História Fascínio (Imagine Jung Hoseok - BTS) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope)
Tags Aluna, Dança, Dirty Talk, Hentai, Hoseok, Imagine, Imagine Bts, Imagine Hoseok, J-hope, Jung Hoseok, Professor, Você, Xputh
Visualizações 2.665
Palavras 2.303
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Penúltimo capítulo de Fascínio. 🤧💛

Música Sugerida: It Won't Stop - Sevyn Streeter e Chris Brown. 🆘️

Boa leitura, amores! 🌻💕

Capítulo 9 - Nove.


Fanfic / Fanfiction Fascínio (Imagine Jung Hoseok - BTS) - Capítulo 9 - Nove.

Me aproximei de Hoseok, encostando em seu corpo. Apoiei minha cabeça no seu ombro e nossas mãos continuaram entrelaçadas. O Jung emanava um calor gostoso de se sentir, além do seu perfume ser maravilhoso e másculo. Combinava perfeitamente com ele. Eu gostaria de saber o que Hoseok tanto pensava e qual era a sua opinião sobre o que tínhamos. O olhei por breves segundos, contemplando o seu rosto branquinho e bem desenhado. O Jung percebeu que eu o olhava e virou o seu rosto, me fitando com um sorrisinho de canto.

— Quero algo doce agora... — Sussurrou em um tom rouco, fitando os meus lábios.

— E o que seria? — Me endireitei no sofá, virando o meu corpo em sua direção.

— Os chocolates que eu trouxe. — Deu risada e fiz um bico inconformada com a sua resposta. — Pode ser um beijo também.

— Engraçadinho. — Desviei o olhar, cruzando os braços.

— Você fica muito linda com esse bico. — Soltou um riso, apertando minha bochecha esquerda.

— Chato. — Afastei a sua mão, fitando os seus olhos escuros.

— Posso perguntar uma coisa? — Umedeceu os lábios.

— Pode sim.

— Como consegue conciliar o seu trabalho com as aulas? — Pegou uma mecha do meu cabelo, cheirando-a.

— Bom... — Pigarreei. — É um pouco difícil e cansativo. Mas eu gosto de dançar, sabe? — Ele assentiu. — Devemos fazermos o que gostamos e saber conciliar o tempo que temos.

— Boa resposta. — Riu.

— Você só dá aulas na Pacific Academy? — Perguntei curiosa, encostando o meu corpo no sofá e cruzando as pernas.

— Sim. — Assentiu. — Dou aulas extras também. Há alguns meses atrás depois que me formei, muitas escolas me queriam.

— Senhor desejado. — Brinquei.

— Boba. — Riu de leve. — Mas consegui entrar na Pacific. Lá tem vários professores bons.

— Você também é um ótimo professor, Hoseok. — Sorri.

— Ah, nem tanto. — Coçou a nuca. — Existem muitos outros melhores do que eu.

— Quando descobriu sua paixão pela dança? — Indaguei interessada no assunto.

— Faz alguns anos. Quando eu ainda morava na Coreia do Sul. — Assenti para que o Jung continuasse. — Me inscrevi em uma escola, apenas por me inscrever e gostei bastante. — Suspirou. — Mas a minha família é muito rígida, entende? Principalmente o meu pai.

— Sim. — Sorri fraco. — Você mudou para Las Vegas por esse motivo?

— Mais ou menos. — Desviou o olhar.

— Entendi. — Levei minha mão até o seu belo rosto, acariciando sua pele macia. — Poderia dançar pra mim? — Mordi o lábio inferior.

— O que vou ganhar em troca? — Sorriu sacana.

— O que você quiser. — Sussurrei.

— Certo. — Fez uma expressão maliciosa, o que me arrancou um riso. — Quer escolher a música?

— Não, tudo bem. — Neguei.

— Gosta de Chris Brown?

— Eu adoro! — Exclamei, vendo-o se levantar e tirar o celular do bolso de sua calça.

— Parece que somos almas gêmeas. — Brincou, me fazendo rir.

— Parece que sim. — O olhei atenta.

A melodia de Take You Down ecoou pela sala e fixei meus olhos nos primeiros movimentos de seu corpo. Jung Hoseok tinha nascido para a dança. Ele começou com movimentos leves, estes que logo se tornaram rápidos e bem executados. O castanho apoiou o joelho direito no chão, inclinando o corpo para frente. Suspirei admirada, sem conseguir quebrar o nosso contato visual. Quando a música acabou, Hoseok estava ofegante e levemente suado. Mordi meus lábios e o castanho sorriu sacana, observando meu corpo.

— O que achou? — Arrumou o boné.

— Esplêndido. Você é maravilhoso dançando. Tenho certeza que nasceu para a dança, Hoseok. — Falei sincera, sorrindo logo em seguida.

— Obrigado. — Sorriu. — Agora quero a minha recompensa.

— Interesseiro. — Gargalhei.

— Vem cá. — Pausou a música que tocava, estendendo sua mão.

— Certo. — Me levantei, segurando a sua mão e colando os nossos corpos.

— Agora... — Sussurrou, fitando a minha boca. — Quero um beijo bem gostoso.

— Um beijo? — Pousei minhas mãos em seus ombros, mordendo o lábio inferior.

— Uhum. — Sorriu sacana.

Olhei no fundo de seus olhos e logo encaixei nossas bocas em um beijo afoito, cheio de desejo de ambas as partes. Hoseok deslizou suas mãos por minhas costas até chegarem em minha cintura, a apertando de leve. Puxei os fios ralos de sua nuca, fazendo o Jung gemer entre o nosso ósculo. Retirei o seu boné e o joguei para um canto qualquer, introduzindo minha língua em sua boca. A ponta de seus dedos gélidos tocaram as minhas costas, subindo até alcançarem o meu sutiã. Arfei e o castanho fez impulso em minhas coxas, me pegando no colo. Separamos ofegantes pela falta de ar, grudando nossas testas.

— Onde é o seu quarto? — Perguntou rouco, me segurando firmemente.

— Primeira porta a esquerda. — Sorri manhosa.

Hoseok caminhou até o meu quarto e me jogou na cama, ficando sobre o meu corpo. Devorou minha boca rudemente, ficando entre minhas pernas. Passei minhas mãos por seu pescoço, deslizando por toda a extensão de suas costas firmes e cheias de músculos. Ele apertou os meus seios seguindo caminho até minha cintura. Nossos sexos se encostaram através de todos aqueles panos e eu grunhi necessitada, mordendo o lábio inferior do Jung e o puxando com os dentes. O coreano gemeu e retirou sua camiseta, deixando à mostra o seu peitoral definido. Voltou a me beijar agora movendo sua boca até o meu pescoço, beijando e mordiscando.

Suspiros e mais suspiros escapavam de meus lábios. Meu corpo estava quente, febril, quase entrando em combustão. Hoseok tirou a minha blusa com facilidade, observando meus seios esprimidos pelo sutiã preto e rendado. Suas grandes mãos o apertaram, me fazendo gemer baixinho. O Jung me olhou nos olhos de forma sensual e eu senti minha calcinha encharcar com o seu olhar escuro e cheio de desejo sobre o meu corpo. Sentei no colchão macio removendo o meu sutiã com cuidado, mordendo meus lábios desejosa. Hoseok rosnou baixo e tomou a peça de minha mão, a jogando para longe de nós.

Soltei um gritinho quando o castanho me empurrou na cama, ficando sobre o meu corpo e segurando minhas mãos. Não evitei o gemido manhoso que escapou de minha boca quando sua língua contornou o meu seio esquerdo, o lambuzando com a sua saliva. Hoseok beijou o meu biquinho rígido e sensível, o contornando com a língua. Ele sabia como fazer e como me enlouquecer com simples toques. Maltratou os meus seios e em seguida beijou o meu ventre, deixando pequenas mordidas em minha pele. Me contorci quando sua mão gélida adentrou o meu short, tocando a minha bocetinha por cima da calcinha. O Jung riu sacana e ergueu o rosto, me fitando com malícia.

— Está tão molhadinha... — Mordeu os lábios, deslizando os seus dedos por meu clitóris ainda coberto. — Isso tudo é vontade de foder comigo? — Questionou sacana, umedecendo os lábios.

— Vamos logo com isso, Hoseok. — Pedi manhosa, ofegante.

— Por que tão rápido, uh? — Abriu os botões do meu short lentamente, me deixando ainda mais excitada. — Temos à noite toda, amor.

— Hoseok... — Apoiei meus cotovelos sobre a cama, observando o sorriso safado do Jung. — Por favor.

— Tudo bem. — Riu soprado e se desfez do meu short, o puxando para baixo junto a calcinha. — Sua entrada é tão gulosa... — Ditou rouco, mordendo os lábios. — Quer minha língua aqui? — Passou o seu indicador em meu clitóris e eu gemi, assentindo de maneira frenética.

O castanho levantou minhas pernas e deslizou sua língua por meu clitóris, até chegar em minha entrada. Apertei os olhos sentindo o prazer que ele me proporcionava, me chupando deliciosamente. Apertei os meus seios gemendo baixinho, sentindo o Jung me penetrar com dois de seus dedos. Rebolei contra a sua mão buscando senti-lo ainda mais. Hoseok abaixou as minhas pernas e passou sua língua em meu clitóris novamente, fazendo um barulho erótico ao chupá-lo. O suor percorria a minha testa e o quarto parecia mil vezes mais quente. Hoseok tirou a calça e a cueca de forma lenta e sensual, me dando a visão de seu instrumento ereto e gotejante.

— Você só vai gozar quando eu estiver enterrado em sua bocetinha. — Falou autoritário, com o maxilar trincado.

— Uhum. — Murmurei e o Jung deitou-se na cama, deslizando sua destra por todo o seu cumprimento. Minha boca salivou ao vislumbrar a sua glande vermelha e grande, clamando para ser tocada. — Você também só vai gozar quando estiver dentro de mim. — Sorri e engatinhei até ele, tomando seu pênis em minha mão.

— Hm... — Suspirou assim que contornei sua glande com a língua, o olhando diretamente nos olhos.

Passei a chupá-lo com vontade, apertando seus testículos enormes com minha mão esquerda. Hoseok fechou os olhos e soltou um grunhido alto, me instigando. Tirei o seu pênis da boca e o esfreguei em minhas bochechas, sorrindo safada para o coreano. Deslizei minha língua por suas bolas grandes e suculentas, inclinando o meu bumbum. O Jung voltou a apertar os olhos, passando a mão em minha cabeça e consequentemente a empurrando para baixo. Seu pau encostou em minha garganta, o fazendo urrar de tesão. Com a mão vaga fiz carinho em sua coxa durinha e com a outra masturbei o que não cabia em minha boca. Seu instrumento era grande demais e eu já me fantasiava de quatro.

— Você não vai gozar agora. — Alertei séria, brincando com sua espessura e grandeza.

— Cadê o preservativo? — Perguntou ofegante, rangindo os dentes.

— Primeira gaveta do criado.

Me afastei de seu corpo, me virando e ficando de quatro sobre o colchão. Olhei por cima do ombro e o Jung já rolava o preservativo por seu pênis, me olhando de forma faminta. Agarrou a minha cintura e me puxou para trás, deslizando sua carne quente para dentro de mim. Nós dois gememos e Hoseok me agarrou com certa força, empurrando o seu quadril contra o meu. Investiu rápido e bruto, me fazendo gritar com sua rudeza. Ele apertou minha cintura e puxou o meu corpo contra o seu, fazendo-me senti-lo por inteiro. O barulho de nossos corpos ecoava pelo quarto, deixando o cômodo citado com cheiro de sexo. Meus seios balançavam conforme as suas estocadas e a cama rangia, colidindo contra a parede.

— Hoseok! — Gritei inteiramente sensível, apoiando o meu rosto no colchão.

Ele investiu ainda mais forte, me levando ao delírio. Tínhamos uma sincronia intensa, um laço único que nos envolvia naquele prazer absoluto. Meu corpo suava de desejo e nossos arfares se misturavam, enquanto nossos corpos se completavam. Agarrei os lençóis, sentindo meu corpo fraquejar. Hoseok me deitou com certeza delicadeza e ficou sobre mim, encaixando-se entre minhas pernas. Arranhei suas costas firmes e o Jung encostou seu rosto em meu pescoço, movendo-se com rapidez e precisão. Mordi o seu ombro quando cheguei ao meu limite, abafando um grito manhoso. Ele continuou investindo até que se desmanchasse, beijando o meu pescoço e sussurrando algo que jamais imaginei ouvir de sua parte.

— Estou apaixonado por você.

— Eu também. — Confessei ofegante, abraçando o seu corpo e sorrindo como uma idiota.

...

Estávamos nós dois deitados na cama, depois de termos tomado um banho frio, este que resultou em mais uma foda deliciosa e intensa. Hoseok acariciava os meus cabelos limpos e úmidos e eu me mantinha deitada com a cabeça em seu peito, desfrutando daquele momento calmo e cheio de significados. O Jung me olhou e eu devolvi o olhar, fitando os seus lábios avermelhados. Nós dois sorrimos um para o outro e voltamos a nossa posição anterior. Me aconcheguei em seu peitoral, depositando um beijo rápido em sua bochecha. O quarto agora se encontrava frio por causa do ar-condicionado.

— Que tal comermos aquele chocolate agora? — Sugeri, sorrindo manhosa.

— Acho uma ideia muito boa. — Riu, me dando um beijo rápido. — A propósito, cadê o Floquinho?

— Ele deve estar lá na sala. — Cobri o meu corpo, me aconchegando no travesseiro.

— E se ele me morder? — Arregalou os olhos brevemente, me fazendo rir.

— Vai logo, Hobi. — Sorri.

— Gostei do apelido. — Sorriu, me dando outro beijo. — Já estou indo, amor.

Hoseok se levantou e cruzou a porta, deixando o quarto. Sorri impressionada com toda a evolução que tivemos. O Jung retornou ao quarto minutos depois trazendo dois tabletes de chocolate, um amargo e o outro chocolate branco. Voltou a deitar ao meu lado e logo tivemos a presença de um gatinho muito manhoso. Floquinho deitou entre o meu corpo e o de Hoseok, impedindo que ficássemos próximos. Ambos rimos e começamos a comer o chocolate em um clima agradável. O bichano roubou toda a cena, brincando e mordendo os dedos do Jung.

— Acho que ele gostou de você. — Ri baixinho.

— Ele é fofo. — Pegou o Floquinho, fazendo leves cócegas em sua barriguinha. — Floquinho, temos que ter um papo de homem para gato.

— Você é um idiota. — Gargalhei.

— Certo Floquinho? — O bichano miou em resposta, me fazendo rir ainda mais. — Você vai cuidar da (S/N) enquanto eu não estiver por perto, ok? — O pequeno miou outra vez. — E não vai deixar nenhum homem entrar na casa de vocês, somente eu.

Floquinho miou algumas vezes seguidas, como se quisesse conversar.

— Estamos entendidos então. — Fez um breve carinho nas orelhas do gatinho. — Agora vá para a sua caminha, uh?

Ele pulou do tronco do Hoseok para o meu lado, pedindo carinho e ronronando.

— Estou com ciúme, viu? — O castanho brincou.

— Vem cá também. — O chamei sorrindo.

Hoseok deitou em meu ventre e eu acariciei os seus fios lisos com uma mão e com a outra fiz carinho no felino. Um tempo depois, percebi que os dois tinham dormido.


Notas Finais


Eu estou morrendo de amores pelo Hoseok e pelo Floquinho. 🐱❤👨
O nosso casal apaixonadinho! Amo demais. 😻

Sigam o meu perfil: @xputh 🌸

Até o próximo e último. 🤧💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...