História Fatum Contritum - Capítulo 2


Escrita por: e YIvis

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Park Shin Hye
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Park Shin Hye, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags A Procura Da Alma Gêmea, Almas Gêmeas, Jeongguk Finge Ser Durão, Jikook, Jimin É Um Otário, Jimin Já Tem Alguém, Jkobottomdebusan, Kookai Ito, Kookmin, Menção Vhope, Tema Mensal, Yivis
Visualizações 947
Palavras 2.345
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi
Mais um capítulo para vocês, espero que gostem muito. <3
Muito obrigada pelos favoritos e comentários, amei demais e me senti bastante especial... :3
Muito obrigada Arahh, amei demais a betagem <3
Bem é isso vão ler :3

Capítulo 2 - Capítulo 2


No outro dia, Jeongguk queria somente se matar por ter cogitado realmente em ir até aquele banheiro e transar com seu melhor amigo, onde estava com cabeça?  Ah, tudo era culpa da sua cabeça de baixo, ao nem pensar nas consequências dos seus atos, ou melhor, nem era a cabeça e sim o orifício anal muito afoito para receber uma boa pirocada. E agora que tinha sentido o gostinho do quanto era bom estar daquele jeito com Jimin, parecia que não queria mais parar.

 — Droga de pensamentos! Sussurrou, esmurrando o travesseiro. Ele tinha que se aquietar.

  

 E agora, como olharia para o amigo de novo? Ainda mais que Jimin já tinha seu par, pra piorar tudo, era sua melhor amiga também.

 Deus! Onde eu estava realmente com cabeça para puxar Jimin em direção ao banheiro nojento daquela boate? - Se sentia cada vez mais frustrado, até mesmo para ignorar a dor de cabeça que deveria estar sentindo por causa da ressaca. Tudo era fichinha comparado ao pensamento do nervosismo que iria sentir quando visse o Park novamente. - Que o hyung tenha esquecido o que aconteceu e…. Eu... Prometo nunca mais beber nesta minha vida medíocre.  

 Quando terminou de fazer sua promessa, talvez vã, ouviu uma batida tímida na porta, seu coração acelerou, sabia muito bem que era ele ali. Com a atitude mais madura de todas, se embrulhou todo no lençol da cama, mesmo estando um pouco quente para aquilo, e fechou os olhos para fingir que estava dormindo.  

 Parecia que o ruivo estava bem insistente naquele dia, pois assim que Jeongguk terminou de se ajeitar, ouviu o rangido da porta se abrindo. Mesmo que Jimin sempre gostasse de ressaltar que priorizava privacidade do outro, entrou no quarto sem ao menos ter a permissão do dono deste, pois pôde ouvir os passos do outro se aproximando cada vez mais da cama. Além de ouvir também, um chamado por seu nome.

 Jeongguk-ah O chamado foi baixo, mas o suficiente para deixar Jeon todo arrepiado. Jungkook não queria demonstrar nervosismo, para conseguir deletar sua posição de muito bem acordado. Mas o pior de tudo, é que quando queremos esconder algo, parece que o corpo entra num estado de alerta, fazendo com que seu coração bombeie mais sangue do que necessário, pois o medo de ser pego no flagra é enorme. Jeongguk- ah? Está acordado?

 Sentiu a figura de Jimin ao lado oposto da cama, sua presença parecia estar bastante carregada nesse dia, parecia que ele conseguia estar em todos os lugares. Tudo piorou quando sentiu o peso afundar numa parte de sua cama, inevitavelmente, se encolheu minimamente, denunciando todo seu esforço até agora. Apertou os olhos com mais força para se manterem fechados, o moreno não viu, mas o ruivo sorriu ao ver a situação do amigo.

 Desse jeito você se entregou muito fácil. Ouviu a voz daquele que, no momento, queria uma distância bastante considerável. Abriu de supetão os olhos por sentir os lábios do ruivo roçarem em sua orelha. Me desculpe por ontem. Hoje quero conversar com você e esclarecer algumas coisas, já que interpretou as coisas de maneira errada.

 Tudo o que Jeongguk menos queria era tentar entender as atitudes de Jimin sobre ontem, não queria ouvir ele falando sobre como foi errado ter lhe abraçado, ele ter roçado em si; por isso, a única coisa que fez foi mudar de assunto, olhou para todos os cantos, exceto para o dito cujo que estava naquele cômodo.

 Quem mandou entrar no meu quarto sem permissão? Jimin se assustou com o questionamento, ficando um pouco constrangido. Você sabe que da última vez que alguém entrou assim, não foi bom para os dois lados… quer dizer... para Tae foi bom, já que ele não passou vergonha e nem passa nenhuma até hoje.  

 O moreno suspirou ao lembrar daquele fato. Uma vez, quando Jeongguk tinha acabado de sair do banho, ele, assim como várias pessoas, tinha uma mania de ficar escutando música enquanto isso. Na hora em que Jungkook ia vestir uma cueca, a música Ice Cream Cake começou a tocar, e foi bastante inevitável não dançar. O problema disso tudo, é que bem na hora, Kim Taehyung, vulgo amigo deste, resolveu dar as caras, entrando no quarto, vendo como Jeon mais novo veio ao mundo, até ai “tudo bem”, o problema mesmo era que o Kim adorava contar esse fato para todos; sempre que tinha oportunidade contava o dia “em que viu o pau de Jeon Jeongguk balançando para todos os lados”, o deixando vermelho como uma pimenta e com uma imensa vontade de querer matar o amigo, enquanto os outros se acabavam de rir.

 Já entendi o que está fazendo e não vai funcionar. - Jimin falou de um jeito mais duro com o outro.

 Tá, já que quer tanto conversar sobre ontem, não quero suas desculpas. - Falou enquanto se sentava na cama, de uma maneira mais confortável para si.

 Por quê?

 Eu que te puxei, eu que me insinuei, eu sei que você tem a Noona, mas mesmo assim, eu fiz. Isso foi algo de muita falta de caráter da minha parte. Já sentia seus olhos arderem. Então quem deveria pedir desculpas seria eu, no caso.

 Ei! Não. Olha pra mim. Você não deve desculpas de nada, eu que devo, pois eu devia ter feito da maneira certa e não esperado a bebida agir para atacar você como animal. E eu tenho algo para te contar, quer dizer, tenho muitas coisas para esclarecer na verdade. – Falou baixo, enquanto tentava virar o rosto do garoto para ficar de frente para si. – Eu e a Shin, não somos um par de verdade. – O moreno franziu o cenho com aquela revelação.

 Como assim? Não entendo. O moreno ficou confuso, acabando por ficar calado por um momento. Quando Jimin iria lhe responder, o outro lhe cortou novamente. Mesmo se isso for verdade, nada muda, você ainda é casado com a noona. Falou depois de analisar melhor a fala do ruivo.

 Mesmo que a Park fosse uma mulher chata muitas vezes, ela não merecia infidelidade do marido, assim como Jeongguk não merecia viver um caso extraconjugal.  

 Eu sei. Isso não muda nada, mas quero que saiba que eu e a Shin não somos um par. Espera! Antes de me encher de questionamentos, preciso falar o que realmente quero falar. O moreno quis abrir a boca para perguntar novamente, mas se calou no ato. A gente começou a namorar, lembra? O outro concordou, mesmo que a pergunta tenha sido retórica. Nós namoramos, mas na verdade, tudo aconteceu por causa dos hormônios adolescentes que estavam aflorando para todos os lados em nós e... você… você parecia que não estava sendo afetado por eles, já que era mais novo. Então, um dia, nós estávamos sozinhos e…

 Você não precisa me contar todos os detalhes, espero que não esteja se empolgando demais. — O moreno interrompeu Jimin antes que ele começasse a falar sobre o jeito que transou com a Shin por exemplo, não que isso fosse realmente acontecer, mas ele preferiu se precaver da situação.

 Claro que não vou falar isso, meu Deus Jeongguk! Quem você pensa que eu sou?! Algum pervertido?! O moreno se encolheu pela explosão do outro, mas ele não queria saber a vida íntima de seu amigo, aquilo iria realmente doer mais do que já doía. O ruivo ao perceber o estado do outro, tentou se acalmar novamente. Desculpa, eu não quis explodir assim, mas você... aish, isso é tão frustrante! Tudo na minha vida se tornou frustrante. - Coçou a cabeça, de forma nervosa.

 Hyung? – Chamou. Nem sabia o porquê, mas quando viu os olhos de Jimin serem direcionados aos seus, ficou calado, se sentiu afundar neles. Jimin também sentia que os olhos do moreno pareciam imãs lhe atraindo cada vez mais para perto do seu rosto. Jeongguk, até então, não tinha percebido o quanto Park estava mais próximo, assustou o outro, um pouco, ao virar o rosto para o lado antes que fosse inevitável. Continue, por favor! Sua voz estava diferente, meio rouca, talvez pelo clima que tinha se instalado ali. Jimin novamente voltou à sua realidade, suspirando em seguida.

 Enfim, nós acabamos ficando, e eu acabei vendo a Shin de forma acessível para acalmar as coisas que estavam ferventes dentro de nós. Eu sei, eu sei que pensar desta forma é muito canalhice da minha parte, mas foi o que eu pensei. Suspirou novamente. Falar sobre aquilo não estava sendo nenhum pouco fácil para Jimin. Então acabamos ficando tempo demais juntos, tanto que muitas pessoas ficavam questionando a gente do porquê não tínhamos nos casado ainda, uma vez que completamos a maioridade, lembra? Até você mesmo perguntou isso. Sabe, quando você perguntou aquilo pra mim, foi estopim, foi ali que percebi que você nunca ia me olhar como eu queria.   

 Hyung, eu…

 Não precisa explicar nada agora, eu entendo que as perguntas eram inevitáveis na sociedade em que vivemos. E depois de um ano sendo questionado, acho que foi pressão, eu sempre fui muito influenciável, tinha essa facilidade, eu tento não prestar tanta atenção nisso agora, mas acabei cedendo bem na frente dos pais da Shin, pedi ela em casamento. Logo depois meus pais ficaram sabendo, e quando eu disse que não casaria, que aquilo tinha sido um erro, eles simplesmente surtaram, colocando tanta pressão que acabei cedendo mais uma vez. A casa dos meus pais acabou virando um inferno depois disso; pelo tanto que eles falavam sobre “o quão felizes eles estavam, por finalmente me verem casar.”, porém, eles não ligavam para a minha felicidade. Por um lado, eu mesmo procurei por isso. Deu um riso de escárnio. Então casamos. Shin parecia muito feliz com isso, enquanto eu, estava somente fingindo. Eu não queria tirar a felicidade dela, eu a amo, sabe? Mas não como ela quer. No fim de tudo, acabamos descobrindo que ela também não me ama, tudo foi fruto de comodismo e medo de ficar sozinho, acredita nisso?! Nós somos dois filhos da puta, carentes. - Zombou mais ainda de sua situação.

 Jeon ainda estava ali, tentando entender toda aquela história do amigo, pois ele nunca pensou que tudo aquilo tinha realmente acontecido. Ele sabia que Jimin não vivia bem com a esposa, mas pensava que aquilo fazia parte do casal, eles poderiam só estar sendo alma gêmeas; já que a coletividade em que vivia era toda voltada a isso, era bastante surpreendente descobrir que na verdade, o Park viveu esse tempo todo numa grande mentira. Nunca imaginou que um dia iria descobrir esse acontecimento. Nunca imaginou que um dia algo assim poderia haver. Agora a dúvida paira sobre ele: quantos mais viviam da mesma forma que Jimin, pois tinham medo de ser como ele, um sozinho na vida? Se sentiu ainda mais triste por descobrir isso.  

 Gguk-ah, o ponto que quero chegar nessa história toda é, que se, eu fosse mais corajoso, já tinha saído desse casamento há muito tempo; nem teria casado, na verdade. Teria me declarado para você. Depois de ontem, depois de tudo o que aconteceu, eu percebi que sou correspondido, mesmo que você diga agora que foi tudo culpa da bebida, eu não vou acreditar, eu sei que você nunca faria aquilo, não daquele jeito, eu te conheço a bastante tempo e sei…

 Talvez não me conheça tão bem assim, não é? Já que se você me conhecesse mesmo, teria percebido que todos estes anos eu sofri por você. Eu quis você, mas você sempre foi de outra pessoa. Deu um sorriso triste, enquanto ainda olhava na direção do ruivo. Não, Jimin, não venha agora dizer coisas que aconteceram com você antes, pois nada disso vai resolver o agora. Por que não me disse antes? Por que somente agora? Não quero a desculpa de ontem. Sim, eu quis aquilo, quis tanto que fiquei constrangido comigo mesmo, e fiquei mais constrangido pela forma de como eu quis. Se você me amou sempre, então por que não veio antes? No final da frase, Jeongguk já sentia sua garganta fechar pelas palavras.

 — Gguk-ah eu…

 — Não! Na verdade, eu não quero saber. Só sai! Sai agora! Gritou com outro, que arregalou os olhos pelo susto.

 O problema de tudo isso era que Jimin tinha passado a noite em claro pensando se devia ou não conversar com Jeongguk, e agora que estava ali, não iria embora sem pelo menos lutar até o último suspiro, se fosse preciso. E talvez, por isso, estaria ele preste a fazer a maior besteira até aquele momento. Não pôde deixar de avançar até o outro sem nem pensar direito, não queria ser expulso, queria na verdade se acolhido pelo amigo. O moreno percebendo o intuito de Park, tentou se soltar do abraço, queria ficar só, naquela hora, pois precisava digerir toda aquela informação. No entanto, foi agarrado pela cabeça, assim sendo paralisado por um instante, o instante que foi o suficiente para ter sua boca selada.

 No primeiro momento, se espantou, ficando paralisado. Depois tentou empurrar, sem muito sucesso, mas quando sentiu um pequeno encostar, vindo da língua do outro em seus lábios; cedeu. Fechou os olhos, abrindo os lábios, minimamente. Quando as línguas se enroscaram, sentiu uma conexão diferente, assim como um aperto no coração de ambos, junto com umas lembranças passadas, e tudo esquentou. As almas sentiam, elas sabiam quem era quem ali. Jimin e Jungkook podiam se ver de diferentes formas, mas no fim sabiam no fundo que eram ''o verdadeiro'' eles ali.

 Sobre a lenda das almas gêmeas: não importava se o laço tinha sido cortado, mas bastava o toque dos lábios para que elas se reconhecessem em qualquer lugar, a qualquer momento. Muitos não sabiam, mas alguns indivíduos já tinham vivido mais de uma vez uma grande história de amor.  



Notas Finais


Bye bye, bom sonhos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...