1. Spirit Fanfics >
  2. Família Specter >
  3. CAPÍTULO 2

História Família Specter - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, espero que gostem do segundo capítulo ☺️

Capítulo 2 - CAPÍTULO 2


HARVEY ON

Chego na firma ainda nervoso por tudo o que tinha acontecido, Greg as vezes me impressiona com as várias maneiras dele de querer chamar atenção. Não posso culpa-lo por isso, eu passo muito tempo aqui na firma e quando chego em casa brigo com ele por coisas banais, não que a gente viva sempre brigando, porém esses momentos se evidenciam mais do que os outros.

Vejo Caroline entrando na minha sala com um semblante preocupado. Caroline é minha filha mais velha, tem 23 anos e é formada em direito assim como eu, ela trabalha aqui na firma como sócia júnior, ela é um prodígio pra idade dela.

Percebo que ela está falando comigo, porém não escutei nada que ela disse.

- ... Pode me contar o que aconteceu? - pergunta ela preocupada.

- Aconteceu o que? - Digo sem entender do que ela estava falando.

- Eu procurei por você e o Mike disse que tinha saído pra ir na escola do Greg, por que precisou ir lá?

- Seu irmão xingou uma professora que QUASE resultou na sua expulsão! - Respondo ela irritado só de lembrar de toda a confusão.

- Mas como assim? Xingou? - Ela me indaga incrédula de que o irmão realmente tenho feito o que eu falei. Caroline sempre defendeu o Greg com unhas e dentes, ela praticamente me ajudou a criar ele, depois que a mãe foi embora e nunca mais voltou.

- Exatamente isso Caroline, seu irmão passou de qualquer limite hoje, mas já está tudo bem. Ele está em casa, provavelmente dormindo. - Digo dando de ombros, não quero falar sobre isso agora.

- Pai, sabe porque ele faz essas coisas e você ainda vai lá e bate nele!

- Como sabe que eu bati nele? E outra ele não tem 5 anos pra ficar aprontando igual uma criança que não sabe o que está fazendo! - Respondo me alterando um pouco, não gosto da maneira como ela me contrária quando o assunto é o Greg, ela sempre me coloca como o vilão da história, enquanto ele faz o papel de bom moço.

- Ninguém me falou nada, você mesmo acabou de me responder. Não precisa ficar nervoso, eu sei que isso é sério e que não podia passar em branco. - Diz ela tentando fazer minha paciência voltar. - Só que talvez se o senhor tentasse perguntar o por quê dele ter feito o que fez, as coisas fossem mais fáceis pra vocês.

- Eu já ouvi o suficiente por hoje Caroline, eu sei muito bem do que o seu irmão precisa e naquele momento eram boas cintadas, só assim pra ver se ele cresce. - Digo irritado. - Agora chega desse assunto!

- Tudo bem pai, eu sei não faz por mal. - Ela sempre tenta me deixar calmo quando estou a beira de surtar. Eu realmente não sei como Caroline pode ser minha filha, ela é o extremo oposto de mim, enquanto Greg é a minha cópia fiel.

Observo ela deixar minha sala enquanto volto minha atenção a papelada na minha mesa, tinha muita coisa para fazer, o caso contra o Daniel está sugando toda minha paciência e energia.

Levanto e vou até a sala da Jéssica pedir para de deixar assumir o caso como advogado principal, afinal eu sou muito melhor que o Louis nisso.

- Jéssica, você sabe que eu sou melhor nisso do que ele, o ponto alto do Louis são números e o meu são os acordos. É disso que precisamos agora, um acordo, assim ninguém sai manchado na história. - Digo a ela, que me observa de cima a baixo.

- Eu sei Harvey, sei que é melhor nisso do que Louis, mas o caso é dele, o máximo que você pode fazer é ajudá-lo pois não irei retirá-lo do caso. - Me responde calma como sempre. - Agora me diga por que está assim? Nervoso.

- Não estou nervoso! Eu irei ajudar o Louis nisso, mas tenho certeza que ele não irá me ouvir.

- Pois de um jeito dele ouvir, jogamos todos no mesmo time, se um cai, todos caímos, ao menos que você não ligue de cair ,faça alguma coisa! - É óbvio que com o nome da firma manchado todos nós caímos, mas isso não significa que afete diretamente a minha reputação.

Deixo a sala da Jéssica e decido terminar a papelada em casa.

Vou até o carro e dirijo até o apartamento, entro em casa e ela está silenciosa, o que é raro, porque mesmo Greg passando a maior parte do tempo sozinho aqui, ele sempre está jogando ou com o som alto.

Deixo as pastas na mesa de centro da sala e subo até os quartos, abro a porta do quarto do meu filho e o mesmo dorme de bruços sobre a cama. Observo ele dormir por alguns segundos, eu devo ter passado dos limites hoje, estava sem paciência e acabei descontando nele. Fecho a porta do seu quarto silenciosamente e volto para a sala.

Eu sei que sou duro com o Greg, de um jeito que nunca fui com a Caroline, porém ela também nunca me deu motivos para ser. Greg age por impulso na maioria das vezes e sempre acaba no meio de uma confusão, a pior parte é que ele não mente muito bem, então sempre leva a culpa das confusões. Ele é sincero e sensível, mais tem um gênio que as vezes me assusta.

Decido pedir comida para o jantar já que não sou muito bom na cozinha e Mari está de folga, Mari é a cozinheira aqui de casa.

Ligo e peço comida italiana, que é a favorita de todo mundo aqui em casa praticamente, assim que desligo o celular vejo Caroline entrar em casa, ela parece cansada e vem direto em minha direção.

- Está tudo bem? - Pergunto enquanto ela senta ao meu lado e deita no meu ombro.

- Está tudo bem, eu só estou cansada. - Responde ela me abraçando, passo meus braços em volta dela também. Eu sei que tem mais nessa história, mas não vou forçar ela a me contar.

Ficamos ali alguns minutos até que me levanto pra chamar o meu filho para jantar, a comida ainda não chegou, porém preciso conversar com ele antes de descermos pra comer.


Notas Finais


Eu mostrei a Caroline hoje, espero que gostem dela na história. Ela assim como os outros personagens serão um pouco diferentes aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...