História Família desestruturada. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Loud House
Personagens Leni Loud, Lincoln Loud, Lori Loud, Luan Loud, Luna Loud, Lynn Loud
Tags Amizade, Amor, Angustia, Carinho, Diferença De Idade, Dor, Drama, Hentai, Incesto, Leni, Lincoln, Loud House, Loudcest, Lynn, Perversão, Sentimentos Complexos, Sentimentos Platônicos, Sentimentos Unilaterais, The Loud House
Visualizações 736
Palavras 1.375
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem. Avisando que essa é uma história hentai, todo capítulo terá sexo, o enredo não é tão importante.

Avisando:

A história é sempre +18 e terá hentai pesado, sexo com feitich (principalmente com Luna).

Capítulo 1 - I - Quebrando os limites.


Fanfic / Fanfiction Família desestruturada. - Capítulo 1 - I - Quebrando os limites.

Lincoln estava tomando leite na cozinha quando sua irmã Lori chegou pela porta, o rapaz a viu cambaleando porta a dentro, ela estava com a maquiagem borrada e o vestido imundo ela tinha derramado bebida nele todo.

— Lori você está bem? — O jovem de quase dezesseis anos perguntou preocupado se aproximando tentando ajudar.

—Quieto pirralho! —Lori tento empurrá-lo, mas estava tão bêbada que caiu no chão caindo no chão.

—Você está com um cheiro forte de uísque com vinho seco. O que houve? —Lincoln sabia que essa era a bebida típica de uma pessoa que estava triste.

Lori bufou irritada ela não queria contar a ninguém, mas Lincoln abaixou e pegou a mulher mais velha que agia como uma criança birrenta. Lincoln não era o rapaz mais forte da idade dele, na verdade ele era magro e fraco na turma, mas suas irmãs em geral eram magras e facies de escorar.

Ele a levou até a cozinha enquanto ela esperava sentada ao lado da mesa, Lori em geral não era uma mulher que aceitava imposições, mas no caso, ela aceitou as ordens de Lincoln, ela estava muito consternada para contrariar. Lincoln estava fazendo um café forte para ela.

Lori contou tudo que aconteceu e o fato de Bobby ter beijado Carol Pingrey. Ela chorava por conta do que aconteceu, ela realmente amou Bobby, felizmente isso era pretérito perfeito… Ou seja, o amor acabou.

Lincoln tocou a mão dela com um olhar complacente, dizendo que quem saiu perdendo foi Bobby.

—Obrigada Lincoln… —Lori dizia sentada ainda magoada, quando café ficou pronto Lincoln se levantou da mesa para servir uma xícara para ela, Lincoln ficou de costas servindo o café, mas foi surpreendido por um abraço forte. Sentia os fartos seios de sua irmã nas costas. —Você é o melhor irmão… —Ela disse com a voz arrastada.

Lincoln ficou rígido porque Lori não era de demonstrar carinho físico como Lily, Lana, Luan e Leni… A irmã mais velha tinha um jeito mais afastado, como tinham Lucy, Lynn, Lola e Lisa. Entretanto aqui estava ela o abraçando com força.

—Porque você é um cara tão legal? A Ronnie Anne tem sorte. —Lori disse algo doce apesar do hálito de bebida.

—Eu já disse que a Ronnie Anne não é minha namorada! — Lincoln disse corado.

Em geral Lori iria ignorá-lo e apenas dizer que ele estava em negação, mas naquele dia… Naquele dia ela ficou feliz em ouvir isso… Lincoln sentiu um calafrio subindo a espinha quando sentiu sua irmã mais velha beijando sua nuca.

—Você é um homem de verdade Lincoln… — Lori apertava mais o abraço enquanto o rapaz ficava sem reação.

Lincoln era um nerd, todos sabiam disso, ele nunca teve nada além de uns beijinhos com meninas da escola porque estava muito ocupado ganhando dinheiro projetando algumas coisas junto com a Lisa, mas agora ele sentiu toda a puberdade batendo sua porta, ou melhor, pressionando sua calça.

Lori desceu a mão passando pelas pernas do irmãozinho, vendo seu membro que enrijecia. Lori não estava pensando direito, ela nunca faria isso em uma situação normal porque ela prezava pela estrutura família, mas hoje ela queria agradar o irmão gentil.

Lincoln virou tentando impedir os toques suaves e ao olhar nos olhos dela o fogo da juventude explodiu, ela o beijou com força, lambendo os lábios, de início o jovem resistiu, toda a moral e ética dele estavam empregados em não ceder aqueles beijos travessos.

Bêbada Lori beijava de um jeito que Lincoln nunca tinha sentido com outras meninas da escola, tentando impedir as mãos de sua irmã ele segurou a bermuda, mas Lori colocou a mão na roupa íntima dele antes que ele pudesse evitar, ela apertou levemente e Lincoln não conseguiu segurar, o “menininho” arqueou as pernas.

Lori riu daquele ato inocente, por algum motivo o jeito dele a atraía.

—Você é gostoso. —Lori disse com uma voz abafada pois ela disse enquanto as línguas deles dançava.

Lori continuou puxando até que sentiu o liquido saindo de dentro dele, foi rápido… Lori sorriu apesar de forçado Lincoln parecia satisfeito.

Mas então foi surpreendida, por ele se jogando contra ela e caindo no chão. Lori tomou um susto quando ele arrancou a roupa íntima dela. Foi rápido quando ele a penetrou, Lori gritou, mas quando sentiu o membro de seu irmãozinho esfregar seu interior até seu útero. Foi deferente de Bobby, enquanto o primeiro apenas a penetrava sem fazer nada, Lincoln por outro lado a penetrava com um furor da juventude, enquanto isso a beijava com força e massageava os seios da mulher causando uma boa sobrecarga sensorial nela.

Lincoln nunca tinha transado, mas ele era atencioso aos detalhes, lembrou de tudo que sabia, até das aulas de biologia, Lincoln sabia que mulheres com seios mais volumosos têm mais terminações nervosas neles assim sentia mais.

—Ah… —Lori gemia entre os beijos apaixonados, ela nunca tinha sentido isso, porque Lincoln estava se esforçando.

Como ele já havia gozado antes, ele tinha mais tempo antes do ápice na segunda vez. Diferente de Bobby que parava quando atingia o máximo, Lincoln continuou, ele penetrava Lori com carinho e ao mesmo tempo com domínio.

Acelerando cada vez mais, os seios dela balançavam soltando líquidos leves comuns quando uma mulher está tendo muito prazer.

Estirada no chão da cozinha de pernas abertas Lori sentia seu interior devastado pelo irmão mais novo, era bom, muito bom. Lori sentia-se que o encache com ele era perfeito, o membro dele encostava perfeitamente nas paredes e estimulavam seu clítoris.

—Lincoln… Lincoln… —Lori nunca tinha sentindo prazer nesse nível antes, isso fazia seu cérebro funcionar mais devagar, ela não consegui formular um pedido avisando que ele não poderia ejacular dentro dela…

—Ahhhh…. Ahh…. Foda-se! —Lori gritou, o irmão não entendeu porque o palavrão, mas na verdade ela estava dizendo que ele podia gozar dentro dela. Lori tinha pílulas no seu quarto e tomava a cartela anticoncepcional mensal, então quando sua mente embranqueceu ela parou de se importar ela só focou que seu clitóris estava vibrando pelo pênis de seu irmão…

Foi quando ela abriu os olhos em choque percebendo a situação, ela estava no chão da sala, com o vestido imundo e com cheiro de cerveja, com sua calcinha encima da mesa e sendo ferozmente penetrada pelo seu único irmãozinho. O efeito do álcool passou quando ela percebeu isso.

—Lincoln! Para! Para! Ahhhhhh! —Ela gritou, mas era tarde demais, ela sentiu o corpo todo esquentar, sentiu do útero até os lábios a vagina se contorcer, ela já tinha lido sobre orgasmos, mas agora era a primeira vez que ela sentia um. Algo que não é fácil de uma mulher chegar, algo que acontece raramente e certas mulheres nunca sentirão… Foi avassalador quando tudo saiu ela sentiu o sêmen dele entrando fundo dela, a sensação durou pouco mais de quinze segundos…

Foi o bastante…

Ela ensopou o chão e ficou mole… A soma do orgasmo que relaxou cada músculo dela, mais a bebida que tem um forte efeito soporífico Lori colapsou inconsciente no chão.

Quando Lincoln percebeu ficou preocupado, com muita dificuldade levantou a irmã e começou a leva-a para o quarto, sem saber que outra irmã havia assistido tudo…

A irmã boca de lata e sorriso metálico tinha ouvido o barulho, a única que não dormia com tampões de ouvido ou que não tinha um sono pesado… Luan estava na escada ensopada e tremendo ao ouvir tudo… Quando o irmãozinho começou a andar Luan subiu as escadas correndo e entrou no quarto batendo a porta. Lincoln deixou Lori no quarto sem que Leni sequer percebesse pois ela dormia sempre com uma revista de moda no rosto, era fofo.

Lincoln desceu e limpou a sala, já eram duas da manhã!

Luan não dormiu, viu o irmão caminhando para o banho… Ela estava em transe… Ela não conseguiu desviar o caminho, saiu do quarto e caminhou pelo corredor até o banheiro…

Era estranho, mas ela não conseguiria fazer piada com o que viu... Ela queria repetir...

Em transe sem saber o que estava fazendo e o que queria.

Foi tudo culpa de Lori… Ela havia quebrado os limites.

E como é comum, Luan agora também queria destruí-los.

Mas isso é uma história para outro dia…

Afinal… Fodam-se os limites...


Notas Finais


Espero sinceramente que tenham gostado, comentários e recomendações são sempre bem vindos. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...