História Fangirl - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts
Visualizações 32
Palavras 2.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, tentei ser mais rápida, but, várias coisas aconteceram e tive que esperar ate hoje. Mas aqui estou com um cap delicinha, apertem os cintos, vem turbulência das brabas pela frente.

É isso, n esqueçam da playlist ^^


*obs: o cap n foi revisado ainda pela beta, dei meu melhor, assim q ela der o parecer dela eu atualizo esse cap.


Boa leitura ^^

Capítulo 31 - Manchete


Tudo parecia passar lentamente, em um minuto eu estava dançando minha música favorita com meu homem favorito e em outro eu estava em todos os noticiários coreanos.

“Quem é a estrangeira que fisgou nossa esperança?”

“Descobrimos que ela é uma brasileira de sangue quente, será que ela o enlaçou pelo fogo dos brasileiros?”

“O que será que o idol Jhope viu nela?”

“Descobrimos que ela estuda Produção e Artes na Sungkyunkwan University.”

“Será que ela é tão doce quanto seu nome?”

“Porque uma estrangeira?”

E essas foram algumas de muitas perguntas que faziam. De alguma forma eles conseguiram me descobrir. Era questão de tempo, afinal. Hobi falava nervosamente com a outra pessoa na linha, não fazia ideia de quem era e nem queria saber, eu estava ocupada demais ficando em choque.  Eu olhava pra TV e mesmo que eu lesse o que estava escrito eu não queria acreditar. Todas as emoções que eu estava guardando chegaram como um furacão derrubando tudo ao meu redor.

Pensei em tudo que aconteceu e no que aconteceria daqui pra frente. Era real, eu estava na frente do mundo. Quando Hobi disse que queria me assumir eu me assustei, mas achava que estava preparada e ver todas essas notícias assim, revelando quem eu era e nosso relacionamento pro mundo me fez entrar em pânico. Enquanto tentava processar o que acontecia senti meu celular vibrar. Mesmo ainda aérea atendi sem olhar pro identificador de chamadas, e aquela voz, a voz que me causa arrepios sussurrou: “Bem vinda ao seu inferno”.

Meu corpo todo arrepiou, meu coração gelou, minha alma parecia sair do corpo. De repente comecei a me sentir tonta, tudo estava embaçado, o frio se fazia presente em minha pele e a respiração falhou me fazendo lutar por ar. Eu estava tendo uma crise, e uma das mais sérias, do tipo de eu surtar e parar num hospital. Não era aquela crise em que eu me queimava e passava, era pior, era física, psicológica, sentimental, tudo junto.

“Hobi”, consegui sussurrar antes de fechar os olhos e não enxergar mais nada.

 

***
 

Acordei com Hobi me olhando preocupado. Meu estômago revirava tudo que tinha comido, minha cabeça dava voltas, eu não conseguia entender sobre nada ao meu redor. Por um momento pensei estar dentro de um dos meus pesadelos. Mas foi olhar ao redor e encontrar Yoongi e Jimin com feições também preocupadas que me toquei ser tudo real. O desespero queria voltar mas eu não podia fraquejar assim, Hoseok precisava que eu fosse forte nesse momento, eu não podia deixar o medo e a crise me dominar.

Então com todas as forças que encontrei dentro de mim me levantei lentamente e me escorei no braço do sofá, que percebi estar deitada. Olhei para meu corpo e me vi com um short e ainda usando a blusa de Hobi. Ele estava com uma camisa e calça, com certeza pedira pros meninos trazerem. tentei pensar com clareza e em algo inteligente pra falar, mas não consegui. No lugar, Jimin se pronunciara.

- Noona, você está bem? Nos assustou - falou se aproximando.

- Só um pouquinho tonta ainda, porém, melhor. Obrigada Jimin. - Tentei sorrir.

- Precisa ficar forte, Dulce. - Yoongi falou de forma séria - As coisas ficarão turbulentas agora.

- Imagino. - respondi baixo, mas coloquei um sorriso no rosto, Yoongi tinha razão: seja forte!

- Lá fora está uma loucura, vários jornalistas na porta do prédio, inclusive na faculdade. E eles vão tentar tirar tudo que puderem de você e das suas amigas. - Yoongi continuou.

- Agora você é oficialmente a namorada de um k-idol, noona, sua vida não será como antes. - Jimin emendou - Mas você terá sete belos rapazes a protegendo, não tem o que temer. - Terminou com um sorriso reconfortante.

- Tudo bem, eu sabia que iria passar por isso. Eu amo o Hobi, então, se pra ficar com ele eu tenho que viver tudo isso, eu vivo. - terminei sorrindo passando uma confiança que eu com certeza não tinha.

- Precisamos ir, amor. - Hobi falar com a mão em meu rosto em um carinho tão bem vindo - Precisamos legalizar tudo e nos expor de forma correta pro mundo.

E apenas confirmei com a cabeça, não tinha muito o que fazer, né? Eu amava Hoseok com todas as minhas energia e meu ser, eu não podia fazê-lo temer estar comigo. Eu tinha que mostrar que era a garota certa pra ele e pra vida dele. Eu sempre o quis, lutei por isso e agora que o tenho, não vai ser uma mídia - apesar de toxa - e um desconhecido idiota me subjugar. Eu sou a brasileira de sangue quente, afinal.

E com um sorriso cúmplice eu e os meninos saímos do apartamento rumo ao prédio que eu tanto veria a partir de agora.

 

***

  

    Entrávamos na sede da BigHit, eu juro que nem nos meus mais loucos sonhos eu estaria aqui. Sempre foi “conheça Hoseok, faça-o se apaixonar por você, mostre que você é a mulher ideal e sejam felizes”. Ele parecia imponente, um ar de seriedade pairava sobre o prédio, talvez até intimidador. mas tinha uma coisa, algo que você não saberia explicar, que também o tornava aconchegante. Eu sei, é complicado entender.

    Fomos diretamente a sala do CEO, eu estava nervosa que só vendo. Hoseok segurava forte minha mão, estava tentando ser confiante. Yoongi e Jimin também nos acompanhavam, mas não ficariam na sala durante nossa conversa. Aquilo seria apenas entre mim, Hobi e o Pd Nim.

Entramos e eu pude afirmar que ele era exatamente como se mostrava: pequeno, rechonchudo  e nerd. Ok, eu estava suando frio, não podem me culpar. Ele nos fez sentar e em nenhum momento Hobi soltou minha mão, ele realmente queria fazer dar certo. Claro q isso não passou despercebido pelos olhos de Pd Nim e com um suspiro pesado sentou-se em sua cadeira nos olhando seriamente.

- Você sabe que está tudo uma confusão, não, Jung? - ele falou olhando pra hobi.

- Sei sim, senhor.

- Olá, menina, sinto muito que tenhamos nos conhecido assim. - ele se dirige a mim e até tenta dar um sorriso - Não era como eu imaginava, porém, não há o que ser feito.

- Eu não vou terminar com a Dulce, senhor. - Hoseok falou com o queixo levantado.

- Está disposto a passar por todo o caos que isso vai causar? Você tem uma carreira, muita coisa ainda pela frente, você sabe o quão é complicado um namoro.

- Estou ciente de tudo isso, senhor, mas não irei desistir dos meus sentimentos. Também somos humanos, mesmo com todo o caos merecemos ter alguém à quem voltar.

- Hobi… - tentei falar mas ele prosseguiu.

- Durante anos eu me dediquei à carreira, ao grupo e vou continuar fazendo isso, mas agora eu tenho mais uma pessoa em meu coração. Sei que o senhor nunca nos proibiu de namorar, que sempre foi escolha nossa, mas agora eu entendo o sentimento e não estou disposto a me afastar dele. Não me faça escolher entre a empresa e o BTS e ela.

- Jung, vá chamar os outros, isso afetará o grupo inteiro, a decisão precisa ser tomada com os sete. Enquanto isso, conversarei com a moça.

- Sim, senhor. - Hoseok me olhou com um sorriso de encorajamento e depois saiu deixando apenas eu e aquele homem. Ele não poderia ser tão ruim assim, é?

- Você entende tudo pelo que irá passar, menina? - ele perguntou me olhando fixamente - Tem noção do que terão que fazer agora? O mundo inteiro sabe sobre vocês. Tentamos ocultar té que Hoseok se decidisse, mas foi impossível. Os jornalistas conseguem ser chatos e implacáveis quando querem.

- E entendo, e sei de tudo. Quando eu decidi vir para cá eu sabia pelo que passaria. Era um risco que valia a pena correr, Hobi vale o risco. Eu não sei se acredita nos meus sentimentos, eu sinceramente gostaria que acreditasse, mas eu realmente amo o Hobi e faria qualquer coisa por ele.

- Acha que vai ter psicológico pro que vai receber? - ele continuava indagando.

- Bom, não saberia até viver. Sou brasileira, conseguirei lidar com repórteres.

- Senhor. - escuto a voz de Namjoon atrás da porta e a de Pd Nim mandando-os entrar.

Jimin e Yoongi me lançaram um sorriso sincero junto de um sinal positivo com os dedos, ah como eu os amava. Os outros menino também sorriram e me comprimentaram.

- Sabem porque os chamei aqui?

- O senhor gostaria de falar conosco sobre o namoro do Hobi com a Dulce. - Jin falou.

- Sim. Como sabem o relacionamento deles foi exposto e isso querendo ou não afeta também a vocês, já que são um time. E como tal, vocês sete tomarão a decisão juntos. O que vocês decidirem eu farei.

- O que necessariamente o senhor quer? -Jungkook perguntou curioso.

- Ele quer que digamos se concordamos com o namoro do Hobi e se por nós está tudo certo. - Taehyung respondeu.

- Senhor, se me permite. - Namjoon tomou a palavra, parecia um presidente importante discursando, com certeza Lore morreria se o visse assim - Nos conhecemos há muito tempo, passamos por muitas coisas juntos, desde boas até as ruins. Nossa vida é bastante conturbada, não temos tempo para quase nada, nosso trabalho é nosso foco. Amamos o que fazemos, e não mudaremos nada. Dulce apareceu em um momento que o Hobi precisava de algo mais. Todos nós temos sonho de crescer, construir uma família, é natural e nesse momento Dulce se tornou isso pra ele. Não me sentiria bem comigo mesmo se tentasse impedi-lo de viver esse sentimento.

- Ela faz nosso irmão feliz. - Jimin respondeu sorrindo.

- Acho que o que falo serve para todos, não queremos e nem seremos contra o relacionamento deles. Já conversamos sobre isso, nós seis, e vimos que ele merecia. os dois mereciam.

- Então, sem mais delongas, bem vinda novamente a família, Dulce. - Yoongi terminou respondendo de forma carinhosa para mim.

Sério eu amo esses meninos, não dá pra ter noção do quanto eu os amo. Escolhi o grupo certo pra ser fã.   

- Eu conseguirei mudar sua cabeça? - pd Nim perguntou agora pra hoseok.

- Não, senhor. - Hobi respondeu convicto, me deu um orgulhinho maroto.

- Está bem, vocês são adultos, vamos ter que lidar com isso de forma profissional. Como que adivinhando sua resposta, marquei uma coletiva de imprensa para às dezoito horas. Leve-a até o apartamento antigo, ela ficará lá até resolvermos tudo.

- Obrigada, senhor.

- Mas hoseok, as coisas não serão simples e vocês terão que seguir algumas regras.

- Tudo bem, PD Nim, não se preocupe. - e então ele deu aquele sorriso, o que me faz suspirar e ter todo o dia iluminado. Pd Nim também sorriu, discretamente, mas sorrira. Dispensou a todos e voltou ao trabalho. No fim, ele só queria proteger seus meninos, o trabalho pelo qual investiu. Ele não era alguém ruim.

Tudo bem, eu poderia dizer que meu maior sonho se realizou - fora estar com o Hobi - eu realmente estava conhecendo o lugar que durante tanto tempo foi o lar dos meninos. Era um apartamento modesto, muito bonito. Não era rico, mas com certeza não era pobre. Hoseok me levou até um dos quartos, percebi ser o antigo quarto de Jin e Yoongi. E sim, eu lembrava dos quartos, afinal, que army não tinha visto a paródia de BST que fizeram?

No centro havia uma cama grande casal, ao lado uma guarda roupa embutido na parede, uma espécie de closet. Tinham algumas sacolas de compras, imaginei que fosse pra mim. Eu realmente estava fora do meu mundinho, as coisas seriam diferentes. O sonho se tornava realidade e o medo espreitava a hora certa de dar seu show.

Olhei Hoseok sentado na cama pensativo, eu nem sei mais como dizer o quanto o amo. Ele realmente vai me assumir, ele vai lutar por nós e meu coração está transbordando de alegria. Sentei ao seu lado e encostei minha cabeça em seu ombro. Passamos uns minutos em silêncio, curtindo a companhia um do outro.

- Me desculpe pelo que eu disse ontem.

- Sabe, eu realmente vim pra cá pra estudar e conhecer você era um sonho distante que eu desejei muito que se realizasse. Eu nunca quis ser um estorno e nem… - suspirei cansada - Sinto muito se pareceu que eu estava forçando algo.

- Mas você não estava. Eu nunca te pedi em namoro por ser forçado, você não é um estorvo. - ele pegou meu rosto em suas mãos e olhou em meus olhos e começou a falar em um português bem arrastado poderia até ser engraçado. - Tudo que aconteceu foi porque eu quis e desejei.

E como por segurança voltou ao coreano.

- Dulce, você é uma garota bonita, inteligente, amável, ama a dança assim como eu amo. Não tenho nem adjetivos pra te descrever. Eu estava tão cansado, exausto, mas você sentou ao meu lado e começou a falar comigo e por incrível que pareça isso me fez bem.

- Você estava na bad, oras, eu tinha que te fazer sorrir. - e com essa declaração rimos.

- Eu te agradeço imensamente por isso. Ontem eu só descontei o que tava entalado, na pessoa errada. Você se tornou aquela pessoa pra quem eu quero contar como foi meu dia, fazer cafuné em mim pra poder dormir. Aquela pra quem quero ligar.

- Me desculpa, Hobi, por tudo.

- Bom, isso ta ficando melancólico demais, ta parecendo aqueles filmes românticos clichês bregas.- ele se levantou após me dar um leve selar nos lábios - Temos que te deixar mais bonita do que já é, hoje as pessoas conhecerão oficialmente a mulher da minha vida!

E passamos o resto do tempo conversando, nos descontraindo até chegar duas mulheres e expulsarem Hoseok do quarto para que eu pudesse me arrumar.

 

***

 

Faltavam alguns minutos para entrarmos e ficarmos em frente aos jornalistas. Já se podia ouvir o burburinho dos jornalistas do lado de fora. Hobi escolhera um vestido modesto e delicado pra eu usar, meu namorado tem muito bom gosto. Segundo ele, eu ficava linda de vestido e salto, e bom, ele era mais alto que eu, foi até proporcional o salto que eu usava - escolhido também por ele. Eu realmente não tenho um namorado maravilhoso?

 Finalmente entramos, flashes para todos os lados, eu poderia até ficar cega se não tomasse cuidado. O som dos cliques atordoando meus ouvidos, como Hobi conseguia passar por aquilo? Tudo bem que eu gosto de uma atenção, mas aquilo era surreal.

 Sentamos atrás de uma mesa e continuamos de mãos dadas. Então um homem começou seu pequeno discurso e deu início as perguntas.

  “Como se conheceram?”

  “O namoro é real, mesmo?”

  “Você irá deixar o Bangtan pra poder namorar?”

  “Porque uma estrangeira?”

  “Você realmente o ama?

  “Como é namorar um idol?”

 E assim foi seguindo, não lembro ao certo quantas perguntas foram, Hoseok conseguiu se sair muito bem, bastante calmo. Ele também estava acostumado, eu que era a intrusa ali. Até que consegui lidar bem com as perguntas, não fiquei tão nervosa quanto imaginei, no fim da noite estava satisfeita comigo.

 Hobi me olhava orgulhosa, fazia questão de desfilar comigo e falar o quanto estava feliz. E eu? Bom, não tinha como NÃO estar feliz.   

 

 ***

 

Fomos ao mesmo restaurante da vez em que conheci os meninos. Todos estavam empolgados, ríamos e nos divertimos como nunca. PD Nim estava curioso para saber mais sobre mim, afinal, como eu tinha conseguido laçar alguém como Hoseok. Conversamos sobre gostos, musicais, comidas, filmes. Descobri que ele gostava de filmes americanos dos anos 80, o fazia lembrar da infância.

Em determinado momento precisei ir ao banheiro, por algum motivo não estava me sentindo bem. Uma sensação estranha, um arrepio fazia os pelos da minha nuca arrepiarem. Estava em frente ao espelho tentando regular minha respiração que se tornava acelerada. Porque eu sentia que algo ruim ia acontecer? Antes que eu pudesse tentar entender senti me colocarem na parede e apertarem meu pescoço. E ouvi, era a mesma pessoa que me telefonara.


            “Olá, princesa”.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...