História Faltava Você - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Tom Holland
Personagens Personagens Originais, Tom Holland
Tags Celebridade, Cinema, Homem Aranha, Musica, Romance, Tom Holland, Vingadores
Visualizações 33
Palavras 4.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Minha garota


Ayla


     Eu estou tão cheia de trabalho que não consigo tempo nem para respirar. De última horas eles resolveram filmar as cenas em que o Peter fica preso em um cofre e agora estávamos arrumando os cabos que prenderiam Tom.
     Além da correria do trabalho, minha cabeça também não parava um minuto, até agora Tom não me deu nem um simples oi, tenho quase certeza que ele não gostou do beijo, meu deus, será que estraguei nossa amizade?
     Tento afastar esses pensamentos da minha mente, mas toda vez que eu o via eles voltavam com força.
     Finalmente após muito trabalho, meu chefe me liberou para descansar. Vou para o vestiário para trocar de roupa, iria comprar alguma coisa na rua. Quando fico pronta e já estou para sair, escuto duas batidas na porta e uma voz abafada falando.

- Ayla, está aí?

     Reconheço a voz de Tom pelo sotaque e quando abro a porta me deparo com ele vestindo o uniforme do Homem-Aranha junto com um casaco amarelo, ele estava com um sorriso bobo no rosto e estava com as mãos escondidas atrás das costas.

- O que você está escondendo aí? - pergunto curiosa.

     Ele então passa as mãos para a frente e elas seguram um enorme buquê com rosas azuis e vermelhas, as cores do Homem-Aranha.

- Gostaria de saber se você aceita jantar comigo está noite. - ele diz me entregando as rosas, logo passando a mão pelo pescoço em um gesto envergonhado e me lançando um sorriso tímido.

- Eu adoraria. - respondo.

- Sério? Bom, então eu te pego às 20h.

- Está marcado. - ficamos nos encarando e sorrindo feito bobos um para o outro.

- Ah é, eu ainda tenho que trabalhar. - ele aponta para o uniforme - Te vejo depois.

- Até.

     Nos despedimos e ele volta correndo para o local de gravação. Olho para as rosas e elas são lindas, mas não poderia deixa-las aqui, então depois de um tempo pensando vejo que é melhor eu ir rápido até o trailer, deixar as flores lá e ir comer.
     Pego minha mochila e saio do estúdio, vejo que há um grande número de jornalistas e câmeras aguardando na entrada.

"Devem estar querendo saber alguma novidade do filme" penso, então vou caminhando em direção ao meu trailer, só não esperava que todo aquele tumulto de gente viessem atrás de mim.

- Ayla, um minuto para uma rápida entrevista. - falou uma mulher.

- Ayla, como se sente pelo fato que se tornou famosa da noite para o dia? - perguntou um homem já jogando um gravador na minha cara.

- É difícil namorar um ator da Marvel? - pergunta outra pessoa que nem vi quem era.

- Ei, calma aí. - respondo - Se organizar as perguntas direitinho todo mundo saí feliz. Você. - aponto para a mulher que havia falado primeiro.

- Com a recente fama causada pela sua proximidade com Tom Holland, como você se sente? - ela me aponta um gravador e vejo que todos presentes também apontavam gravadores ou microfones, todos aguardando minha resposta.

- Bem, admito que eu queria ser reconhecida pela minha música e não por ter saído uma noite com o Tom. - respondo com sinceridade.

- Vocês dois estão namorando? - pergunta outra pessoa.

- Não, não estamos.

- Mas vocês foram vistos se beijando na noite de ontem.

- Hm... bom, é complicado.

- E essas flores são presente de quem? - o homem pergunta.

- Do Tom. - respondo com um sorriso nos lábios e só depois percebo a burrada

- Então acredita que ele está apaixonado por você?

- Apaixonado? Moço, são só flores, não um pedido de casamento.

- Sabia que estão comentando que sua vida parece um filme romântico de Hollywood? - pergunta o homem.

- Essa é nova, mas espero que não seja um romance que termine em tragédia. - todos ao redor riem.

     Eles fazem mais uma série de perguntas e eu respondo todas, mas eu respondo todas com sinceridade e sempre deixando claro que Tom não tinha nada comigo além de amizade. Quando eles se dão por vencidos, se despedem e vão indo embora.

- Muito obrigada por responder as perguntas. - fala a mulher - É difícil conseguir alguém que fale conosco.

- Sem querer ser rude, mas deve ser porquê vocês são bem invasivos às vezes e alguns distorcem as coisas que os artistas falam.

- Acredite, a maioria não faz isso porquê quer e sim porque é obrigada para que a matéria fique mais interessante do que do site vizinho. - ela fala com um sorriso triste.

- Não tinha pensado nisso. - digo - Bom, tenho que ir, já passou mais da metade do meu intervalo.

     Me despeço dela e corro até meu trailer. Quando chego lá, coloco as flores em cima da mesa e já saio, havia uma barraca de cachorro quente há algumas quadras e fui até lá, não era o melhor almoço, mas teria que ser o suficiente.
     Logo após esse almoço maravilhoso eu volto aos estúdios e começo a trabalhar.

- As filmagens aqui terminam hoje. - Bruce se aproxima de mim.

- Não me falaram nada. - digo - Acho que hoje é meu último dia de trabalho, Grandão.

     Faço um biquinho extremamente exagerado para mostrar tristeza e ele ri.

- Ou talvez não, graças a você o filme está tendo mais visibilidade ainda.

- Graças a mim não, graças ao fato que estão comentando sobre como Tom Holland se apaixonou por uma funcionária que canta nas horas vagas.

- Bem, de qualquer forma, que tal encerrar o último dia em grande estilo? - ele saí da minha frente e atrás dele estava três caixas de som e dois microfones.

- É serio? Eu achei que o Jon estava brincando!

- Acho que até ele quer saber se é verdade que você canta.

- Bom, então vou ter que mostrar para ele.




Tom


     Finalmente as filmagens do dia haviam terminado. Caminho até o camarim junto com Jake e Has.

- Então hoje a noite hein. - implica Has.

- Não começa. - digo.

- Vai continuar negando, Tom? - pergunta Jake - Somos seus amigos, não precisa pagar de durão na nossa frente.

- É só que eu não quero parecer super animado e descobrir depois que ela não sente a mesma coisa por mim. - respondo com sinceridade. Entro no camarim e já começo a tirar o traje do Homem-Aranha com a ajuda de Has.

- Se ela não sentisse o mesmo, não teria lhe beijado. - continua Jake.

- Mas e se ela fez aquilo só porque o momento pedia?

- THOMAS! - grita Has - A garota gosta de você e agora você tem a obrigação de fazer dessa noite, uma noite especial.

Terminamos de tirar nossos figurinos e a maquiagem.

- Não esqueçam que o Jon pediu para a Ayla cantar depois das gravações de hoje. - fala Jake de repente.

- Será que ela já começou? - pergunto já me retirando do camarim.

- Acho que sim. - responde.

- Então vamos.

     Saímos e fomos perguntar para um segurança onde estava acontecendo o show improvisado, assim que ele nos informou fomos a passos rápidos até o local. Quando chegamos ainda não tinha começado, algumas pessoas puxaram umas cadeiras e estavam sentadas em frente ao palco improvisado.
     Grande parte do elenco já estava lá também, Zendaya nos chama para nos sentarmos ao seu lado que tinha cadeiras vagas.

- Achei que não viriam. - ela fala.

- O Tom não perderia isso por nada. - Has diz, mas quando vou responde-lo a batida da música começa a tocar.

     Olho para o palco mas não a vejo, mas então sua voz surge atrás de nós. Ayla canta enquanto passa pelas cadeiras, indo em direção ao palco.

Eu tenho fogo como coração, não tenho medo do escuro
Você nunca viu parecer tão fácil


     Então o próximo trecho é cantado por Billy, um dos cameram, admito que fiquei com ciúmes. Ayla então volto a cantar e reconheço a música Drag me down da One Direction.

Se eu não tivesse você não haveria nada sobrando
Só o casco de uma mulher que nunca pôde ser seu melhor


(Billy) Se eu não tivesse você, eu nunca veria o sol
Você me ensinou a ser alguém, yeah


(Ayla)Toda minha vida, você esteve ao meu lado
Quando mais ninguém esteve me apoiando


(Billy) Todas essas luzes, elas não podem me cegar
Com seu amor, ninguém pode me derrubar


(Ayla e Billy) Toda minha vida, você esteve ao meu lado
Quando mais ninguém esteve me apoiando
Todas essas luzes, elas não podem me cegar
Com seu amor, ninguém pode me derrubar

Ninguém, ninguém
Ninguém pode me derrubar
Ninguém, ninguém
Ninguém pode me derrubar


     Eles cantam o resto da música assim, cada um com suas frases. Ayla dançava e cantava sobre o palco como se fizesse isso há anos, já Billy estava completamente travado, mas percebi que tinha alguém filmando e fiquei preocupado se usariam isso para zoa-lo depois. Então a música acaba e todos aplaudem, Billy desce do palco e pega o celular das mãos da pessoa que estava filmando e fala para o aparelho.

- Viu só, filha? O papai cantou com a Ayla, agora você vai ter que obedecer a mamãe até eu voltar para casa. - assim que ele guarda o aparelho todos riem - Obrigada, Ayla. Agora o show é todo seu.

     E ela não perde tempo em começar a cantar, só pelas primeiras frases já percebo que é uma música dela.

Você se sente como um desajustado?
Tudo dentro de você é escuro e retorcido
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou

Você pode ouvir os sussurros no cômodo?
Você sente os olhos dela sobre você como um perfume barato
Você é linda, mas mal compreendida
Então por que você está tentando ser igual aos outros?

Eu posso ver, eu sei o que você está sentindo
Então me deixe te contar meu segredinho
Eu sou um pouco louca por baixo disso aqui
Por baixo disso aqui

Você se sente como um desajustado?
Tudo dentro de você é escuro e retorcido
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou
Você se sente como um pária?
Você não precisa se encaixar no padrão
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou

Oh, tão bem vestidos, tão chiques, como Sid e Nancy
Andando como uma rainha matadora, deixa todos babando
Então, querida, venha, me passe o isqueiro
Nós vamos deixá-los em chamas
Nós somos os pecadores e as bênçãos

Eu posso ver, eu sei o que você está sentindo
Então me deixe te contar meu segredinho
Eu sou um pouco louca por baixo disso aqui
Por baixo disso aqui

Você se sente como um desajustado?
Tudo dentro de você é escuro e retorcido
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou (eu também sou, eu também sou, eu também sou)
Você se sente como um pária?
Você não precisa se encaixar no padrão
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou

Você é rei e você é rainha
Você é forte e você é fraco
Você está preso, mas é tão livre
Então venha e junte-se a mim
E me chame de Harley
E nós vamos fazer um escândalo

Você se sente como um desajustado?
Tudo dentro de você é escuro e retorcido
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou
Você se sente como um pária?
Você não precisa se encaixar no padrão
Ah, mas tudo bem ser diferente
Porque, amor, eu também sou


     A música termina e todos aplaudem de novamente. Não tarda e a nova música começa a tocar.

Minha mãe costumava dizer
Querida, me deixe orgulhosa
Você tem um rosto tão bonito
Mas uma boca tão suja
Mas porque quando digo
O que está em minha mente como os homens
Eu sou chamado de louca?
Louca

Essa não é uma canção de amor
Não é daquelas que se canta junto
Mas garotas, vocês estão comigo?
Eu sei que vocês estão comigo

Adicione um pouco de açúcar, eles dizem
Seja um pouco mais doce, eles dizem
Tem que dar pra receber, mas eu digo
Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito
Seja um pouco mais adequada, eles dizem
Fale um pouco mais suave, eles dizem
Tem que ser uma dama, mas eu digo
Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito
(Do meu jeito, do meu jeito, do meu jeito)

Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito
(Do meu jeito, do meu jeito, do meu jeito)
Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito

Eu faço minhas coisas
Você faz as suas
Eu não preciso de permissão de ninguém
Não vou voltar
Ganhar ou perder
Ah sim, uma e apenas edição limitada (sim)

Essa não é uma canção de amor
Não é daquelas que se canta junto
Mas garotas, vocês estão comigo?
Eu sei que você está comigo

Adicione um pouco de açúcar, eles dizem
Seja um pouco mais doce, eles dizem
Tem que dar pra receber, mas eu digo
Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito
Seja um pouco mais adequada, eles dizem
Fale um pouco mais suave, eles dizem
Tem que ser uma dama, mas eu digo
Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito
(Do meu jeito, do meu jeito, do meu jeito)

Desta vez é do meu jeito, ah, meu jeito(x4)


- Garota, nessa você acertou. - Zendaya fala bem alto já que todos aplaudiam.

- Obrigada. - Ayla agradece - Ai pessoal, sei que foi só 3 músicas, mas é que eu tenho um compromisso em duas horas e ainda tenho que me arrumar. Aproveitem e façam um show em meu lugar.

     Has me cutuca com o cotovelo e quando o olho ele está com a expressão de "eu falei". Olho novamente para Ayla e a vejo sorrindo e olhando para mim, me senti uma criança por não saber como reagir e sei que minhas bochechas devem ter ficado mais vermelhas que um tomate.
     Mesmo com todos os pedidos para que Ayla continuasse a cantar ela desce do palco e se dirige a saída, dando um tchau geral a todos.

- Você também precisa se arrumar, Romeu. - diz Jake se levantando.

- Não me chama de Romeu. - falo - Esqueceu que a história termina em tragédia? Não quero que a nossa história acabe assim.

- "Nossa história" - Has e Jake repetem juntos e logo Has continua - Vocês até mesmo falam as mesmas coisas.

- Ela disse algo assim? - pergunto.

- Não exatamente assim, mas hoje ela foi atacada por uns repórteres e tal e ficou um tempão respondendo as perguntas deles. - responde - Sério, nunca vi alguém tão paciente com esses parasitas.

- Mas ela falou o que?

- Um dos repórteres perguntou se ela sabia que falavam que a vida dela parecia um filme romântico de Hollywood e ela respondeu que não queria que fosse um romance que termina em tragédia.

- Uau. - falo mais para mim mesmo.

- Okay, agora vamos se arrumar.

     Vamos até o hotel que estávamos hospedados e passo as duas horas seguintes me arrumando. Toda roupa que eu colocava os caras falavam que não estava boa o bastante até que chegou o momento que eu não tinha mais roupa para experimentar já que não trouxe muitas.

- Eu vou com essa aqui e acabou o assunto. - decido depois de colocar uma roupa casual que ne deixava com cara de "não estou vestindo um terno, mas isso não significa que está noite não é especial"

- Nervoso? - Jake pergunta.

- Claro que não. - respondo - Nervoso não chega nem aos pés do que eu estou sentindo.

- Aiai, meu garoto cresceu tão rápido. - Haz finge limpar uma lágrima - Mas é bom se apressar, já é quase 20h.

- Meu deus! - pego minha carteira e a chave do meu carro - Me desejem sorte.

- Sorte. - falam os dois enquanto saio do quarto.

     Pego o elevador e fico treinando na frente do espelho como iria fazer o pedido, mas sempre saía com cara de idiota.
     Finalmente chega na garagem e vou em direção ao meu carro, o caminho até os trailers não era longo e em poucos minutos havia chegado. Saio do carro e vou até o trailer de Ayla, as luzes estavam acessas e podia ver a sua silhueta andando de um lado para o outro lá dentro, bato na porta e escuto um barulho alto, seguido de um xingamento não muito bonito.

- Já estou indo. - grita lá de dentro e alguns segundos depois a porta é aberta e ela saí lá de dentro - Desculpa a demora, não estava achando o meu celular.

     Nem consigo respondê-la, pois fiquei igual um bobo a admirando. Ayla estava com algumas mechas do cabelo presas para trás e poucos fios ficavam modelando seu rosto, ela estava maquiada, nada muito exagerado, mas realçava bastante seu olhar e por fim ela usava uma jaqueta jeans escura, um vestido preto curto e um all star branco. Ela estava perfeita.

- Você está linda. - falo sem perceber.

- Obrigada. - ela cora - Você também está muito bonito.

- Valeu, fiquei todo esse tempo trocando de roupa, Has e Jake não gostavam de nada.

- Então você estava com dois consultores de moda? Essa noite pedia isso?

- Com certeza. - respondo e estendo meu braço para ela que logo o abraça - Ah já ia esquecendo isto.

     Lhe dou um beijo na testa e a vejo corar em seguida. Caminhamos até o carro, eu abro a porta do carona para ela e então dou a volta e sento no banco do motorista, ligo o rádio baixinho e está tocando Locked out of heaven do Bruno Mars.

- Eu adoro essa música. - Ayla fala e começa a cantar baixinho, mas quando chega perto do refrão ela olha para mim e já sabia o que ela queria, me preparo para não fazer muito feio e começo a cantar bem alto junto com ela.

Porque você me faz sentir como
Se eu estivesse impedido de entrar no céu
Por muito tempo
Por muito tempo
Sim, você me faz sentir como
Se eu estivesse impedido de entrar no céu
Por muito tempo
Por muito tempo

     De algum modo, sentia que essa parte da música se aplicava a mim em relação a Ayla, mas claro que não falo nada e seguimos até o restaurante cantando todas as músicas que tocavam no rádio. Estar com ela era como estar de férias, não me preocupava com nada, só em fazê-la feliz porquê eu estava completamente apaixonado pelo seu sorriso.
     Quando chegamos na frente do restaurante, Ayla olha pela janela e seus olhos se arregalam.

- Uau, vamos jantar aqui? - pergunta surpresa.

- Sim, consegui uma vaga de última hora. - respondo enquanto saio do carro e vou até seu lado para abrir a porta e ajudá-la a sair.

- Obrigada. - agradece - Nada como ser um ator famoso, não é mesmo?

- Temos que ter algumas vantagens. - rimos.

     Entramos e vou até o hostess, assim que falo meu nome, um sorriso surge em seu rosto e eles nos leva até a mesa que ficava afastada da entrada e das janelas por causa dos paparazzi.

- Aqui é bem chique, acho que nunca entrei em um lugar tão bonito antes. - Ayla fala quando me sento de frente para ela.

- Realmente aqui é muito bonito, mas não tanto quanto você. - sim, eu soltei uma cantada barata, mas o importante é que funcionou, a Ayla riu.

     O garçom aparece e nos entrega os cardápios, Ayla pega e começa a olhar os pratos e eu olho para as minhas mãos que estavam em cima da mesa, tinha decidido que iria me confessar para ela logo no início do jantar para que não criasse muitas expectativas caso ela não me correspondesse. Fecho os olhos, respiro fundo, ergo a cabeça e começo a falar.

- Ayla, eu queria lhe falar algo muito importante, eu...

- Olha só, Tom. - ela me interrompe e em seu rosto estava presente uma expressão de desconforto extremo.

"Essa não" penso, meu coração já estava no pé, estava recebendo um fora sem nem me confessar.

- O que foi?

- Eu não tenho um jeito bonito de te dizer isso. - ela retorce a boca - Então espero não parecer muito rude. - ela se inclina na mesa ficando mais próxima de mim - Será que a gente pode ir comer em outro lugar?

- Como? - pergunto, de tudo que eu imaginava que ela fosse falar, isso nem havia passado pela minha cabeça.

     Ela pega o cardápio, abre e aponta o dedo.

- Com o preço da água desse lugar eu consigo comprar uma pizza família. - ela responde - Eu teria que economizar uns quatro meses de salário para poder comer aqui.

     Eu não me aguento e começo a rir. É um riso por ela estar apavorada com os preços misturado com alívio por não ser um fora.

- Ei, não ria de mim. - ela fecha a cara e cruza os braços - Nem todos aqui ganham milhões de uma vez só.

- Desculpa, desculpa. - minha risada começava a sumir - É só que eu pensei que você ia falar outra coisa.

- Pensou que eu ia falar o que? - pergunta.

- Err... Nada. - respondo - Mas quanto aos preços, não se preocupe que eu irei pagar.

- Mas vai sair muito caro, Tom. - ela realmente estava apavorada com os preços.

- Está tudo bem, essa noite eu quero que seja especial. - respondo tentando deixá-la calma.

     Ela suspira e olha novamente para o cardápio, eu decido logo o que iria pedir e aguardo por ela.

- Tom. - ela me chama.

- Sim.

- Pede para mim também? - ela me olha - Eu não entendo metade do que está escrito aqui.

- Tudo bem. - rio. Olho novamente o cardápio e procuro o que poderia agrada-la. - Gosta de massa?

- Oh eu adoro massa.

- Certo. - chamo o garçom e ele anota nossos pedidos.

- O que você ia falar? - ela pergunta de repente.

- Falar?

- É, você disse que queria me falar uma coisa importante, o que seria?

- É... bom.. - tudo bem essa era a hora, olho para ela e decido falar tudo de uma vez antes que a coragem sumisse - Ayla, eu gosto de estar com você, gosto de falar com você, gosto de te fazer rir porquê amo quando você ri, gosto de te ver cantar porque quando você canta parece que uma luz radiante emana pra fora de você. - ela me olhava atentamente - Quando saiu as fofocas que estávamos juntos eu não consegui rir disso ou deixar pra lá porquê eu gostei, gostei que as pessoas estavam achando que estávamos juntos e então percebi a verdadeira razão pela qual eu estava gostando de todas essas coisas. - agora era a hora, inspiro profundamente - A razão é que eu estou apaixonado por você e eu não sei mais como esconder este fato.

     A bomba foi lançada e agora faltava saber a sua resposta. Ayla parecia que tinha entrado em curto, não se mexia, não falava e eu tinha minhas dúvidas se estava respirando, mas pela longa sugada de ar que ela deu logo em seguida me fez confirmar as dúvidas.

- Acho que é a primeira vez que fico sem reação. - ela dá um riso nervoso.

- Você não sente o mesmo né?

- O que? Tá brincando? - ela pergunta incrédula - Eu tenho um tombo por você desde que te vi pela primeira vez.

    Assim que essas palavras são pronunciadas ela percebe o que diz e tapa a boca com ambas as mãos.

- Não era para eu ter revelado isso. - diz.

- Por que não?

- Porque agora você vai pensar que eu só me aproximei de ti porquê já gostava, mas não foi assim eu juro. - ela responde - Eu aceitei de bom grado ser só sua amiga e prometi a mim mesma que não tentaria nada contigo se descobrisse que você não sentia o mesmo por mim.

- Então você já sabia que eu gostava de você e por isso me beijou?

- Ah...ah... aquilo foi diferente.

- Diferente como?

- Porque você tentou me beijar antes então meio que você deu passagem para que eu o beijasse. - responde e depois murmura para si - Se bem que aquilo nem foi um beijo.

- Não foi bem um beijo porque você não me deu tempo para continuar.

     Ela cora e eu seguro sua mão sobre a mesa.

- Eu realmente gosto de você. - falo novamente.

- Eu também, realmente gosto de você. - ela diz e sorri. - Mas sabe que vão cair em cima de ti por estar saindo com uma funcionária de equipe e não com uma super modelo né.

     Vejo que isso era realmente algo que a incomodava, pois, até mesmo a pequena fama que ela ganhou por sairmos juntos, ela não gostava. Ayla era humilde e simples e isso me encantava nela, sabia que existiria pessoas que tentariam se aproximar de mim por interesse a partir do momento que assinei o contrato com a Marvel, mas a Ayla desde o início não me tratou diferente, não havia me pedido presentes, fotos ou que desse visibilidade para o canal dela, ela até mesmo pensou que o jantar desta noite seria conta divida. Eu realmente estava apaixonado por ela.
     Me levanto e vou até o seu lado, a puxo para que ela se levante também.

- Eu não me importo nem um pouco sobre o que as pessoas vão pensar. - seguro seu rosto com ambas as mãos - Se você estiver ao meu lado e for feliz já será o bastante.

    Então faço o que queria fazer desde que percebi que estava apaixonado, beijo-a.
     Mas um beijo de verdade desta vez, nossos lábios se encontram e sinto como se estivesse segurando um fio desencapado. Entreabro os lábios e com a língua peço passagem ao qual sou atendido prontamente e finalmente eu estava beijando a garota que dominava meus pensamentos 24/7. Suas mãos seguravam meu casaco e me puxavam para mais perto, estávamos tão dentro de nosso próprio mundo que nem notamos quando o garçom se aproximou. Nos separamos quando escutamos ele pigarrear, chamando a nossa atenção.

- Espero que aproveitem a refeição do mesmo jeito que estavam aproveitando o momento. - ele diz e dá um sorriso cúmplice.

- Que vergonha. - Ayla fala - Mas então, o que somos agora? Eu gosto de você, você gosta de mim...

- Bom, podemos ser namorados. - falo enquanto mexo em uma mecha de seu cabelo.

- Está me pedindo em namoro?

- Sim. - respondo - Ayla, você faz os meus dias serem mais felizes e agora que eu provei do seu beijo creio que fiquei viciado, então vou querer muitos mais, mas isso seria estranho se formos amigos.

- Ah seria mesmo. - ela concorda.

- Ayla, você aceita namorar comigo? - pergunto sério.

- É claro que sim! - ela pula em meu pescoço me abraçando e eu retribuo.

     Nos afastamos e estávamos com sorrisos bobos no rosto, mas estávamos felizes. Me sento novamente em meu lugar e começamos a comer, o jantar seguiu com um clima leve e descontraído, falamos de tudo e na hora de pagar a conta eu quase tive que amarra-la para que não pagasse a sua parte.
    Quando saímos do restaurante havia um tumulto enorme de paparazzi e repórteres. Um deles perguntou se estávamos juntos e eu me virei para Ayla, pedindo permissão para responder, ela sorriu e acenou com a cabeça.

- Sim, estamos juntos. - entrelaço meus dedos com os dela e então flashes de todos os lados começaram a surgir.

     Eu e Ayla fomos indo com dificuldade até o carro, não queria falar mais nada para essas pessoas, queria meu momento a sós com a minha garota.

- Quer ir para o meu quarto no hotel? - pergunto.

- Claro. - ela responde.

      E assim seguimos até o hotel


Notas Finais


❤️🕷️❤️
https://youtu.be/Jwgf3wmiA04 (drag me down - one direction)

https://youtu.be/SxGLPVvNjvY (So Am I - Ava Max)

https://youtu.be/a5I4KwxMXAA ( My way - Ava Max)


https://youtu.be/e-fA-gBCkj0 ( Locked out of heaven - Bruno Mars)

A cena do Tom entregando as flores foi inspirada por esse tiktok (http://vm.tiktok.com/8LQVre/)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...