História Fantásticos - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fantasticos
Visualizações 3
Palavras 2.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


No capítulo anterior, a princesa havia recebido a notícia de que algue´m lhe ajudaria.
Agora, ela vai ter que se virar pra chegar ao nível desse alguém!

Capítulo 13 - Todas as fases


  Todas as fazes

 

  -- Quer saber o que eu acho que você é? Manipuladora, egoísta, sem noção e tola também!  --  Medroso dizia olhando para ela. A princesa ficava cada vez mais vermelha.  –--  Quem seria tonta a ponto de querer ganhar minha amizade com um jogo? Ah, claro que nossa doce Princesa. Lógico, NE! Ninguém mais seria tão boba! Ridícula, acha que consegue dominar um reino assim? Olha pra você, pequena, amarrada! Fútil!

  -- Ai, cala a boca!  --   ela gritou fazendo o balão azul que estava em sua mão se estourar.  --  Eu vou te matar se você continuar...

  -- Princesa, acalme-se.  --  disse Poderosa com firmeza.  --  Por favor, tente respirar, nessa próxima vez, ta legal?

  -- Ui, mas isso é muito difícil! Dá vontade de bater nele! Isso irrita, ah!  --  a princesa raivosa joga o balão estourado pro ar.

  -- Apenas, respire, encha novamente o balão e vamos tentar mais uma vez, ta?

  A princesa pegou o galão de gás, inflou outro balão e despejou dentro dele, amarrou em suas mãos, prendendo-o bem em suas unhas, pronta para a próxima.

  -- La vamos nós de novo! Mais uma vez, provar que você não é forte pra lidar com a raiva! Falando sério, princesinha, se é que você merece ser chamada assim, por que você acha que vai ser alguém na vida um dia? Acha que com esse sorrisinho feio, vai conquistar o mundo? Você precisa de cérebro! Bem diz o príncipe, você é burra e idiota!

  -- Fale do príncipe outra vez e sua vida acaba seu...

  -- Princesa! – Poderosa interrompia.

  -- Desculpe, Poderosa. Esqueci de respirar, pensar, e tudo mais. Essas ofensas são muito pesadas, Medroso! Poderia maneirar?

  -- Não!  --  ele sorru, mas mantendo ainda a firmeza na voz.

  -- Ah! Vamos La então.  --   ela respirou fundo e repetiu todo o processo do balão.

  -- Pela décima sétima vez,  sua otária! Poderia por favor ao menos tentar fazer as coisaadireito, dessa vez? Só dessa vez? Por uma vez na vida toda, dá Pra você ser útil em alguma coisa? Ou srá que não? Você é tão inútil, que passou dezoito anos da sua vida, sem ao menos saber dos seus poderes? Tão sem valor, que sua criadora esqueceu que você existia, NE? Tão ruim, que pra mim e todos, você é um desperdício de lápis de cor. Desista, seu reino estará destruído, e você, não fará nada, pois é apenas um desenho bobo e inútil, feito por uma garota tola e cega. Duas idiotas! Mas, é como dizem: Tal criadora, tal criação, não é mesmo?

  Os olhos dela se fecharam, ela respirou fundo de modo que nem deu pra perceber, encarou-o e disse com calma.

  -- Darei um jeito de resolver tudo, mesmo sendo tão inútil.

  Os olhos de Poderosa e de Medroso brilharam ao ouvir. Medroso deu um caloroso abraço na pequena.

  -- Sabia que conseguiria.

  -- Quero de novo.

***

***        -- Princesa, princesa, -- gritava Barney. – Nosso navio afundou, está matando milhares de pessoas, ninguém está conseguindo sobreviver. Nos ajude, princesa.

  -- Tudo bem... Eu...  --  ela tentou dizer.

  -- Princesa!  --  Medroso começou a gritar.  --  Toda a comida do reino foi levada, o ouro que temos foi roubado e não sabemos o que fazer. Por favor, nos ajude!

  -- Ai, fiquem calmos, eu...

  -- Princesa! – era a vez de Poderosa.  – Está havendo um ataque terrorista na escola das crianças e os guardas não atendem o chamado, o que faremos?

  A pequena olhou ao redor, mesmo estando na casa de Poderosa, sentia que a atuação deles era tão boa, que parecia-se mesmo com seu próprio reino.

  -- A... Eu... Nos...

  -- Vamos, princesa! As crianças vão morrer!

  -- Salve os viajantes!

  -- Tudo foi roubado!

               -- Pobres viajentes, princesa!

               -- As criancinhas irão morrer, princesa!

               -- Princesa, o que iremos comer?

               -- Não teremos mais crianças em nosso reino princesa! Faça algo!

               -- Você vai deixar os viajantes morrerem, princesa?

               -- Todos irão morrer de fome, princesa!

               --  Princesa!

               -- Princesa!

               -- Princesa!

  -- Parem! Barney, leve-me até os guardas, os chamaremos e juntos vamos até a escola!

  -- Mas, é perigoso, princesa!

  -- Não quando se tem armadura. Medroso, leve o martelo que destrói e acabe com as carruagens dos ladrões, chame os criados para que catem a comida e o ouro, e de forma alguma deixem que falte alimento a eles, dê um jeito e leve os malfeitores para a prisão e, Poderosa, use seu poder para que pare o mar, chame os marinheiros e pague para que salvem os viajantes! Cumpram as ordens sem reclamar e não caiam a tentações! Um erro nosso matará milhares de pessoas!

  Por ser valente, a pequena ganhou um doce enorme, que comeu em um minuto.

***        Esticada, mais que esticada, rodeada por espadas, sentia-se tentada a gritar e chorar, um movimento errado e um machucado a mais. Medroso, segurava em sua frente, um grande prato, repleto de comidas que ela amava. Táci não comia a vinte horas.

  -- Medroso, você é... – ela lembrou que não podia o xingar. – Lindo, te adoro tanto! Você é a pessoa mais incrível que eu conheço.

  -- Quer esse prato, princesa?  --  ele provoca.

  -- Não quero.  --  ela mente.

  -- Pense bem, se me der seu reino, deixo você livre pra sempre e pode comer o que quiser. Você não come a dias.

  -- Prefiro a morte!

  -- Que assim seja então. – ele apertou um botão que fez com que as espadas apertassem o corpo dela e a fazendo gritar de dor. – Diga o que sou agora!

  -- G... Gran...dioso!

  -- Projete! Diga com clareza!

  -- Tu és grandioso! – ao gritar isso, ela deu um jeito quase impossível e se esticou ainda mais, com dor infinita, mexeu as pernas com velocidade e forçou seus braços empurrando seu corpinho para cima, cada vez mais. Quando Medroso a olhou, estava por cima das espadas, pegando os lasers no teto e atirando nele.

  Ele, com suas armas grandes, a atingia tentando se defender. Com a coragem que tinha, ela pulou de La de cima, caindo exatamente em frente a ele, e o derrubando para trás. Medroso ainda com sua força, conseguiu se levantar e a encurralar. Mas, agora ninguém a segurava, socos, chutes e empurrões eram pouco para descrever o que agora ela fazia. Com uma mão no pescoço dele e a outra na espada, o mantendo deitado, ela perguntou.

  -- Quais são suas ultimas palavras?

  -- Parabéns, você passou da faze três.

***

***        -- Olhe bem para essa foto, princesa:    Medroso mostrava a foto de um casal jovem. Ela possuía um lindo e perfeito sorriso, ele, um olhar levado, malandro e divertido.  --  Sabe quem eles são?

  -- Eles, seriam meus pais, Medroso?

  -- Você tem o mesmo olhar dele, e o sorriso grande como o dela. Preciso que diga algo a eles. E, que escolha um deles para voltar e ficar com você.

  -- Oh! Isso é, impossível!

  -- E lembre-se, não pode chorar

Ela tocou seu próprio rosto. Respirou fundo e começou a dizer:

  -- Mãe, eu... Estou tão nervosa que nem sei o que te dizer. Bom, eu queria ter te conhecido, te abraçado sequer uma vez, queria que soubesse que mesmo sem te conhecer, sei que tenho um amor incondicional por ti e por papai! Eu... – ela se manteve firme. – Eu sinto muito que tenha perdido sua vida na guerra. Sempre será uma heroína pra mim! Vou seguir o seu exemplo de coragem, para que você se orgulhe de mim também, assim como eu de você! Pai, queria que soubesse que você também sempre será meu guerreiro preferido! Não tenho como expressar o quanto sou grata por... – lágrimas quase saíram de seu rosto. – Por ter... Dado sua vida por mim! Nunca soube sua história, pois se soubesse antes, já havia conversado tanto com vocês que aí de onde estão enjoariam de me ouvir chamá-los. A mamãe e eu temos muita sorte em te ter, pai! Sou a garota mais sortuda por ter pais como vocês, mesmo distantes, sinto que estão próximos! As vezes, sinto vontade de falar sobre coisas de menina com minha mãe, ou provocar ciúmes de filha no pai! Mas, não se preocupe papai, o Medroso cuida bem de mim e, mãe, a Poderosa me vigia pra você! Vocês são os melhores pais do mundo e eu os amo!

  -- Não derramou uma lágrima. Pois bem, escolha para salvar.

  -- Ah! – ela pensou por um longo tempo. – Nem um deles.

  -- Como? Princesa, você poderia ter um dos que te deram vida, aqui, com você! Não sempre quis isso?

  -- Sim, mas, não seria justo com nem um, se eu escolhesse um só. Tanto pra mim, quanto pra eles. Afinal, eles se foram, e se isso teve de ocorrer, foi porque a missão deles acabou aqui, não devo mudar isso, por mais que eu possa. Tenho que encarar a realidade como ela é. Se não posso ter os dois, que fiquem juntos pra sempre. Além disso, estarão sempre em meu coração.

  -- Princesa, Passou pela ultima faze. Com muito sucesso. Seus pais, estão orgulhosos de você!

  -- Medroso. – os olhos dela se encheram de lágrimas. – Me abraça?

  -- Oh princesa! – ele a prendeu em seus braços, tentando acalmá-la da emoção de ver seus pais. – Vai ficar tudo bem! Você conseguiu controlar sua raiva, suas emoções, sabe tomar medidas frente à uma situação de risco e consegue se sobre sair em meio ao perigo. Já está pronta para lutar.

***

  -- Princesa. – disse Medroso ao vê-la deitada. Você passou em tudo, mas ainda falta o maior desafio: Lavar a louça.

  -- Ah! – ela reclamou. – Mas eu já fiz tanta coisa!

  -- Ah é? Sabia não.

  -- Aaaaah! Te odeio!

  -- Eu também!

***

***        Quando estava prestes a dormir, ela ouviu a porta do quarto se abrir. Em seguida viu Medroso e Barney entrando devagar.

  -- Princesa, temos uma coisa pra você! – disse o cavalinho.

  -- Ah! Não quero outro desafio. Quero dormir! Por favorzinho Barneyzinho!

  -- Mas, você vai gostar! Prometo! Promessa de cavalo não é mentira!

  -- Ta bem! O que é? – Medroso tirou das costas do cavalo, uma bola de cor azul brilhante.

  -- Uma... Bola?

  -- Uma bola de cristal, princesa. --  disse Medroso a entregando nas mãos dela. – Poderosa deu de presente por você ter ido tão bem.

  -- Ah! O que faço com ela?

  -- Isso aqui: -- Medroso passou a mão no objeto, e nesse mesmo instante, a imagem que a princesa desejava ver, apareceu em sua frente.

  -- Principe?

  -- Princesa! Meu Deus!

  -- Essa bola tem internet! Que da hora! – Medroso e Barney riram. – Principe! – os dois saíram do quarto, a deixando as sós com a bola.

  -- Ai graças! Princesa, como você está, onde está? Meu Deus! Fiquei tão preocupado! Me desculpa por favor pelo o que falei!

  -- Oh não, esqueça aquilo! Está tudo bem, estou numa casa linda! Te explico tudo amanhã, hoje estou muito cansada! Mas, prometo que te conto tudo. Me desculpe também, por ter fugido daquele jeito!

  -- Olha, você não é só uma princesinha, é muito mais! Tem mais coragem que eu pra fugir assim! Desculpe mesmo minha linda!

  -- Está tudo bem meu anjo! Fazemos o seguinte, amanhã te explico tudo em detalhes sobre tudo.

  -- O Medroso é amigo?  --  o príncipe perguntou, pois ficou confuso ao vê-lo junto da princesa.

  -- É irmão!  ==  ela respondeu sorrindo.

  -- Ta bem, só de saber que você está bem já me deixa feliz. Mas, quando volta?

  -- Logo logo! Estou com muitas saudades!

  -- Eu também! Boa noite princesa, te amo!

  -- Eu, acho que te amo também! Um beijo! – desligaram a bola.

  -- Acha que ama, princesa? – disse Medroso que havia entrado novamente no quarto.

  -- Ah, Medroso, eu ainda estou descobrindo o que é o amor, mas não vejo a hora, de dizer isso sem esse maldito acho. Porque sei que o amo, só não consigo dizer.

  Do outro lado da vida, ele deitado de baixo das cobertas, sem ela pra bagunçar e o esquentar, dormia bem por saber que ela estava bem, e imaginava, quando conseguiria dela um sincero e sozinho, eu te amo!

 

  Te quero!

  Te adoro!

  Te desejo!

  Eu te amo!

 


Notas Finais


No próximo:
Você já deve ter reparado que nossa princesa é alguém, um tanto "Boa demais", não é?
POis bem, a prova disso estará no próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...