História Fanfic Brawl Stars- Ladrões de esperanças. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Brawl Stars, Colt, Faro Oeste, Jessie, Penny, Poço, Rosa, Shelly, Supercell
Visualizações 15
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Lançei esse episódio junto ao outro hoje pois estava com inspiração, então aqui está.
Boa leitura.

Capítulo 3 - Amor...roubado?


Fanfic / Fanfiction Fanfic Brawl Stars- Ladrões de esperanças. - Capítulo 3 - Amor...roubado?

  Era um momento tenso. Um apontando sua arma para o outro, porém o ruivo estava em desvantagem porque a gangue que parece ter vindo de retrópolis estava toda aqui. Mas, Shelly deveria ter os conhecido em uma viagem até a outra cidade? Acho que sim. Ela é uma pessoa calculista. Não gosta de perder, sempre arma bons planos para seus roubos, se precisar...ela também mata sem excessões.

Colt e Shelly se conhecem por conta do conflito que seus pais tinham. Quando crianças, o Sr. Junker e o Sr. Jones lutavam para proteger o território um do outro.

Até que o Sr. Junker armou uma emboscada e eliminou o pai de Shelly. O matando envenenado com uma maçã, e jogando seu corpo no rio. Isso foi um simples descuido da parte de Jones.

Quando Shelly chama sua gangue, dois de seus parceiros seguram os braços de Colt, deixando-o imobilizado e uma de suas pistolas caem no chão, junto a sacola de verduras. Que desperdício de alimento.

-Seria muito rude de minha parte não apresentá-los a você...-Diz shelly, retirando a escopeta de seu peito.- Vamos comecar pelas damas primeiro: Esta é Bibi, uma rebelde que domina o uso de seu taco e pode acertar em cheio qualquer região vital de seu corpo. Cuide para não a irritar, ela é perigosa.

Bibi encara Colt mascando seu chiclete tuti-fruti.

-Em seguida, temos o Corvo. Pode ser um pássaro, mas ele envenena você em um piscar de olhos. Tome cuidado, seu alcançe é longo e preciso, confesso que...-Ela dá uma risada.- chega até a ser irritante as vezes.

Corvo ignora a descrição feita por ela, apenas continua segurando Colt com força.

-E enfim...o nosso maior "tesouro", digamos assim. Este é o Bull. -Ela aponta para ele, que está com o seu típico olhar de fúria para Colt enquanto o segura.- Recomendo não mexer com ele, esse cara pode quebrar você em mil pedaços, mas, saiba que isso é o de menos, pois ele é perfeito em tudo o que tem a ver com o mundo do crime.

Colt começa a soar frio com a descrição do segundo cara.

-(Tenho que tomar mais cuidado com esse...na verdade, com todos eles...ah Bo, bem que você poderia vir me ajudar agora.) -Pensa Colt.

-Bem, chega de enrolação. Não achei que seria tão fácil pegar o líder mimadinho dessa cidade de merda. Agora que encontramos você, temos o controle de Junker! -Ela solta uma risada macabra.- Bibi, quer fazer as honras? Arrebenda a cara desse babaca!

-Com prazer, Chefia.- Responde Bibi.

Bibi se aproxima de Colt, arrastando seu taco no chão produzindo um som arrepiante para o pistoleiro.

Ela levanta seu taco e mira na face do mesmo, preparada para lhe acertar.

-E-ei, no rosto não! -Diz Colt apavorado.

-É uma pena estragar esse rostinho tão lindo...mas vai valer muito a pena.-Diz Bibi.

Nesse meio tempo, uma flecha aparece caindo do céu, fincando no chão onde eles estavam.

-(Bo..?)- Pensa o ruivo.

-Que merda é essa?- Indaga Bull.

-Hehe...Isso? É o que acontece quando mexe comigo.

A flecha tem um pequeno compartimento retangular com um temporizador. Passados 5 segundos, a flecha explode, liberando um gás tóxico afetando aos 4 rebeldes que estavam em volta.

-M-mas que Merda!! S-seu bastardo filho da puta!- Diz Shelly tossindo freneticamente, junto aos seus companheiros

Colt aproveita a situação, solta seus braços e golpeia o nariz de Bull, que por acaso, fica irritado.

-ORA SEU...

-Cala essa boca...-Ele dá um gancho no homem, fazendo-o desmaiar, devido à sua força e à fraqueza que o gás forneceu.

Corvo já se encontra desmaiado, apesar de ser venenoso, ele não é imune ao veneno. Sua imunidade também é bem baixa.

-Shelly, temos de sair daqui! Não sabemos quem irá ajudá-lo em seguida...- Diz Bibi com dificuldade de respirar.

-Concordo! Pegue o Bull que eu levo o Corvo!- A líder da gangue puxa de seu coldre uma bomba de fumaça e em seguida a arremessa no chão, deixando quase todo o ambiente sem visibilidade nenhuma.

-Merda! Eu não vejo nada!- Fala Colt desorientado.

-Deveria prestar mais atenção onde mija, Xerife.- Bo aparece em meio à fumaça, com sua visão de águia.- Vamos levar um desses caras de refém, siga a minha voz e vamos sumir daqui.

Depois de ajudar Bo a carregar o homem até a moita, Colt fica preparado para atirar caso alguma das rebeldes apareça logo a frente.

Quando a fumaça minimizou, não havia nenhum rastro deles. Apenas se viam as sacolas com as frutas e verduras esmagadas com a sola do sapato de alguém.

-Bo...precisamos de outra reunião, e temos que levar esse cara para a nossa casa. Podemos tirar informações úteis dele, mesmo se eu tiver que socar ele outra vez. Chame Poco e Penny, não conseguiremos levá-lo sozinho e...

Poco segura a risada atrás de Colt, junto a Penny. Os dois estavam escondidos em uma moita atrás deles esse tempo todo.

-Acha que eu não me adiantei? Já mandei esses dois virem no momento em que você demorou pra voltar. Até que foi um ótimo plano...-Diz Bo, com um sorriso de lado.

-Uau...até que você tem uma bela mente.-Diz Colt.

-Okay, vamos sair daqui antes que esse cara acorde, não queremos isso a altura do campeonato. -Diz Bo, erguendo o corpo pesado de Bull e colocando-o no dorso do cavalo que estava amarrado a um galho de uma árvore, cobrindo-o com um pano. Ele se estivesse acordado, estaria desconfortável até de mais.

-Enquanto isso, eu posso tocar uma musiquinha...já que o restante dos rebeldes escapou, podemos aproveitar um pouco.-Diz Poco, enquanto toca uma música suave em seu violão.

-Concordo, e já que eu não estou mais em serviço, posso tomar uma ceva...-Penny comenta enquanto abre uma garrafa de cerveja.

-Eh...não que eu esteja pedindo demais, mas pode me dar um gole dessa cerveja aí?- Perguta Colt à pirata.

Enquanto isso, todos voltam para casa, para iniciar uma nova reunião.

{Na mesma noite, as 8:43}

Na casa de Colt, todos estavam no porão. Bull estava com seus pés e braços amarrados a uma cadeira no chão ainda desmaiado, e enquanto esperavam ele acordar, conversavam sobre o que aconteceu naquele momento de tensão que Colt havia sofrido.

-Eu pensei que eram apenas dois rapazes e uma garota, mas vi que são duas garotas e dois rapazes. Mas, pelo menos pegamos esse grandão aí.-Diz Colt sentado em uma cadeira próxima a Bull.

Penny se levanta da cadeira em que estava impaciente e se aproxima do moreno desmaiado, segurando seu queixo.

-Será que essa princesa acorda com um beijo...? Ele não é de se jogar fora, é tão gato quanto você Colt...

-Penny, você está quase bêbada, não faça algo que se arrepe-....

Tarde demais. A pirata não resistiu a aqueles lábios seduzentes e irresitíveis, mandando lhe um beijo quente e prazeroso para ela.

-AI MEU PAI...!- Poco para sua música e cai da cadeira.

-Isso é estranho...-Diz Bo.

-Ah...que merda.- Fala Colt.

Enquanto o beijo ocorria, Penny sente a reação do moreno em relação ao beijo, que pôde ser vista pelo resto do pessoal.

-Espera...ele está retribuindo??- Exalta o pistoleiro apavorado.



Continua no capítulo 4


Notas Finais


Espero que gostem dessa maravilha dos sete mares.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...