História Fascínio (Imagine Jung Hoseok - BTS) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope)
Tags Aluna, Dança, Dirty Talk, Hentai, Hoseok, Imagine, Imagine Bts, Imagine Hoseok, J-hope, Jung Hoseok, Professor, Você, Xputh
Visualizações 3.606
Palavras 2.282
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Oito.


Fanfic / Fanfiction Fascínio (Imagine Jung Hoseok - BTS) - Capítulo 8 - Oito.

Sabe a sensação de estar nas nuvens? Era a minha situação naquele momento. Os braços de Hoseok prendiam a minha cintura e eu queria ficar ali o dia todo, encolhida sobre aquele colchão, sentindo os seus toques. Me desvencilhei de seus braços depois de muito custo, descendo da cama e entrando no banheiro. Olhei o meu reflexo no espelho e segurei o riso ao ver a situação do meu cabelo. O lado esquerdo do meu rosto estava levemente amassado. Abri a torneira e juntei um pouco de água em minhas mãos, molhando a minha face para despertar-me do sono que sentia. Escovei os dentes com a mesma escova que usei na noite anterior e me despi, pegando a minha roupa do chão.

— Ia embora sem se despedir? — Assustei ao ouvir a voz rouca do Jung.

— Você estava dormindo, então... — Pigarreei, me aproximando.

Seus olhos estavam ainda menores e seus cabelos completamente bagunçados, o deixando com um ar fofo.

— Não está pensando em vestir esse macacão, está? — Indagou, franzindo o cenho. Aquela pergunta havia me deixado sem graça. — Pode pegar uma das minhas calças de moletom, acho que serve em você. — Fitou as minhas coxas descaradamente.

— Posso mesmo? — Sorri.

— Pode. — Riu soprado, passando a mão atrás da nuca. — Vou pegar uma pra você.

— Tudo bem. — Assenti.

Hoseok se levantou, caminhando até o pequeno guarda-roupa e pegou uma de suas calças, estendendo a peça para que eu a pegasse. Agradeci em sussurro e vesti a calça, notando que tinha ficado boa em meu corpo. O coreano riu e adentrou o banheiro. Peguei as minhas roupas sujas e deixei o quarto, indo até a cozinha. Coloquei as peças dentro de uma sacola plástica, a deixando em cima do sofá, junto a minha chave e a minha garrafinha de água. Hoseok surgiu alguns minutos depois, com os cabelos molhados e já vestido com uma camiseta larga e uma bermuda lisa. Eu adorava o seu estilo. Era único.

— Preciso ir. Tenho que passar em casa, vestir o uniforme da loja e alimentar o Floquinho. — Comentei, caminhando em direção a porta.

— Tenho que repassar umas coreografias. — Umedeceu os lábios, abrindo a porta de seu apartamento. — Nos vemos mais tarde?

— Com certeza. — Afirmei sorrindo.

— E o meu beijo? — Indagou semicerrando os olhos, me fazendo engasgar de leve. — Estou brincando. — Riu soprado.

— Idiota. — Fitei os seus olhos, me sentindo totalmente atraída pelo Jung. Por impulso e também necessidade, lhe dei um beijo rápido, sorrindo logo em seguida. — Tenha um bom dia, Hoseok.

— Igualmente. — Sorriu ladino, enfiando as mãos nos bolsos de sua bermuda.

Ao passar pelo estacionamento, tive uma surpresa. O Jung tinha guardado o meu carro ali e eu sorri abobada com o seu gesto. Suas roupas continham o seu cheiro e confesso que não queria tirá-las nunca mais. Entrei em meu carro e o manobrei, saindo de seu prédio e voltando pra casa. Assim que cheguei em minha residência, Floquinho veio correndo ao meu encontro, miando alto e manhoso. Mandei uma mensagem para a Cheryl dizendo que eu iria chegar um pouquinho atrasada. Peguei o meu gatinho no colo, depositando um beijo em sua cabecinha. Ele miou dengoso, olhando em meus olhos.

— Desculpe por passar a noite fora, pequeno. — Murmurei. — Ah, Floquinho. A mamãe está tão feliz. — Sorri boba, caminhando até o meu quarto.

O bichano correu para a sua caminha enrolando-se no pequeno cobertor, o que me arrancou um riso. Me despi em questão de segundos, vestindo um conjunto de lingerie e o uniforme da loja. Deixei o meu cabelo preso em um rabo de cavalo e peguei a minha bolsa, saindo do quarto. Floquinho me acompanhou até a cozinha e antes de sair de casa, enchi a sua vasilha de ração. Floquinho miou e começou a comer, assim o deixei sozinho, indo para a loja. No caminho comprei alguns pães de queijo e uma lata de suco, para comer no tempo livre na loja. Sophie e Katherine me encheram de perguntas como sempre e dessa vez contei a verdade a elas, que eu tinha me apaixonado por meu professor e que tínhamos dormido juntos.

— Shippo muito! — Soph exclamou sorridente, batendo palminhas.

— Acha que ele sente o mesmo, (S/A)? — Cheryl perguntou.

— Acho que sim. — Bebi um pouco do suco, voltando a falar. — Existe um clima muito grande entre nós, meninas. E tenho quase certeza que o Hoseok sente o mesmo.

— Espero que tudo dê certo entre vocês, amiga. — Katherine sorriu.

— Obrigada. — Sorri de volta.

Aproveitei o meu tempo livre e mandei uma mensagem com o meu endereço para o Edward. Mesmo que o Jung e eu não tivéssemos nada concreto, me senti um pouco estranha em relação a festa. No entanto, não deixaria o meu amigo na mão. Era só uma festa, certo?

— Em que está pensando, (S/A)? — Sophie perguntou.

— Em nada demais. — Sorri.


Pacific Academy of Dance.

Caminhava pelos corredores da academia, indo em direção a minha sala. Passei no bebedor e enchi a minha garrafinha, a qual estava quase vazia. Hoseok e os outros alunos já se encontravam dentro da sala. Assim que entrei no local, fechei a porta e me posicionei em meu lugar. O Jung sorriu discretamente para mim e eu retribuí o sorriso, mordendo o lábio inferior. Edward me cutucou sussurrando “eu vi isso”, o que me deixou completamente sem graça. Começamos a nos alongar, aquecendo os nossos corpos. Mesmo se quisesse, não conseguiria quebrar o contato visual que Hoseok e eu mantínhamos. Era intenso demais. Inquebrável.

— Não acredito que vocês estão flertando e que já transaram. — Ed comentou em um sussurro, segurando o riso. — Que babado, menina!

— Fale baixo. — Choraminguei.

— Me conta, ele é tão dotado como parece? — Voltou a sussurrar.

Estávamos na pausa de cinco minutos que o nosso professor havia nos dado. Abaixei o olhar, mordendo os lábios e o Edward soltou um riso.

— Sim, ele é. — Comentei um pouco constrangida.

— Eu sabia que rolava algo entre vocês. — Bateu palminhas.

— Não pode contar a ninguém, Ed. — Murmurei.

— Claro. Pode deixar. — Sorriu. — A festa na sexta ainda está de pé, não é?

— Festa?

Assustamos com a voz do Jung tão áspera e próxima a nós.

— A (S/A) e eu vamos em uma festa, prof. — Edward respondeu sorridente, me cutucando de leve. — Não quer ir também?

— Sexta é dia de aulas extras. — Suspirou, passando a mão atrás da nuca. — Se divirtam. — Me olhou sério, se afastando.

— Você viu isso?! — Ed me segurou pelos ombros, balançando-me. — Céus amiga, ele está com ciúmes!

— Você acha? — Indaguei, mordendo o lábio inferior.

— Não só acho como tenho certeza! — Soltou um risinho. — Amiga, se você não quiser ir, tudo bem. Eu vou entender.

— Eu vou Ed. — Sorri.

— Acabou a pausa, pessoal! — Mark nos informou.

Retornamos para a sala e nos posicionamos outra vez. Hoseok permaneceu o restante da aula sério e quando nossos olhares se encontravam, ele logo desviava. Eu estava confusa demais e sem ânimo para continuar dançando. Fiz uma pausa e bebi um pouco de água, voltando a olhá-lo. Quando a aula acabou, Hilary foi conversar com o Jung e eu fiquei com uma cara de tacho, apenas observando a cena. A loira dizia baixo, então não podia entender o que ela dizia. Hilary se despediu com um beijo na bochecha do castanho e se retirou da sala, me deixando sozinha com o professor. Peguei a minha bolsa, a colocando no ombro e me aproximando do coreano.

— Será que dá pra parar de desviar o olhar, Hoseok? — Perguntei ressentida.

— O que você quer? — Indagou com frieza.

— Hoseok! — O repreendi. — Achei que estava tudo bem entre a gente...

— É, realmente estava. — Puxou o som para a salinha de que tinha ali, guardando-o. — Vai mesmo para a tal festa?

— O Edward pediu que eu fosse. — Expliquei. — E você também vai dar aula para a sua aluninha filhinha de papai. — Cruzei os braços, o observando.

Hoseok riu de leve, me fitando com as sobrancelhas arqueadas.

— Está com ciúme? — Indagou.

— E se eu estiver? — Olhei em seus olhos. — E se eu estiver com ciúme, Hoseok? O que irá faz...

Ele me calou com um beijo afoito, mas ao mesmo tempo lento. Suas mãos foram diretamente para a minha cintura, a apertando. Nossas línguas travaram uma briga por espaço e meus dedos puxaram os seus fios, o fazendo gemer entre o beijo. O Jung deslizou suas mãos até o meu rosto, diminuindo aos poucos o nosso ósculo. Assim que a falta de ar se fez presente encostei a cabeça em seu peito, respirando com dificuldade. Hoseok estava do mesmo jeito, ofegante. Ele me abraçou carinhosamente, depositando um beijo em meus cabelos. Céus, minhas bochechas ferviam.

— Vamos conversar no apartamento. — Afastou nossas físicas, me olhando com cautela.

— É melhor conversamos depois. — Suspirei. — Nós não temos nada sério, Hoseok. Então...

— Então você vai para a festa, correto? — Acariciou minha bochecha, me deixando totalmente confusa e mole.

— Você quer que eu vá? — Busquei os seus olhos.

— Não. — Acabou com a distância entre os nossos corpos, me segurando pela cintura.

— Por quê? — Ofeguei.

— Porque só eu posso tocar você. — Fitou os meus lábios. — Entendido?

— O que está propondo? — Franzi o cenho, sentindo o meu coração batendo mais forte.

— Que fiquemos no apartamento ou em sua casa na sexta. — Colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha. — Ou cada um faz o que tem que fazer.

— Hoseok... — Murmurei. — Mas e o Ed?

— Ele consegue se virar, não? — Beijou a minha bochecha direita, logo beijou a esquerda. — Vamos fazer um programa de casal. — Soltou um risinho.

— Não estou te reconhecendo. — Ri baixinho.

— Estamos combinados, então? — Roçou o nariz em minha bochecha me deixando fraca, roubando todo o meu ar.

Jung Hoseok me deixa vulnerável.

— Estamos. — Arfei, recebendo um beijo demorado. — Agora eu tenho que ir.

— Tem certeza? — Franziu o cenho, com um sorrisinho de canto.

— Sim. — Me afastei, mesmo querendo ficar em seus braços. — Nos vemos amanhã.

— Boa noite, minha aluna favorita. — Riu sacana.

— Boa noite, prof.

Lhe mandei um beijo no ar, deixando a sala com um enorme sorriso nos lábios. O caminho de volta para a minha casa foi rápido e eu agradeci por isso. Assim que cheguei, tomei um banho e caí na cama, relembrando as palavras do Jung.

— Programa de casal? — Gargalhei sozinha e o Floquinho miou, me fazendo rir novamente. — Vem aqui com a mamãe. — Dei dois tapinhas na cama e o bichano subiu, deitando em minha barriga.


Sexta-Feira. Dois de Junho.

Terminei o meu precioso banho e voltei para o quarto, me vestindo e me perfumando. Faltavam poucos minutos para às oito e já havia cancelado a festa com o Edward, este tinha entendido o verdadeiro motivo para eu ter desmarcado com ele. Jung Hoseok. Me olhei no espelho e fiz uma maquiagem simples, nada exagerado. Deixei meus cabelos soltos e fui para a sala, esperando Hoseok. Floquinho brincava com a sua bolinha de náilon, correndo para os lados animadamente. Ele adorava a minha presença, assim como eu adorava a dele. O bichano subiu no sofá em um pulo, deitando em meu colo. Fiz carinho em sua barriguinha e o pequeno miou manhoso.

— Acho que ele chegou, Floquinho. — Murmurei ao escutar o barulho de uma porta de carro sendo batida.

Coloquei o gatinho no chão e saí da casa, indo até o portão. Hoseok estava ali.

— Oi. — Sorri, mordendo o lábio inferior.

— Oi linda. — Me roubou um beijo, adentrando o lugar. — Está cheirosa. — Constatou sorridente.

— Obrigada. — Rimos. — O que tem nessas sacolas?

— Chocolates e comprei uma pizza. — Sorriu.

— Quer me engordar? — Gargalhei.

— Talvez.

Fechei a porta da sala e fomos direto para a cozinha, sendo acompanhados pelo Floquinho.

— Ele é bem brincalhão. — O Jung comentou, enquanto deixava as sacolas sobre o balcão.

— Sim. — Sorri, observando o meu pequeno.

— Posso colocar a pizza no forno? Acho que ela já deve ter esfriado um pouco.

— Pode sim. — Abri o forno e o castanho a colocou ali. — Vou esquentar a pizza. Se quiser, pode escolher os filmes.

— Ok. — Assentiu, deixando a cozinha e indo para a sala.

Depois que a pizza esquentou, coloquei dois pedaços em cada prato e fui para a sala. Entreguei o prato do Hoseok e deixei o meu sobre o sofá. Enchi dois copos com refrigerante e sentei ao seu lado, degustando a pizza.

— Que filme é?

— Se eu ficar.

— Gosta de um drama misturado a romance? — Soltei um risinho, o observando.

— Gosto. — Deu de ombros, com um sorrisinho nos lábios. — Você não?

— Eu também. — Confessei. — Achei que fôssemos ver algo mais... apimentado.

— Você é uma safada, (S/N). — Falou rindo.

— Não só eu, Hoseok. — Pisquei e o coreano riu ainda mais, me olhando de forma estranha. — O que foi?

— O seu rosto está sujo de molho.

— Onde? — Questionei sem graça.

— Deixa que eu limpo. — Se aproximou, passando o seu indicador no cantinho da minha boca, levando-o até a sua. — Pronto. — Sorriu sem mostrar os dentes.

Engoli em seco e voltei a prestar atenção no filme. Senti a mão do Jung entrelaçando-se a minha, me deixando completamente confusa. Ele me olhou por breves segundos, com um sorrisinho de canto e eu retribuí. Nós tínhamos algo, mas ainda não era nada concreto. Ainda.


Notas Finais


Programa de casal??? Quero. 🙈
Eu amo esses dois. 😍💕

➤ Divulgação de uma leitora: https://www.spiritfanfiction.com/historia/uncover-13824019

Sigam o meu perfil: @xputh 🌻💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...