História Fantasies - HyunIn; HyunJeong - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 192
Palavras 4.976
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor



oi minha gente KKKKKKKK meu deus tem muito tempo que eu nao apareço pra postar alguma coisa aqui no spirit scrr
gente eu to mto feliz ganhei um notebook da escola num concurso de redaçao KKKK amo????? vou começar a atualizar minhas fics por ele😍 eh isso so queria compartilhar mesmo KKKKKK

inicialmente eu nao tava planejando expandir mais nada alem do conteudo do primeiro cap, porem algumas pessoas me pediram pra dar continuaçao a essa historia e como sou mto cadelinha de vcs aqui estou eu de volta com esse capitulo especial q eu acredito ser o primeiro de muitos (to tendo varias ideias que consigo encaixar nessa fic), nao vao ser capitulos seguindo exatamente do ponto em que o anterior parou, vao ser so uns eps contando alguns momentos ou ocasioes especificas do universo dessa fic blz??? relaxem q eu vou dar os contexto tudo direitinho pra vcs n se confundir ok mas chega de abobrinha ne vo deixar vcs ler o cap em paz agr

boa leitura!



Capítulo 2 - Special Chapter I - Addicted to You


Fanfic / Fanfiction Fantasies - HyunIn; HyunJeong - Capítulo 2 - Special Chapter I - Addicted to You





















— Cara, namoralzinha... Tua lasanha é a melhor do mundo! — Chan comentou enquanto devorava seu prato.


— Aprendeu no Youtube ou naqueles livros de receita de vó? — Jisung perguntou.


— Ah, um bom mágico nunca revela os seus truques... — Felix respondeu da cozinha.


— Tu não é mágico não, amado — Minho comentou.


— Ele aprendeu com a mãe dele que eu sei — Jeongin refutou.


— Aish, não estraga o suspense pô! — O loiro bravejou.


— Foi mal...


— Só não te dou um murrão porquê você precisa estar apresentável pra mais tarde.


— Hã? Que história é essa? — Minho se expressou, intrigado.


— Ele só contou pra mim porquê eu sou especial galera, mas ele vai sair com a cocotinha dele hoje — Felix anunciou de bom humor.


— Nem avisa né, beleza... — Jisung fingiu ofensa.


— Eu esqueci, a — Yang se justificou.


— A gente saiu ontem e tu não falou nada, corta aqui — Chris fez um gesto com as mãos.


— Porquê eu esqueci! E não tinha nada a ver com os assuntos que a gente tava falando no rolê — Jeongin disse.


— Tá, mas vocês vão fazer o que mesmo? — Minho questionou.


— Ele me chamou pra ir no apartamento dele ver Netflix porquê ia ficar sozinho e queria que eu fizesse companhia, só isso...


— Netflix? Sério? Eu chamaria isso de outra coisa... — Han comentou.


— De onde eu venho chamamos de tainha, vinho, e muito... — Felix foi interrompido.


— Não me expõe desse jeito! — Jeongin gritou.


— Pia a safada, tirou o cabaço um dia desses e já tá assim... — Chan debochou.


— Cuidado pra não pegar uma AIDs hein, já ouvi cada boato daquela peça... — Jisung detratou.


— Não gente, mas falando sério agora... Jeongin, você tem noção de onde está se metendo, né? — Felix perguntou, preocupado.


— Eu sei muito bem o que eu estou fazendo e com quem eu estou lidando... — Yang respondeu, um pouco sério.


— E se ele te machucar? — Disse Han.


— Ele não é nem louco de brincar com os sentimentos do meu filho — Chris declarou.


— Do nosso filho, licença — Minho retrucou.


— Ele não é assim... Eu acho... — Jeongin pronunciou.


— Confia nele? — Minho perguntou.


— Sim...


— Então só vai.


— Enquanto ele não fizer nada que você não queira, acho que tá tudo bem... — Felix se manifestou.


— Vocês estão sendo muito duros com ele, ele é um amorzinho... — Yang expressou.


— Fala isso porquê tá apaixonado... — Jisung revidou.


— Deixem o garoto ser feliz poxa, logo agora que o senpai notou ele... — Falou Chan.


— Tem razão. Sabe, a gente é insuportável mesmo mas é porquê te amamos e nos preocupamos muito com você, Innie — O loiro afirmou.


— Eu sei disso e agradeço de verdade, mas podem ficar tranquilos com relação ao Hyunjin e eu. Vou ser cuidadoso, prometo — Disse Jeongin.


— Só digo uma coisa: eu não quero netos — Chris comentou.


— Tá bom, tá bom, vamos deixar essa criança em paz por enquanto. Quem quer sobremesa? — Felix anunciou.


— Eu! — Responderam em uníssono.




Felix serviu a sobremesa enquanto todo o grupo permaneceu espalhado pela sala, comendo, conversando e assistindo TV; tinham ido almoçar e passar a tarde de domingo na casa do loiro e assim foi feito. No entanto, tudo o que Jeongin conseguia pensar era em que horas Hyunjin viria, pois não haviam trocado mais nenhuma mensagem desde então e não chegaram a decidir nenhum horário. Talvez o maior quisesse fazer uma supresa. Passou-se algum tempo quando, por volta das 16 horas, o grupo escutou o som da campainha da casa de Felix sendo tocada, o último que, prontamente, fora atender a porta — Jeongin, é pra você...




— Uh, oi... — Disse Yang, chegando até a porta e encontrando aquele que estava esperando, usando uma calça moletom cinza de uma marca famosa e uma camiseta preta básica de uma banda de rock. Não poderia estar mais simples, era como se tivesse vestido a primeira coisa que encontrara no armário, porém continuava extremamente perfeito.


— O-Oi, eu vim te buscar... — Hwang respondeu, se referindo à sua moto preta de última geração estacionada na frente da residência. Tinha em mãos um capacete, o qual entregou à Jeongin — Vamos?


— Claro... Tô indo gente, qualquer coisa me mandem mensagem! — Yang falou rapidamente, se virando e despedindo-se dos amigos. Fechou a porta atrás de si.


— Como tu vai pegar o celular pra ler a mensagem com a mão ocupada segurando o pau da irmã Kardashian aí? — Chan gritou divertido do lado de dentro, fazendo Jeongin esconder o rosto entre as mãos, com vergonha — Ignora, eles são retardados...


— Meus amigos são piores, relaxa — Riu.




Ambos colocaram os capacetes e subiram no veículo, com Yang agarrando firme o corpo do mais velho. O trajeto não era tão longo, então só passaram cerca de 3 minutos seguindo caminho até chegarem, enfim, no prédio do apartamento de Hyunjin. O que Jeongin não imaginava é que aquele fosse um dos mais luxuosos da cidade. Quase se encolheu ao ver carros com algumas das pessoas mais importantes do país saindo pelo estacionamento no qual o maior deixara, sem muita preocupação, sua moto.




— U-Uau, não sabia que você morava num lugar assim... — O mais novo comentou, seguindo timidamente Hyunjin até o elevador do prédio, como uma criança assustada seguindo a mãe.


— Não costumo trazer muita gente aqui, então é normal que pouca gente conheça o lugar... — Respondeu, já dentro do elevador, que, após alguns segundos, se abriu, dando passagem para um corredor repleto de decorações luxuosas. Caminharam pelo mesmo, entrando por uma das várias portas que haviam ali. Número 83 — Bem vindo à minha humilde morada... — Deu espaço para que o outro pudesse passar.


— Tirando o fato de que parece que passou um furacão por aqui, é lindo — Jeongin declarou, de bom humor, observando a grande bagunça que se notava pelo local.


— A empregada tá de férias e eu sou meio lento com essas coisas de organização, sabe como é né... — Respondeu, trancando a porta e retirando a própria camiseta, a qual jogou de qualquer jeito em cima do sofá, fazendo o menor corar com aquela visão do paraíso — E aí, já tem em mente alguma coisa pra gente assistir?


— Na verdade, não...


— Eu escolho então?


— Pode ser... Onde eu acho água? Tô morrendo de sede...


— Na cozinha, atrás de você. Tem umas besteiras na geladeira, se quiser...


— Hmm, tem brigadeiro?


— Pronto? Não...


— Posso fazer?


— Claro, acho que aí nos armários deve ter o que precisa. Vou ir ligando a TV, por enquanto.


— Certo...



Ao mesmo tempo em que Yang cozinhava, Hwang configurou e ajeitou a TV da sala, escolhendo um dos primeiros filmes que aparecera no catálogo do aplicativo, "1922". Selecionou. Impaciente, foi até a cozinha para ver como as coisas estavam indo, observando o menor frente ao fogão, calmamente preparando o doce. Não dava pra resistir. Foi até o mesmo, o abraçando por trás, espiando a panela com a mistura por cima de seu ombro.



— Em que posso ajudar? — Jeongin falou, ameno, fingindo prestar atenção apenas em seu brigadeiro.


— Vai demorar muito pra ficar pronto? — Questionou, fazendo bico, apoiando seu queixo no ombro do mais novo.


— Uns cinco minutos.


— Então eu vou ficar aqui até você terminar.


— Se continuar me agarrando assim, não vou terminar nunca — Sorriu.


— Aff...


— Isso tudo é saudade?


— Muita... Não tem ideia do quanto eu senti falta desse corpo... — Cheirou e beijou o pescoço do menor, o arrepiando.


— F-Faz só um dia que a gente não se vê...


— Eu sei... É que eu simplesmente não consigo te tirar da minha cabeça desde que você foi embora da festa naquele dia...


— Qual das duas?


— Garoto? Tá aprendendo umas coisas muito feias hein... Gostei — Seu tom de voz se tornou provocativo — Olha só... Minha marca ainda está aí.


— Meus amigos me encheram tanto o saco por causa dela...


— Pelo que eu me lembre, você disse que tinha gostado...


— Pois eu não me lembro de ter dito isso... Não coloque palavras na minha boca.


— Posso colocar outra coisa então? — Deslizou suas mãos até a cintura de Jeongin, as enfiando dentro da camiseta do outro, acariciando as costas do mesmo, que fechara os olhos com os toques.


— H-Hyung, vai me fazer queimar o brigadeiro...


— Tá bom, tá bom, já entendi... Vou voltar pra sala. Não demora muito, ok? — Depositou um beijinho na bochecha de Yang.


— Farei o possível...




Após alguns minutos, Jeongin finalmente voltara da cozinha, trazendo consigo a panela com o doce e duas colheres. Havia alguns pedaços de morango espalhados pelo brigadeiro, o qual pegara na geladeira. Colocou tudo em cima da mesinha da sala, sentando-se no sofá ao lado do mais velho, que o aguardava ansioso — Agora é só esperar esfriar um pouco...




— Beleza... — O maior deu o play, e o filme enfim começou. Havia fechado as janelas e as cortinas antes, então o cômodo ficou escuro como um cinema, dando ao longa uma melhor visualização. Deitou sua cabeça no ombro de Yang, o qual já queria começar a devorar o doce, porém, no seu caso, ainda não estava com muita fome. Na verdade, até estava, mas era uma fome... diferente.




Passaram cerca de 1 hora assistindo, concentrados, a obra em questão. Quando uma cena de suspense começava, rapidamente se encolhiam nos braços um do outro, assustados, e logo depois riam. O clima entre ambos era bastante agradável, e mesmo sem muita conversa ao longo do filme, conseguiam aproveitar devidamente o tempo que estavam passando juntos. De fato, se davam extremamente bem. Depois de alguns selinhos e umas boas "mãos bobas", já não estavam mais nem sequer prestando atenção no que a TV mostrava.



— Meu Deus, eu cozinho bem demais — Yang Disse, saboreando a última fatia de morango coberta com chocolate.


— Bebê, você tá sujo.


—  Aonde? — Perguntou, colocando a panela e as colheres de volta na mesinha.


— Aqui — Se aproximou repentinamente do outro e lambeu, de uma forma ridiculamente sexy, um restinho de chocolate perdido no canto da boca do menor, sem mais nem menos.


— Ah, é? Sabia que você também tá sujo?


— Aonde? — Riu.


— Aqui — Passou o próprio dedo besuntado de chocolate nos lábios de Hyunjin, os sujando de propósito só para poder beijá-lo na maior cara de pau, e o fez.




Grudaram suas bocas de um jeito intenso, esquecendo todos e quaisquer "bons modos" que conheciam. As línguas se encontraram, batalhando brusca e necessitadamente por um pouco de espaço. Poderiam passar o resto do dia só ali, provando as bocas um do outro, no entanto, seus pulmões já se desesperavam por ar.




— Eu ainda não terminei — Yang tornou a levar seus dedos até a panela com o brigadeiro, logo os passando descaradamente em algumas partes do pescoço e do abdômen do maior — Devo cuidar disso?


— Por favor — Sorriu maliciosamente.




Jeongin então começou a mover sua língua sobre o corpo do mais velho, à princípio no pescoço, onde aproveitou para deixar sua própria marca, com beijinhos e um digno chupão, o qual fez Hyunjin murmurar. Desceu e seguiu lambendo o "ABS" do outro, parando somente ao se certificar que todo o chocolate havia ido embora.



— Se eu não estivesse gostando tanto do seu atrevimento, diria que você está se aproveitando de mim — Hwang comentou, vendo o menor voltando a se sentar ao seu lado enquanto lambia os próprios dedos.


— Correção: só estou aproveitando uma oportunidade que não se tem todo dia... — Se fez de ingênuo.


— Nesse caso, eu preciso aproveitar uma oportunidade imperdível aqui e agora.


— Que seria...?



Sorrindo travesso, o maior apenas ficou em silêncio, dando início a mais um beijo profundo, deslizando uma de suas mãos pelo corpo do mais novo, chegando ao zíper da bermuda de Jeongin, o abrindo apressadamente e agarrando sua intimidade logo em seguida. Começou a movimentar a mesma mão para cima e para baixo, elevando progressivamente a velocidade e a intensidade em que masturbava o outro, ao mesmo tempo em que continuava a beijá-lo com paixão. Yang tentava focar apenas no beijo, porém os toques de Hyunjin estavam o levando à loucura. Depois de alguns minutos de pura excitação, o menor finalmente atingiu seu limite, arquendo as costas, cerrando os olhos e resmungando baixo. Hwang contemplou a cena, satisfeito, antes de sussurrar cinicamente no ouvido do mais novo:



...Ver você gozando só pra mim, de novo.


— Você é o cara mais abusado que eu já conheci, sabia? — Disse, ainda um pouco hesitante.


— Você me deixa assim, não posso fazer nada.


— Sou tão importante assim? — Subiu em cima do mais velho no sofá, se sentando no colo do mesmo frente à frente, envolvendo Hyunjin em seus braços.


— Mais do que importante — Aproximou-se, colando sua testa com a de Jeongin, acariciando e apertando forte as coxas do menor — Você é só meu.


Eu sou só seu — Disse baixinho, antes de beijar o maior novamente, começando a rebolar em seu colo com força, praticamente roçando sobre o membro do outro por cima da calça moletom, o qual não demorou a ficar duro. Estava o provocando da mesma forma que o mais velho acabara de fazer consigo, e pelo visto, com sucesso — Gosta disso, huh?


— S-Sim... — Hwang resmungou de olhos fechados, sentindo o mais novo brincando consigo enquanto ele próprio se consumia de tesão. Seu membro rígido latejava, implorava por Jeongin, bem como todo o seu corpo e sua mente. Necessitava tê-lo o mais rápido possível.


Então me fode logo.



Hyunjin, com pressa, o segurou pelo bumbum, se levantando do sofá, enquanto o menor se agarrou firme nos ombros do outro, em uma espécie de abraço. O mais velho foi em direção ao seu quarto, entrando meio desajeitado e deitando Yang cuidadosamente em sua cama espaçosa. Sem dizer uma palavra, o maior rapidamente ajudou Jeongin a se despir, tirando a camiseta, a bermuda e a boxer do mesmo com delicadeza. Após retirar sua calça, parou. Observou seu pequeno ali, embaixo de si, corado de vergonha, o encarando com desejo, como se dissesse que também o queria mais que qualquer coisa nesse mundo.



Hwang deu algumas mordidinhas leves no ombro do menor, seguidas de beijinhos sensuais que depositou no peito de Jeongin. Em seguida, levou sua língua até os mamilos do mais novo, os massageando docemente com a mesma, antes de começar a chupá-los com fervor, escutando o outro se queixando, manhoso. De repente, se levantou da cama, trazendo consigo de uma das gavetas de sua cômoda um potinho, que foi aberto sem muita demora. Passou o lubrificante em dois de seus dedos, voltando ao encontro de Yang, o virando de forma que ele ficasse "de quatro" para si. Inseriu os dígitos na entrada do outro, simulando estocadas ao mesmo tempo em que lubrificava o local, enquanto o mais novo tentava conter seus gemidos, falhando. Passou um pouco em seu próprio membro também.



Impaciente, o mais velho tornou a virar Jeongin, o deitando novamente na cama. Yang passou cada uma de suas pernas ao redor da cintura do outro, as entrelaçando em suas costas e o puxando levemente, pelo pescoço, para perto de si, tornando a distância entre ambos quase inexistente. Trocaram um breve olhar safado, antes de Hyunjin começar a penetrar o menor sem aviso prévio, fazendo o mesmo gemer alto e arrastado próximo ao seu ouvido. As investidas, de início, já eram rápidas e descontroladas, ambos estavam ofegantes com toda aquela urgência, quase perdendo a razão. Jeongin arranhava as costas do maior desesperadamente, suas pernas estavam bambas com as estocadas agressivas do outro, que metia cada vez mais fundo, sem se importar com absolutamente nada. Hwang aumentou a intensidade das investidas, fazendo a cama se chocar violentamente contra a parede, assim como seus corpos, que friccionavam-se freneticamente, por pouco não se tornando um só. Os dois murmuravam em uníssono numa verdadeira sinfonia de gemidos. Queriam ainda mais.



— P-Porra Jinnie... — Yang se contorcia sobre o colchão, tremendo, sentindo os lábios de Hyunjin saboreando seu pescoço ao mesmo tempo em que continuava a estocá-lo ferozmente. Seu interior se apertava contra o membro do maior, que seguia investindo no mesmo ritmo. Após mais algumas estocadas, Hwang enfim acertou, com força, o ponto sensível do mais novo, que gemeu tão manhosamente que parecia chorar, se derretendo de prazer. O mais velho continuou a se mover turbulentamente até atingir seu orgasmo, finalmente gozando. Liberou seu ápice ali mesmo, dentro do menor, em um jato quente e abundante, arfando. Caiu como se houvesse ficado fraco subitamente, deitando sua cabeça no peito de Jeongin, que o abraçou como se fosse a última coisa a se fazer. O maior retribuiu. Roupas e sapatos espalhados pelo chão, lençóis amarrotados. Ficaram um tempinho ali, abraçadinhos, sentindo o calor um do outro em silêncio, enquanto ajustavam suas respirações desreguladas.


— Bebê?


— Hm?


— Acho que eu tô viciado em você...


— E eu acho que você tem um efeito meio esquisito sobre mim...


— Como assim?


— Sei lá... Você meio que desperta um lado de mim que eu nem conhecia... Um que só vem à tona quando eu tô com você, entende?


— Aham. O nome disso é tesão.


— Besta... Sabia que você fica todo coradinho quando goza? É fofo.


— Eu não sou fofo, grr.


— É um filho da puta gostoso pra caralho.


— Isso aí. Quer tomar um banho?


— Quero. Me leva.


— Seu desejo é uma ordem — Sem demora, Hyunjin se levantou da cama, pegando o menor em seu colo e se dirigindo ao banheiro da suíte, mais especificamente dentro do box do cômodo, onde colocou Jeongin no chão. Ligaram o chuveiro, se encolhendo debaixo da água que caía, mais brincando do que, de fato, tomando banho. Ensaboaram-se e enxaguaram-se juntos, fazendo a maior bagunça, porém se divertindo (com direito à mais mãos bobas).



— Pega uma toalha pra mim? — Yang pediu.


— Eu só tenho uma...


— E agora? Ei! — Viu Hwang pegar a toalha e sair correndo do local com um sorriso infantil, claramente implicando consigo — Não me deixa aqui sozinho e pelado, poxa!


— Yo — Apareceu na porta do banheiro, agora usando um conjunto moletom escuro, estendendo seu braço para que o outro pudesse pegar a toalha.


— Se eu ficar resfriado por sua causa eu te mato — A pegou, colocando-a e saindo do cômodo.


— Que drama, eu só demorei uns 2 minutos pra trocar de roupa.


— Mas eu tava com frio...


— Foi mal — Deu um beijinho na testa do pequeno — Suas roupas tão em cima da cama.


— Pode me emprestar uma blusa? Acho que a minha tá meio suja de... Você sabe...


— Claro. Hum... Vê se essa serve — Analisou seu armário e escolheu uma camiseta branca estampada com uma dessas frases tumblr, peça essa que não vestia já há algum tempo.


— Valeu. Meio grande, mas valeu — Comentou, vendo que a camisa havia ficado um pouquinho maior do que o esperado.


— Você tá muito fofo, aaaaaaaa — Apertou suavamente as bochechas de Yang.


— Sei disso.


— Bó voltar lá pra sala, acho que não desconectei a Netflix da TV...


— Okay.


— Puts, a TV desligou sozinha — Disse, já na sala, ligando novamente o aparelho, colocando um canal qualquer pelo controle remoto.


— Domingão do Faustão? Mas que diabos é isso? — Riu, se sentando no sofá, vendo um apresentador engraçado em um programa na tela.


— Sei lá, às vezes eu coloco sem querer em uns canais aleatórios de outros países, acho que esse aí deve ser do Brasil — Riu junto — Eu mudo o canal?


— Não tô entendendo nada que tá acontecendo, mas adorei. Pode deixar esse aí mesmo.


— Belê. Tá afim de comer pizza?


— Tô.


— Vou pedir então. Qual sabor você gosta?


— Quatro queijos. Mas se quiser pedir outro tudo bem, eu como qualquer um.


— Beleza — Pegou o celular e ligou para a pizzaria, sendo informado de que a pizza chegaria em cerca de 20 minutos.


— Esse cara é demais — Yang comentou, ainda assistindo ao programa brasileiro sem compreender nenhuma palavra.


— Tenho que concordar — Sentou-se ao lado do mesmo.


— Hyung, posso te perguntar um negócio?


— Pode sim.


— Onde estão os seus pais?


— Minha mãe mora em outra cidade, Kkami fica na casa dela então eu brinco muito com ele quando vou lá, e meu pai... Nós não nos damos muito bem... Mas eu sou emancipado então não tenho que me preocupar tanto com isso... — Falou, meio desanimado.


— Ah, entendi... Desculpa pela inconveniência...


— Relaxa, não tem problema. Quer me perguntar mais alguma coisa?


— B-Bem... Quando disse que tinha me observado de longe na escola... Você tipo... Já sabia quem eu era?


— Por nome, não, mas era impossível não olhar pro garoto fofinho que ia pra todo lado com o crush do meu melhor amigo — Sorriu.


— Felix e Changbin são umas pestes mesmo, né...


— São sim. Aliás, aqueles seus três amigos fora o Felix realmente namoram?


— Chris, Minho e Jisung? Sim, faz um ano eu acho...


— Deve ser uma puta responsabilidade manter a harmonia entre todos os três...


— Pois é... Admiro eles por conseguirem viver juntos tão tranquilamente. Eles três se gostam muito...


— Consigo imaginar... Mas acho que eu já ficaria totalmente satisfeito tendo só você ao meu lado mesmo...


— Wow...


— É sério... Eu queria falar com você sobre isso... — Seu tom se tornou tímido e preocupado.


— Tô escutando...


— Jeongin, você quer... Sabe... Tentar?


— Tentar alguma coisa com você e ver no que dá?


— É...


— Eu não sei... Não estamos indo rápido demais?


— Pelo tempo que eu tenho colocado meus olhos em você e que eu sei que você tem gostado de mim, acho que tá tudo certo...


— Como sabe que eu já gostava de você?


— Eu sei muitas coisas. Inclusive que você vai dizer que também quer ficar comigo... Certo?


— ...


— Olha, por incrível que pareça, eu nunca cheguei a namorar antes... E-E eu queria muito que você fosse o meu primeiro...


— Eu também nunca namorei, mas é porquê ninguém me queria mesmo...


— Eu quero...


— Hyung...


— Por favor... Eu não sei por quanto tempo mais eu vou aguentar ficar com você preso o dia todo na minha mente sem nem poder te chamar mesmo de meu...


— É que o buraco é mais embaixo...


— Okay... Se não quiser, tudo bem, não vou te pressionar... — Se levantou com uma expressão desapontada, dando de costas e se preparando para ir em direção à cozinha, porém sentiu uma mão segurando seu pulso, o parando. Se sentou novamente junto ao menor.


— É só que... Foram tantos dias em que eu fui dormir imaginando como seria quando você finalmente notasse a minha existência... E olha onde estamos agora...


— E isso não é bom?


— É maravilhoso... Mas as minhas experiências com esse negócio de amor até hoje só me trouxeram decepção e eu não quero me machucar de novo... E também... É tão surreal a ideia de que você sinta algo por mim...


— Jeongin, eu conheço a fama que eu tenho, mas uma coisa que eu não sou é mentiroso. Eu não iludo ninguém, todos que me conhecem sabem disso. Quando eu quero cortar relações com alguém eu o faço, não me sinto bem dando falsas esperanças pra quem quer algo comigo que não seja recíproco. E esse não é o caso. Eu gostei muito de você, muito mesmo. Você é diferente dos outros, entende? Eu nunca me perdoaria se eu deixasse você triste de alguma forma. Eu não sou assim.


— De verdade?


— De verdade. Quem mais eu iria querer além dessa raposinha fofa? — Apertou outra vez as bochechas do outro.


— Bobo...


— Você adora esse bobo.


— Tem razão... — Riu.


— Eu sempre tenho.


— Tá legal, tá legal, você venceu. Eu aceito.


— Eu prometo que vou te fazer tão feliz que você vai esquecer tudo de ruim que já passou um dia — Levou uma mão até o rosto de Jeongin, o acariciando delicadamente.


— Posso confiar em você, Hwang Hyunjin? — Segurou a mão do outro, que acariciava seu rosto, olhando em seus olhos.


— Pode sim, Yang Jeongin.



Com um lindo sorriso no rosto, Hyunjin atacou o menor, o enchendo de abraços e beijinhos meigos, cheios de amor. Em seguida, selou seus lábios com os do mais novo, iniciando um beijo calmo, necessitado e extremamente apaixonado; o último daquela noite. As mãos de ambos passeavam pelos corpos um do outro, denunciando todo o desejo e a ternura que enfim poderiam demonstrar sem qualquer tipo de censura. Sentiam-se completos. Sentiam-se... Amados. Antes que pudessem fazer qualquer coisa a mais, foram interrompidos com batidas na porta da frente. Sabendo de quem se tratava, o mais velho foi receber a pizza, colocando a caixa sobre a mesinha da sala, logo devorando uma fatia, com o menor fazendo o mesmo.



— Hyung, você é bi, né? — Yang perguntou, acabando de morder um pedaço de sua fatia.


— Sou, mas confesso que tenho um ponto fraco em garotos... Ainda mais se eles forem assim fofinhos que nem você...


— Me sinto privilegiado.


— Queria te dar todos os privilégios que existem.


— Tipo?


— Tipo esse — Avançou em cima do mais novo, dando um selinho no mesmo.


— Isso não é privilégio, eu posso te beijar na hora que eu quiser.


— Mas você sabe o tanto de gente que queria estar no seu lugar.


— É mesmo né...


— Uhum. Innie, já tá ficando tarde, quer que eu te deixe lá na casa do Felix?


— Se não for muito incômodo...


— Que nada. Terminou de comer?


— Sim.


— Não tá esquecendo nada?


— Fora a minha blusa, acho que não...


— Okay, depois eu te devolvo ela. Vamo?


— Vamo.



Saíram do apartamento da mesma forma que haviam chegado. Passaram pelo corredor, indo até o elevador e depois seguindo até o estacionamento onde a moto de Hyunjin estava. Colocaram os capacetes e subiram no veículo, fazendo o mesmo caminho, porém agora voltando. Após 3 minutos de trajeto, regressaram à casa do loiro.



— Obrigado por hoje... — Yang desceu da moto, entregando o capacete para o maior.


— Eu que agradeço, bebê. Vou te levar lá em casa mais vezes.


— Eu topo. Te vejo na escola amanhã?


— Aham. Descansa direitinho, tá?


— Pode deixar. Você também.


— Até depois — Hwang o agarrou repentinamente, ainda em cima da moto, o beijando rápido, antes que os vizinhos notassem. Se abraçaram, em despedida.


— Até — Observou o outro desaparecendo em meio aos carros da rua por alguns segundos, indo embora em sua moto. Finalmente tocou a campainha de Felix, que o recebeu sorrindo maliciosamente.


— Bem-vinda, senhora Kardashian. Achei que ia dormir por lá mesmo — Minho comentou vendo o outro entrar.


— Vocês ainda tão aqui? — Jeongin se sentou na beirada do sofá.


— A gente tava te esperando pra te ajudar caso tu voltasse de muleta ou sei lá — Chan respondeu.


— Na verdade, ainda tá doendo um pouco sim...


— Amado? — Jisung falou.


— Eu não disse? Essa criança mudou, não é mais o mesmo — Chris protestou — E essa camisa aí?


— Ele me emprestou, a minha acabou sujando...


— Ainda bem, porra é horrível de lavar quando cai na roupa — Respondeu Minho.


— Tá, mas ele te alimentou? Porquê não tem mais nada pra comer aqui — O loiro declarou.


— Felix, amigo, o prato principal da noite foi o Jeongin, não tá óbvio? — Disse Minho, com deboche.


— Era pra rir? — Yang revidou — Pra sua tranquilidade, Lix, ele me deu pizza.


— Usaram camisinha pelo menos? — Han perguntou.


— Ih...


— Depois pega uma gonorréia e não sabe porquê... — Chan comentou.


— Na próxima a gente usa.


— Vai ter uma próxima? Orra... — Felix se manifestou.


— Nós meio que estamos "namorando"...


— Mas já? Tá bom, Cinderela... — Falou Minho.


— Não, tipo, a gente tá se conhecendo com compromisso. É basicamente isso, relaxem, okay?


— Vocês conversaram sério? — Chris perguntou.


— Sim... Eu disse como me sentia em relação à isso tudo e ele foi bem compreensível. Não sei, mas ele parece gostar de verdade mim... E vocês sabem o quanto eu gosto dele há tempos...


— Nós sabemos, só estamos brincando. Enquanto você estiver feliz, vamos te apoiar — Felix o abraçou de lado.


— Verdade — Minho afirmou — Papo top mas a gente tem que ir, até amanhã, pocs. E cuidado com as DST's viu, senhora Kardashian?


— Anotado. Tchau! — Respondeu, vendo Jisung, Minho e Chris indo embora — Eu também tenho que ir, Lix. Seus pais chegam mais tarde, né?


— Aham. Vou terminar de organizar as coisas enquanto eles não vêm. Ah, aqui sua mochila — Entregou a bolsa com alguns pertences que o mais novo havia levado para passar o fim de semana com o loiro.


— Valeu. Até amanhã, Hyung — O abraçou e se despediu, saindo da casa de Felix para voltar para a sua própria.


— Até amanhã, Innie!























Notas Finais


jeongin atrevidinho amo??????? e o hyunjin seminu o cap inteiro kkkkkjk muito que bem

comentem oq acharam por favoooooo preciso saber se estao gostando da fic senao eu fico trist😭 eh serio ☺

vcs tem alguma sugestao de cap ou querem que eu explane alguma coisa melhor pra vcs nos possiveis caps futuros????? pode falar tranquilo meu povo

>>>COMENTEM ALGUMA COISA AAAAAAAAA<<<

e leiam minha outra hyunin tb ❤ https://www.spiritfanfiction.com/historia/royal-troubles--hyunin-hyunjeong-14321333

até a próxima att (se vcs quiserem), beijo no cucucu <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...