História Famous - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Harry Styles, One Direction, Romance
Visualizações 25
Palavras 1.508
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 13 - 012


Escuto um barulho horrível vindo de fora do apartamento, como se muitas pessoas gritassem e conversassem ao mesmo tempo, como no show do Harry, só que um pouco mais longe e mais abafado. Há algo duro, porém confortável em baixo de minha cabeça, percebo que é o peito do Harry. Parte de mim se sente aliviada por ele não ter ido embora cedo, mas no estado em que ele se encontrava ontem, era impossível dele o fazer. Tento cobrir minha cabeça com o lençol, mas é quase impossível e o barulho nunca cessa.

Levanto-me o mais rápido possível e caminho até a sala, onde abro a porta de vidro que da acesso a frente do apartamento. Há várias pessoas gritando e com celulares e alguns cartazes estendidos. A única coisa que eu conseguia escutar era gritos sincronizados chamando Harry.

"Eu não sei como você conseguiu dormir por tanto tempo" resmunga Hannah, enquanto fecha a porta de vidro e senta em outra cadeira ao meu lado. Ela trajava um roupão branco e pantufas. Uma de suas mãos segura uma xícara de café e a outra uma colher de sobremesa.

"Você pode me explicar o que está acontecendo?" Hannah revira os olhos, enquanto assopra o café quente em suas mãos. Consigo ver a pouca fumaça subir através das bordas e o cheiro de café entrar por minhas narinas.

"Seu namorado aconteceu" o sorriso malicioso, que eu tanto odiava nela, se abriu "Por isso que você dormiu bem, não é?"

"Céus, você é maluca!" ela gargalha e deixa a xícara na mesinha.

"Descobriram que o seu namoradinho veio em nosso apartamento ontem" falou "Não exatamente o quarto, mas o local em si".

"Em que merda eu fui me meter?" pergunto mais pra mim que pra Hannah e passo uma das mãos em meu rosto.

"Acho melhor ele não ir pra casa por agora, até tudo abaixar" desta vez, tenho que concordar com ela "Mark deve estar chegando e eu ainda não estou pronta" se levanta e olha em seu relógio de pulso "Deixei o café pronto e posto na mesa" assinto novamente e ela planta um beijo em minha bochecha.

Levanto-me em seguida e fecho a porta, apenas para abafar o barulho do pessoal gritando em baixo de nós. Eu espero que elas desistam cedo dessa loucura, porque o barulho está tão alto e provavelmente está incomodando a vizinhança.

"Bom dia?" Harry me assusta e, quando me viro, uma de suas sobrancelhas está arqueada, demonstrando estar confuso.

"Bom dia, Harry" cumprimento e ele coça a cabeça em desconforto.

"Desculpe-me por ontem e pelo tapete" ele sorri de lado "Prometo que pago outro".

"Não precisa se preocupar" ele assente e tenta espiar pela porta de vidro "Posso te perguntar uma coisa?" ele parece ponderar a pergunta, mas assente em seguida "Ontem a noite você disse que minha imagem de lingerie não saía da sua cabeça" afirmo e engulo em seco. Não consigo falar essas coisas sem começar a corar, mas eu precisava tanto saber "Você falou sério ou..."

"Por que, Cecília?" pergunta sério e lambe seu lábio superior "Isso te deixa constrangida?" encosta mais perto, enquanto eu tento me afastar. Merda "Saber que eu vi você de roupas intimas te deixa constrangida?"

Suas palavras soam como na noite passada, mas dessa vez sem embaraços. Suas pupilas verdes me encaram fixamente e intensamente. Harry começa a andar em minha direção, enquanto eu caminho de costas. São necessários apenas três passos para que eu bata meu corpo contra o vidro frio da porta, quando eu o faço, as mãos de Harry pousam ao lado do meu pescoço. Agora ele não tem a desculpa da bebida para me parar, muito menos eu.

Seu peitoral está tão exposto em minha frente. Consigo ver o "v" completamente desenhado de sua virilha, enquanto a calça cobre uma boa parte. Seu peito sobe e desce tranquilamente, enquanto minha respiração está descompassada e meu peito parece querer sair da caixa torácica.

"Você é um gosto tão bom" diz, como se estivesse faminto. A maneira como ele me olha, me deixa mais confiante, mas ao mesmo tempo me faz sentir como se estivesse nua em sua frente "Posso prová-la novamente, Ceci?" pergunta e arqueia a sobrancelha. Sua respiração bate contra meu rosto e eu não consigo sibilar nem mesmo palavras monossilábicas, então apenas assinto com a cabeça.

Há um fogo crescendo em meu corpo e eu quero tanto. Esses dias que ficamos nos provocando, só aguçou minha vontade de tê-lo em mim. Eu nunca quis tanto em minha vida perder minha virgindade, mesmo que minha inexperiência e timidez estejam no ápice nesta manhã. Suas provocações continuam a me deixar louca como nunca estive.

"Diz pra mim, huh" pede e eu não consigo falar nada, apenas sentir sua pela roçando na minha, o calor que emana do seu corpo e meu estômago revirar "Diz, Ceci. Eu preciso ouvir você falar que também quer que eu lhe proporcione tudo aquilo que você sentiu no seu sofá" frisa seu sofá e minhas bochechas estão avermelhadas.

"Eu quero" sussurro tão perto. Vejo, antes dos seus lábios atacarem os meus, um sorriso de lado se formar em seu rosto.

À maneira que nos beijamos me faz perceber que eu queria beijá-lo desde ontem, quando ele havia me deixado em casa e nos despedimos beijando a bochecha. Pareceu algo tão errado, quando já nos beijamos várias vezes. O toque de suas mãos fazia o local formigar de maneira deliciosa.

Suas mãos descem desde a minha cintura até entrar dentro do pano fino do short de dormir e apertar minhas nádegas fortemente. Estranhamente, não me senti desconfortável. Suas mãos e sua boca sabiam onde e como me tocar, espalhando arrepios por meu corpo todo. Podia sentir as gotículas de suor se formando em meu rosto, embora a temperatura não esteja tão alta.

Coloco minhas pernas ao redor da sua cintura e ele sobe as mãos para minhas coxas, me segurando firmemente. Harry me carrega até meu quarto, sem deixar de me beijar ou acariciar meu corpo. Sinto o macio do meu colchão, quando ele me joga em cima do mesmo. Os lençóis, ainda bagunçados, têm cheiro de lavanda e me faz lembrar os lençóis da casa do Harry.

Grunhi com a falta de contato entre nossos corpos, mas não tardou até ele ficar em cima de mim e começar a friccionar seu corpo no meu. O contato de fricção do jeans grosso em mim me fazia querer muito mais. Puxei sua nuca e o beijei, tentando conter os gemidos, mas estava tão bom e ele movia tão bem em cima de mim. Seus cabelos são macios e sedosos, cheirando a meu shampoo de baunilha favorito.

Uma de suas mãos escorregou para o meu seio, apertando-o por cima da blusa e eu levei as minhas até suas costas, arranhando-as. Meus movimentos e gemidos eram involuntários, enquanto Harry parecia saber tudo o que fazia e o momento em que seriam feitos.

Harry parou de friccionar seu corpo no meu apenas para tirar minha blusa fina e deixar meus seios expostos. Gemi quando senti sua boca em um de meus seios, enquanto sua mão brincava com o outro. Sua mão era quente e grossa e o contato delas com meus seios era delicioso.

Sua atenção voltada os meus seio durou pouco tempo, porque minutos depois ele começa a beijar minha barriga até parar em minha cintura, deixando rastos pouco molhados por onde sua boca roçava. Sua respiração quente percorria o mesmo caminho e me fazia contrair com inteira. Ficou tão difícil de controlar tudo, desde a respiração até o juízo que me restava.

Gritei quando senti seus lábios beijarem minha vagina, depois ele começou a chupá-la de maneira deliciosa. Movi minhas mãos até o lençol e comecei a puxá-lo de forma brusca, enquanto meus olhos reviravam. Sentia sua língua subir e descer, oscilando entre os ritmos rápido e lento e a cada movimento, eu me contorcia.

Sua língua movia tão bem em mim, deixando-me louca, de maneira que me fizesse gemer alto e deixar o lençol de lado para mover minhas mãos até seu cabelo. Perguntava-me o porquê de não ter provado esta sensação antes, se era tão incrível. Tudo melhorou ainda mais - se é que era possível -, quando seus dedos entraram em minha vagina, movendo rapidamente.

A junção da sua língua e seus dedos foram a combinação perfeita para me levar à loucura. E céus, ele movia tão bem tanto com as mãos, quanto à língua. O quarto inteiro parecia estar em chamas e se ele fosse desabar a qualquer momento, essa seria minha última preocupação.

Puxei seus cabelos com as mãos, enquanto arfava e os espasmos e o êxtase me consumiam. Meu corpo inteiro formigava e ele se levantou, depois de lamber cada centímetro da minha intimidade e beijou-me. O sabor de menta havia sido trocado por outro estranho e minhas entranhas estremeceram apenas por pensar.

"Você ainda vai me levar à loucura qualquer dia desses, Cecilia" ele já havia me levado há muito tempo atrás.


Notas Finais


Oláaaaa! Tudo bem?

Espero imensamente que gostem do capítulo szsz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...