História Fanfic: Beck e Tori ( Diário do Beck) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Victorious
Tags Amor, Beck, Historia De Amor, Love, Romance, Tori, Victorious
Visualizações 33
Palavras 1.600
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores, mas um Capitulo pra vocês e espero que gostem e comentem bastante, pois quero saber de vocês tudo oque acham sobre o capitulo e se estão gostando ou não. Espero vocês nos cometário e boa leitura meus amores <3

Capítulo 7 - Acordo com a Inimiga


Fanfic / Fanfiction Fanfic: Beck e Tori ( Diário do Beck) - Capítulo 7 - Acordo com a Inimiga

Terça Feira : 

Sei que parece besteira e me sinto um menino bobo, mas não consigo dormir, e já são 12 horas da noite e estou me revirando na cama sem conseguir fechar os olhos com os meus pensamentos confusos.  

Penso na Tori dês de quando deixe ela na porta do seu quarto depois do jantar. Está com a Tori é tão fácil, conversamos rimos e o tempo passou tão rápido que nem pude sentir, é impossível não comparar com a Jade já que nos últimos dias ela está diferente, (Acho que toda essa loucura de casamento está deixando ela pior) sei que ela é esquentada e ciumenta, diferente da Tori ... 

Sou tomado por pensamentos:  

A Tori estava tão perto no jardim ontem a tarde, a milésimos de distância, e era tão natural.  

Eu era só eu e a Tori só a ela. 

Não éramos atores com falas pré-determinadas por algum professor, éramos nós ali, juntos perto demais e sozinhos, naquele momento eu queria poder ter feito e b...  

Paro esse pensamento na hora, não posso pensar na Tori , desse jeito! Eu tenho uma namorada e mesmo tudo acontecendo diferente do que eu gostaria, ela é minha noiva e em breve minha esposa e eu vou ser o Rei que o meu povo tanto espera e que o meu pai tanto quer, e a Tori nunca seria aceita pela minha família, e de verdade eu nem sei se ela gosta de mim da mesma maneira que gosto dela.  

Tudo isso me deixa confuso ao extremo. Me viro na cama e pego o meu celular para ver coisas aleatórias no Youtube para conseguir dormir. 

 

Terça no café da manhã: 

No café da manhã eu era quase um zumbi, não tinha dormido quase nada noite passada e agora o sono estava cobrando e preço. A Jade estava ao meu lado falando sobre um Jantar Oficial de noivado que minha mãe organizando para receber os pais da Jade amanhã, o Senhor e Senhora West, mas eu sabia que era apenas um jantar de negociação de uma garota, e tudo aqui mi deixava enjoado. Nunca pensei que em 2018 estaria me casando com uma mulher em troca de alianças políticas. Deixei aquele pensamento de lado e olhei para o outro lado da mesa e vi a Tori rindo de alguma coisa que a Cat dizia e não consegui prestar atenção mais em nada.  

Depois de um segundo olhando para a Tori ela olhou de volta para mim ainda rindo e isso me deixou sem jeito então desviei o olhar para meu irmão que estava ao meu lado olhando para a Tori quase como se estivesse hipnotizado, estava na cara que ele estava caidinho por ela, mas ela era maravilhosa como não gostar? 

Jade: - Beck... Você ouviu o que eu disse?  

Beck: - Bem meu amor, faça o que deixar você feliz.  

Jade: - Você não liga para esse jantar? 

Robert: - minha querida não fique chateada, homens não são feitos para esses detalhes. Então porque você e minha querida esposa não resolvem esses detalhes depois do café da manhã junto com as suas Ladys e tudo vai dar certo no final. Hoje preciso ensinar o Albert a não ser um rei tão fraco.  

Afirmei com a cabeça as palavras do meu pai para a jade ignorando a última parte de suas palavras, mas não estava feliz de passa o dia inteiro no escritório com o meu pai. 

 

No escritório:  

Já era 3 horas da tarde e eu não aguentava mais aquele escritório, negociações para fazer e vários orçamentos para ler e já tínhamos tido 2 vídeos conferencias com o Rei de Montreal e como o governador da França. 

Eu só queria andar a cavalo e aproveitar o sol do fim da tarde que entrava pela floresta a essa hora. Minha mãe entra no escritório seguida por uma criada que trazia em suas mãos uma bandeja com lanche da tarde, sanduiche bolo e suco.  

Júlia: - Boa Tarde Majestades. - Ela fez uma reverencia e se aproximou. 

Beck: - Boa tarde Minha rainha. 

Robert: - Querida. - Ele inclinou a cabeça em uma pequena reverencia e olhou para o seus papeis de novo.  

Júlia: - Sabe, que tal você e o Beck ir para o Jardim aproveitar o sol enquanto eu e meu querido rei lanchamos aqui.  

Robert: - Minha querida, você não pode mimar o Albert desse jeito. Um dia ele vai ser um rei e não pode fazer pausas.  

Júlia: - Eu compreendo meu querido, mas só hoje.  

Minha mãe olhou para o meu pai e eu o vi ceder aos desejos de minha mão como quase sempre fazia e sorri pela situação.  

Robert: - Não se acostume!  

Beck: - Sério? Posso ir? - Me levantei surpreso da cadeira em um salto. 

Robert: - Suma antes que eu mude de ideia. - Ele gritou e automaticamente me retirei da minha cadeira e fui até a porta. Antes de sair olhei para a minha mãe que deu uma piscada de olho para mim e então eu sorri e sai da sala mas não antes de pegar um sanduiche.  

Comi o meu sanduiche no caminho do estabulo e nem acreditava que estava livre daquele escritório no meio da tarde.  

Quando cheguei no estabulo estava animado para finalmente cavalgar e tomar banho na cachoeira ali perto e aproveitar o clima quente que estava fazendo essa tarde, ma são chegar na porta do estabulo escutei vozes e me aproximei para ver quem era.  

Cat: - Vai Tori, ele não vai morder você.  

Tori: - Eu não alcanço Cat.  

Cat: - Vai, pode se apoiar em mim.  

A Tori se apoiou na Cat mas ela segurou de mau jeito e as duas cairam no feno dando um grito e depois rindo de tudo aqui, não pude deixar de rir daquela cena.  Me aproximei sorrindo até chegar perto das duas garotas deitadas no chão.  

Beck: - Bom, acho que vocês precisam de ajuda aqui. 

Tori: - É tão Obvio? - Ela falou ainda rindo.  

Cat: - Ela é pior que eu, acho que é um caso perdido. - A Cat riu e pegou a mão da Tori.  

Beck: - Bom se você quiser a minha ajuda eu posso ensinar você a cavalgar.  

Tori: - Por favor! - Ela sorriu e eu ofereci a minha mão para que ela se levantasse e depois levantei a minha irmã. Depois pegamos os nossos cavalos e fomos para o quintal, então a Cat subiu rapidamente no seu cavalo e olhou para nós.  

Beck: - Confia em mim? - Ela olhou para mim nos olhos e respirou fundo 

Tori: - Sim! - Sorrir e comecei a explicar como se cavalgava e o que ela precisava fazer e depois a posicionei no cavalo. 

Beck: - Está pronta?  

Tori: - Estou! - Ela colocou o pé esquerdo no arreio e segurou na sela.  

Beck: - Segure firme – Ela apertou firme e eu peguei a sua cintura e a lancei para cima do cavalo e ela se segurou e montou perfeitamente.  

Beck: - Pode abrir os olhos agora Tori – Ela abriu os olhos e a Cat riu montada em seu cavalo. Montei o meu cavalo e fomos devagar cavalgando pela floresta.  

 

 

Jade 

Olhei pela Janela e vi o Beck a Cat e a Tori cavalgando floresta a dentro.  

Aquela garota já estava me dando nos nervos, e eu precisava fazer alguma coisa para manda ela de volta pra casa, mas eu não sabia o que fazer ate ter aquilo que as pessoas chamam de iluminação quando olhei para a janela ao lado e vi o Alce suspirando pela Tori. Ele tinha feito isso o café da manhã todo e estava na cara que ele estava apaixonado por ela.

Uma boa oportunidade de me livrar da Tori.  

Jade: - Vossa majestade! Apreciando o jardim.  

Alce: - Senhorita West, a que devo o desprazer?  

Jade: - Você ainda me odeia?  

Alce: - Quero deixar claro que quase todo mundo odeia, a não ser o cego do meu irmão. 

Jade: - Mas pelo que me parece você está gostando da Tori não é?! 

Alce: - Como sabe?  

Jade: - Bom você não é muito discreto.  

Alce: - Pode ser, mas isso não é da sua conta. - Ele saiu andando e pareceu um pouco constrangido então eu o segui. Não poderia perder essa oportunidade. 

Jade: Bom, ela anda me incomodando bastante e eu quero ela fora o mais rápido possível.  

Alce: - Meu irmão anda preferindo se divertir com a Tori do que com você?  

Jade: - A questão não é essa a questão é que, você pode conseguir que ela seja sua com a minha ajuda.   

Alce: - Como assim? - Ele parou no meio do corredor e se virou para mim.  

Jade: - Se você conseguiu que ela seja expulsa do palácio ou humilhada em público ou qualquer coisa que a faça querer ir embora, você pode convence-la de que é melhor ir para a casa de inverno dos seus pais junto com a Cat e lá você pode conquista-la.  

Alce: - E o que você ganha com isso?  

Jade: - Ganho essa Plebeia fora do meu caminho e longe do meu noivo. Você tem toda a minha ajuda.  

O Alce andou de um lado para o outro no corredor e ele estava incerto sobre aceitar então decidi persuadir mais.  

Jade: - Se fizer o que eu digo, eu tenho certeza de que ela será sua namorada.  

Ele parou na minha frente e me encarou com incerteza no olhar.  

Alce: - O que devo fazer?  

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...