1. Spirit Fanfics >
  2. Feeling you once again >
  3. Rose Scent Breeze

História Feeling you once again - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Aconselho ler com a música citada no título💕

Capítulo 3 - Rose Scent Breeze


ㅡEu tenho uma surpresa pra você.

ㅡOk. -Eddie fechou os olhos e tentou dormir. O caminho até a casa de Richie seria longo, então ele queria um momento de paz. Um momento só pra si para poder pensar nas suas futuras escolhas.

ㅡVocê não quer saber o que é?

ㅡAchei que tinha dito que era surpresa.

ㅡE é... Quer um spoiler? Eu sinto que você quer um spoiler! -Eddie riu com o nervosismo e ansiedade de Richie, e lhe respondeu:

ㅡNão, Richie, eu espero.

ㅡTá bom. -Os dois permaneceram calados. Richie mordia a boca enquanto tentava focar nas ruas e não em Eddie. ㅡÉ amarelo. E pequeno.

ㅡRichie! É uma surpresa, fica quieto!

ㅡDesculpa, eu to nervoso.

ㅡTá tudo bem, Rich. -Eddie finalmente adormeceu, e Richie admirava como mesmo dormindo ele mantinha uma postura reta e uma face calma, sem nenhum pesadelo depois de tudo que aconteceu. Mas qualquer coisa que estivesse nos sonhos de Eddie foi interrompida quando Richie o balançou pelos ombros, avisando que haviam chegado. Saíram com cuidado do carro, observando a grande e luxuosa casa que Richie tinha alí, em Portland. E porque ele tinha uma casa em Portland? Pessoas ricas gastam o dinheiro com besteira mesmo, não é?

Eddie não estava com dificuldades para andar, mas ainda fazia questão de ter certeza que estava agarrado à Richie, não o soltando por nada. Sempre haviam sido assim. Não se soltavam por nada.

Entrando na casa, Eddie olhava ao redor, surpreso, como uma criança em um parque da Disney, mas seu tour não era agora. Richie segurou sua mão e o puxou para o andar de cima, subindo pela enorme e dourada escada que combinava com os detalhes d'ouro na pintura branca.

Quando chegaram na frente de um quarto, que Richie mencionou que era seu. ele colocou a mão na maçaneta e a girou lentamente, fazendo Eddie sorrir ao colocar o olhar em sua cama, um pouco bagunçada, assim como o resto do quarto. Mas a razão do sorriso era aquele pequeno cachorrinho, com a pequena língua para fora, e as pequenas patas dianteiras visíveis na frente.

Sem nenhuma palavra, Eddie se aproximou e o colocou nos braços, se virando para Richie logo depois, ainda sorrindo, e Richie sentia que poderia explodir ao ver tanta fofura diante de seus olhos.

ㅡQual o nome dele?

ㅡStaniel. -Um sorriso triste agora estava em seu rosto, observando a cabeça abaixada de Richie. ㅡE-Eu adotei hoje, de manhã. Enquanto o Mike estava com você no meu lugar. P-Por isso eu estava com pressa.

ㅡAh, sim. Quando vocês vão embora? Sabe, pra Los Angeles? Você não vai ficar aqui pra sempre, né?

ㅡO Mike disse que vai me visitar quan-

ㅡEu tô falando de você e do Staniel, Rich...

ㅡA-Ah... O Staniel, eu... Eu adotei ele pra você. É um presente, Eddie. -Richie jurava que nunca veria um sorriso tão brilhante na sua vida, mas Eddie estava alí para lhe provar que estava errado.

ㅡPodemos criar eles juntos. Quando a gente "casar". -Richie corou, rindo. Não estava acreditando que o senso de humor de Eddie era tão ruim assim.

ㅡPode ser então. E ai, precisamos marcar a data do nosso suposto casamento, Eds. -Eddie se sentou na cama, tirando o celular do bolso e o encarando por um tempo.

ㅡPreciso falar com a Myra antes, e ai podemos anunciar.

ㅡE a festa? -Richie pegou Staniel em seus braços e se sentou ao lado de Eddie.

ㅡQue festa?

ㅡDe casamento, ué! -Disse, o empurrando com o ombro.

ㅡNão vamos gastar dinheiro com um casamento falso, Richie! -Eddie revirou os olhos, rindo, e desbloqueou seu celular, preparado para fazer uma ligação quando Richie o tirou de sua mão.

ㅡEddie, eu nunca vou me casar, então eu... Queria fazer isso pelo menos uma vez, mesmo que de mentira, e eu não ligo que você é só meu melhor amigo. Por favor? -Por um momento, Richie sentiu que fosse chorar, mas instantaneamente se alegrou quando Eddie sorriu e concordou, movimentando a cabeça. ㅡObrigado.

ㅡNão tem problema, Rich...

[...]

Subir no palco e se apresentar só havia sido difícil quando recebeu a ligação de Mike. Estava nervoso naquele dia, porém agora estava ainda mais.

Seu primeiro show depois de se assumir gay, é claro que estava nervoso. Saindo de trás das cortinas, ele forçou um sorriso enquanto ouvia as palmas recebidas.

No final de tudo, as coisas haviam ido bem. Ele só precisava fazer o de sempre: lembrar de piadas estúpidas que nem ele mesmo havia escrito e no final, responder alguns fãs. Era isso que o deixava mais nervoso, o que fez ele acidentalmente revelar no "Meet and Greet" que seu noivo estaria o esperando do lado de fora para eles saírem juntos, o que resultou em muitos fãs e paparazzis atrás dos dois ao entrarem no carro de Richie.

ㅡÀs vezes você é bem burro, Richie. -Eddie entrou no carro e colocou o cinto, se virando encarar Richie, que se preparava para girar a chave.

ㅡDesculpa, meu bem, eu fui bastante burro mesmo. -Ele continuava rindo, deixando um selinho na bochecha de Eddie. ㅡComo estão as coisas com a Myra?

ㅡEla vai levar os papeis do divórcio assinados hoje, me mandou uma mensagem mais cedo avisando e pedindo nosso endereço. -Eddie abriu a janela do carro e se apoiou no banco, apreciando a vista que tinha de Portland à noite. Realmente linda.

ㅡAchei que iria ser mais difícil. -Richie começou a dirigir, olhando para Eddie uma última vez antes de se concentrar na pista.

ㅡA Myra é uma boa pessoa, só não é a certa pra mim. -Respondeu, ouvindo Richie concordar com ele. ㅡE você já conversou com a moça que Bev indicou? Ouvi que ela é realmente boa com decorações, Rich.

ㅡNão, ainda não falei. -Richie suspirou, mordendo levemente os lábios. ㅡAchei que seria melhor se você fosse comigo.

Eddie sorriu, sonolento, e levou sua mão até a de Richie, a acariciando por cima do freio de mão, retirando-a depois.

ㅡPode dormir por enquanto, meu bem. Obrigada por vir no meu show. -Richie o olhou, sorrindo. Aquele olhar era tão puro, cheio de amor e ternura, e só com aquilo, Eddie estava feliz por finalmente ter o amor que sempre desejou ter e sentir, mesmo que não fosse da forma que realmente queria.

ㅡNada. Eu te amo muito, sabe disso, né? -Eddie sussurou, fechando os olhos e se deixando adormecer.

ㅡSei sim, Eds. E eu te amo mais. -Richie fez um esforço para segurar brevemente a mão de Eddie e beijar o local antes de voltar sua atenção à estrada.

Na sua cabeça, a idéia de se casar com o melhor amigo era arriscada, o que fazia ele não pensar muito sobre isso, afinal, era apaixonado por Eddie. Ele podia acabar levando as coisas a sério de mais e acabar com a amizade deles, ele pensava, porém, que se Eddie concordou, nada vai ficar estranho ou desconfortável. Pelo menos não pra Eddie.

Quando chegaram na casa que compartilhavam, Richie o acordou, e então ambos foram direto para a cozinha. Estavam com fome, e Richie planejava fazer o jantar naquela noite já que desde que Eddie chegou, eles só pediam comida.

ㅡEntão, o que você planeja fazer hoje, Jacquin? -Eddie perguntou, rindo. Richie revirou os olhos e pegou da geladeira 4 ovos e uma calabresa. ㅡAh, omelete.

ㅡVocê não gosta?

ㅡEu gosto sim, Rich, não se preocupe. -Ele sorriu, esperando que Richie retribuisse, porém o sorriso dado por ele era malicioso.

ㅡÓtimo, aliás, essa calabresa aqui é do tamanho do meu pintão, Eds.

ㅡQuantos anos você tem? 13? -Eddie pegou da mesa uma tampa de plástico, jogando nele. Rindo, Richie desviou antes que pudesse acerta-lo.

ㅡ40. Estou velho, Eds.

ㅡÉ, ta mesmo. -Se aproximou de Richie e passou as mãos pelos braços dele, o encarando com um olhar... Estranho? ㅡQue tal eu fazer uma massagem em você, hm? Garanto que vai melhorar logo...

Richie corou quando percebeu as segundas intenções no tom de voz que Eddie usava, passando as mãos por seu corpo, e depois, começando a rir.

ㅡHaha! Muito engraçado, Eddie... -Cruzou os braços e revirou os olhos, continuando a ouvir a risada de Eddie. Fofa.

ㅡTinha que ver sua cara! -Diferente do que pensava, as coisas estavam sim começando a ficar estranhas entre ele e Eddie, mas ele não podia demonstrar o que sentia tão facil assim. Não deveria ser tão transparente.

ㅡIti malia, modeuso, vem cá, coisinha linda de pai. -Eddie começou a falar com sua voz fina e infantil quando viu Staniel entrando na cozinha, caminho até eles com suas pequenas patinhas.

Richie sorriu e levou sua atenção aos ingredientes na sua frente, começando a bater os ovos até chegarem na consistência certa de omelete, então cortou a calabresa em pedaços enquanto tentava não se distrair com tanta fofura em sua frente: Eddie e o pequeno Staniel.

ㅡPara de me encarar, faz logo essa comida, Rich, eu tô com fome.

ㅡEu não tô te encarando, idiota. -Eddie se sentou no sofá da sala, olhando de volta para Richie.

ㅡTa sim.

ㅡTanto faz, Eds.

[...]

ㅡFaltou sal. -Eddie continou comendo, sem olhar para Richie, que revirava os olhos.

ㅡMe desculpe se eu não faço uma comida boa o suficiente para seu paladar, Majestade...

ㅡDeixa de drama. -Richie levou o copo de suco até sua boca enquanto ouvia Eddie falar. ㅡSó tô dizendo pra na próxima vez você colocar mais sal, Richard.

ㅡHm. -Eddie o olhou, ficando em silêncio por um tempo. Richie continuava a comer, evitando o olhar dele.

ㅡTa com raiva por causa disso? Sério mesmo?

ㅡEu não tô com raiva...

ㅡNão fala de boca cheia, Richie! -Eddie suspirou e engoliu o último pedaço que tinha em seu prato. ㅡQuando você terminar de comer, lava os pratos, hoje é seu dia.

ㅡA gente pode assistir Irmãos a Obra depois? -Richie observava Eddie se levantar da mesa e deixar o prato na pia, indo até a sala e concordando com a cabeça. ㅡOk.

[...]

ㅡAi, vem logo, Rich, você vai perder o começo! -Eddie segurava Staniel no colo, sentado no sofá de frente para a TV. Richie se apressava para colocar algo que Eddie não sabia identificar dentro de duas tigelas, se apressando para ir até o sofá com as tigelas na mão. ㅡO que é isso?

ㅡBrigadeiro. -Eddie deixou o cachorro no chão e pegou a tigela e uma das colheres que Richie trazia, sentindo o cheiro doce do chocolate.

ㅡParece bom.

ㅡE é, Eddie. -Richie se ajeitou no sofá, ficando mais próximo dele. Eddie não parecia desconfortável. Principalmente quando deitou sua cabeça no ombro de Richie, prestando atenção na TV. Ele não estava desconfortável.

ㅡVocê acha que vale a pena gastar esse dinheiro todo numa casa dessa? -Eddie perguntou baixinho, com a colher dentro de sua boca.

ㅡEddie.

ㅡHm?

ㅡVocê faz ideia do quando eu gastei nessa casa aqui? -Eddie encolheu os ombros e se ajeitou, desviando o olhar.

ㅡNem quero saber. -Richie riu, pegando seu celular ao ouvir uma notificação. ㅡQuem é?

ㅡEds, a gente ainda nem casou e você já ta com ciúmes das mensagens que eu recebo, meu bem? -Eddie revirou os olhos e o empurrou levemente com o braço. ㅡÉ uma mensagem da Mariah.

ㅡQuem é Mariah?

ㅡMariah Carey.

ㅡMARIAH CAREY? RICHIE O QUE- COMO ASSIM MARIAH CAREY? -Eddie se virou de frente para ele, de olhos arregalados. Richie o olhou de forma neutra, como se não entendesse o motivo do surto.

ㅡEla é uma das minhas melhores amigas. Pedi pra ela cantar no nosso casamento, e ela... -Olhou a mensagem recebida, sorrindo para Eddie depois, que ainda estava supreso. ㅡAceitou!

ㅡComo assim você é melhor amigo da Mariah Carey, Richard? -Eddie perguntou calmamente, num tom baixo e devagar.

ㅡEu também sou famoso, esqueceu?

ㅡÉ meio difícil acreditar que você ficou famoso, sem ofensas-

ㅡÉ, já ofendeu, Eds.

ㅡDe quantos famosos você é amigo? -Richie deixou sua tigela vazia no chão e deitou no sofá, com a cabeça no colo de Eddie, que começou a fazer cafuné em seu cabelo.

ㅡTem a Mariah, Bruno Mars, Jennifer Aniston, Meryl Stree-

ㅡOk, já entendi, você é muito famoso e tem amigos muito famosos. Deve ser uma merda casar com um não famoso, não é? -Eddie encostou sua cabeça no sofá, fechando os olhos.

ㅡEi! Você também tem amigos famosos. Eu, o Bill, a Bev...

ㅡÉ... -Richie se levantou e beijou a bochecha de Eddie, encostando suas testas depois.

ㅡVocê é incrível, eu não acharia ruim casar com você de verdade, Eds. Por mais que não seja famoso ou extremamente rico, eu gosto de você, ok? -Eddie sorriu e concordou com a cabeça, fechando os olhos. Richie o observava, sorrindo também. Era ótimo ter Eddie em sua vida novamente, daquele jeito.

Nenhum deles estava desconfortável.

[...]

Correndo para dentro do carro, os dois riam pelo fato de estarem extremamente atrasados para mais uma reunião entre os Losers. Não um reunião, eles apenas iriam até a casa de Bill para beber um pouco e falar sobre as novidades. Mais tarde, estava planejado de receberem Myra para pegar os papéis do divorcio.

Eles estavam indo longe de mais na mentira, porém estavam bem assim. Não ia ser nada fingir um casamento quando eles ja moram juntos. O que iria mudar era apenas alguns documentos. De forma alguma seria os sentimentos envolvidos entre eles, porque sim, eles iriam poder ficar com outras pessoas. Mas na verdade, ambos sabiam que não iriam querer ficar com mais ninguém que não seja eles.

ㅡO que você acha que o Bill precisa nos contar tão urgentemente? -Eddie perguntou, olhando para o lado de fora da janela enquanto o carro se movimentava.

ㅡNão sei. Talvez ele finalmente conseguiu escrever um final bom e quer comemorar. -Richie riu e Eddie concordou, misturando suas risadas.

ㅡÉ, deve ser...

A viagem foi longa, por ser de carro, mas assim que entraram na residência de William Denbrough, o pior escritor de finais de livros do mundo, ficaram chocados quando entraram na sala dele. Não por causa do luxo, porque já estavam acostumados com isso em casa, mas por causa da pessoa que estava alí, com Bill, sua esposa e o resto dos Losers. Os Losers, agora completos.

ㅡStan? -Richie já estava chorando, não conseguindo acreditar se era apenas uma ilusão, um sonho ou se realmente era ele alí. Eddie também estava começando a lacrimejar, mas quando percebeu, todos os sete estavam abraçados ao redor de Stanley.

Ele realmente estava alí.

ㅡO-O que aconteceu? -Eddie perguntou, se sentando no chão, coberto por um tapete branco felpudo.

Não foi fácil para Stanley conseguir explicar que uma tartaruga gigante e falante o trouxe de volta à vida quando conseguiram derrotar A Coisa, mas eventualmente, eles entenderam.

A voz de Stanley era calma, suave. Ouvi-la era como estar andando em nuvens, e Richie estava muito grato por poder ouvir ele novamente. O amor de sua vida estava vivo, e seu melhor amigo voltou dos mortos. Não poderia estar melhor.

ㅡEntão... Eu soube que vocês vão se casar. -Stan sorriu, olhando para Richie e Eddie, que iriam começar a falar, porém foram interrompidos. ㅡFinalmente, Richie, achei que ia precisar te obrigar a falar pro Eddie que ama ele, seu idiota!

A sala repentinamente ficou silenciosa, e Stanley não entendia o porquê. Havia falado algo errado? Ou talvez eles ainda estavam em choque por causa de sua volta?

ㅡStan, é-é... É de mentira, tá? -Richie passou sua mão pela nuca, envergonhado.

ㅡAh. Ah! Entendi... -Stanley se sentou no sofá e sorriu. ㅡEntão o Eddie não sabe do crush que você tinha nele quando eram mais novos?

ㅡVOCÊ O QUÊ? -Eddie se levantou, quebrando o silêncio entre eles. Richie desviou o olhar, mexendo no óculos.

ㅡÉ, eu meio que gostava de você...

ㅡDesde-Desde quando?

ㅡAcho que desde que eu tinha uns 9 anos, ou menos, sabe? -Eddie assentiu, corando e sem o olhar.

ㅡUé, mas você não sabia, Eddie? -Beverly acendeu um cigarro, levando-o até sua boca. Os outros murmuraram, se perguntando a mesma coisa. ㅡTodo mundo já sabia...

ㅡE por que vocês nunca me disseram? -Eddie cruzou os braços, passando o olhar por cada um.

ㅡRichie com certeza nos mataria. -Mike riu e o puxou para perto, o abraçando de lado e trocando olhares e sorrisos com Richie. Eddie não podia negar que não gostou do contato tão íntimo entre eles dois. ㅡBom, agora ele não precisa nos matar porque não gosta mais de você, então...

ㅡO Richie não gosta mais do Eddie? -Stanley perguntou, com ironia perceptível em sua voz, rindo. ㅡÉ óbvio que ele ainda gosta!

ㅡSTANLEY! De onde você tirou isso? -Richie o empurrou no sofá, tentando manter uma expressão séria, mas falhando. Já estava rindo junto à ele.

ㅡAi, você é muito engraçado, sério... Amei essa piada, Stan!

ㅡPodemos parar de falar de mim como se eu não estivesse aqui? -Eddie perguntou, se sentando ao lado de Richie enquanto pegava a mão dele, a entrelaçando na sua.

ㅡOkay, meu bem, você quer falar sobre o que agora? -Richie beijou as costas da mão de Eddie, sorrindo para ele de forma gentil.

ㅡ"Meu bem", né? -Stanley soltou mais uma risada discreta, ainda sobre o relacionamento estabelecido entre Eddie e Richie.

ㅡCala a boca, Urina. -Richie se virou rapidamente para ele, e depois se voltou para Eddie.

ㅡAudra! Por que não nos conta mais sobre você? -A atenção foi para ela, agora sendo olhada por todos com curiosidade, afinal, ela também era uma atriz. Famosa. Nem muita gente sabe muito sobre como ela era com o ambiente familiar já que não se abria muito com a imprensa.

O resto da noite havia sido tranquilo, eles tinham apenas comido algumas coisas e bebido. Bebido muito, então decidiram que todos iriam passar a noite lá, já que nenhum estava em condição de dirigir, muito menos Richie.

Eddie estava feliz por saber que Richie gostava dele, mesmo se havia sido à anos, isso significava algo, certo? No outro dia pensaria mais sobre isso, afinal, ambos caíram no sono rapidamente, compartilhando a mesma cama. Estava ansioso para descobrir mais sobre os sentimentos de Richie, e se tivesse sorte, eles ainda estariam como antes.


Notas Finais


Richie_E_Eddie_Sendo_Um_Casal_De_Idosos_Mp4.
Ai gente não resisti, tive que trazer o Stanley de volta, ele é meu nenêm😔🙏
Espero que tenham gostado do cap de hoje, comentem por favor❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...