História Father's mission - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Tags @taelevando, Bts, Família, Fluffy, Hoseok, Jimin, Jungkook, Lemon, Long-fic, Moon, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoongi
Visualizações 23
Palavras 1.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capítulo II: Our newest daughter!


Capítulo II: Our newest daughter!

O carro foi estacionado na frente do estabelecimento, era grande, colorido, um bom ambiente aos olhos de Jeon.

Olhou para o lado, onde seu melhor amigo ajeitava os cabelos, olhando-se no espelho. Revirou os olhos e apertou a buzina, fazendo o Park dar um pequeno pulo e esboçar uma careta com o susto.

— Que ’foi Jungkook?

— Chegamos, oras.

Park rolou os olhos e saiu do carro, olhando para o grande e colorido orfanato de Seul.

— Jeon, tem certeza que é uma boa ideia?

— Tenho Jimin, vamos.

Jungkook acordou mais cedo que o normal naquele domingo que, passaria dormindo ao lado de seu marido. Fez suas panquecas favoritas novamente, e saiu de casa sem avisar. Resolveu levar seu melhor amigo para ajudá-lo, Jimin era ótimo com crianças.

A recepcionista os acompanhou até uma sala. Era tudo colorido e tinha uma aura inocente, que fazia Jimin se sentir uma criança na escola, chorando por não poder comer mais o lanche. Já Jungkook, suava frio, aliás, não é todo dia que você vai adotar uma criança sem seu marido saber, e sem ele autorizar.

Crianças corriam para todos os lados, todas gritavam e brincavam com algo.

— Podem ir vendo, enquanto isso vou chamar uma moça para lhes ajudarem melhor.

Os dois assentiram.

— Espero que elas não achem que somos um casal gay procurando um filho. — disse Jimin, cochichando e recebendo uma cotovelada de Jungkook.

Os dois andavam pela longa sala, vendo todas as crianças se divertirem e brincarem. Jimin apontava para algumas, mas, Jungkook sentia que ainda não tinha achado a criança que Taehyung iria gostar verdadeiramente.

Até Jungkook olhar para um canto, um lugar totalmente isolado das crianças, e viu aquela menina sentada no chão, brincando com algumas pelúcias, meio para baixo, sem ninguém. Cutucou Jimin, apontando com o queixo para a menina.

— Oh meu Deus, que menina mais lindinha Kook!

Jungkook assentiu, e começou a caminhar em direção à pequena garotinha. Ele e Jimin sentaram-se na frente da menina. Ela tinha a pele clarinha como a neve, cabelo castanho escuro, e a franja cobria um pouco dos seus olhinhos negros.

A menina ergueu a cabeça, vendo os dois homens à sua frente, piscou algumas vezes confusa. Jungkook analisava a pequena, enquanto Jimin ao seu lado morria de amores enquanto fazia uma careta engraçada por tamanha fofura.

— Oi garotinha, qual seu nome? — Perguntou Jungkook docemente, a menina sorriu minimamente antes de falar.

— Meu nome é Moon! E o seu, moço?

Jimin que estava com as mãos apertando o próprio rosto disse. — Meu Deus, se você não levar, eu levo.

— Quieto Jimin.

A menina olhava-os, achando graça.

— Meu nome é Jungkook. Quantos anos você tem querida?

— Eu tenho quatro. Qual seu nome moço bonito?

— Oh meu Deus, que coisa mais linda! Meu nome é Jimin moça moreninha bonita!

Jungkook estava encantado com a esperteza daquela garotinha, de apenas, quatro anos de idade.

— Vocês dois querem um filho?

Jimin gargalhou com aquela pergunta, sabendo que alguém acharia aquilo.

— Não meu anjo! Ele quer um filho, eu só sou seu amigo que está ajudando ele a escolher.

A menina ergueu as sobrancelhas e assentiu, apertando sua pelúcia de coelho vendo as duas moças se aproximarem.

— Então meninos, já acharam uma criança especial?

Jungkook se levantou do chão junto de Jimin, e assentiu, olhando para as duas mulheres.

— Moon? Uau, uma garota muito esperta! — Disse a mulher. — Moon, vem querida, vamos arrumar suas coisas para você ir embora com seus papais.

Jimin segurou o riso e levou outra cotovelada. Jungkook só queria que Jimin parasse de rir, e queria ir para casa, ver Taehyung não pirar.

Depois de tudo arrumado, Moon e os dois melhores amigos saíram do enorme orfanato, indo direto para o carro.

— Onde a gente vai Jimin-ah?

— Vamos para sua nova casa Moon, conhecer seu outro papai, hm? Não se preocupe, o tio Min ‘tá aqui.

— Vai se catar Jimin.

A criança soltou uma gargalhada gostosa de se ouvir, que fez Jungkook que dirigia sorrir suavemente. Parte sua já amava aquela criança.

O caminho não fora tão longo, já que o casal morava em uma casa perto do centro da cidade. Jungkook estacionou o carro, e suspirou fundo, olhando para Jimin.

— Quer que eu suba para ficar menos pesado o clima?

— Quero.

Os dois saíram do carro, e Jimin pegou as bolsas da pequena, Jungkook pegou a garotinha no colo, a mesma deitou a cabeça no seu ombro, nervosa com o que iria ver.

Jungkook tinha planejado tudo. Comprado os móveis, tintas para o quarto, pelúcias, álbuns para futuras fotos, roupas… Tinha motivos para o antigo Kim ficar bravo?

Abriu a porta com sutileza, sendo alvo de um olhar ácido do marido. Taehyung estava pronto para praguejar Jungkook de todos os nomes possíveis, até ver aquela criança no colo do marido.

Franziu o cenho, ainda com o olhar gélido sobre o moreno.

— Olá Taetae! — disse Jimin, se jogando no sofá. Aliás, já era de casa, e se não fosse, faria o mesmo de qualquer jeito.

Taehyung nem ouviu Jimin, de tão confuso que estava. Olhou para a cadeira, onde viu malas com roupas e pelúcias, olhou novamente para os dois, e, finalmente abriu a boca para falar.

— Jeon Jungkook, o que significa isso?! — Disse grosso, fazendo Moon esconder o rosto no ombro do mais velho.

— Amor… — Começou. — Eu trouxe para você uma companhia!

Taehyung ficou pasmo quando sua ficha caiu. Levantou da cadeira, caminhando até os dois, tocando o braço da pequena Moon.

— Você é meu outro pai? — perguntou a tímida Moon.

— Sim sou eu, Taehyung. Qual seu nome?

— Meu nome é Moon.

Taehyung sorriu para a pequena, esticando os braços para pega-lá no colo, e assim a mesma foi. Moon deitou a cabeça no ombro do antigo Kim.

Taehyung olhou feio na direção de Jungkook, e sibilou a frase com os lábios “depois você vai se ver comigo” para que só o Jeon visse. Queria acertar a cabeça de Jeon com uma panela, queria mandar ele dormir no sofá, queria encher ele de socos, queria pragueja-lo até suas forças acabarem, mas não podia, não na frente de Moon. Já que brigou inúmeras vezes com ele na frente de Jimin.

Taehyung saiu andando pela casa com a pequena em seus braços, enquanto ele mostrava a casa e conversava com a mesma.

— Ufa. — Jungkook se jogou na poltrona, suspirando de alívio.

— Ufa por quê? Você ainda tá ferrado, eu vi nos olhos dele, ele quer que você queime no inferno. — disse Jimin, que estava jogado no sofá mexendo no seu celular.

— Pelo menos não quase apanhei na frente da Moon, ou ele a rejeitou.

— Taetae tem um ótimo coração Jungkook. Nunca rejeitaria uma criança, ainda mais órfã, e tão linda quanto a Moon. — disse Jimin, agora olhando para Jungkook. — Ela puxou a beleza do tio, sabe?

Jeon rolou os olhos e mostrou o dedo do meio para o platinado, que gargalhou. — Também te amo.

— Vai se foder.

— Olha a boca…

Ouviram Taehyung tossir falsamente, olharam para o mesmo, que estava apoiado na parede, com sua destra sobre a cintura.

— Cadê a Moon?

— Ela dormiu na minha cama, disse que estava cansada.

Minha cama” quase fez Jimin rir e Jeon virar os olhos, mas não queria mais brigas do que já estava por vir.

Jimin se levantou do sofá, espreguiçando-se.

— Acho que já vou, tenho alguns compromissos. Dêem um beijo na Moon por mim, diz que vou vir vê-la.

— Pode deixar.

Jimin e Jungkook fizeram um “toca aqui” e Jimin logo fechou a porta, indo embora. Deixando os dois ali no silêncio.

— Tae…

— Você tem muito o que falar! - disse o mais novo, sentando no sofá irritado.

— Eu sei amor, deixa eu explicar.

— Eu ‘tô ouvindo Jeon Jungkook, não sou surdo.

Jungkook estava louco para virar os olhos com aquela grosseria. Era sempre assim quando ambos brigavam. Os “Kook”, “amorzinho” e “mozi” sumiam.

— Você sabe que eu trabalho muito, você vive reclamando que não tenho tempo e você vive solitário! Então, resolvi adotar uma garotinha… Eu planejei tudo Taehyung, móveis, roupas… tudinho! Por favor, não fique tão bravo.

— Como não vou ficar bravo?! Você não me dá atenção, some do nada num domingo de manhã, e volta com uma criança, dizendo “olha amor temos uma filha agora.” — Disse o antigo Kim, imitando a voz de Jeon. — Poxa! Eu quero um filho, mas... por que não me contou? — indagou Taehyung, com a cabeça baixa.

— Você não gostou da Moon?

— Não é isso Jungkook… Eu só queria participar desse grande passo da nossa vida… juntos. — Disse, encarando a aliança de ouro que havia em seu dedo. Taehyung queria tanto abraçar seu marido e chorar igual uma criança, mas estava determinado a manter-se forte.

— Me desculpa, por tudo na verdade. Eu só estou dando mancada. Eu te amo muito, só… só não queria te perder. — Disse Jungkook olhando o chão. Riu sozinho, lembrando de todas as vezes que fez Taehyung rir. — Quando eu vi ela lá no canto, tristinha e sozinha, eu me lembrei de você… aquele menino tristonho no canto da festinha do Yoongi. Ela é tão linda quanto você. A pele clarinha e os olhos negros.

Taehyung já encarava Jungkook, que tinha um sorriso bobo brincando sobre seus lábios.

Taehyung suspirou fundo, e levantou, se rendendo novamente ao seu marido. Não conseguia resistir àquele sorriso de Jungkook. Caminhou até o mesmo, sentando-se em seu colo o abraçando.

Jungkook retribuiu rapidamente, deitando a cabeça sobre o peito de Taehyung.

— A gente tem uma família. — Disse Taehyung, como se só tivesse percebido agora, o que fez Jungkook rir, assentindo.

Taehyung beijou o topo da cabeça de Jungkook mais calmo, e disse com ternura. — Eu te amo, Jeon.


                     […]


O sol já estava se pondo, quando Jungkook adentrou o quarto com um prato que continha sanduíches, e um suco de caixinha em mãos.

Moon já estava acordada, conversando deitada com Taehyung sobre como era viver no orfanato.

— A tia Mi, ela era a mais legal. Quando as crianças não queriam brincar comigo, ela sempre brincava.

Taehyung parecia estar entretido com aquela menina, falando sobre coisas divertidas para si mesma.

— Trouxe lanche. — Disse, se sentando na cama e colocando o prato sobre o colo.

— Ah, eu já estava com fome mesmo. — disse a pequena Moon, antes de puxar um sanduíche e dar mordidas grandes.

Jungkook arregalou os olhos e o ex Kim riu divertido, enquanto pegava a caixinha de suco e tomava.

— Moon me contou que adora rosa claro.

Moon assentiu, e Jungkook sorriu, sacando a indireta da cor do quarto.

— Onde eu vou dormir agora? — disse ela, com um beiço nos lábios avermelhados.

— Com nós, é claro. — disse Jungkook, vendo o sorriso da menina crescer. — Mas, só até o seu quarto ficar pronto.

Ela assentiu meio cabisbaixa, porém feliz. Moon sempre sonhou em ter pais, em ter uma família, uma casa, carinho e amor. E finalmente encontrou as pessoas que estavam dispostas à proporcionar isso para ela.

Já Taehyung, estava preocupado… Como se cuida de uma criança? Ele não fazia ideia. Mas queria não ligar para isso, não agora.

E, só curtir o pequeno momento com seu marido, e com sua mais nova filhinha.


Notas Finais


betado por » @hiscarletti


ate o próximo tuts tuts✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...