História Fan Universe - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Dean Winchester, Gabriel, Lúcifer, Michael, Miguel, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Castiel, Dean Winchester, Destiel, Jack, Lucifer, Michael, Michifer, Miguel, Sam Winchester, Supernatural
Visualizações 45
Palavras 5.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey guys olha ai a seguidinha do dia!

Espero que gostem do capítulo!

Boa leitura ;3

Capítulo 17 - Capítulo 16 - Planos desastrosos e terapia de casal.


Todos entraram para o bunker, Allis ia seguir para o quarto para poder deixar suas coisas, não sem antes ser recepcionada por uma Raji eufórica que fazia de tudo pra subir no seu colo.

- Raji não largou seu quarto, foi um pesadelo conseguir fazê-la comer qualquer coisa que fosse... – Sam disse cruzando os braços.

- Mas claro que nosso querido gigante aqui conseguiu e de quebra ainda fez companhia pra ela... Isso não é um baita de um homem? – Lukas indicou Sam como se indicasse uma roupa no manequim.

- Hey, o Gabe também fez isso tá? – Gabriel disse cruzando os braços e emburrando.

- Vocês são mentirosos demais! Quem cuidou dela foi o Lúcifer que nem deu atenção pra mim! - Miguel exclamou emburrado.

- Okay... – Allis disse segurando o riso – obrigada por cuidarem da Raji. Agora vou mesmo pro quarto e depois vocês me contam do campo de batalha lá de fora...

- Eu te ajudo com as malas...

Gabe até correu, mas Sam foi mais rápido, fora o fator Lúcifer controlando o irmão que olhou mortalmente o loiro mais velho e depois olhou triste em direção a Sam que conversava animadamente com Allis que coçava a cabeça de Raji.

- Sério que vocês vão continuar com isso? – o loiro baixinho perguntou emburrado.

- Sério que você ainda não percebeu que não tem chance? – Lúci rebateu.

- Allis está solteira, até onde sei qualquer um que também esteja pode tentar e pelo que posso concluir de uma semana atrás o gigante ali tomou a decisão dele...

- Isso não nos fará desistir... É por Allis que estamos fazendo isso! – Lukas cruzou os braços, o amigo o olhou magoado – desculpa Gabe, mas eu shippo muito Alliam.

- Ótimo... Se querem guerra é guerra que terão! – declarou o menor estufando o peito.

- Vocês são ridículos... – Dean revirou os olhos – Jack como foi lá?

O moreno e o loiro iam protestar, mas Jack se adiantou.

- Chegamos e vimos uma garota de cabelo azul correndo da casa dela...

- Devia ser a Ana, ela é afim da Allis... – todos assustaram ao verem Sam escorado na porta – continue...

Jack assentiu enquanto o mesmo entrava e se apoiava na mesa da biblioteca.

- Bom vimos essa menina correndo e Lis já correu pra dentro de casa, não precisei controla-la ou convencê-la a dizer a verdade. Eu fiz aquilo que vocês disseram e fiquei invisível aos olhos deles... – Jack engoliu em seco, a cena repassou em sua mente e ele se perguntou como sua mais nova irmãzinha estava e como se sentia em relação a isso.

- Jack...? O que aconteceu? – Lukas perguntou ao loiro apreensivo.

- Eles começaram a brigar, quer dizer o pai dela perguntou se era verdade que ela ficava com mulheres e depois que ela confirmou ele disse coisas horríveis a ela e ambos começaram a gritar até que... – sua voz morreu ali.

- Até que...? Vamos Jack precisamos saber! – Miguel disse incentivando o garoto.

Jack ficou mais um tempo mudo até que ouviram.

- Até que meu pai me deu um soco e eu cai, depois mais uns xingamentos e levei um chute que deve ter fraturado uma...

- Foram duas costelas Allis, duas costelas e uma cara roxa que eu podia ter evitado! – Jack tinha os olhos dourados mirados na garota que estava de braços cruzados o encarando.

- Não Jack, você não podia, não sem causar uma confusão maior ainda...

Allis suspeitou de alguma coisa assim que o loiro atravessou o portal junto com ela, sabia que eles tinham planejado algo e mesmo que ela não fosse falar em voz alta estava grata por isso, grata por ter se livrado de um peso tão grande. Sua família a odiava? Tudo bem, ela já estava acostumada a isso, mas isso não queria dizer que não pesava.

- Sem contar que logo depois você me curou não foi, então relaxa Brow, estamos de boa. – ela sorriu para o loiro que só assentiu – então ainda tem algo pra comer aqui ou vocês já acabaram com tudo?

- Pensei em irmos a alguma lanchonete, seu retorno merece ser comemorado. – Dean sorriu e a mesma deu de ombros e concordou.

- Ótimo, então vamos todos tomar banho e nos aprontar! – Castiel disse batendo palmas

Os casais foram se retirando sobrando Sam, Allis e Gabe.

- Não vão brigar de novo né? – ela intercalou o olhar entre eles.

- Allis preciso saber... – Gabe começou – o que sente por Sam?

Tanto um como o outro arregalaram os olhos. Gabe pela primeira vez estava sério, ele queria conquistar a garota, mas sabia que com ela apaixonada pelo alce não teria chance.

- Gabe é complicado dizer... Acho que tudo que eu poderia dizer eu já disse a ele.

- O que sente por ela? – Gabe agora direcionou a pergunta a Sam que coçava a nuca.

- É complicado.

- Bom então eu vou ser o direto aqui: sou bissexual e os dois me atraem, to disposto a um relacionamento a 3, mas se não gostarem um do outro eu dou preferência a gatinha aqui. – disse indicando Allis que estava de boca aberta – to indo me arrumar, estejam cheirosos e gostosos!

Então sumiu.

- Esse cara tem problema... – Sam murmurou.

- Olha até que a ideia não é ruim... – Allis deu de ombros e seguiu pelo corredor deixando Sam abismado pra trás.

(...)

Allis olhava no espelho, ela estava pronta com uma camiseta aberta nos ombros preta escrito em branco “procurando sua opinião...” uma calça jeans azul e tênis pretos com detalhes rosa claro. Seus olhos tinham perdido um pouco o brilho e ela sabia o porquê, suspirou, não seria fácil, nunca fora fácil. Rejeitada por toda a família por ser pansexual não era algo fácil de lidar.

- Imagina se eles sequer descobrissem que, além disso, tenho o gênero fluído...

Allis soltou uma risada fraca que logo morreu, ela olhou pra cima para conter as lágrimas que queriam cair.

- Deus me ajude, se não to perdida.

- Duvido que Papai vá te ajudar, mas estou aqui pra isso.

Ela olhou pra trás e se deparou com Lúcifer que estava escorado na parede olhando-a, ele abriu os braços e a menor correu até ele, não podendo conter mais o rio de lágrimas que agora caia.

- Eu to aqui princesa eu to aqui... Nada nem ninguém vai te machucar de novo...

Ele a apertava em seu abraço, doía ver a única pessoa que se importou com ele de verdade sofrendo assim, Lúcifer queria matar da forma mais dolorosa toda a família da menina.

- Lúcifer eles me odeiam... – ela sussurrou.

- Você não precisa mais deles, você tem a gente... – ele acariciava sua costa – e que se ajeitar com o alce...

Ela fez uma careta e se afastou.

- Sério isso?

Ele deu de ombros então disse:

- Vocês se gostam, não tem nada mais certo que isso.

Ela bufou uma risada e secou o rosto, pediu pra ele esperá-la com os outros e foi até o banheiro lavar o rosto e terminar de se arrumar.

- Lúcifer é meio inconveniente né?

Allis levou um leve susto, mas riu de Gabriel olhando pra porta por onde o mais velho saiu.

- Estou chegando à conclusão que inconveniência é algo comum em arcanjos...

- Não sei do que está falando... – Gabe fingiu-se de desentendido arrancando leves risadas da menina – o que deu sua conversa com o alce aquela noite?

Gabe sabia, pois já havia conversado com o gigante, mas queria ouvir o lado dela agora.

- Bom ele disse que queria só amizade mesmo, que era melhor, tinha medo de eu me machucar e um monte de coisas que não quero lembrar...

- Que idiota! Se fosse eu já estaria agarrado aos beijos levando pra cama...

- É agora eu entendo quando dizem que não tenho pudor algum na fala. – riu.

- Detalhes meu doce, detalhes... Essa camiseta combina perfeitamente com você.

- Obrigada... Vamos? – disse abrindo a porta e dando passagem ao arcanjo com uma suave reverência.

- Que cavalheiro, agora me deixe mostrar meu cavalheirismo... – estendendo o braço para a menor que riu – estás muito bela senhorita Cortês, me daria a honra de acompanha-la?

- Claro... – respondeu rindo.

- Ótimo, agora as coisas ao estilo Gabe.

Pegou a mesma ao estilo noiva e se teleportou pra sala no meio de todos.

- A bela dama está pronta... Vamos?

- Não com ela no seu colo... – Sam rosnou.

- Devia ter ido lá primeiro candymam, ninguém mandou bobear. – Gabe mostrou a língua.

Allis riu, com certeza essa implicância não pararia tão cedo.

(...)

- Ok qual o plano? – Jack perguntou.

Dean revirou os olhos ele não acreditava que ainda estavam naquilo, em seu carro estavam: Lúcifer, Jack, Castiel e Lukas. Miguel acabou indo com Allis e os outros no carro da mesma;

- Que tal deixarmos lugares só para os dois e todos sairmos em um certo momento? – Lúcifer disse.

- ou podemos empurrar o Sam pra cima da Allis! – Castiel disse.

- Mas ai vai esmagar a Lis, vocês já viram o tamanho do Sam perto dela? Vamos fazer o oposto. – Lukas respondeu.

- Ou podíamos deixar o destino agir... – Dean disse se intrometendo

- Não... – os três responderam juntos e o caçador só bufou.

Eles foram o caminho todo arquitetando planos. Quando chegaram se olharam cúmplice e começaram a por os planos em ação, sentaram em uma mesa de 6 pessoas, eles só esqueceram de um detalhe...

- Parece que vamos ter que sentar os três solteirões em outra mesa... – Gabriel tinha um pirulito e um sorriso divertido nos lábios.

- Droga... – murmuraram Lúci, Luh e Cas.

- Eles ainda estão com isso de planos? – Miguel perguntou a ninguém específico.

- Sim... – o loiro de olhos esmeralda respondeu exasperado.

Os três fuzilavam Gabe enquanto na outra mesa o trio de solteiros conversava serenamente.

- Como é uma relação a três? – Sam perguntou confuso.

Allis mordeu o lábio para conter um sorriso, já Gabe sorriu abertamente e disse:

- É uma experiência bem interessante candymam... – sorriu malicioso – devia experimentar...

- Você já teve? – Sam direcionou a pergunta a Allis que evitava a todo custo olhá-los.

- Alliiiiis... – Gabe cantarolou.

A garota bufou e os encarou vermelha de vergonha.

- Digamos que eu possa ter tido...

Sam ficou boquiaberto e Gabe tinha um sorriso enorme, Allis só se escondeu atrás do cardápio e resmungou:

- Vamos mudar de assunto.

Os dois rapazes concordaram e eles começaram a falar de qualquer outra coisa. Em um momento Allis olha  em direção a entrada e vê um cara de olhos totalmente negros.

- Por que esse lugar ta infestado de demônios? – ela solta a pergunta pra ninguém específico.

Gabe e Sam olham na direção que ela está olhando e identificam o demônio.

- Fica aqui com ela... – o gigante murmura e Gabe assente colocando a mão embaixo da mesa.

Allis fica sem entender por um tempo e só percebe a gravidade da coisa quando Sam levanta e segue pra fora do estabelecimento e o demônio o segue, ela arregala os olhos e ameaça ir, mas é impedida por Gabe que segura seu braço e sinaliza que não. Sam sabia o que fazer, mas isso não deixava a garota mais calma, sua respiração estava celerada e ela começou a se preocupar. Sam parecia estar demorando demais, quando Gabe ameaça ir ver eis que o moreno aparece como se nada tivesse acontecido e ambos respiram aliviados.

- O que ta aconteceu? Por que tantos demônios? – a garota começou a disparar perguntas.

- Allis calma, respira! – Gabriel começou acariciando a mão da menina e Sam fazia o mesmo com a outra.

- Não sabemos ao certo, achamos que eles querem o de sempre, eu e o Dean, mas relaxa! Prometi que nada te aconteceria e nada vai acontecer. – o moreno beijou a mão da mesma e essa só assentiu.

Os pedidos chegaram e eles comeram em silêncio. Depois de terminarem e pagarem tudo resolveram olhar o céu em um campo aberto perto dali, enquanto caminhavam até ele eis que Lukas empurra Allis que bate em Sam, mas nada que movesse o gigante.

- Allis está bem?

- Sim... Lukas por que me empurrou? Pirou é?

- Eu não fiz nada... – Lukas colocou a mão no peito e Allis revirou os olhos.

Continuaram andando então foi a vez de Lúcifer empurrar Sam que caiu em cima de Allis de um modo bem constrangedor... Allis acabou caindo de frente e Sam por cima dela também de frente. O rapaz conseguiu segurar o peso na maior parte, mas mesmo assim os corpos ficaram muito colados ao ponto da ereção de Sam que até a pouco estava adormecida, mas começou a dar leves sinais de vida ficar bem na bunda de Allis.

- Desculpa... – Sam estava totalmente vermelho.

- Tudo bem... – Allis soltou em uma arfada – poderia...

- Ah... Claro!

O erro de Allis foi ter se mexido, isso fez a ereção de Sam ficar um pouco mais rija e a menina ficou corada ao sentir. Sam se levantou o mais rápido possível e depois ajudou Allis, os dois então andaram separados para evitar qualquer outro acidente. Lukas, Lúcifer e Castiel ficaram meio emburrados com isso. Pararam e enfim deitaram olhando o céu.

Castiel contava a história das estrelas e etc, a maioria não ouvia, mas Allis estava bem interessada deitando-se dessa forma do lado do anjo para conversarem entre eles. O sono começou a chegar e todos resolveram ir embora. Chegando ao bunker eles resolveram tentar uma última coisa com Sam e Allis: colocaram os dois em um quarto e trancaram.

- Sério isso gente!? – Allis perguntava pra porta e bufou – PELO MENOS PODIA TER SIDO UM QUARTO, NÃO UMA SALA DE TORTURA DE DEMÔNIOS!

Os amigos que estavam fora então saíram de fininho, eles não tinham reparado nesse detalhe.

- Eles não são sutis não é mesmo? – Sam perguntou sentado em um canto.

- Você acha? – ela murmurou emburrada e Sam riu.

- Vem cá, você parece cansada e essa cadeira não é confortável...

A castanha não protestou, foi e sentou no colo de Sam, o mesmo a aninhou melhor e ela apoiou a cabeça em seu peitoral, menos de minutos ela já estava ressonando baixinho.

- Queria saber como me declarar pra você... – Sam murmurou mesmo sabendo que ela não ouviria.

- E eu queria ser correspondido...

Olhou pra frente e viu Gabe olhando-os.

- Vocês ficam bem juntos... – o loiro disse desanimado.

- Vocês também... – disse o moreno olhando de um para outro.

- Será que ela acha isso da gente também?

- Eu não sei...

Ambos deram leves risadas.

- Vem vou tirá-los daqui... Esse pessoal já tá apelando demais.

Gabe segurou Sam e teleportou para o quarto da garota, Sam a colocou na cama e ambos ficaram observando a mesma dormir, Gabriel se aproxima e a cobre, então ouve:

- Obrigado Gabe...

- Disponha Sam. – o loiro sorriu sincero – só cuide bem dela quando se acertarem...

Ele assentiu e ambos saíram parando na porta novamente, então Sam olha o loiro e diz:

- Quem sabe você não acabe tendo que cuidar também...

Gabriel olhou sem entender e Sam só sorriu e desejou boa noite.

(...)

Os dias foram passando e os planos iam de trancar os dois juntos a amarrem ambos juntos, ou qualquer outra coisa que fosse deixar os dois o máximo de tempo juntos, mas Gabriel sempre os ajudava e os três riam da situação. Eles estavam passando bastante tempo juntos e algo bem inusitado parecia surgir ali, algo que nenhum dos três sabia ao certo explicar.

Um dia desses Allis acordou cedo e resolveu sair para fazer uma corrida para espairece. Vestiu um top, regata solta, calça e tênis; passou na cozinha comeu uma fruta e saiu. Ela estava alongando, mas sentia que algo estava errado, mas claro que tinha que ter o clichê dela ignorar totalmente essa sensação. Então começou a correr, só para algumas pessoas a cercarem.

- Hã... Posso ajudá-los?

Então os olhos ficaram negros e ela entendeu que não devia ter saído de casa.

(...)

Allis acordou e olhou em volta, ela parecia estar em algum calabouço de castelo sei lá, ela não conseguia descrever, sua cabeça doía levemente, olhou em volta e viu que dois dos armários que haviam cercado-a estavam em pé na porta.

- Qual é a de vocês em caras? O que querem?

- Ela acordou... – um loiro disse no ponto.

Minutos depois um homem uns 10 cm mais alto que ela entra, cabelos castanhos, olhos castanhos e com um jeito britânico entra no lugar.

- Ah então o novo bichinho de estimação dos irmãos Winchester acordou. Como se sente lobinha?

- Uau que apelido óbvio – ela revirou os olhos – mas respondendo a pergunta... Muito ofendida com a hospitalidade e tratamento de seus serviçais... Sério uma pancada na cabeça era necessária?

- Não acredito que deram uma pancada na cabeça de uma dama... – o castanho se virou aos lacaios que encolheram – peço desculpas pelo tratamento brutal de meus servos...

- Tudo bem rainha, sem problemas...

- Rainha? – o homem arqueou a sobrancelha.

- Sim, vendo que os carinhas ali são demônios e que você claramente manda na porra toda só posso concluir que você é Crowley, a rainha do inferno...

- Eu diria que sou rei, não rainha, mocinha... E você quem é?

- Oh! Que falta de educação a minha... Sou Allis Cortês, cheguei aqui faz pouco tempo... Eu até te cumprimentaria, mas minhas mãos estão literalmente atadas... – a menina deu de ombros – mas então... Se você não é rainha e diz que é o rei... Quer dizer que quem era o passivo era o Bobby? Difícil acreditar nisso... Se bem que rei também pode ser passivo e rainha também podem ser ativa... É difícil tentar adivinhar qual dos dois era o ativo... Vocês tem cara de flexíveis...

- Do que está falando garota? – Crowley estava completamente perdido na conversa da menor.

- Ué! De Crobby ser real! Você e Bobby se pegarem!

- Eu e Bobby não fazíamos isso! – o rei ficou levemente corado, mas Allis percebeu.

- Sério que não? Então por que manter a alma dele aqui sendo que era pra ele ir pro céu? – arqueou a sobrancelha.

- Pra torturá-lo óbvio!

Allis olhou com cara de tédio, a menina era mais esperta do que aparentava, desistindo de tentar enrola-la e gostando da conversa o rei dispensa os lacaios e então puxa uma cadeira pra ele enquanto a garota continua sentada no chão de perna de índio com as mãos na costa.

- Então... Tortura?

- Ok, não era bem tortura... Pelo menos não ruim...

- AAAAH! EU SABIA! – Allis batia o pé empolgada – acalmei... Quem era o passivo?

- Você não acha que está sendo inconveniente?

- Meu caro Crowley você me sequestrou sei lá pra que, o mínimo que você me deve é uma distração e comida porque estou com fome...

- Você saiu pra correr sem comer?

- Eu comi uma fruta! Não sabia que vocês me sequestrariam...

Crowley revirou os olhos e chamou um lacaio para trazer comida a menina, depois que trouxe a mesma foi “solta”, ela na verdade estava sendo controlada pelo rei, pois o mesmo não seria louco de soltá-la totalmente.

- Nós revezávamos... – ele respondeu corado.

- Eu sabia! Vocês pareciam mesmo flexíveis...

- Como você sabe tanto de nós?

- No meu universo tem uma série de livros sobre vocês e eu li alguns... Eu super shippo Crobby, acho vocês um casal divertido e aquele trato foi uma ótima desculpa pra um beijo em...

- Como assim seu universo? E todo trato é selado com beijo...

- Aham... Claro... – a menina disse em deboche – e sobre meu universo a história é bem longa...

- Você não vai sair tão cedo daqui...

- Okay... Vamos lá! Mas se for pra ser amarrada de novo pelo menos que seja em uma cadeira confortável né?

Crowley revirou os olhos mais uma vez e fez a vontade da garota.

- Então vamos lá...

(...)

- Alguém viu Allis? – Sam perguntou entrando na cozinha.

Todos negaram, Gabe aparece ao lado do gigante.

- Rodei o bunker inteiro e nenhum sinal dela. O carro está na garagem, então se ela saiu foi a pé...

- Como assim nenhum sinal dela? O que ta acontecendo? – Lukas perguntou olhando os dois confusos – e como você saiu do lugar que trancamos vocês dois, mais uma vez?

- Eu soltei os dois, vocês estão exagerando demais... – Gabe revirou os olhos – e quanto a nenhum sinal dela...

- Passei no quarto pra ver se ela já tinha acordado e se tava bem, mas quando cheguei ela não estava lá, fui ao quarto do gabe e nada, então começamos a procurá-la, mas como Gabe disse...

- Não há nenhum sinal dela... – o loiro encarava o moreno preocupado – o que faremos?

- Posso tentar olhar as câmeras do bunker e de trânsito aqui por perto, elas podem ter pegado algo...

Gabe assentiu e ambos seguiram pra biblioteca, os outros se entreolharam, Lúcifer correu atrás dos dois. Sam já digitava freneticamente no notebook, Gabriel estava sério atrás e Lúcifer chegou ao lado de Sam olhando pra tela.

- Já tem algo? – o loiro de olhos azuis perguntou ansioso.

- Ainda não...

Depois de um tempo e com todos já na biblioteca Sam diz:

- ACHEI! Os desgraçados... – todos se aproximaram pra ver.

Dois homens parados na frente de Allis então um chega por trás e acerta a cabeça da mesma que desmaia com o impacto, ao olharem pra trás exibem os olhos negros.

- Demônios malditos, vou acabar com eles, se o Crowley tiver feito qualquer coisa com ela...

- Posso garantir que o inferno ficará sem rei... – Gabe cortou Lúcifer.

- É, eu também... Vamos! – Sam disse levantando de imediato.

 Tanto o gigante quanto o arcanjo loiro baixinho tomaram a frente, Sam pegou facas e balas com cilada do diabo, enquanto Gabe já sacava sua espada celestial, seguiram todos pra fora do bunker incluindo Lukas que bateu o pé dizendo que não ficaria pra trás.

- Nos transportem o mais próximo que conseguirem...

Lúcifer riu.

- Meu querido, Crowley pode até se achar rei, mas eu que mando naquele lugar.

Então Lúcifer os levou para dentro do lugar, latidos foram ouvidos e ao olharem pra baixo Raji abanava o rabo.

- Quem foi o maluco que trouxe a cachorra? – Dean olhou para todos indignado.

Um silêncio se instaurou e todos olharam Castiel que olhava pra qualquer canto menos eles.

- Amor! – o caçador loiro disse.

- Desculpa! Achei que ela poderia...

Raji começou a farejar e correr pelos corredores latindo animada, eles correram atrás matando qualquer demônio que fosse burro o bastante de entrar na frente parando só quando a cachorra arranhava uma porta freneticamente. Lúcifer a explodiu e quando adentraram viram a cena mais bizarra que se era possível: Allis e Crowley conversavam animadamente como se conhecessem um ao outro há séculos.

- Essa garota tem o dom... – Dean disse claramente surpreso.

- Oi gente! Demoraram em... – Allis disse simplesmente.

- Solta ela Crowley... – Sam tomou a dianteira

- Alce era você mesmo que estávamos falando... Você precisa tomar uma atitude... Por que não aproveita e se declara a bela jovem?

- Não acredito nisso... Sério que você contou pra ele sobre a gente? – Sam perguntou indignado.

- Samuel eu estava aqui presa sem poder escapar, você esperava o que? Que eu chorasse feito uma donzela indefesa, não meu querido isso não faz meu estilo...

- Mas precisava contar a história?

- Bom... Não, mas chegou uma hora que o assunto fez falta e esse surgiu... – ela deu de ombros.

- Vamos alce, por que não diz o que aflige esse pobre coração humano... – Crowley cruzou as pernas e olhou o gigante.

O resto olhava a cena boquiabertos, sério que eles começariam uma terapia de casal ali?

- Não acredito que to passando por isso...

- Não é como se fosse a coisa mais bizarra né...? – Gabe tentou consolar o maior segurando seu ombro.

- E você formiga? Por que não se abre também? Fiquei sabendo que tem muito interesse na menina...

- Não... Eu passo, boa sorte ai cara... – Gabriel deu tapinhas no ombro de Sam e deu um passo pra trás.

Sam esfregou o rosto, aquilo era a coisa mais bizarra que faria, isso porque ele já havia visto muitas bizarrices.

- Vamos alce! Sente-se e bote pra fora... – Crowley sinalizou a cadeira de frente a Allis.

A mesma olhava pra ele atentamente, ela não ia falar nada se Sam não dissesse, afinal ela já havia dito tudo e o gigante tinha consciência disso, ele tinha consciência até que ela também tinha uma vida fodida... Sim ele se lembrava da conversa e resolveu começar por ai.

- Eu me lembro da conversa...

- Se lembra? – Allis ficou surpresa, ela não esperava por essa.

Ele assentiu e a mesma puxou o ar.

- Continue alce, o que sente em relação a isso? – Crowley agora tinha as mãos entrelaçadas segurando o joelho da perna cruzada.

Sam fez uma careta que foi ignorada pelo rei, suspirou e resolveu que focaria sua atenção na garota a sua frente.

- Sim eu lembro que te disse que tinha medo de você se machucar, de algo como isso... – sinalizou ao redor – acontecesse, disse que tinha uma vida fodida e que as mortes ao meu redor eram culpa minha...

- Sabe que não concordo com isso né?

Ele riu fraco, Crowley abriu um sorriso satisfeito enquanto todos olhavam incrédulos a cena que se desenrolava, menos Gabe que sorria satisfeito também.

- Enfim... Lembro que você disse que também tinha uma vida fodida, falou srobe sua família que na minha opinião não te merece... Você é incrível do jeito que é! Te rejeitar só porque você gosta de pessoas é ridículo! Mas fico feliz que voltou pra nós... E principalmente: lembro de você dizendo que não queria um herói, que queria alguém assim como eu...

Ele baixou a cabeça com um sorriso triste.

- E o que conclui com tudo isso alce? – o rei do inferno perguntou.

- Conclui que eu... Eu amo você Allis... É estranho e cedo pra dizer isso, mas eu amo você mesmo.

- Acredite difícil não amar... – Gabriel disse num murmúrio, mas que por conta do silêncio foi ouvido por todos.

- Quer dizer algo formiga? – Crowley olhou-o com a sobrancelha arqueada.

- Só que os dois sejam felizes e que ta na hora do Sammy erguer a bunda dessa cadeira e beijar a Allis.

Sam sorriu e Gabe retribuiu, Allis revezava o olhar entre eles, seu coração pesou, pois ela gostava de Gabe e não queria vê-lo sofrer. Foi tirada dos pensamentos quando Sam a levantou e a corda caiu chamando atenção de todos.

- Você estava solta esse tempo todo? – Crowley perguntou indignado.

- Você não da nós muito bons, desculpa... – deu de ombros.

Sam riu e a puxou para um beijo. No começou foi só um selar de lábios, mas então sua língua passa suavemente pelos lábios da garota pedindo passagem, essa que foi cedida imediatamente, suas línguas começam uma exploração e dança sensual, as mãos do gigante recaem na cintura e depois coxa a erguendo, a garota rodeia a cintura do maior de imediato, igualando assim suas alturas. As mãos da mesma se prendem no cabelo do maior o puxando mais pra si enquanto o mesmo a segura firme contra seu corpo. O encaixe das bocas e do corpo era perfeito, esse com certeza era o beijo favorito de ambos. Quando o ar começa a fazer falta eles vão findando não sem antes Allis puxar o lábio inferior do gigante que sorri com isso.

- Uau isso sim que é beijo... – Gabe diz batendo palma.

O mais novo casal se olha e sorri.

- Agora estamos okay? Resolvidos? – ela perguntou.

- Ainda não... Tem uma coisa que falta... Quer namorar comigo? Mesmo correndo riscos e perigos, mesmo com minha vida fodida? – perguntou com um sorriso.

Allis abriu mais ainda o seu e disse:

- E você ainda acha que não? Claro que quero seu idiota.

- Começamos bem... Já começa me xingando... – Sam riu

- Não espere romantismo de minha parte... – então se aproximou do seu ouvido – sou uma pessoa que gosta mais de atitudes...

Sam sorriu malicioso e iniciaram um novo beijo.

- Ok, ok chega! Se comam no quarto de vocês, não aqui na frente de todo mundo... – Dean disse com um sorriso satisfeito.

Todos riram e Allis desceu do colo do alce.

- Gente vocês só esqueceram uma coisa né? Acham mesmo que o rei da porra toda vai deixar a gente ir embora assim? De boas? – Lukas disse indicando Crowley.

- Olha por eu ter gostado da lobinha e também pelo lindo casal que foi formado aqui deixarei vocês partirem sem problemas, mas não abusem da minha bondade.

- Foi um prazer conhecê-lo Crowley... – Allis abraçou o rei.

- Digo o mesmo lobinha, até mais...

E foram mandados pro bunker.

- Okay isso foi a coisa mais esquisita que já presenciei... – Jack diz coçando a cabeça.

Todos concordam, então Gabe se espreguiça e diz:

- To indo pro quarto deitar um pouco... Cuida dela em alce.

Ele segue pelo corredor em direção ao quarto, Allis olha Sam que assente com a cabeça, então a mesma corre atrás do arcanjo e segura seu braço, quando o mesmo vira ela dá um selinho e diz:

- Obrigada por ter ido atrás de mim... Eu sei que você deve ter ficado bem preocupado com meu sumiço...

Gabe coça a nuca sem graça e Allis sorri, Sam chega atrás dela e se abaixa beijando o canto da boca de Gabe. Então ambos seguem rumo ao quarto do gigante deixando Gabe estático para trás, o coração do arcanjo acelerou assim que os dois olharam pra ele e sorriram. Era possível se apaixonar por duas pessoas ao mesmo tempo?


Notas Finais


ALLIAM ENFIM ESTÁ JUNTO MEU POVO! Satisfeitos? kkkkkk

Mas então...o que acharam do capítulo? O que acham que está por vir? Comentem!

Beijos até o próximo capítulo ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...