1. Spirit Fanfics >
  2. Fear (Of The Unknown) >
  3. Capítulo I

História Fear (Of The Unknown) - Capítulo 2


Escrita por: TiaJ

Notas do Autor


Olá, gafanhotos, tudo bem? Mais um capítulo fresquinho para vocês :) vamos aos lembretes?

*CAPÍTULO NARRADO PELA LAUREN

*TUDO ESCRITO AQUI É PURAMENTE FICÇÃO. PAÍSES QUE SÃO ALIADOS NA VIDA REAL, AQUI PODERÃO SER INIMIGOS. O CONTRÁRIO TAMBÉM PODE ACONTECER. REPETINDO, É TUDO FICÇÃO!

*PERDOEM QUALQUER POSSÍVEL ERRO

*NÃO ESQUEÇAM DE COMENTAR. É UM INCENTIVO E TANTO :)

Capítulo 2 - Capítulo I


O som infernal do celular tira-me, novamente, do universo maravilhoso dos sonhos. Minha linda esposa resmunga, completamente desgostosa por ter sido acordada mais uma vez em menos de duas horas.  

— Lauren, se você não desligar essa merda, vou te expulsar do nosso quarto. -A voz sonolenta é sussurrada e, preciso admitir, um charme. -  

— Uhum.  

O som estridente continua firme, forte e irritante  

— Agora, Lauren!  

Levanto, puta da vida e mega mal-humorada. Tudo piora quando vejo que ainda são duas e dez da madrugada.  

— Alô?  

— Jauregui, que porra. Por que demorou tanto para atender?  

— São duas da manhã - Respondo, sonolenta. - Estava dormindo.  

— Foda-se seu sono, nós estamos entrando em nível amarelo.  

Arregalo os olhos, despertando imediatamente. Olho para a cama, Camila já voltou ao seu justo sono.  

— Porra! Espera um pouco.  

Saio do quarto tentando fazer o mínimo de barulho possível. 

— Qual a situação? -Questiono, alerta. -  

Já estou no escritório, aqui posso falar mais à vontade. Ligo o computador e a TV.  

— Recebemos oito ameaças. Seis falsas e duas... 

— Merda. - Vejo a tela da TV dividida entre a imagem de um supermercado e uma farmácia que estão pegando fogo. - Mais alguma ameaça?  

— Nada. Estamos de mãos atadas, o primeiro ministro está parecendo um pitbull em cima do Jin, ele já ligou oitenta vezes. Está louco atrás de você. 

Vasculho a gaveta esquerda, tirando dois celulares de lá. Assim que ligo, ambos não param de apitar com mensagens e tocar com as ligações.   

— Espera um pouco. Alô?  

— Lauren Jauregui, que caralho está acontecendo no meu país?  

— Estou tentando descobrir, senhor.  

— Tentando descobrir? – Jin está furioso, sei disso pelo timbre de sua voz. - Pelo salário que recebe, você já deveria ter descoberto como banir os idiotas do mundo. Espero um relatório completo antes das 8 da manhã.  

E simplesmente desliga. Encaro o celular, incrédula, faço um esforço sobre-humano para não arremessar o aparelho na parede, volto ao meu amigo de trabalho.  

— Jack?  

— Jin foi... 

— O Jin não importa. -Corto sua fala. - Alguém já assumiu o ataque?  

— Ninguém. Nossos infiltrados dizem que com a tensão aumentando entre Israel e Palestina, e a posição dos Estados Unidos, o ataque pode ter vindo de qualquer lado. Levando em conta o ataque a base Afeganistão e os conflitos entre Irã, Iraque e Síria, desse último, duas bases foram destruídas, nós sabemos o que corre por debaixo dos panos, Lauren.  

— Não estou gostando disso, Jack. Minha intuição está avisando que algo maior está por vir.  

— O que faremos?  

— Ligue para Abu, use a linha segura, mande-o contactar a base em Israel e Palestina, ver o que descobre, depois diga para ele mandar as coordenadas pelo Alfa 77. Contate também Babrak no Afeganistão, tenho certeza que a Al-Qaeda está metida nisso e que Ayaman planeja algo maior. Preciso falar urgente com Mustafa no Iraque e com Hassan no Irã. Acione Dinah e peça para ela ligar imediatamente para os donos do New York Times, Wall Street, Washington Post e para ABC, CBS e NBC, não quero que isso se torne pior, a população já está com medo, o que menos precisamos é que eles piorem o problema. A ONU já se manifestou?  

— Ainda não. Pelo que sei, Verônica e Lucy estão tentando conter as duas partes e abafar o caso, o caralho do ataque as bases quase vazou. Ambas conseguiram segurar por enquanto, mas sabemos que ninguém é tão boa quanto sua mulher, minha amiga.  

— Camila está de licença, gestação gemelar é sempre arriscada, por tanto, resolva isso. Não quero ninguém ligando para minha esposa, entendeu?  

— Sim.  

— Perfeito. Faça o que pedi e nos falamos de manhã.  

— Considere feito. Até mais. 

— Até. 

Encerro a ligação e já atendo a próxima  

— Senhora Vice presidente?  

— Olá, Lauren. Sabe que apenas Kamala está ótimo, creio que já tenha visto as últimas notícias, correto? -É curta e direta. Apesar de ameno, seu tom é extremamente sério. -  

— Sim, e já estou tomando todas as devidas providências. 

— Ótimo. Há um jogo de política por trás de tudo, minha querida, Joe acabou de ser eleito e o que menos precisamos é de um questionamento geral sobre a segurança de cada cidadão.  

— Entendo perfeitamente.  

— Posso confiar que você irá cuidar de tudo? 

— Claro, Kamala. 

— Bom, muito bom. Aguardo seu contato pela manhã, tenha uma madrugada agradável, Lauren.  

— O mesmo, Kamala.  

Após essa, finalizo mais oito ligações e finalmente disco para minha amiga. Dinah atende logo no segundo toque  

— Estava esperando seu telefonema. -Cantarola. -  

— Então já sabe o que quero.  

— Normani já está em contato com a ABC, New York Times, Wall Street e Washington Post, estamos restringindo informações e apurando melhor os acontecimentos. 

Agradeço aos céus por ter amigas tão ágeis  

— Falou com Ally? Estou tentando, mas ninguém atende.  

— Ela trabalha para o FBI, meu palpite é que esteja em reunião para saber o que aconteceu.  

— Quantos mortos? -Pergunto, um gosto amargo na boca. -   

— Vinte e oito.  

 Fecho os olhos, a dor de cabeça se faz presente  

— Inferno. Falei com Jin e ele quer minha cabeça em uma bandeja de prata. 

— Babaca. -Estala a língua. - 

— Pois é. Kamala também me ligou  

— Você é muito chique, amiga. Tem linha direta com a vice presidente. Normani que me perdoe, mas pegava aquela mulher sem dó, nem piedade. 

— Dinah...-Resmungo. - 

— Okay, okay. Vou ver o que mais consigo e volto a te ligar, pode ser?  

— Pode. -Sento em minha confortável poltrona. - Amanhã será um inferno.  

— Eu sei.  

Concluo a ligação, fecho os olhos e respiro fundo. Preciso pensar. Preciso ser mais rápida que a Al-Qaeda. Preciso ser mais rápida que esses filhos da puta. 

— Foi muito sério?  

Abro os olhos imediatamente. Camila está parada no batente da porta, uma carinha amassada de sono, entretanto as linhas de preocupação estão presentes. 

— O que faz acordada? -Indago, preocupada com seu descanso. -  

— Não consigo dormir longe de você. E nossas filhas também sentem sua falta. -Termina a frase com um biquinho nos lábios. - 

— Vem aqui. -Rapidamente Camz se aproxima, sentando de lado em meu colo. -  

— Vai me contar o que já sabe?  

— Houve mais um ataque. -Aponto ligeiramente para a TV. - Entramos em alerta nível 4 e em condição amarela.  

— Merda.  

— Pois é. Já comecei a coordenar as coisas, mas parece que a situação é pior do que imaginamos.  

Camila me encara profundamente 

— O que você não está me contando? Te conheço perfeitamente bem, Laur. -Acaricia meu rosto. -  

— Minha intuição diz que algo pior está por vir.  

Sinto o arrepio que passa pelo corpo de minha mulher. Camila sabe que dificilmente minha intuição falha 

— De manhã vou ligar para minha equipe na ONU e para Bashar na Síria, ele tem contatos e me deve alguns favores. -Camz decreta. Seu tom não permite objeções. - 

Tento compreender a linha de raciocínio de Camila, quando consigo, abro um pequeno sorriso.  

— Você, latina, nasceu para ser estrela no universo da política.  

— Eu sei, baby. Agora, termine o que precisa e me encontre na nossa cama, necessito de você para dormir. -Me beija, rapidamente. - Não demore.  

— Não prometo nada. -Lhe dou um tapa na bunda. - Gostosa.  

— Abusada.  

Quando Camila sai do escritório, começo a ler e responder os e-mails recentes. Faço mais algumas ligação, marco as reuniões do dia seguinte e finalmente volto para meu quarto. Camz parece já estar dormindo quando deito ao seu lado e a puxo para meus braços.  

— Eu disse para não demorar. -Sussurra, grogue de sono. - 

— Prometo recompensa-la por isso, Rainha.  

— Acho bom mesmo.  

É a última frase que escuto, antes de partir para o mundo dos sonhos.  


Notas Finais


Tentarei trazer ao menos um capítulo por semana, mas tudo depende.

Bom, o que acharam?

Deixe um comentário e faça uma autora feliz!

Beijos

Tia J sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...