História Feeling Blocked - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias James Rodríguez
Personagens James Rodríguez
Tags Família, Futebol!
Visualizações 110
Palavras 1.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura, bebês.

Capítulo 2 - Ignorância e Mentira


Fanfic / Fanfiction Feeling Blocked - Capítulo 2 - Ignorância e Mentira

*Pov’s Claire.

 

Eu estava me odiando mentalmente por não ter dormido cedo na noite anterior, meu corpo implorava pra que eu ficasse na cama por mais algumas horas. Eu ficaria, mas eu não quero causar má impressão à minha madrasta logo no segundo dia morando com ela, olhei para a cama ao lado e não vi Juana, o quarto estava bem escuro o que ajudava a minha preguiça a se espalhar, as cortinas estavam fechadas querendo passar o dia inteiro naquele mesmo estado.

Sentei na cama e coloquei minhas mão sobre meu rosto na tentativa de mandar embora aquela falta de coragem, agora eu vou, juro. Levantei, peguei uma toalha, amarrei o cabelo e saí do quarto, indo até o banheiro que ficava no final do corredor onde havia os quatro quartos da casa, a claridade do sol encontrou meus olhos fazendo com que eles ficassem minúsculos, realmente janela de vidro é a melhor coisa que já inventaram, que vista maravilhosa.

Depois de ter feitos minhas higienes e ter colocado uma roupa bem casual, eu desci as escadas sem muita pressa e não encontrei ninguém na sala, fala sério, se eu soubesse tinha continuado na cama, af. Caminhei um pouco mais até a cozinha, estranhando tudo aquilo, era tão diferente da casa onde eu morava, que coisa.

 

— Minha mãe deixou o café da manhã pra você no microondas. – falou alguém atrás de mim, me fazendo virar de susto, era o tal James.

 

— Obrigada por avisar. – dei ombros.

 

— Tá, ela disse que voltaria às seis da tarde e seu pai um pouco mais cedo, não espere por Juana hoje e eu tô caindo fora, tchau. – falou e saiu pegando algumas chaves que estavam em cima da mesa.

 

— Eu hein. – falei pegando um prato com algumas frutas e bolo no microondas.

 

Depois que tomei café, olhei no relógio e era apenas nove e meia, sinceramente, eu tô prestes a dormir novamente, pelo visto ficarei sozinha até alguém lembrar que eu existo.

Logo no início eu não achava uma boa idéia meu pai morar com uma mulher que ele se relaciona há apenas 8 meses, eu achava que ele demoraria um pouco mais pra assumir alguém depois da minha ex-madrasta Denise, aquela mulher era um horror, tinha uma cambada de filhos de outro cara e era totalmente interesseira quando o assunto era meu pai, ela não gostava dele e isso tava na cara demais, só meu pai que não via, quando ela foi embora de Berlim, foi a melhor coisa que aconteceu em nossas vidas naquele período. Meu pai não sofreu tanto, naquela hora ele resolveu entender que o amor que ele sentia por ela não passava de uma tremenda mentira, meu pai sofreu muito quando minha mãe foi embora, ele contou que chorava noites e noites e a única coisa que o mantinha de pé era a minha existência, ele sabia que um dia todo o esforço que ele fazia por mim seria recompensado.

 

Tudo o que fazíamos era juntos, meu pai me levava e buscava na escola, me levava e buscava na aula de balé, de teatro, de natação, ele me colocava nessas aulas porque o seu tempo não podia ser todo meu, ele precisava trabalhar pra nos sustentar, todo natal ele me levava para passear até eu adormecer, e todo ano novo nós passávamos em lugares absurdamente incríveis, e sempre que começava um novo ano meu pai chorava por ver que a cada dia eu estava mais “esperta pro mundo”.

 

Quando Pilar entrou na vida do meu pai, ele demorou pra se entregar a ela, tudo bem que não foi tanto tempo assim, mas demorou, ele não queria dizer que estava apaixonado logo de cara, ele escondeu ela de mim por pensar que eu ia dizer que ela iria fazer tudo o que a Denise fez, e depois de mais alguns meses, meu pai decretou que Pilar não era Denise, era totalmente uma pessoa amável e louca pelos filhos, e ela disse que estava gostando muito de meu pai e ele decidiu dar uma chance à felicidade.

 

Foram tantos pensamentos que acabei pegando no sono.

 

 

* 12:38 PM – Munique (GER)

 

Senti alguém tocando em meus braços e me sentei no sofá com cara de espanto.

 

— Calma, garota. – Ouvi de novo a voz de James.

 

— Que susto, isso é jeito? – falei irritada.

 

— Que seja, só passei pra mandar você ir pro seu quarto que daqui a 15 minutos eu tenho visita. – falou sentando.

— Mandar? Que mal educação.

 

— Ta, garota. – falou fitando seu celular.

 

— Eu tenho nome.

 

— É que eu não lembro agora e tanto faz. – disse seco.

 

Saí dali totalmente incrédula com o que acabara de acontecer, eu pensei que ele fosse que nem Pilar e Juana que são pessoa com um nível de simpatia muito alto, será que ele é desse jeito só por ser jogador de futebol? Eu tenho certeza que sim, eu não queria ter problemas com a minha mais nova família, mas pelo jeito que vai eu tenho certeza que com ele vou ter, e eu já disse, eu não gosto de fazer o inferno na vida das pessoas, mas não vou aturar ninguém me tratando mal na casa onde eu moro, ou ele fala direito comigo ou eu vou embora daqui e sinto muito, papai.

 

Depois de um tempinho, eu ouço vozes vindo do andar de baixo e logo depois essas vozes acoam no corredor dos quartos, era a voz de James com uma mulher, provavelmente era sua namorada, ou ficante, ou não passava de alguma prostituta de esquina.

 

Desci as escadas assim que as vozes sumiram dali, enrolei bastante lá, comi, assisti tv, comi de novo, lavei louça, limpei a cozinha, assisti tv de novo, até que coloco a tv no mudo e olho pro nada com cara de reprovação.

 

Com mais força, Jameeees... – Era a voz da mulher que tinha chegado com James.

 

Que horror. James nesse um dia e meio já me mostrou que tipo de pessoa ele é, é sério, essa hora da tarde? Quero ver se meu pai chega agora o que ele falaria do bom moço, enteado que ele tem.

Sinceramente, ela começou a gemer bem mais alto do que já estava e eu comecei a sentir uma vontade de vomitar, tudo bem que pra eles aquilo estava longe de ser algo nojento, mas pra quem está escutando, eu garato que é e é muito.

 

[...]

Já passava das quatro da tarde e nada de meu pai chegar, Pilar eu já sabia que chegaria daqui duas horas, James desceu as escadas com uma mulher loira, de olhos claros que vestia um short jeans preto e uma blusa ombro a ombro branca, aaah essa é a mulher dos gemidos, ela tinha uma expressão peversa no rosto e assim que me viu, me olhou dos és a cabeça e cochichou no ouvido de James, talvez estivesse perguntando o que uma menina de respeito como eu estava fazendo na casa do seu ficante, ele olhou e disse “filha do meu padrasto”, então era exatamente o que eu pensei.

 

Eles chegaram na porta e eles se beijaram, outra cena que eu preferia desver, ela disse que queria de novo e ele fechou a porta em sua cara, fazendo com que ela ficasse sem resposta.

 

— Mulher com interesse é foda, a gente fica uma vez e elas já querem casar. – falou rindo e balançando a cabeça negativamente, e eu apenas o olhei com total cara de “que ridículo.” E ele seguiu até a escada subindo a mesma.

Batia às 21:00 quando estávamos todos reunidos na mesa, menos Juana, do jantar esperando Pilar nos servir, ela disse que faria questão de fazer isso, depois de alguns blá blá blá a comida finalmente chegou e poe crer que estávamos famintos.

 

­— Filha, como foi seu dia? – Meu pai perguntou.

 

­— Tranquilo. – falei bebendo o suco.

 

— Se sentiu muito sozinha?

 

— Um pouco, mas foi suave, vou acostumar – sorri.

 

— E você passou o dia aqui? – Pilar pergutou a James.

 

— Não, eu tava na casa de um amigo do time. – mentiu, provavelmente a mãe dele não gostaria de saber que ele comeu alguém em sua casa e com a minha pessoa dentro da mesma.


Notas Finais


Me perdoem os erros, beijoooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...