História Família - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Midoriya Izuku
Tags Bakudeku, Shindo
Visualizações 405
Palavras 2.656
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sei que sumi, demorei pra K7 na minha opinião. Mas como diz um ditado que eu criei:
"A criatividade é muita,mas a preguiça é maior"┐( ̄ヮ ̄)┌
Só que eu queria postar antes das provas finais.Enfim,boa leitura espero que gostem.
*Capa feita por mim.

~Kissu

Capítulo 2 - Praia


Fanfic / Fanfiction Família - Capítulo 2 - Praia

Isso era tudo que ele podia desejar, tempo livre, férias e sua família, parece clichê, mas essa combinação lhe trazia uma paz que, realmente parecia que nada podia dar errado, não era burro, nessa linha de raciocínio já espera que algo aconteça, só que dessa vez ele não estava sozinho. 

 Estavam no carro e infelizmente no trânsito, pelo menos podia presenciar com satisfação a sua parte, herdada pelo seu amado filho, em ação.E sinceramente, orgulho era pouco para definir o que sentia em relação a sua cria. 

 —ÔH DEMÊNCIA, SAI DA FRETE OU EU MESMO VOU ASSUMIR A DIREÇÃO E PASSAR POR CIMA DE VOCÊS SEUS ARROMBADOS - Hiro era mesmo um anjo. 

 —Querido, volta para dentro do carro você está quase caindo da janela - disse Deku, já tinha desistido de fazer seu filho se portar como uma criança normal. —Isso é tudo culpa sua Kacchan - Afinal, se lembrava bem que quando Hiro tinha apenas quatro anos, já pegara Katsuki ensinando palavrões ao menino. 

 —CULPA MINHA!?, eu só ensinei a nosso filho como colocar inúteis de existência desnecessária no seu lugar - Argumentou Katsuki estressado pelo trânsito, observando seu filho discutir com as crianças do carro ao lado. 

—Aquele menino me deu lingua…TOUSAN.ABRA.A.PORRA.DA.PORTA.DO.CARRO, EU VOU DÁ NA CARA DESSE DEFUNTO INFELIZ. 

 —Hicchan!!, já estamos chegando, tente ficar pelo menos cinco minutos sem brigar, porfavor - Pediu Deku se deitando no banco do carro, estava cansado e meio enjoado pela viajem.Dois do seu marido realmente não é para qualquer um. 

—Okay Tou-Chan - Resmungou Hiro fazendo biquinho e cruzando os braços, só desistiu de brigar, porque o carro do infeliz tomou um rumo diferente do seu, se o carro dele ainda estivesse alí, com certeza, já teria pulado da janela para terminar o que começou.

 ~×~ 

 Obviamente, estava quente e cheio de gente, para a infelicidade de Katsuki, a maioria eram alfas, e claro, como sempre procurando ômegas e betas desocupados para se divertirem.

 —Devíamos ter ficado em casa - Resmungou Katsuki, infeliz pela demora de encontrar um lugar disponível para colocar suas coisas e as de sua família. —O atendimento aqui é péssimo, cadê a porra do cara das mesas¹. - Seus pés já estavam queimando mesmo de chinelo.  

—Tenha paciência Kacchan, toma, segura nossas coisas, vou procurar o cara das mesas, fica de olho no Hicchan - Finalizou o ômega, saindo em seguida a procura do cara.



 —Hiro - Katsuki se virou para seu filhote. 

—Hai - Se virou para seu Tou-San. 

—Já sabê o que fazer, pega o walkie-talkie e mantenha ligado, qualquer coisa me avisa - Disse Katsuki se abaixando para ficar da altura de seu filho, o entregando o walkie-talkie. —Tome cuidado para não cair - Terminou a conversa ajustando a blusa de sua cria, Não era mais tão difícil como antes demonstrar sentimentos para com as pessoas que gostava, principalmente sua família, mas tinha que manter a imagem de alfa seguro de si, para seu filho,tinha prometido quando ele nasceu que ele iria os proteger não importa o que aconteça. 

 —Entendi, Tou-San - Se apressou a seguir seu Tou-Chan, não sem antes de sair dar um abraço no seu Tou-San. 

.

 —Whew! uf! - Suspirou Deku, se perguntava como aceitou e retribuiu os sentimento de um ser tão instável,egocêntrico e explosivo como Kacchan. Depois de tudo que passaram em sua infância, no fundamental e na acadêmia de héroes era impressionante que o mesmo desenvolvesse sentimento amorosos em relação a si, e ainda tivesse a cara de pau de se declarar sem ao menos pedir desculpa pelo que fez a Izuku.O que um ômega no cio não faz por um alfa gostoso pra casete?. 

 Conseguiu avistar uma pequena cabana onde se alugava messas e cadeiras por um preço razoável, ser héroe dá dinheiro mas nem por isso precisa ostentar sem moderação

—Com licença, eu gostaria de alugar três mesas,quatro cadeiras e cinco guarda–sóis, porfavor - disse inocentemente, alheio ao olhar nada inocente do atendente beta.

 —Claro, e em troca você poderi–. - Falava o atendente safado, ao notar a fofura do ômega adulto a sua frente.

 —TOU-CHAN - Gritou Hiro, fuzilando o beta, ao seu ver, tarado por olhar seu inocente Tou-Chan de forma indecente. 

 —Hicchan, o que aconteceu? - Perguntou Deku, preocupado pelo filho está sozinho, Kacchan fez alguma coisa ou Hicchan fez alguma coisa, não se pode tirar os olhos de ambos nem por um minuto misericórdia. 

 —Eu senti sua falta Otou-Chan,me abraça - Falou manhoso com os olhos lacrimejando se agarrando a cintura de seu Otou-Chan. Sábia que nem um desconhecido acreditariam nele, ainda mais seu Tou-Chan que o conhecia tão bem, mas pai é pai, não se deve negar carinho a seu filho, principalmente Izuku, que não poupa palavras ou gestos para demostrar o quanto ama seu filhote. 

 —Clarooo meu fruto amado do meu ventre que eu cuidei e amei desde que era um pequeno espermatozóide não fecundado ejaculado pelo seu Tou-San - Disse Izuku dramatico, enquanto se agachava para aconher sua cria em seus braços. Inconsciente do gesto obsceno que seu filho fazia com as mãos para o atendente, por trás de suas costas. 

 —Seu filho? - Perguntou o atendente rudemente ao notar que não teria sorte ao investir no ômega, agora de seu conhecimento, comprometido, não que ele ligasse. 

 —Aham - Respondeu Deku inocentemente, ainda abraçando seu bebê de oito anos.Que ainda fuzilava o atendente. 

 —Okay…vou chamar uns caras para me ajudar a levar as coisas onde seu alfa se encontra - Finalizou a conversa com o ômega bonito para voltar a trabalhar, não sem antes de sair devolver o gesto desrespeitoso para a criança mal educada. 

 —Já vai tarde - Rosnou Hiro.

—Hicchan!,Enfim,onde está seu Tou-San? - Perguntou Deku Preocupado. 

 —Ah aconteceram uns imprevistos… então ele pediu para eu ficar com você - Respondeu sem olhar nos olhos de seu Tou-Chan, prestando atenção no walkir-talkie ligado, tentando entender a conversa que ouvia. 

 —Que Tipo de imprevistos,Ein?? - Deku Analisou seu filho preocupado. Conhecia seu marido, e ele era tudo, realmente tudo, menos sensato. As vezes era muito infeliz da sua parte se atrair por essa característica também, mas fazer o que, é o amor. 

—Meu Tou-San… comprou um picolé … e…chegou…um outro alfa…e meio que "roubou" o picolé do Tou-San - Respondeu dessa vez olhando para os olhos de seu Tou-Chan. Que já parecia ter se tocado que algo muito ruim está acontecendo —Tecnicamente eles chegaram ao mesmo tempo no vendedor, mas Tou-San foi mais rápido e agora eles estão brigando. 

 Na verdade não foi bem assim 

Katsuki sabia que seu Deku não gostava de calores extremos, não só por lembra-lo de seus cios sem a parte boa, mas também a sensação de vazio ao ficar uma semana sem o filho do casal sobre suas asas, geralmente, essa é a fase mais difícil da vida de um ômega, já que nos primeiros treze anos de vida de um filhote, seu progenitor ômega tende a ser um tanto protetor. Por isso sabia que Deku não contestaria a presença de Hiro ao seu lado quando o mandou ao seu ômega. 

 Enquanto esperava seu filho e seu ômega junto das mobílias típicas de praia, percepebeu que o carrinho do picolé passaria em sua frete á aproximadamente cinco minutos. Então pegou a primeira coisa de forrar que viu numa das bolsas e fez uma cambiará para equilibrar todas as bolsas,bóias e malas de primeiros socorros do Deku em cima de um pano de praia que não cobria nem metade de suas pernas. 

—PICOLÉ,PICOLÉ,CASETE,PICOLÉ, QUEM QUER PICOLÉ, PICOLÉ - Continuava gritando o moço dos picolé. 

—EU QUERO , CASETE - Gritou Katsuki se dirigindo ao moço dos picolés. 

—EU TAMBÉM, PORRA - Gritou outro alfa que se aproximava. Coitado do moço dos picolés. 

 —SAI DAÍ MALDITO EU CHEGUEI PRIMEIRO - Argumento Katsuki ao sentir seu espaço invadido por um inútil. 

 —SAI VOCÊ, EU TÔ COM FOME E PARECE QUE OS ATENDENTES DAQUI SÓ ATENDEM ÔMEGA BONITINHOS - Argumentou o outro alfa. 

 —TANTO FAZ EU TENHO UM–. - Ia Finalizar Katsuki. 

 —SENHORES, por favor levem um picolé cada, eu dou desconto - Implorou o moço beta já assustado, não queria acreditar que eles iam brigar aqui e agora. 

 —NADA DISSO, EU VOU COLOCAR ESSE GUENZO NO SEU LUGAR - Rosnou Katsuki ao ouvir o outro alfa rosnar também se colocando em posição ofensiva.

.

.

.

 —Vamos atrás de seu Tou-San, Hicchan - Se preocupou Deku. 

 —Acho melhor nos apressarmos então, acho que a coisa deve tá feia - Finalizou Hiro, também preocupado. 

—Imagino… Hicchan se segura em mim - Deku esticou os braços para pegar seu filho, e com ele nos braços, usou sua super velocidade para chegar mais rápido onde seu marido se encontra. 





 Se Deku esperava explosões?, esperava!, se esperava sangue,mortes e seu marido no meio de toda bagunça?, esperava!, mas de tudo aquilo que pensou, o que estava de fato acontecendo seria, com certeza, a última hipótese que ele poderia pensar e ainda a descartaria! 

 O que se passava era que, assim que chegou no local a primeira coisa que viu foi todas as suas coisas empilhadas, a segunda foi seu marido brigando com seu ExMelhorAmigo da Ketsubutsu como crianças nos tapinhas e a terceira, a mais normal até agora, foi o moço do picolé desmaiando. 

 —OEH KACCHAN QUE PORRA É ESSA, SHINDO PARA QUE TÁ FEIO, VOCÊS SÃO MELHORES QUE ISSO, PARECEM DUAS CRIANÇAS - Gritava Deku com revoltz² no coração enquanto segurava seu filho no ombro como um saco de babatas. 

 —VOCÊ CONHECE ESSE PUTO - Surpreendentemente quem gritou isso não foi Kacchan e sim Hicchan ,que cada dia parecia ainda mais com seu alfa progenitor no modo de falar.

—É!!! QUEM É ESSE PUTO? - Katsuki apontou para a cara do alfa moreno que se encontrava secando descaradamente o esverdeado. 

 —Um ExAmigo meu Kacchan - Disse se aproximando de seu alfa lhe entregando o filho do casal que, aparentemente pela coloração verde em suas bochechas, estava muito enjoado de ser carregado. 

—Que bom que você está bem - Finalizou abraçando seu alfa e lhe dando um demorado beijo no bochecha. 

 —Sei, que tipo de amigo? - Perguntou Katsuki carinhoso, em transe por sintir o calor da sua família tão perto de si, era realmente muito bom. 

—Izuku Midoriya, faz quanto tempo? você sumiu depois daquela nossa discussão, eu realmente me sentir muito mal por não poder me desculpar pelo que eu disse a você - Comentou Shindo ressentido e com um pouco de inveja por Bakugou, em sua opinião, um ser repulsivo ter um ômega tão adoravelmente forte e bonito. 

 "—É PORQUE ELE É LOIRO?, EU PINTO O CABELO, É PORQUE ELE FOI SEU AMIGO DE INFÂNCIA?, EU POSSO SER UM AMIGO MUITO MELHOR DO QUE ELE JAMAIS FOI, ELE NÃO TE MERECE, FOI NO MEU OMBRO QUE VOCÊ CHOROU QUANDO PERDEU AS ESPERANÇAS DE FICAR AO LADO DELE, SENDO QUE EU QUERIA QUE VOCÊ FICASSE DO MEU LADO, FOSSE MEU ÔMEGA, QUE CARREGASSE MEUS FILHOTES, mas parece que nem se ele morresse você me daria um chance…- Gritava o alfa moreno com raiva vendo a cara de assustado de seu melhor amigo ômega. Que tinha vindo pessoalmente para dizer que finalmente estava namorando o amor da sua vida." 

—Na verdade é Izuku Bakugou agora, eu já te perdoei já tempo Shindo, você não teve culpa do que disse, éramos adolescente imaduros no pico dos hormônios, não sabiamos o quão relevante era nosso segundo gênero sobre nossa amizade, fico feliz se você também me perdoar por ter feito você sofrer naquela época - Disse Izuku um pouco invergonhado por no mesmo dia que brigaram ele foi na casa de Katsuki depois, para esquecer a discurssão como se nada tivesse acontecido. O que foi um ato egoísta com relação aos sentimentos do amigo. 

 —Claro que perdoou, este deve ser seu filho né!? Ele é muito parecido com você, parabéns - Shindo sorriu para Deku que sorriu de volta, alternando entre olhar para Izuku ou olhar a cria dele, que para sua tristeza, compartilhava do melhor olhar de superioridade do alfa de seu primeiro amor.—Oi hm…ah… qual seu nome rapazinho? - Shindo se ajoelhou na altura de Hiro, que já estava no chão, para perguntar. 

 —Hm, Hiro Bakugou, Kuso Oyaji³ - Hiro virou a cara e cruzou os braços, como se Shindo fosse indigno de seu olhar. Com seu Tou-San ainda fuzilando o infeliz mal amado, enquanto abraça seu Tou-Chan. 

 —Sabê, Bakugou-Kun seu Tou-Chan foi muito importante para mim - Shindo sorriu sem prever o que Hiro faria ao processar essa informação. 

—ORA SEU MALDITO, VOCÊ QUER MORRER, VAI MORRER CASETE - Hiro pulou em cima de Shindo que com o susto caiu para trás, se forçando a segurar os braços do mais novo o qual saiam várias explosões em sequência, a dificuldade de desviar de algo perto de si é grade, por isso não pode segurar o suspiro de alívio quando Katsuki segurou seu filho o abraçando por trás, consequêntemente o prendendo. 

 —ME LARGA TOU-SAN EU VOU ACABAR COM A RAÇA DESSE VERME, O TOU-CHAN É MEU - Hiro tinha os seus olhos vermelhos queimando em fúria. 

—Hiro você é o maior orgulho da minha vida, você herdou meus olhos, minha personalidade,meu poder e é a forma física do meu amor por nosso Deku, mas aqueta o cu ai que eu compro o que você quiser - Katsuki usou a técnica que Izuku sempre usa quando ele se descontrola, falar o quando ele é importante. 

 —Eu quero um Xbox - As vezes chantagem devia se chamar mágica. 

—Hicchan, eu fiquei tão preocupado - Disse Deku se ajoelhando na altura de seu filho e segurando com as duas mãos o rosto do mesmo antes de o abraçar. —Meu mini–alfa. -Disse distribuindo beijos pelo rosto de seu filhote. 

 —Shindo, sinto muito pelo meu filho, não que eu vá o repreender por isso, se não fosse ele seria eu a atacar você - Se desculpou Katsuki, como pai, a vida o tinha ensinado a ser maduro nas horas certas. 

 —Está tudo bem, de verdade, vocês criaram um bom menino o ensinando a se defender - Respondeu Shindo mais leve ao se conformar que Deku estaria, estava, em boas mãos em todo esse tempo. 

—Vou indo, não quis atrapalhar o programa de vocês - Se despediu da família de seu ex amigo. 


 —Com licença são vocês que pediram três messas, quatro cadeiras e cinco guarda–sóis? - O atendente perguntou com uma prancheta, com mais caras atrás dele carregando as mobílias de praia alugadas. 

 —Sim!! - Respondeu Deku feliz. 

—OEH Deku, para que você alugou tanta coisa, nos só precisamos de uma mesa para colocar nossas coisas e três cadeiras para sentarmos - Argumentou Katsuki, pensando o quanto a quilo vai custar. Ainda tinha que comprar o Xbox do seu filho, ele era um pai de palavra, ele não é como seu pai que sempre dizia na volta a gente compra e depois vacilava com ele. 

 —Eu tô com fome - Se pronunciou Hiro. Comida era tudo que ele queria naquele momento. 

 —Mas são duas messas para comida e uma para nossas coisas, uma cadeira para cada e mais uma para meus pés e por fim um guarda sol para cada messa, um para Hicchan colocar onde ele quiser brincar e um para mim - E mesmo assim seus amigos diziam que Deku não era um ômega mimado. 

—Tudo que meu ômega quiser… - Suspirou Katsuki derrotado. 

 Afinal ele não tinha o que reclamar, estava com sua família e isso realmente o fazia feliz de uma forma que não acreditava ser possível. 










 —Kacchan, eu estou grávido - Contou Deku com um sorriso fofo em seu rosto dirigido ao seu alfa. 

 —OH…MY …GODNESS…- Katsuki ainda está processando. —Fuck Yeah Baby - Só faltam mais dezoito filhotes para completar sua meta de casamento. 

 —Perdi a fome - Essa foi a única opinião do futuro irmão mais velho. ~Fim~


Notas Finais


¹Não sei se é somente aqui em Alagoas(Meu estado) que tem esses caras das messas,mas para quem não sabe, aqui quando você chega na praia vem uns atendente lhe recepcionar e arranjar uma messa para você.ヽ(´ー`)┌
²Eu não falo revolta, falo revoltz, porque é mais legal.
³Kuso Oyaji = Velho Maldito

Espero que tenham gostado(≧∇≦)/
Qualquer erro de Gramática, por favor me avisem!!.(>y<)

~Kissu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...