História Fatale - Cidade dos escolhidos - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Ithuriel, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Max Lightwood, Personagens Originais, Sebastian Verlac, Simon Lewis
Tags Ação, Batalhas, Clace, Clary Fairchild, Clãs, Climon, Clizzy, Drama, Guerra, Historia Original, Izzy Lightwood, Jace Herondale, Luta, Malec, Romance
Visualizações 57
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


YAAAY!! PERDOEM O SUMIÇO, VOLTEI!! Passei esses dias com MUITA ideia, tipo muita, e não posso jogar tudo assim na história, então logo (tipo muuuito logo) eu vou postar mais 2 histórias, talvez 100% originais... 👀

BOA LEITURA! 💥

Capítulo 10 - Morgensterns não amam.


Fanfic / Fanfiction Fatale - Cidade dos escolhidos - Capítulo 10 - Morgensterns não amam.

[...]

Antes que eu pudesse dizer alguma coisa Isabelle já estava me empurrando em direção a cama.

- Ordens de cima mocinha. 

- Você precisa repousar. - Disse Jace cruzando os braços, enquanto eu me perdia naqueles movimentos.

- Precido dizer ruivinha, você me deixou orgulhoso, mas... você está detonada. - falava Will.

- Eu estou confusa, hmmm... devo dizer obrigada? - o olhei com um sorriso sarcástico e deitei na cama.

Adamas pulou na cama ao meu lado e Ithuriel a seguiu, fiz carinho nos dois e Ithuriel saiu indo deitar no tapete.

- Vamos rapazes, hora de irem, as garotas querem conversar. - Izzy já estava os empurrando em direção a porta.

- Se cuida pequena raposa.

- Te vejo depois ruivinha.

Pequena raposa. Ruivinha. Leãozinho. Trapaceira. Fray. Minha mente gritava alguns dos meus apelidos, e eu sorri com toda essa criatividade.

- Qual é o seu problema Clarissa? O que você acha que está fazendo? Não aprendeu nada com as surras que a vida te deu? Por que diabo você já confia tanto neles? Acha mesmo que eles vão estar dispostos a te ajudar? Faz o que? Dois? Três dias? Falta quanto tempo pra você cair nos braços de um dos Herondales? 

Eu a olhava confusa e não conseguia falar...

- Você não pode amar, Morgensterns NÃO amam! - Isabelle gritava até que tirou uma adaga da bota e atingiu em meu peito. 

- Iz... - tudo ficou escuro e eu não conseguia mais respirar. 


Eu acordei ofegante, chorando, desesperada, e toda dolorida, eu estava caída no chão do quarto. Minhas pernas roxas, cheias de hematomas, assim como meus braços, e minhas costelas, provavelmente quebradas. Tudo dóia, meu corpo, minha alma, tudo. Tentei levantar, mas não tive sucesso, não via nem Adamas ou Ithuriel no quarto. Tentei gritar, tentei me mexer, mas a dor tomou conta do meu corpo. Não sinta. Você sente demais. Pare de sentir. Seja um maldito robô. Pare. Não sinta. Não se iluda achando que o príncipe irá lhe salvar, você não está em um maldito conto de fadas Clarissa. Não sinta... Era tudo que minha mente me dizia. Você tem uma escuridão dentro de você, não finja ser alguém que não é. Não sinta. Não finja. Eu estava a ponto de explodir, a sensação do meu corpo queimando começou a apagar... era como se ficasse apenas gelo, a sensação de ter algo ardendo na alma começou a sumir...

- Clary, c- o que diabos aconteceu? - Sebastian disse se aproximando de mim, ele foi rápido e me pegou no colo, e eu estava ali, me desligando por dentro, eu senti a minha alma congelar, como se eu estivesse sendo coberta por gelo, não, era algo muito maior, eu senti me perdendo na escuridão e lá estava a sensação de morte de novo, eu estava congelando por fora assim como por dentro, sabe-se lá quanto tempo eu estava no chão, eu senti ele me por naquela cama, confortável e quente, e eu adormeci.

Acordei meio tonta ainda, mas pude ver Jace, Isabelle, William, Adamas ao meu lado e Ithuriel ao lado de Jace. Aquele lance com o Sebastian? Aquilo foi real? Eu ainda não sabia dizer...

Adamas acordou e colocou a pata no meu peito, próximo ao meu coração, e eu senti, senti minha alma acendendo novamente, se eu estava completamente congelado por dentro ela estava lá, ela me salvou, de mim mesma, da perdição talvez, e eu me senti bem, as manchas no meu braço estavam mais fracas. Aquilo foi ela? Eu? Eu não tinha muita certeza de nada, eu só sei que a abracei, senti as patinhas dela no meu pescoço e então ela me deu uma lambida no rosto. 

- Não se deixe enganar. Sinta. Use. Pense. Aja. Faça. Ame. Acredite. Você é mais poderosa do que você pensa. - soou como um susurro, algo em mim lutava, por mim mesma, mas não era só uma luta, era uma guerra, algo do tipo luz e escuridão e então eu lembrei do que minha avó me disse quando eu completei 6 anos; "luz e escuridão, ambos fazem parte de você Clary, quer você queira ou não, mas precisa aprendar a controlar".

Ambos querem se libertar, ambos querem vir a tona, e estava ficando cada vez mais forte, talvez tenha sido uma das razões para que minha mãe tenha me ensinado que era extremamente importante que eu achasse um equilíbrio quando sentisse que as coisas estavam começando a desmoronar. Oh, céus... Eu estou me perdendo, em mim mesma.


- Clary? - Iz dizia me acordando de todos os meus pensamentos, vi ela acordando os meninos e vindo em minha direção, parando quando avistou Adamas, que em seguida pulou no chão indo perto de Ithuriel.

Izzy me abraçou forte e apertado.

- Você nos deu um puta susto, mocinha! - Isabelle falava ainda me esmagando.

- Clary? Até que enfim! Como você se sente? - perguntou Jace.

- Ruivinha, você dorme mesmo em... - dizia Will.

- O que aconteceu? - perguntei me soltando do abraço apertado de Isabelle.

- Você está desmaiada por três dias, desde que os meninos te seguraram na beira da floresta, não lembra de nada?

- TRÊS DIAS? - arregalei os olhos. Então minha conversa com Isabelle, Sebastian me colocando na cama, foi sonho? ou melhor dizendo pesadelo?

- Sim, três dias... Os médicos falaram que a pancada na sua cabeça foi muito forte, não maior que a de Roy...

- Aliás, você deu uma surra e tanto nele. - disse Will. 

- Algo me diz que o cretino mereceu. - Jace falou.

- Acredite, ele realmente mereceu. - soltei o ar que prendia. - Como estão Simon e Jonathan? Eles estão bem?

- Eles tiveram que retornar de volta para seus clãs, mas ficaram aqui o tempo todo, não ficaram muito tempo apagados... Simon ficou um dia e Jonathan dois. - Jace sorriu.

- E que bela guerreira você é, ruivinha, estou impressionado. - disse Will vindo em minha direção...

- William, eu preciso falar com você, agora. - Will parou no caminho e voltou de encontro a Jace com uma expressão curiosa.

- Te vejo depois ruivinha. - ele dizia acenando.

- Clarissa? Clary? CLARY? - Iz gritou ao meu lado e eu me assustei.

- Que porra é essa? Ta querendo me matar? - coloquei a mão no peito, sentia o meu coração acelerado.

- Me desculpe. - ela riu. - Você parecia perdida.

Talvez porque eu estou, perdida em algum lugar na minha mente. Quase afundando.

- Eu estou bem. - sorri fraco.


Notas Finais


VEJO VOCÊS LOGUINHO!!!

COMENTEM MUITO, PQ AMO VER OS COMENTÁRIOS DE VOCÊS, BEIJAÇO!!! 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...