História Fawkes - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Overwatch
Personagens Junkrat, Personagens Originais, Roadhog
Tags Junkertown, Junkrat, Overwatch
Visualizações 10
Palavras 1.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Survival
Avisos: Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - O mercado Junker


Era a primeira vez que Jamison iria acompanhar seu pai durante um dia no mercado junker. Estava entusiasmado mais do que o normal, sem conseguir parar quieto no sidecar da moto, junto com as mercadorias que tentariam vender naquela tarde. Jenna, por outro lado, não compartilhava do mesmo entusiasmo. Principalmente por pressentir que algo de ruim aconteceria.

- Tem certeza que vai ficar tudo bem?

- Claro que vai, Jen. É só um mercado.

- Filho... Sabe que não vou caçar hoje. Se quiser ficar comigo...

- Aaahh, planejamos isso há dias, mãe!

- Ele tem razão, Jen.

Jonathan colocou o capacete que tinha, ainda brilhoso de tão pouco utilizado durante todos os anos. Dando a partida definitiva com a moto e acelerando antes que o motor afogasse de vez.

- Vai ser só mais um dia normal, prometemos.

A moto partiu logo em seguida, em alta velocidade. Levantando um pouco de poeira atrás de si pela estrada de terra até o mercado. Jamison estava realmente animado, rindo e gritando em meio as mercadorias conforme Fawkes acelerava cada vez mais o veículo. Era a primeira vez que seu filho saía da vila, assim como andava de moto. Por algum motivo, aquela reação inesperada acabou arrancando um largo sorriso de Jonathan, achando graça como ele parecia tanto com seu jeito, principalmente quando criança.

- Animado com hoje, Jamison?

- Uhuuuul!

Foi quando em um súbito momento ele se lembrou da própria infância, quando viajava com sua mãe para o sítio de seu avô nas férias. Lembranças que por algum motivo o entristeceu, percebendo o péssimo estado que vivia graças a guerra, o omnium e também ao seu passado. Logo balançando a cabeça em uma tentativa de afastar aquelas memórias e pensamentos.

- Bobagem... Se eu superei a Sarah, nós vamos superar mais essa.

- O que foi que disse, pai?

- Nada. Estava pensando alto. Só não vai esperando muita coisa daquele lugar. O mercado não é lá tão divertido quanto parece.

Rapidamente chegaram ao mercado, onde vários sobreviventes de várias vilas encontravam alguns suprimentos necessários para sobreviver. Sucatas, comida, água, o que fosse para se manterem mais um dia vivo. Jonathan logo cumprimentou alguns velhos conhecidos, enquanto apresentava seu filho para outros, atrasando um pouco mais que o usual a montagem de seu estande.

Guardava algumas comidas em um caixote vazio dentro do sidecar da moto, pagamento de algumas encomendas que havia entregue logo que chegou. Ainda que não confiasse inteiramente na comida orgânica por causa da radiação, era uma ótima moeda de troca no mercado. Principalmente para conseguir algumas sucatas que eram mais cara ou até mesmo revender.

- Não, não, não! Eu já falei pra não pegar esse lixo dessa pilha.

- Aaahhh...

Jonathan arrancou das mãos de Jamison uma maçã que ele estava prestes a morder. Sacando uma barra de cereal de seu bolso e dando uma mordida antes de entrega-la para ele. Tudo isso sem se importar tanto com a expressão de nojo de Jamison encarando o pedaço de comida.

- Coma isso. Pelo menos vai te manter vivo mais tempo.

- Esse treco é horrível!

- Sei disso. Daqui algum tempo você se acostuma com o gosto seco.

Jamison deixou a barra de cereais de lado, preferindo vasculhar a pilha das mercadorias de seu pai. Adorava poder fuçar nas coisas do pai, principalmente nos explosivos mais perigosos. Pegando algumas bombas e admirando por alguns segundos em seu largo sorriso. Tudo isso enquanto Jonathan organizava as caixas de um jeito que deixava mais atrativa para as vendas.

- Pai, posso ficar com isso?

- Não.

- E esse aqui?

- Também não.

- Talvez ess...

- Nope.

- Você não está nem vendo!

- Não preciso ver, sei que tudo é mercadoria.

Jamison cruzou os braços, um tanto quanto emburrado. Até que encarou um lançador de granadas um pouco gasto, aparentemente encostado um bom tempo entre a mercadoria. Era um modelo ultrapassado comparado aos outros que vendia, mas que ainda sim havia despertado sua atenção de alguma forma.

- E essa aqui? Aparentemente ninguém quer comprar.

- Meu lançador de granadas? Tenho boas lembranças disso. Acho que foi com ele que estourei o braço do Noah... Quer saber? Fique como herança. Mas esconda da sua mãe.

Jamison comemorou em silêncio, agora tinha sua primeira arma, antes mesmo de completar dez anos. Jonathan revirou os olhos com um sorriso no rosto, relembrando o quanto acharia estranho ter alguém tão parecido com ele em seu jeito. Entretanto, seu sorriso foi logo disperso após reparar no grupo de três omnicos se aproximando de sua parte na feira, sendo o OR14 sucateado o integrante que mais chamava a atenção de todos. As pessoas que logo perceberam suas presenças ficaram quietas, encarando sua passagem com certo temor.

- Garoto, se esconda.

- Mas...

- Faz o que mando uma vez na vida! Cassete.

Jamison se escondeu atrás da moto. Observando seu pai respirar fundo antes de virar para os omnicos que se aproximavam, forçando seu papel de vendedor hospitaleiro.

- Explosivos? Veio ao lugar certo, meus senh...

- Não estamos aqui para negócios.

- C-como não? Estamos em um mercado.

- Sabe que foi delegado que explosivos não podem ser comercializados nesse quadrante, não sabe?

- Bom... Não tenho culpa se vocês robôs tem medo de uma pequena explosãozinha.

- Não nos faça usar a força por se recusar a seguir o trato...

Jonathan riu de nervoso, pensando em alguma forma de burlar aquela conversa. Até que viu um dos omnicos se aproximar de sua moto, puxando seu filho para o alto e com força.

- Alto! Humano não cadastrado no sistema. Face não reconhecida.

- Aahh! Me solta! Pai!

O modelo OR14 puxou Jamison pelo braço, o erguendo no alto enquanto ele se debatia ao máximo que conseguia, apontando a arma direto para seu estomago. Jonathan ignorou totalmente a conversa, furioso conforme escutava o grito de medo da criança.

- Hey! Solte já o meu filho!

Jonathan deu um chute a lateral o OR14, o fazendo perder o equilíbrio e assim, soltar Jamison. Rapidamente, ele segurou o braço de seu filho e subiu na moto, o puxando para o sidecar. O OR14 logo apontou seu canhão para o veículo, atirando contra os dois conforme se afastavam. Rapidamente o mercado se tornou um caos, com diversas pessoas correndo procurando abrigo enquanto Fawkes acabava por atropelar diversas mercadorias em uma tentativa frustrada de fuga, esbarrando em caixas de madeira que logo se destruíam e fazia com que as farpas faziam cortes em sua pele. O trio de omnicos chegou a avançar um pouco, logo abaixando suas armas após perceber que seria em vão tentar capturar os fugitivos. Precisavam se livrar de humanos furiosos com as mercadorias destruídas e com o cessar fogo quebrado pelo OR14.

Em poucos minutos, Jonathan já estava na estrada rumo ao vilarejo, ofegante e ainda com raiva do que havia acontecido. Reparando nos cortes que tinha em sua jaqueta de couro gasta, analisando também o corte em sua bochecha pelo retrovisor da moto, sujo de lama seca. Gritando de raiva tanto pelo dia perfeito arruinado e por sua mercadoria perdida.

- AAAARGH! Mas que merda! Por que isso foi acontecer logo hoje? Se sua mãe perguntar, diga que tivemos um dia normal, ok?

- Er... Pai!?

Jamison olhou para as costelas do pai, sangrando pelo tiro pego de raspão em sua pele que ele mal percebera. Fawkes, ainda que sem entender, passou sua mão pelo seu diafragma, percebendo o sangue fresco sujar seus dedos e se espalhar rapidamente pela blusa surrada que usava. Apenas agora que sentia a dor da bala alojada em seu abdômen, provavelmente não tão fundo assim na carne. Entretanto, não se importava, voltando a encarar o por do sol no horizonte, se pondo em direção ao vilarejo.

- É... Não vamos conseguir convencer ela de que foi um dia normal.

 

 

 


Notas Finais


Relebrando: Originalmente eu tinha postado no Amino Overwatch Brasil. Não se assuste caso encontre a mesma fanfic por lá.


- Link do meu perfil no Amino: http://aminoapps.com/p/jsakhz
- Link da fanfic no Amino: https://aminoapps.com/c/overwatch-brasil/page/blog/fawkes-capitulo-5/DxPV_eriPuMk4ewbKvBkW8QYPz2knzZx2x
- Link do artista que peguei para a capa: http://papabay.tumblr.com/post/148448465882/give-us-a-smile-jamie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...