História Fatale - Cidade dos escolhidos - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Ithuriel, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Max Lightwood, Personagens Originais, Sebastian Verlac, Simon Lewis
Tags Ação, Batalhas, Clace, Clary Fairchild, Clãs, Climon, Clizzy, Drama, Guerra, Historia Original, Izzy Lightwood, Jace Herondale, Luta, Malec, Romance
Visualizações 52
Palavras 720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Survival
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


boa leitura... 💔

Capítulo 13 - Você nunca aprende.


Fanfic / Fanfiction Fatale - Cidade dos escolhidos - Capítulo 13 - Você nunca aprende.

[...]

- Jordan, é um prazer conhece-la. - disse num sorriso simpático. 

- Legal, preciso ir. - disse me virando pra subir os outros degraus.

- Espere você é a Clarissa Fairchild? - segurou meu braço.

- A primeira e única. Qual é o problema? - me soltei bruscamente e cruzei os braços.

- Eu pensei que sim, a Líder Suprema pediu pra lhe avisar que os seus treinos voltam daqui dois dias, pedi uma descrição e ela acrescentou "mau-humorada", enfim te achei. - sorria largo.

- Só não finjo. - dei de ombros. - Obrigada e tchau. - acenei fraco com a mão e forcei um sorriso.

Jordan parecia bonito, mas eu mal reparei nele, ultimamente homens só me arranjavam problemas. 

Cheguei a porta do meu quarto e logo me lembrei de Simon e minha mãe...

"Fray, você é muito teimosa, você vai cair." Me lembrei de quando eu fugi da minha mãe e subi em uma árvore alta... eu tinha 11 anos, eu sentia tanta falta deles.

"Filha, meu amor, você precisa ser forte, lembre-se das coisas que sua vó lhe ensinou, ela sempre vai estar junto a ti, junto a nós." Minha mãe me dissera isso quando minha avó partiu. 

Em seguida abri a porta do meu quarto e entrei, fechando-a em seguida. Adamas e Ithuriel continuavam na floresta, e eu já morria de saudade daqueles dois. Tomei um banho, vesti uma roupa confortável e me joguei na cama, me permitindo chorar. Aliás qual foi a última vez que eu chorei? Eu simplesmente não conseguia mais guardar as lágrimas, uma hora ou outra eu ia me afogar.

Eu passei quase a noite toda chorando, não tenho a mínima noção de quando eu finalmente dormi, eu simplesmente apaguei em algum momento, e maldita hora que eu fechei os olhos.

- Você não entende não é? Você é fraca! - meu pai me olhava com um olhar de reprovação. - Você é uma vergonha.

Eu chorei, e chorei mais um pouco e ele me olhava sem emoção alguma.

- Você sente! Você é fraca! Você precisa aprender que só vai ser forte quando você parar de sentir, ou você vai sofrer. - ele sorriu e meu irmão se aproximava de nós. - Aprenda a ser forte, ou sofra. - ele fincou uma adaga no peito de Jonathan e ria, eu fiquei desesperada.

- Jonathan? Jonathan? Não me deixe, por favor! Fique comigo! Seu idiota, não me deixe sozinha, não d-depois de todo esse tempo! - eu gritava batendo em seus ombros, ele já estava no chão caído e com os olhos fechados.

- Levante, agora! - ordenou Valentim, nunca mais eu chamaria aquele monstro de pai novamente.

- Seu monstro miserável! - gritei indo pra cima dele, o mesmo se desviou e riu.

- Você vai aprender a lição, garota fraca. - ele apontou a uma fileira de pessoas amarradas; Simon, minha mãe, Isabelle, Jace, Will. Ithuriel, Adamas e Fúria estavam do outro lado, mas ao contrário dos cinco, eles já estavam mortos.

Eu não enxergava mais nada, só conseguia chorar, uma dor terrível se apossava de mim, eu não conseguia respirar.

- Você os considera muito - ele dizia com desgosto. - Você se apegou demais e agora você os ama. 

- Deixe-os em paz, solte eles. Agora! - gritei me levantando e limpando os olhos, eu estava soluçando.

- Não. Você não aprendeu, nunca vai, porque você nunca aprende, e você vai sofrer por toda a sua vida. Agora cale a boca e assista.

Eu não conseguia me mover, eu não conseguia falar, eu só chorava, eu não tinha mais forças, eu estava esgotada, perdida, eu não tinha mais nada, mais ninguém, perdi tudo, todos pelo qual eu tinha algum afeto.

Eu não conseguia fechar os olhos. Vi Valentim golpear cada um deles e sorrir, e me vi morrer, cada parte minha morria com eles, eu não suportava mais toda aquela dor e sofrimento. E eu cai, me senti batendo no chão e apagando, provavelmente morrendo ou tendo algum ataque insano de pânico. A última coisa que eu me lembro era de ver o olhar de reprovação de Valentim, e todos aqueles corpos no chão, o chão era repleto sangue, o lugar cheirava a morte, e eu me tornei vazia. Senti como se eu caísse em um buraco tão profundo que não conseguia chegar ao chão, eu só sentia desespero, gritava, era tudo tão escuro.


- Clarissa, acorde! -



Notas Finais


Clary enlouquecendo? qq ta acontecendo? 💔💔

tão gostando? votem e comentem muuito, bjocas e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...