História Fanfic: Beck e Tori ( Diário do Beck) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Victorious
Tags Amor, Beck, Historia De Amor, Love, Romance, Tori, Victorious
Visualizações 65
Palavras 1.527
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mas um capítulo para vocês, e desculpem a demora por postar... Mas estamos Aqui e o capítulo está Mara!!

Capítulo 6 - Aliança


Fanfic / Fanfiction Fanfic: Beck e Tori ( Diário do Beck) - Capítulo 6 - Aliança

Segunda:

Acordei com uma dor de cabeça insuportável e decidi passar a manhã no quarto. Estranhamente a Jade não veio me procurar, mas não fiquei chateado com ela por isso, já que não estava muito feliz com as ações dela na noite passada. Depois do Almoço já estava me sentindo melhor e também um pouco preso dentro daquele quatro e queria cavalgar pelo palácio ou faz qualquer outra coisa pra me distrair, afinal estava de férias.

Ao sair do meu quarto dois guardas reais vieram em minha direção e mesmo antes que eles chegasse ao meu encontro já sabia do que se tratava.

Guarda: - Vossa Alteza, a Vossa majestade o Rei deseja falar com o senhor.

Beck: - Sim, já estou a caminho.

Os guardas se foram e eu tomei o fôlego para me preparar para aquele trabalho de príncipe que me esperava.

Entrei no escritório e o vi sentando com vários papéis em sua frente e usando o seu óculos de leitura típico para ler documentos oficiais.

Robert: - Albert, sente aí. -Apontou para a cadeira em sua frente.

Beck: - Estou aqui meu pai, pode dizer. – Sentei na cadeira e o esperei Falar.

Robert: - Então meu filho, você é o futuro Rei de Brantford e agora que você está noivo devemos fortalecer as alianças com os pais da noiva.

Precisei de um tempo para entender oque o meu pai falava quando dizia “fortalecer as alianças “

Beck: - Pai, eu não estou ouvindo oque você está dizendo... Você quer negociar a Jade como se ela fosse um objeto?

Robert: - Se você vai casar, precisa saber com certeza quais as alianças que vamos ter com os empresários de Hollywood.

Beck: - Pai, a Jade é uma garota não uma aliança e eu me recuso a negociar o meu casamento ou o meu futuro em troca de algum acordo financeiro.

Robert: - Albert, você é o próximo rei e reis se casam por aliança e não por amor. E você ainda tem o privilégio de se casar com a sua namorada, alguém que você ama, não é?

Beck: - Eu gosto sim, mas não sei se... Eu não vou negociar uma garota. Então é bom fazer outras alianças. – Levantei e sai pela porta.

Andei sem pensar duas vezes até o quarto e depois pedi para um guarda chamar a Jade até meu quarto para falar a ela sobre tudo oque estava acontecendo, e que meu pai queria a negociar por um casamento.

Após ser anunciada a Jade entrou e ela estava um tanto chocada com a minha presença no seu quarto depois da nossa conversa noite passada, mas depois abriu um grande sorriso e veio ao meu encontro me abraçar e beijar. Aceitei e sentei em minha cama para conversarmos.

Jade: - Beck, oque quer falar comigo? Parece preocupado.

Beck: - Acabei de vim do escritório do meu pai, e ele estava falando em ter uma reunião com os seus pais a respeito do nosso casamento.

Jade: - Bom, mais cedo ou mais tarde isso aconteceria.

Beck: - Bom... É além de uma reunião, eles querem negociar o nosso casamento e você... Jade eles querem negociar dinheiro, ações ou poder em troca de você.

Jade: - Beck meu amor, já namoramos a um ano junto e a negociação é só um meio para um fim.

Beck: - Como pode dizer isso Jade? Como você pode ficar tranquila sabem que seu pai e meu pai desejam colocar um preço em você ?

Jade: - Não tem problema, afinal você me ama. Não é ?!

Fechei os olhos e estava com raiva de mais para pensar. Como ela podia achar tudo aquilo normal? Como ela poderia aceitar tudo aquilo?

Beck: - Me deixe pensar.

Jade: - Beck... Não é.

Beck: - Me dê um tempo por favor Jade.

Ela saiu pela porta sem dizer mais nada e apenas fiquei sentado na minha cama petrificada, me perguntando se a Jade realmente não se importava com isso. Como ela não se importava em ser vendida?

Depois de um minuto sentado na cama totalmente desnorteado ouvi um batida na porta e fui em direção a ela a abrindo um pouco.

Beck: -Tori?

Tori: - Beck, você está ocupado.

Beck: - Bom, Tori. Não é uma boa hora para conversarmos.

Tori: - Bom, eu queria saber se você não quer sair e fazer um ..

Beck: - Tori, não é uma boa hora. – Fechei a porta e fui para o banheiro tomar um banho quente.

Ao terminar o banho percebi o quanto tinha sido grosso com a Tori, que não tinha nada a ver com a situação que estava tendo com a Jade. Uma angustia me tomou e me arrumei o mais rápido que puder e sair porta fora.

O pôr do sol ao horizonte deixava todos o palácio com luzes em tons de laranja e amarelo, fui até o seu quarto mais suas criadas disseram que ela estava no jardim com a Cat. Então segui para o jardim e vi a Tori e a Cat a beira do lago com uma cesta de piquenique uma toalha e várias comidas. A Tori apontava para o lago e a Cat sorria.

Antes que eu chegasse ao lado das meninas alguem saiu do lago balançando uma pulseira nas mãos, as meninas aplaudiram e a Tori pegou o colar.

Cat: - Beck, olha só quem está aqui salvando o nosso dia.

O Alce veio em minha direção me dando um abraço me deixando molhado.

Beck: - Oque você está fazendo dentro do lago?

Alce: - Bom querido irmão, estava recuperando o claro da Senhorita Vega que acidentalmente caiu no lago.

Cat: - A Tori escorregou da beira do lago e quase caiu, mas o Alce a segurou, a pulseira não teve a mesma sorte.

Beck: - O Alce, sempre salvando o dia! Bom agora que todos estão a salvo eu posso conversar com a Tori um instante em particular?

Peguei a mão da Tori e saímos caminhando pelo longo gramado do palácio.

Beck: - Bom Tori, quero pedir desculpas pelo modo como tratei você antes lá no quarto.

Tori: - Não tem problema Beck, eu compreendo que você está com a cabeça cheia com tudo que está acontecendo e com a casamento.

Beck: - Bom, é o casamento, está acontecendo tudo tão rápido.

Tori: - Bom, mas tem sorte que você vai casar com a sua namorada, alguém que você ama.

Beck: - Bom... Eu não sei bem

Tori: - Oque ? Mas?

Beck: - A Jade.. você conhece a Jade ela pode ser difícil né. Mas ela pode ser mais que difícil em alguns momentos e...

Tori: - Não fale disso agora. Quer saber?! vamos deixar tudo de lado um minuto, e vamos dar um passeio. Me mostre o palácio.

Naquele momento me senti aliviado por não te que falar de algo que nem mesmo sei explicar para mim mesmo e feliz por ela ter entendido que aquilo era complicado de mais para mim.

Dei o meu braço e ela a tomou com alegria e seguimos por todo o terreno do palácio, e eu a mostrei cada árvore que costumava brincar e corremos pelo gramado até estarmos afastados o suficiente do palácio para que ele ficasse quase imperceptível.

A Tori sorriu até perder o fôlego e deitou na grama e eu deitei junto dela sorrindo.

Tori: - Então quer dizer que o Alce, o seu meio irmão perdeu pra você nessa corrida e teve que comer um pote de pimenta.?

Beck: - Sim.

Tori: - Então quer dizer que você vai ter que comer um pote de pimenta?

Beck: - Mas não apostamos nada. – Me virei deitado na grama para olhar o rosto da Tori..

Tori: - Mas acho que seria justo com o seu irmão.

Beck: - Acredito que ele vai ser grata a você para o resto da vida.

Tori: - Vai se sentir vingado.

Beck: - E como.

Tori: - Mas como foi que o seu irmão chegou aqui.

Beck: - Minha mãe me teve e depois que nasci ela descobriu que meu pai tinha uma amante e que ela tinha um filho da minha idade. Meu pai e minha mãe e reconciliaram e meu irmão foi aceito no palácio, em seguida nasceu a Cat.

Tori: - E vocês são bem amigos.

Beck: - Sim, somos bem amigos.

Tori: - Acho que está ficando tarde.

Beck: - Sim, vamos nos levantar. -Levantei e a Tori levantou logo em seguida rápido de mais e seu sapato escorregou no gramado fazendo-a cambalear, peguei sua cintura antes que ela pudesse cair e a puxei contra o meu corpo de uma vez fazendo ela ficar a centímetros de mim.

Beck: - Precisa trocar esses sapatos. – A adrenalina pisava ir todos o meu corpo por causa do movimento repentino e ela estava perto, perto de mais.

Tori: - É acho que salto e grama não são ... Meus pontos fortes, eu acho.

Beck: - Acho que devo soltar você.

Tori: - E... Melhor ... Já está escuro.

Beck: - Vamos voltar – Soltei a sua cintura e ofereci o braço que ela pegou e voltamos ao palácio.


Notas Finais


Então amores, oque vocês acharam do capítulo de hoje?? Como vocês sabem, eu já estou curiosa!! Então comenta oque você achou!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...