1. Spirit Fanfics >
  2. Fantasmas do Passado >
  3. A Gravação

História Fantasmas do Passado - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - A Gravação


Fanfic / Fanfiction Fantasmas do Passado - Capítulo 1 - A Gravação

NORTE DA CALIFÓRNIA

 

Alex Vause se sentou no topo do cavalo marrom claro, como se ela tivesse nascido nessa posição. A treinadora olhou para a baterista espantada.

 

- Eu pensei que você disse que não sabia montar?

 

Os sedutores olhos azuis fitaram-na.

 

- Eu nunca montei em um cavalo antes na vida.

 

- Então você é uma amazona natural. – A mulher explicou. Alex encolheu seus ombros e piscou para a treinadora

 

– Eu acho que sim.

 

Vestidas como guerreiras amazonas e sentadas nos cavalos que elas não tinham controle, Alex e as outras da banda Foolish estavam em um set filmando o vídeo de seu conhecido sucesso Fight.

 

- Merda! Tudo que esses cavalos fazem é comer. – Nicole Nichols, a guitarrista, murmurou, quando ela tentou fazer seu cavalo parar de comer as folhas de uma árvore.

 

Suzane Warren, a baixista, não estava tendo muita sorte com seu cavalo também.

 

-Você acha que isso é ruim? Estou achando que Muffin está doente ou algo assim. – ela riu – Ele fica cheirando o cavalo de Candice, onde o sol não alcança.

 

- E eu acho que meu cavalo está gostando.  – Candice comentou – Isso está um inferno! Oh dia longo!

 

James, o diretor do vídeo, ficou irritado com o agito dos cavalos e decidiu dar uma folga.

 

- Vamos dar um intervalo para lanchar. Nós estamos gastando muito tempo com isso. Zalá, vamos dar aos cavalos e a banda um tempo para descansar e depois se acostumarem.

 

- Um tempo? Nós já somos intimas. – a baterista desceu do cavalo. – Boa garota. – disse enquanto alisava o animal, depois caminhou até a treinadora, colocou seu braço em volta dela e falou baixinho em seu ouvido.

 

Em segundos, as duas foram para o trailer da banda, todos ouviram o som da fechadura da porta. Alex era a única que não parecia se importar usando parte de suas duas semanas de folga em quatorze meses de tour, para fazer vídeo promocional da banda.

 

- Alex está fazendo aquilo outra vez. - Suzane sacudiu sua cabeça e riu - Tem alguma mulher no set que nossa Romeu não foi para a cama ainda, com exceção de nós três?

 

- Se o trailer está sacudindo, não bata na porta… - Nicky cantarolou, enquanto pegava um sanduíche e uma garrafa de água - Tem por aí alguém que Alex ainda não foi para a cama? Isso é boa pergunta. – brincou – Bem, vamos ver... – deu um gole na água - Primeiro, foi a aeromoça, depois a maquiadora a próxima eu acho que era sua assistente, que a deixou furiosa e a fez ir embora do set .

 

Ela colocou seu dedo no queixo.

 

- Não, eu não acho que ela deixou alguém de fora. O que você acha Candice?

 

Candice Mathews, guitarrista e uma das vocais da banda, não achou isso engraçado.

 

- Como sempre, ela comeu todas, exceto os homens. – respondeu irritada.

 

Nicky caminhou até Candice e colocou a mão no ombro dela.

 

- Ainda não a esqueceu, não é?

 

-Vá se fuder, Nicky!

 

Nicky riu.

 

-Muito bem, Candice, você acabou de responder a minha pergunta. – revirou os olhos.

 

*********************************************

 

Alex só saiu do trailer quando todos estavam prontos para recomeçar a gravação. Ambas, baterista e a treinadora pegaram cadeiras e se sentaram próximas as meninas da banda para comerem. Suzane pegou um prato e deu a baterista.

 

- É melhor você comer alguma coisa, Alex. – a olhou sério. - Nós não queremos levá-la ao hospital como da última vez que você desmaiou por não se alimentar.

 

Alex olhou para a baixista e deu uma gargalhada.

 

- Obrigada Su, mas eu já comi. – disse e passou a mão na testa para retirar sua franja suada dos olhos. Todos olharam para uma envergonhada treinadora, que arrumou uma desculpa de que precisava fazer algo e saiu.

 

Nicky se levantou e arremessou o resto do lanche no lixo.

 

- Você realmente tem uma maneira educada com as mulheres, Alex. Primeiro come e depois joga fora.

 

- Tudo funciona como um plano, Nicky. – sorriu e pegou uma garrafa de água. - Eu não desejo ninguém amarrada a mim, sufocando com cobranças. - Candice bufou.

 

- Os céus proíbam isso de acontecer! – Candice declarou irritada. - Você poderia derreter ou algo do tipo. Quem sabe até perderia um pouco deste sex appeal se fizesse isso? – disse com ironia. Alex a fitou com curiosidade.

 

- Qual é seu problema, Candice?

 

Candice estreitou seus olhos.

 

-Você, Alex! – a guitarrista respondeu sarcasticamente – Você é o meu problema.

 

A baterista se ergueu da sua cadeira e se aproximou da guitarrista, como um animal que estuda sua presa. Parou bem atrás de onde ela estava sentada e se inclinou, ficando na altura do seu ouvido.

 

- Candice, você sabe qual é o seu problema? - sussurrou em um tom sensual.

 

Candice pulou da cadeira após seus pelos eriçarem, sentiu as mãos de Alex acariciando a curva de seu seio, ela suspirou. Quando fez menção em se virar, a baterista esfregou seu corpo contra suas costas.

 

- Depois de todos esses anos você ainda me deseja, não é? - perguntou no ouvido da guitarrista.

 

- Alex... – disse nervosa, mas foi interrompida.

 

- Não é? – repetiu quando Candice relaxou e deixou que ela a tocasse. Alex riu e então se afastou, deixando-a frustrada e muito irritada. - Você precisa é ter sexo, esse que é seu problema.

 

Candice encolheu os ombros e sua face ficou vermelha de raiva. Ela se voltou e a fitou direto nos olhos.

 

- Sua cadela! Nem todo mundo resolve seus problemas com sexo. – levantou a mão para acerta-la, mas Alex foi mais rápida e segurou sua mão no ar. Ela sorriu e ficou ali, fitando-a com cinismo.

 

- Você podia pensar sobre o assunto e colocar em prática alguma atividade que alivie seu estresse.

 

- Vai se fuder, Alex! – a morena a olhou e piscou o olho.

 

- Como você desejar.

 

Nicky viu o que Alex fez com Candice e ouviu a última parte da conversa. Ela parou entre as duas mulheres, evitando que o clima entre as duas piorasse.

 

- Chega! – falou energicamente. – Basta com isso vocês duas. Não é à toa que estou com uma maldita dor de cabeça. As duas parecem crianças.

 

Alex sorriu e saiu em direção ao set de gravação do clip, seguida por Nicky. Quando ela alcançou a baterista, pegou em seu braço e a puxou.

 

- O que foi agora? – perguntou com enfado.

 

- Gostou?

 

- Da discussão?

 

- Caralho Alex, eu estou falando da gostosa dos peitões. – sorriu.

 

- Sabe que se Lorna lhe ouvir falando isso às coisas podem complicar para seu lado, não é? – Suzane se aproximou interrompendo as duas.

 

- Por que você sempre a provoca com isso, Alex? Sabe como ela se sente sobre o término de vocês. - a baterista sorriu, seus olhos brilhavam com malícia.

 

- Porque ela é divertida para se brincar. – deu de ombros. – Sempre se meteu nos meus assuntos. – viu a expressão de Suzane que não era das melhores. - Olha Su, ela começou isso, dessa vez sou inocente.

 

- Cristo, Alex! Sabe como ela é, poderia ser um pouco sensível quanto a isso?

 

As sobrancelhas da morena se ergueram e a baterista respondeu com sarcasmo:

 

- Eu não ganhei o título de fria, egoísta e cadela por nada, Suzane.

 

A baixista sacudiu sua cabeça e tentou conter uma risada, mas falhou - Isso é verdade.

 

Elas caminharam pela trilha da floresta que levava até o set. A baixista suspirou, ela não estava nada animada em montar novamente.

 

- Como você conseguiu montar a égua sem problema?

 

A baterista deu de ombros.

 

- Eu não sei. Ela parece gostar de mim. - Suzane parou e a fitou.

 

- A treinadora de cavalos?

 

- Não, a égua.

 

- Oh! - Alex riu e concluiu,

 

- A treinadora também gostou de mim. Ela gritou meu nome várias vezes no trailer.

 

- Eu sei. – a baixista respondeu sorrindo.

 

- Nós todas ouvimos sua cadela. – Nicky completou sorrindo.

 

 

**********************************************

 

 

Após se acordar, Alex se levantou, colocou os óculos de grau e procurou suas roupas.

 

- O voo sairá em menos de uma hora, e ainda estou aqui nua. – falou alto, não achava sua mala. - Silvye? – gritou.

 

- O que?

 

- Onde você colocou minha calça jeans? Minha camisa e minha mala?

 

- Eu a pendurei no closet, onde eu sempre coloco. - respondeu calmamente à baterista - Não que você saiba disso... disse com ironia. – Mas malas no meio do quarto atrapalham e podem causar acidentes. – a ruiva completou com sarcasmo em sua voz – Eu disse a você que não tinha tempo, mas sua libido venceu como sempre. Agora não tem tempo para uma ducha, seu cheiro está forte e todo mundo vai saber o que fez essa manhã.

 

- Poderia ter dito não, eu não forçaria a barra. – disse enquanto vestia sua calça e depois sua bota. Silvye olhou pela janela e sentou na cama.

 

- A limusine acabou de chegar, você já está pronta? – Alex a olhou avaliando-a. - Não que eu queira apressar você, minha gostosa, sabe que sentirei saudades.

 

- Da minha companhia ou do meu dinheiro? – olhou ao redor. - Onde está meu sutiã? Onde você o colocou? - Silvye sorriu.

 

- Eu acho que você jogou pelo quarto na noite passada... – sorriu olhando para cima. – Procure-o.

 

Alex olhou para acima e riu quando viu o sutiã pendurado no lustre.

 

- Não, esse é muito pequeno, deve ser o seu.

 

- Muito engraçada senhora boa de cama. – jogou a cabeça. -. O motorista está vindo em direção a porta, vou atendê-lo. – Silvye declarou ao mesmo tempo em que a campainha tocou.

 

- Você não ouse abrir... – Alex não queria ser pega sem camisa, ela a pegou e correu para a sala, mas Silvye já havia aberto a porta e se surpreendeu com a morena nua da cintura para cima.

 

- Você enlouqueceu? – a ruiva perguntou.

 

O motorista da limusine olhava para Alex com os olhos arregalados, diante da visão da bela mulher morena apenas de calça jeans. Após três anos dirigindo para a baterista, ele ainda não havia se acostumado com o comportamento excêntrico dela, mas vê-la seminua era novidade. Alex recuou ao ver a porta aberta e o motorista a olhando.

 

- Sinto muito... Acho que ela se atrasou um pouco. – Silvye explicou. – Ela bebeu um pouco ontem e acordou tarde. – forçou um sorriso. - Por que você não senta e espera? - o motorista recuou.

 

- Tudo bem, eu vou levar a mala e esperar a senhorita Alex no carro. - a risada de Silvye ecoou pela casa. A baterista voltou à sala totalmente vestida, pegou sua jaqueta de couro sobre o sofá e olhou para a ruiva com reprovação.

 

- Poderia ter esperado me vestir. – declarou - Você é doida... Por que gosta de constranger Edward, cada vez que ele vem aqui? - Silvye pegou Alex pelos cabelos.

 

- Está com raiva porque ele viu seus seios, às vezes você é tão puritana.

 

A baterista riu e deu uma palmada no traseiro de Silvye com força.

 

- Puritana? Não sou você que já mostrou seu traseiro para todo o estado da Califórnia. Agora, solte meu cabelo e evite cenas desagradáveis. - empurrou a ruiva longe e saiu sem se despedir.

 

- Até breve, Alex! – falou com ironia. - Foi bom você aparecer em casa baby. – acenou e revirou os olhos com enfado. Viu a morena entrar na limusine e esperou o veículo se afastar. Então, ela pegou o telefone e digitou o número familiar. Quando atenderam, ela falou sorrindo. – Amor, sou eu... Sim, ela já foi. A casa é toda nossa novamente.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...