História Fazer Falta - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 67
Palavras 737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ei nenês! Tudo bom com vcs? Shuashuashua

sta Fic contém:

•Linguajar chulo/ palavras de baixo calão.
•Gírias/ erros ortográficos.
•Cenas de sexo.

Capítulo 12 - Não vai rolar, Kéfera.


Fanfic / Fanfiction Fazer Falta - Capítulo 12 - Não vai rolar, Kéfera.

"Eu não tenho culpa de estar te amando

De ficar pensando em você; toda hora

Não entendo por que deixei acontecer

Isso tudo me apavora..."_ Exatassamba(Eu me apaixonei pela pessoa errada) 

 

 

Oliver 

 

 

Acompanhei Kéfera até sua casa como o prometido.

Meu automóvel estava bem longe de ser um modelo atual, mas era limpinho e confortável o bastante para dar carona. Kéfera não conseguiu disfarçar a cara de nojo quando entramos em meu carro, e essa atitude esnobe fez-me instantaneamente compará-la a Ester.... Ester podia ter a quantidade de dinheiro que fosse, mas nem por isso se sentia melhor do que ninguém.

No caminho, a garota tagarelou uma porção de coisas aleatórias e eu apenas me concentrei em mexer a cabeça e forçar sorrisos nas horas certas. Eu ainda me sentia muito mal por ter discutido com Whindersson na manhã do dia anterior... sei que estava tentando me alertar, só que ele precisava entender que isso era uma escolha minha, eu já estava crescidinho o suficiente pra saber onde tava me metendo.

Assim que chegamos na frente de um dos edifícios mais luxuosos da Barra, eu parei com o carro. Kéfera era de família rica e morava sozinha num dos apartamentos daquele lugar sob as custas dos pais.

_Chegamos._ ela disse, assim que terminou de tirar o cinto de segurança.

_É.

Houve um breve silêncio entre nós dois. 

_Você não quer subir?_ perguntou depois de um tempo, depositando uma de suas mãos em minha coxa.

_Acho melhor não.

_Por que?_ sorriu sínica._ Tá com medo de mim, Oliver?

_Não._ respondi e seu sorriso abriu-se ainda mais. 

_Então sobe... passa essa noite comigo.

Sua pequena mão em minha coxa, deslizou-se até o meu membro

_Kéfera!_ afastei a mão dela de cima do meu pau._ O que você tá fazendo?!

Eu estava chocado, porém impressionado, confesso.

_Não se faça de desentendido, Oliver. Já te dei todos os sinais de que estou afim de você.

_Kéfera, eu...

_Shhh..._ ela depositou o dedo indicador sobre meus lábios._ Não precisa dizer nada, só sobe comigo lá pra cima e me deixa te dar prazer essa noite. Posso ser melhor que aquela mulher, por quem você vive correndo atrás.

_Quem te contou isso?

_Luisa, mas só foram poucos detalhes.

Porra, Luisa!

_Isso não importa agora, não é?_ ela disse, aproximando-se para mais perto de mim.

Tentou me beijar, mas eu virei a cara.

_Que foi?_ olhou pra mim, confusa com minha reação.

_Não vai rolar, Kéfera.

_Nossa!_ela se afastou um pouco sem graça.

_Você é uma morena linda e tudo mais, mas...

_Nem precisa terminar._ ela me interrompeu._ Eu já entendi que fui rejeitada.

_Kéfera...

_Tudo bem, Oliver. Você não quer, tudo bem. Mas eu não vou desistir de você, ainda. Hoje em dia, não existem tantos homens como você._ ela me deu um beijo na bochecha._ Obrigada por me trazer. 

_Não precisa me agradecer._ eu disse, enquanto a via sair do meu carro.

_Boa noite.

_Boa noite._ digo em resposta, mas acho que ela não ouviu.

Vejo-a entrar no edifício luxuoso e após alguns segundos, me recomponho novamente sobre o banco, ligo o rádio e sintonizo na minha estação preferida. Imediatamente a música "Por tão pouco" da banda de pagode exaltassamba, preencheram os meus ouvidos...

 

"...Olha, não dá mais pra viver assim

Ta doendo em mim

Tanta solidão

Te jurei meu amor, pra que?

Se agora eu não tenho você

Onde anda o seu coração?

Hoje eu sonhei com você

Saudade me faz sofrer

Tantas lembranças no ar

Me fazem chorar

Me fazem querer

De novo encontrar você..."

 

Porra, eu era tão idiota!

Revirei os olhos com esse pensamento. 

Enquanto eu estava aqui sofrendo por Ester, sabe-se lá o que ela estaria fazendo há uma hora dessas. Eu era mesmo um otário, na moral! As únicas coisas de que eu sabia daquela mulher, era o nome e o número do seu celular.

Com raiva, desligo o rádio e tento dar partida com o carro, mas um filho da puta sem noção, apareceu do nada e bloqueou totalmente a minha passagem com um modelo atual da Mercedes-benz, vermelho.

BIIIIIIIIIIIIIII BIIIIIIIII !!!!

Fez a buzina do meu carro, quando a apertei furiosamente.

Vi o desgraçado descer pouco se fodendo para o som da minha buzina, dar a volta em seu próprio carro e abrir a porta do passageiro para uma bela mulher...

O meu mundo parou no instante em que reconheci o rosto daquela mulher.

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...