu sei que você sabe que é algo quase impossível de acontecer.

Vamos sair no próximo sábado, pode ser? Acho que podemos recomeçar do zero juntos.

 

[Enviada, 20:46]

 

— Caramba… — Luhan sussurrou enquanto sorria. — Finalmente o casalzão da porra vai estar de volta! — ditou animado, puxando o amigo pra um abraço apertado enquanto deixava um selar nos fios loiros. — Eu estou muito feliz e orgulhoso por você, Bae!

 

— Obrigado por estar comigo desde sempre, Lu. — Baekhyun falou baixinho ao tempo que deixava seu rosto descansar no peitoral de Luhan. — Você é como um irmão pra mim, sabe, né?

 

— Ah não, Baek, pelamor de Deus, não começa com esse mel todo pois eu só sou uma abelha, não uma família inteira. — Luhan resmungou enquanto se afastava do menor. — Agora vamos fazer nossa maratona de filmes do Harry Potter, pois eu não quero ter que aguentar você falando do Chanyeol a noite toda.

 

Baekhyun e Luhan riram alto enquanto trocavam almofadadas pela sala até o maior dentre os dois ir até a cozinha e preparar a comida, enquanto Byun selecionava os filmes e pegava algumas cobertas em seu quarto para levar até a sala.

 

Podia sentir seu coração saltando de felicidade. Já fazia tempo que não sentia algo assim e podia pressentir que dali em diante as coisas só iriam melhorar para si.

 

Bom, era isso que Baekhyun esperava.

 

[...]

 

Sentindo seu coração saltar pela boca, o Loiro sentou-se de modo confortável na cadeira macia da cafeteria, pedindo apenas um café quentinho para a garçonete que veio lhe atender toda sorridente naquela manhã.

 

Esfregando suas mãos umas nas outras e assoprando-as, Baekhyun encarou o pequeno movimento da cidade pela janela de madeira do local, sorrindo fraco ao observar uma mãe carregar uma menininha de cabelinhos claros no colo, enquanto ela lhe olhava com os olhos curiosos e deixava um sorriso fofo nascer nos lábios no momento que o jovem acenou e sorriu abertamente para si.

 

Continuaria na troca fofa de olhares com a criança se o sininho da cafeteria não tivesse tocado, anunciando a chegada de mais uma pessoa no ambiente. Byun pôde sentir seu coração saltar mais ainda dentro de seu peito ao encarar a pessoa que caminhava em sua direção.

 

Os cabelos escuros como a noite, a pele clara como um papel, a boca vermelha que lembrava claramente um morango e os olhos redondinhos; ainda continuava tudo o mesmo. Park Chanyeol estava conservado, pensou Baekhyun ao analisar o rosto do maior enquanto ele se aproximava mais e mais.

 

— Estou atrasado? — a voz grossa ecoou pelo local, adentrando os ouvidos do Loiro e fazendo-o congelar por alguns segundos, logo balançando a cabeça levemente e sorrindo pequeno enquanto o recém chegado sentava-se na cadeira a sua frente.

 

— Não faz muito que eu cheguei, apenas pedi um café pra moça que está vindo nesse instante lhe atender enquanto traz minha xícara. — Baekhyun ditou calmamente no intuito de esconder seu nervosismo, engolindo seco ao ter o olhar brilhante de Chanyeol junto ao seu.

 

Mesmo querendo, o menor não conseguia desviar a visão. Deixou seu peito encher-se de ar para soltar tudo lentamente, em um pequeno suspiro apaixonado e cheio de saudade. Chanyeol não ficou para trás e sorriu fraco ao notar que o seu pequeno ainda continuava o mesmo, na verdade podia jurar que não havia mudado seus traços desde a época escolar de ambos.

 

— Ahn… — A garçonete limpou sua garganta fortemente, fazendo os jovens desligarem seu contato e prestar a atenção em si, sorrindo tímida ao tê-los lhe reparando. — Acho que não me escutaram na primeira vez, mas enfim… Aqui está o seu café, Sr. Byun. — pegou seu pequeno bloco de notinhas e a caneta que ficava presa no bolso do avental. — Deseja algo? — direcionou-se para Park.

 

— Apenas um cappuccino, por favor. — ditou simplista, sorrindo fraco em forma de agradecimento antes da moça dar as costas e voltar para a parte de trás do balcão.

 

— Veio de carro? — Baekhyun perguntou antes de tomar um pequeno gole do seu café, sentindo o quente do líquido escorrer por sua garganta.

 

— Sim, ganhei um da minha mãe quando entrei na faculdade. — Chanyeol sorriu. — Mas por que a pergunta? Isso é um modo de tentar puxar assunto comigo? — perguntou curioso, deixando suas mãos unidas em cima da mesa e curvando seu corpo um pouco para frente.

 

— Na verdade eu apenas notei que você não chegou tremendo que nem eu, então apenas joguei verde e colhi maduro. — o menor deu de ombros, arqueando as sobrancelhas para Park.

 

— Hum, então quer dizer que você me observou cuidadosamente, não é mesmo? — Chanyeol também arqueou as sobrancelhas, rindo ao notar as bochechas de Baekhyun atingirem uma coloração avermelhada. — Olha só, ele está com vergonha por ter sido pego no flagra.

 

— Cale a boca, Chanyeol. — o menor resmungou envergonhado, escondendo boa parte do seu rosto com a xícara de café.  — Você não mudou nada mesmo. — ditou como se estivesse com raiva, observando a imagem de Chanyeol pela fumaça que subia do café.

 

Ele continua lindo como sempre, pensou Baekhyun.

 

— Mudar eu mudei, mas meus sentimentos por você ainda continuam os mesmos. — respondeu sério, só sorrindo ao observar o outro abaixar a xícara e revelar a pequena curvatura que jazia em seus lábios depois de ter congelado por alguns segundos.

 

Ele continua o mesmo garoto tímido, pensou Chanyeol.

 

— Rídiculo. — o loiro sussurrou bobo. — Obrigado por ter aceitado vir aqui hoje. — Baekhyun falou após largar a xícara em cima do pratinho branco.

 

— Não precisa agradecer. — Park foi interrompido pela garçonete que apenas largou o pedido do jovem na mesa e foi rapidamente atender os novos clientes que entravam na cafeteria. — Eu já estava esperando esse momento há tempos mesmo. — murmurou antes de tomar um gole do cappuccino, sentindo o ardente percorrer sua garganta.

 

— Hum, e por quê? — Baekhyun perguntou enquanto encarava o rosto de Chanyeol, deixando-se vagar alguns instantes por ali.

 

— Porque eu quero pedir mais uma chance, Baek. — Park revelou, deixando a xícara pousada na mesa e interligando seu olhar ao do menor novamente. — Eu ainda sinto, sabe? Aquele amor por você, ele nunca morreu. — sorriu. — E eu sei que com você é a mesma coisa, não precisa esconder de mim, eu te conheço. — respirou fundo. — Então, quer namorar comigo?

 

— Acho que por você me conhecer, não preciso gastar minhas palavras com o intuito de tentar te enganar. — Baekhyun falou simplista. — Mas não, precisamos de calma, e espero que entenda o porquê de não voltarmos oficialmente do dia pra noite, certo? Vamos apenas ir devagar, nos conhecendo novamente, sabe?

 

— Hum, eu gostei da ideia. — Chanyeol sorriu. — Que tal começarmos com um cinema depois desse café? — perguntou animado, sorrindo mais ainda ao notar os olhos de Baekhyun brilharem.

 

— Eu topo! — riram cúmplices para então tomarem mais um pouco de suas bebidas. — Hm, mas conte o que tem feito esse tempo por aqui...

 

— Bom, eu estou em um clube de futebol, estão querendo me contratar por agora e me parece uma ótima ideia seguir esse caminho. Estou gostando e...


 

[...]


 

— Você é ridículo! — Baekhyun gritou enquanto corria pela casa. — Para! — falou desesperadamente em meio à risada alta.

 

— Volta aqui, sua peste. — o maior ditou bravo, correndo atrás de Byun com apenas uma toalha enrolada na cintura.

 

— Eu não mandei você esquecer sua roupa no meu quarto. — defendeu-se enquanto corria em volta do sofá.

 

— Precisava jogar elas pela janela, Baekhyun? — Chanyeol rebateu, parando de correr e encarando o rosto divertido do namorado com certa raiva. — Tá ligado que você vai buscar minhas roupas, né? — falou ao tempo que o menor aproximava-se de si, abaixando um pouco sua cabeça para encarar os olhos brilhantes e as bochechas vermelhas.

 

— Acho que podemos fazer algo mais divertido que isso. — murmurou enquanto deslizava suas mãos pelo peitoral e abdômen de Park, empurrando-o alguns passos para trás antes de puxá-lo para um beijo.

 

Chanyeol deixou suas mãos pousarem na cintura de Baekhyun, apertando o local com força e sorrindo ao escutar um pequeno arfar do namorado. Seu cabelo era puxado com certa força e suas costas batiam-se na porta de entrada do apartamento.

 

Os lábios e as línguas deslizavam-se suavemente e com certa pressa, enquanto Park sentia seu membro roçar com o do namorado, que não parava de lhe provocar movimentando a pélvis para frente e para trás, para um lado e para o outro. Ocasionando prazer para ambos, que separaram seus lábios assim que o ar começou a faltar em seus pulmões.

 

— Que tal irmos para o quarto? — Chanyeol perguntou, deixando um selar nos lábios fartos de Baekhyun e observando-o sorrir maliciosamente.

 

Ah, como ele amava aquele baixinho.

 

— Eu tenho uma ideia muito melhor. — ditou enquanto afastava o corpo mais alto da porta e a abria rapidamente, logo empurrando o namorado para fora do apartamento e fechando a passagem, trancando-a assim encarou o rosto surpreso de Park.

 

— Puta que pariu Baekhyun, abre essa porta! — Chanyeol batia fortemente na porta com uma de suas mãos ao tempo que a outra segurava a toalha em sua cintura.

 

— Vou abrir, sim, mas só quando você chegar com suas roupas. — Baekhyun falou se engasgando com a própria risada que chegava a ser muda de tanta graça que estava achando do momento.

 

— Baekhyun, eu tô de pau duro no meio do corredor, qualquer morador aqui desse prédio vai conseguir me ver assim, e de toalha ainda por cima. — Park rebateu enquanto continuava batendo na porta e tentando abri-la.

 

— Para de resmungar, sinta-se feliz que eu te deixei com toalha, imagina só você de pau duro e totalmente nu! — Byun riu mais ainda ao imaginar a cena.

 

— Cara, quando eu voltar, você vai ser um garoto morto. — Chanyeol resmungou antes de dar um último soco na porta.

 

— Também te amo. — Baekhyun gritou ao escutar os passos do namorado.

 

— Merda. — Chanyeol murmurou irritado ao apertar o botão do elevador com força, arregalando os olhos ao dar de cara com a velhinha e o velhinho do apartamento de cima. — Baekhyun, você é um homem morto. — sussurrou ao entrar no espaço e ser olhado de cima a baixo pelos idosos.

 

— Bom, pelo menos você está de toalha. — o homem ditou enquanto ria após notar a ereção de Chanyeol, fazendo com que o jovem arregalasse os olhos e botasse as mãos na frente do seu pau.

 

Enquanto Chanyeol planejava sua vingança ao sair rapidamente do elevador, Baekhyun ainda permanecia com um sorriso enorme nos lábios. Já estava perto do ano acabar e logo iria fazer três meses desde que seu relacionamento havia voltado.

 

Sentia que dessa vez teria um futuro bem grande e longo ao lado de Park Chanyeol, porém, nada disso lhe deixava desanimado.

 

Já que incomodar o mais velho com suas trollagens, seus pedidos insistentes de carinho e com seu orgulho irritante valia muito a pena, principalmente quando tudo isso não conseguia vencer o amor de ambos.

 

Pois Chanyeol sempre foi e será o fogo de Baekhyun, assim como Baekhyun sempre será a luz de Chanyeol.

 

 

 


Notas Finais


Pq uma fanfic sem comédia não é uma fanfic da channe, né amores? KKKKKK ai gente, eu espero que não tenha decepcionado vocês, sérioo… É minha primeira fanfic aqui e eu estou muito, mas muito mesmooooooo, nervosa <///3

Espero que tenham gostado <3

Bjux da channe~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...