1. Spirit Fanfics >
  2. Family -(Vkook)(ABO)-BTS >
  3. Capítulo 10

História Family -(Vkook)(ABO)-BTS - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 😊😊😊

Capítulo 10 - Capítulo 10


Fanfic / Fanfiction Family -(Vkook)(ABO)-BTS - Capítulo 10 - Capítulo 10

30 de Janeiro de 2020

"Esse será o nosso segredo..." Taehyung voltou para casa com isso em mente, ainda sentia o coração acelerado pelo medo de sua família. Pensou em todas as possibilidades de mentir para Jongho naquele momento, dizer que era apenas uma coincidência, mas teve medo de negar e o alfa resolver contar tudo para Heechul. Taehyung estava muito assustado e a frase do homem não saia de sua cabeça. Pagando o motorista e saindo do carro o ômega caminhou em direção a sua casa, sem ao menos reparar no Mercedes-Benz GT63S vermelho do outro lado da rua. Colocou a senha na porta e entrou.

-Papai! -Sarang correu até o pai e o abraçou. A alegria contagiante da filha acabou atingindo Taehyung e por mais que ele não estivesse bem um pequeno sorriso escapou de seus lábios. Sorriso esse que logo desapareceu quando levantou a cabeça e viu Jungkook ali.

-O que você tá fazendo aqui? -Taehyung não queria ser rude com o alfa mas não estava em suas melhores condições, emocionalmente. E ver Jungkook era o que ele menos queria no momento.

-Eu te mandei mensagem avisando que viria. Você não viu? -Taehyung negou. Tirou os sapatos e as meias, andando pela sala. -Eu ia embora depois de descobrir que você não estava em casa mas a babá da Sarang precisou ir pra casa. Foi algo urgente.

-Papai, o tio Lion pode dormir aqui hoje? Por favor! -Sarang juntou as mãozinhas, implorando para que o ômega deixasse.

-Você já deveria estar na cama, Sarang. -Desviou do assunto. -E chame ele pelo nome verdadeiro, se chamá-lo de tio Lion na rua as pessoas vão- -Foi cortado.

-Aconteceu alguma coisa enquanto esteve fora? -Jungkook perguntou, observando o Kim tirar o sobretudo. - Você... -Pigarreou. - Está estranho.

-Estou bem. -Respondeu sério, enquanto recolhia os brinquedos espalhados na sala, embora estivesse muito cansado. -Filha vá escovar os dentes para dormir.

-Ela já escovou. -Jungkook respondeu pela filha que estava focada em apenas terminar de colorir seu desenho, sentada em uma das cadeiras do conjuntinho de mesa infantil que Taehyung havia comprado a uns dias atrás. -Na verdade ela acordou logo depois que eu cheguei. -Sorriu, se agachando para ajudar o mais novo a recolher os brinquedos.

Taehyung continuava pensando no que faria dali em diante. Qual decisão seria a certa. Jongho ter descoberto sobre Jungkook não era e nem seria o maior de seus problemas. Sua real preocupação era Heechul, seu pai. Estava sim disposto a enfrentar o alfa caso precisasse, mas ao mesmo tempo tinha medo do que o Kim mais velho seria capaz de fazer para separa-lo de Jungkook mais uma vez. Taehyung estava tão preso em seus próprios pensamentos que despertou apenas quando sua mão tocou a do Jeon levemente, no momento em que os dois ergueram as mãos para pegar o último brinquedo que restara. Ambos levantaram a cabeça, fixando o olhar um no outro. Taehyung questionava mentalmente porque situações como aquela continuavam a acontecer. Isso só deixava seus sentimentos mais bagunçados ainda.

-Acha que ela sentiu minha presença?

-Co-Como?? -Franziu o cenho, confuso com a pergunta repentina do alfa. Jungkook sorriu, olhando para a filha, querendo ter a certeza de que a mesma estava longe o bastante para não ouvir suas seguintes palavras.

-Dizem que os filhos conseguem sentir a presença do pai alfa quando estão por perto. Talvez por isso ela tenha acordado quando eu cheguei. - Taehyung puxou a própria mão, afastando da do Jeon, que estranhou sua atitude.

-Não sei... -Ficou de pé. Os dois colocaram os brinquedos no cesto organizador que ficava no canto da sala e o Kim se virou para a filha. -Hora de se despedir do tio Jungkook, Sarang.

-Mas o tio Li- o tio Jungkook vai dormir aqui. -A garotinha largou o lápis de pintar e correu até o Jeon, agarrando suas pernas como se pudesse impedi-lo de ir embora. -Você vai ficar não é tio?

-Eu posso vir outro dia, princesa. -Falou, sorrindo terno.

-Amanhã??

-Amanhã estaremos na empresa. -Taehyung disse, cruzando os braços.

-Pode ser na segunda então. -O alfa pegou a filha nos braços, fazendo a mesma enlaçar os dela em seu pescoço, deitando a cabeça em seu ombro.

Taehyung sabia que nada do que dissesse seria capaz de impedir Jungkook de ir ver a filha. E não é que quisesse fazer isso mas o Kim, por hora, achava que o melhor seria evitar encontros com o alfa e a mais nova.

Enquanto Jungkook tentava colocar Sarang para dormir Taehyung foi para a cozinha preparar um chocolate quente para si, já que fazia muito frio. Lavou as mãos e logo depois as enxugou num pano de prato. Nas pontas dos pés o ômega alcançou uma panela que estava na parte superior do armário, antes de pegar todos os ingredientes que iria usar. Com a panela pousada em cima do fogão colocou o leite, o chocolate em pó e o amido de milho dentro, começando a mexer tudo com uma colher.

Quando chegou no quarto da filha com duas canecas nas mãos Taehyung ficou parado próximo a porta, contemplando a cena mais linda que já vira. Jungkook cantarolando baixinho uma música enquanto afagava os cabelos da mais nova. O Kim se aproximou da cama deixando a caneca do alfa em cima da mesa de cabeceira, recebendo um "obrigado" em resposta.

-Está nevando muito. -Comentou baixinho, olhando da janela a neve caindo.

Jungkook cobriu Sarang com o edredom e depositou um selar em sua testa, se afastando da cama com cuidado e fazendo silêncio para que a criança não acordasse novamente. Pegou a caneca do criado-mudo e caminhou em direção a janela, ficando a pouquíssimos centímetros de distância do Kim, que estava de costas para si.

-É, está mesmo. -O hálito quente chocou-se contra a nuca de Taehyung, fazendo seus pelos eriçarem. Ele engoliu em seco e se virou, seus lábios quase roçaram os de Jungkook e precisou dar um passo para trás. Mesmo que as vozes dentro de si falassem para que o beijasse.

Taehyung sentia falta dos beijos do ex-namorado. Sentia falta de seus abraços e das suas declarações de amor. Queria poder voltar no tempo e mudar suas decisões. Queria ter pego o primeiro táxi que visse na rua e correr até a casa do namorado, e dizer que estava esperando um filho seu. Imaginou a expressão de felicidade de Jungkook quando descobrisse e os surtos de alegria de Hoseok, já que segundo o mesmo, um de seus maiores sonhos era ser avô. Yoongi provavelmente daria um sermão nos dois adolescentes mas no final os parabenizaria. A vontade de chorar voltou como uma onda e Taehyung cobriu os olhos com a única mão livre, não querendo que o mais velho o visse tão vulnerável.

-Tae, você está chorando?? -Jungkook indagou surpreso. -O que foi?? Eu fiz alguma coisa?? -Taehyung negou com a cabeça, soluçando baixinho.

-E-Eu estou... -Seus soluços se intensificaram e ele mal conseguia falar.

-Calma. - Pegou a caneca das mãos do Kim e a deixou em cima da cômoda, junto a sua. -Vem aqui. -O alfa o segurou pelos ombros e o trouxe para perto de si, abraçando-o. -Se acalme, uh? Eu estou aqui...

Taehyung agarrou o Jeon ainda mais, temendo que a qualquer momento ele se fosse, e continuou chorando baixinho. Não sabia o motivo daquilo estar acontecendo consigo, talvez só estivesse exausto, o enorme peso que carregava nas costas era horrível. O peso da culpa, do medo, das mentiras e do desespero. Culpa por ter abandonado Jungkook, medo das ações do pai, as mentiras que contou para a filha sobre seu pai alfa não estar vivo e o desespero por saber que seu segredo estava nas mãos de um completo desconhecido, Choi Jongho. A um tempo atrás Taehyung disse a si mesmo que não voltaria a chorar e resolveria todos os seus problemas como um homem adulto. Mas adultos também tem o direito de chorar... Certo? Todo ser humano tem uma fragilidade, seja ela qual for. É impossível ser 100% feliz e 100% forte. Podemos estar muito contentes em um momento e começar a chorar logo depois, isso ocorre na maioria das vezes com pessoas que lidam com muitas coisas ao mesmo tempo. Deixando-as afetadas emocionalmente e até mesmo desestabilizadas.

- Eu sabia que tinha algo de errado quando você chegou. -O Jeon começou a falar. -Me fala, Tae, o que aconteceu? -Perguntou preocupado. -Foi o seu pai, não foi?

Jungkook não teve resposta. O mesmo olhou na direção da cama e viu que sua filha ainda dormia serenamente. Com um suspiro fraco abraçou o Kim de lado, envolvendo sua cintura com o braço e o conduzindo para fora do cômodo. A porta do quarto de Taehyung estava aberta e o mais velho apenas deduziu que aquele fosse o cômodo certo. Entrou no mesmo ao lado do ômega e o levou até a cama. Por longos minutos Jungkook não disse nada, apenas ficou ouvindo os soluços e sentindo as lágrimas do Kim molharem sua camisa. Ver Taehyung daquele jeito preocupou muito o Jeon, nem mesmo quando os dois eram jovens havia presenciado ele ter uma crise de choro como aquela. Mas isso acabou o fazendo recordar-se de uma lembrança antiga...

[....]

ANOS ATRÁS...

17 de março de 2014

O sol não surgiu naquela manhã. Chovia muito e o frio só fazia com que Taehyung se negasse cada vez mais a se levantar da cama e sair do ninho quentinho que criou entre os lençóis. Usava meias vermelhas e um dos pares de moletons de casal que havia ganhado de presente de Jungkook no dia dos namorados. Não se importava de serem o casal mais meloso do mundo, gostava de ser presenteado com coisas bregas, achava o alfa incrivelmente fofo quando, na hora do almoço na escola, o mesmo dava os morangos que vinham em sua sobremesa para o Kim. E amava as declarações clichês do namorado, na maioria das vezes roubadas de algum dorama que eles assistiam juntos ou dos mangás que o Jeon costumava ler.

Naquela fria manhã Taehyung não acordou nada bem, havia perdido seu animalzinho de estimação no qual tanto amava na tarde anterior. Ganhou Snow no seu aniversário de 11 anos, de Namjoon. Isso após ter chorado por seus pais não estarem presentes no dia mais importante de sua vida. Ainda se lembrava das palavras do mordomo. "Ele será sempre o seu companheiro, nunca te fará se sentir sozinho. Snow vai ser seu melhor amigo." E agora, após 5 anos terem se passado, seu porquinho da Índia havia partido. Taehyung não saiu do quarto desde então, nem mesmo para se alimentar. Rejeitando qualquer pedido de algum empregado para que descesse para comer. Até mesmo de Namjoon. E logo após se passarem 5 minutos desde a última beta que bateu na porta do seu quarto para chamá-lo para almoçar, novamente Taehyung escutou batidinhas.

-Eu já disse que não estou com fome! -Gritou.

Dessa vez a pessoa não insistiu e o Kim imaginou que a mesma teria ido embora. E então bateram de novo. O ômega bufou e se levantou da cama, estava irritado, e por mais que não quisesse descontar sua raiva nas betas que trabalhavam na mansão o Kim não conseguiu se controlar, e ao abrir a porta do quarto já estava preparado para xingar a pessoa.

-Quantas vezes vou ter qu- -Parou de falar. A perplexidade o atingiu e seus olhos inchados pelo choro se arregalaram. -Jungkookie??

-Oi... O Namjoon me deixou entrar. -O alfa sorriu sem mostrar os dentes. -Eu posso entrar? -Apontou para o quarto do namorado e mesmo atordoado o mais novo assentiu. Cedeu espaço para que ele entrasse, fechando a porta logo em seguida. A primeira coisa que Jungkook olhou foi o cercadinho onde Snow vivia, agora vazio... Era a primeira vez que entrava no quarto do Kim. Se surpreendeu com o tamanho daquele cômodo.

-Como você sabia que meus pais não estavam em casa? -Questionou voltando para a cama e se cobrindo outra vez.

-Eu não sabia. -Deu de ombros. -Vim correndo assim que o senhor Kim me ligou e contou o que estava acontecendo.

-O tio Jonnie é um linguarudo. -Taehyung cruzou os braços, emburrado.

Jungkook tirou as pantufas e se sentou na cama, afastando os lençóis para aconchegar-se ao namorado que não pensou duas vezes ao retribuir o abraço. Soltando um suspiro de satisfação ao sentir o corpo quentinho do seu alfa.

-Você tem que se cuidar, Tae. -Murmurou. -Não quero te ver doente.

-Eu perdi o Snow...

-Eu sei... Sinto muito... -O Kim fechou os olhos ao senti-los úmidos novamente.

-Desde que me entendo por gente eu sempre me senti solitário. -Falou melancólico. - Quando eu tinha 10 anos comecei a ter pesadelos constantemente... Eu tinha medo de ficar nessa casa, sozinho. Foi por isso que o tio Jonnie decidiu me dar um animalzinho de estimação. -Sorriu triste, derramando algumas lágrimas. -Ele tinha que lidar com o trabalho dele na mansão então nem sempre tinha tempo para brincar comigo, por isso ele adotou o Snow. Nós até escolhemos o nome juntos. -O ômega mordeu o lábio inferior, querendo conter a vontade de chorar ainda mais. -Minha mãe foi totalmente contra, mas quando viu que o Snow me ajudou com os pesadelos ela não reclamou mais...

-Ele era muito importante pra você, não era? -Taehyung concordou, escondendo o rosto na curvatura do pescoço do Jeon.

-E-Ele não me fazia se sentir desamparado.

-Eu estou aqui, meu amor. - Jungkook sussurrou. -Não vou te deixar se sentir solitário. Se você quiser chorar... Pode chorar.

E Taehyung chorou. Chorou muito. E no final os dois adolescentes adormeceram ali. Abraçados um ao outro. Jungkook jurou naquele dia que nunca abandonaria o namorado. Não por ter sentido pena ou algo do tipo, mas sim por que o amava. O amava muito e momentos como aquele o fazia querer cuidar dele e protegê-lo. Taehyung era tudo pra si...

[....]

DIAS ATUAIS...

Seul, 30 de Janeiro de 2020

Jungkook sempre admirou o Kim por conseguir enfrentar seus pais independentemente das consequências que aquilo traria, mas também se preocupava por saber que aquelas coisas afetavam muito o mais novo, por mais que ele evitasse demonstrar isso. Quando Taehyung parou de chorar a primeira coisa que disse foi "Eu quero beber". Jungkook tentou fazê-lo mudar de idéia, afinal já estava muito tarde e o ômega não estava bem para ingerir bebida alcoólica. Mas as palavras do alfa não surtiram efeito. Pensou em colocá-lo na cama e ir para casa, mas ficou apreensivo. Taehyung poderia começar a beber assim que partisse. Por esse motivo o Jeon continuava ali, sentado no sofá da sala, dividindo mais uma garrafa de soju com o mais novo.

-Meu pai é um grande idiota. -Taehyung riu sem ânimo, levando o copo até a boca, engolindo o líquido de uma vez.

-Isso não é novidade alguma...

-Acha que ainda pode tomar decisões sobre mim. Você acredita que ele teve a ousadia de me pedir pra trabalhar para um dos sócios dele? -Taehyung gesticulou as mãos e o alfa puxou as garrafas vazias de perto dele, com medo de que ele acabasse batendo sem querer.

-Então foi isso que te deixou estressado? -Taehyung negou com a cabeça.

Jungkook não insistiu mais no assunto. Não iria tentar forçar o ômega a lhe dizer, ainda mais com ele bêbado daquele jeito. Se Taehyung sentia que aquele não era o momento certo para falar então Jungkook esperaria.

-Eu quero você. -Disse de repente, tirando o Jeon de seus devaneios.

-O-O quê...?

-Eu quero muito você de volta. -Taehyung foi sincero. As bochechas começaram a esquentar quando suas orbes encontraram as do alfa. Num ímpeto de coragem se levantou do sofá e se ajoelhou na frente do mais velho.

-Taehyung, não faça isso...

-Eu te amo. -Jungkook fechou os olhos ao ouvir as três palavras ditas pelo rapaz. -Eu senti a sua falta durante todos esses anos, Jungkookie.

-Você só está dizendo isso porque está bêbado. Não fale coisas da qual irá se arrepender depois...

-Não... -Acariciou a bochecha do alfa, fazendo-o pender a cabeça para o lado, aproveitando o carinho. - Eu bebi para poder criar coragem e te falar isso. -Jungkook abriu os olhos. Vendo o quão perigosamente próximo estava do ex-namorado. -Esse sou eu te dizendo meus verdadeiros sentimentos, Jungkookie...

- Eu também senti sua falta, Taehyung. -Estava na hora de libertar as dores do passado. O Jeon necessitava disso. -Eu quis morrer quando soube que você havia partido. Que tinha me deixado...

-E eu me sinto a pior pessoa do mundo por isso. Mas eu realmente espero que um dia você possa me perdoar. -A visão do Kim embaçou com as lágrimas e ele piscou, as fazendo escorrer de seus olhos.

-A culpa não foi sua. -Respirou profundamente, segurando a mão do ômega. -Não tinha como você imaginar que aquilo tudo iria acontecer.

-Mas se eu tivesse-

-Éramos dois adolescentes, Tae. Eu sei que assim como eu você também sofreu. -Jungkook se levantou do sofá, ajudando o mais novo a se erguer do chão. -Está tudo bem... -Taehyung se jogou nos seus braços, chorando copiosamente.

-Me-Me desculpa. Me desculpa por tudo, Jungkookie.

Jungkook se sentiu mal por só agora ver o quão abalado Taehyung também estava. Achava que só ele tinha sofrido e carregado aquela dor horrível no peito por 5 anos, mas o ômega também havia passado por coisas ruins. E mesmo que não soubesse quais eram, Jungkook não voltaria a julgá-lo mais uma vez.

-Eu também amo você. -Confessou em um murmúrio. Taehyung se afastou, o encarando cético.

-A-Ama??

-Sim. Ainda te amo.

O Kim levou a canhota em direção a nuca do Jeon, enfiando-a entre seus cabelos. Jungkook encarou os doces lábios do mais novo e deslizou o polegar pelo seu lábio inferior, fazendo-o entreabir a boca.

-Eu quero te beijar... Isso é o que eu mais desejo agora. -Desviou o olhar de sua boca para seus olhos.

-E... E o que te impede de fazer isso? -O modelo perguntou hesitante.

-Você. -Foi sincero. -Tenho medo de fazer algo que te faça ir embora outra vez. -Jungkook encostou a testa na do ômega enquanto segurava sua nuca, fechando os olhos assim como o mais novo. - Eu não iria superar te perder outra vez... -Murmurou sentindo um nó na garganta.

-Eu não vou embora. Eu prometo. -Segurou o rosto do Jeon com as duas mãos e abriu os olhos, os fixando nos dele. -Eu também te quero. Também quero beijar você, Jungkook.

- Você quer?

Taehyung assentiu. O seu consentimento fora resposta suficiente para o alfa agir. Unindo os lábios de ambos. Não foi algo lento e delicado. A saudade que os dois sentiam um do outro os invadiu naquele momento e Jungkook não perdeu tempo. Sua língua adentrou a boca do ômega, numa necessidade urgente de prová-lo outra vez. De sentir seus lábios macios contra os seus. A deliciosa sensação das línguas uma na outra causou um misto de sentimentos bons em cada um. A euforia que apoderou-se de Taehyung era inexplicável.

Os dois só conseguiram se afastar quando o ar faltou. E não ousaram seguir adiante com mais ações ao se lembrarem que a filha dormia no cômodo ao lado. Um enorme sorriso iluminou o rosto do Kim e Jungkook riu soprado. Estavam felizes por finalmente terem dito o que sentiam e pensavam um do outro. Taehyung não iria mais fugir. Se tivesse que superar seus medos para estar com o alfa que amava... Ele o faria. Porque se tinha algo que o Kim deseja mais que tudo no mundo era estar com...

-Você.


Notas Finais


PRIMEIRO BEIJO DOS TAEKOOK!!😔❤❤

Espero que tenham gostado do capítulo!

Será que o Tae vai se arrepender do beijo? Ou melhor! Será que ele vai se lembrar de tudo?? Hehehe deixem aí nos comentários a opinião de vcs. Os Taekook irão voltar a ficar juntinhos??

Até a próxima💕
Se cuidem!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...