1. Spirit Fanfics >
  2. Feelings >
  3. O Erro Está em Confiar

História Feelings - Capítulo 28


Escrita por:


Capítulo 28 - O Erro Está em Confiar


Fanfic / Fanfiction Feelings - Capítulo 28 - O Erro Está em Confiar

- Não consigo nem imaginar como Adrien conseguia te suportar, inseto irritante. – Disse Félix, prestes a retirar o anel.

- Como é que é? – Plagg notou o movimento e rapidamente o impediu. – Ei, se você não me der comida, não vai conseguir se transformar.

Aquilo foi suficiente para convencê-lo.

- Certo, o que você come? Moscas? – Riu.

- Queijo. – Falou Plagg, se segurando para não ofender Félix.

- Queijo? – Repetiu.

- Queijo.

- Depois eu busco.

Félix se encontrava no escritório de Gabriel, procurando o miraculous da borboleta. Seu tio o havia chamado no dia anterior, pedindo que o substituísse atuando como Hawk Moth caso algo acontecesse com ele. O garoto não iria aceitar, até que ele falou sobre o poder concedido a quem utilizasse os miraculous da criação e da destruição. Ele pediu para Félix trazer Emilie de volta à vida se os conseguisse e o garoto aceitou. Mal sabia ele que a última coisa que pensara em fazer era trazer Emilie, pois em nada o favorecia. Félix riu consigo mesmo. Ele conseguira fazer em um dia o que seu tio levara meses para conseguir. Ele pegou o miraculous de Chat Noir, e agora tudo que precisava fazer era pegar o de Ladybug. A questão era: ele conseguiria fazer algo contra Marinette? Afastou o pensamento. Não iria matá-la, só pegaria seu miraculous... e seria extremamente fácil.

 

No dia seguinte, Marinette acordou por volta do meio dia. Ela passara a noite inteira em claro esperando pela ligação de Adrien, só dormindo às 6h da manhã. Ela ainda estava triste, nem queria sair da cama.

- Marinette, não acha que já dormiu demais? – Tikki falou, preocupada. Ela havia dormido cedo, nem reparou que não havia fechado oito horas de sono para a garota. – Vamos almoçar.

Marinette levantou com certa dificuldade, se dirigindo ao banheiro para lavar o rosto. Estava com as pálpebras pesadas e olhos inchado de tanto esfregá-los pelo sono.

- Wow, você não está nem um pouco bem. – Disse Luka, que estava saindo do banho na hora em que ela entrou (sim, ele estava de roupa).

- Desculpe, Luka. – Ela se virou para sair, mas o garoto a impediu.

- Eu estou de saída. – Sorriu. – Mas talvez você devesse dormir um pouco mais.

- Estou bem. – Disse Marinette. Ela estava respondendo tudo em tom robótico, sonolento. Nunca havia tentado virar a noite antes, então seu corpo não estava preparado. Demorava para assimilar o que acontecia a sua volta. – Obrigada.

 

Adrien estava jogando videogame quando se lembrou que ficou de ligar para Marinette na noite passada. “Droga!” Pensou. Ele pegou seu celular e pôs-se a ligar para a garota, mas ela não atendia. Ele pediu para ligar depois, por que queria falar a sós com ela, mas também queria conversar com Luka então ficaram até bem tarde em seu quarto. Foi bom terem aquela conversa, pois o garoto pôde explicar muita coisa, como por exemplo: o porquê de ter atacado Chat Noir na Torre daquela vez. Disse ele que foi por que se irritou ao ver Marinette chorando novamente por causa dele, fazendo Adrien se sentir culpado. Também explicou o porquê de Marinette estar na casa dele. Quando ele foi embora, como havia se passado muito tempo, Adrien acabou esquecendo e foi dormir. Agora não sabia se deveria apenas esperar que ela esteja livre para atender ou se deveria ir pessoalmente se desculpar.

 

- Marinette, seu celular. Você deveria atender. – Avisou Luka.

Marinette correu para o quarto e surpreendeu-se com o nome que apareceu na tela. Ela encarou o celular sem saber o que faria. Por que ele não ligou antes? Deve ter acontecido algo, ou talvez ele só não tenha se lembrado. Mas isso significaria que ele não se importava tanto assim com ela, não é? Ela se repreendeu. Estava fazendo muito caso quando o problema era apenas uma ligação. Será? Ela deslizou a chamada para a esquerda, desligando. Não estava pronta para atendê-lo ainda.

Ela sentiu braços a envolverem, abraçando-a.

- Luka? – Ela perguntou, sem conseguir ver quem era.

- Hummm. – Ela ouviu o que imaginou ser a voz de Chat Noir.

- Você voltou! – Ela riu, feliz.

- Acho que sim. – Ele falou, soltando a garota e a virando de frente para ele. – Sentiu minha falta?

- Claro que senti. – Respondeu, animada.

O garoto sentiu-se mal com o que pretendia fazer. Marinette estava triste com algo quando ele chegou, mas só de vê-lo seu humor melhorou muito. Ele sorriu. Aquela garota o encantava cada vez mais.

- O que te deixou no estado de antes? – Perguntou Chat.

- Eu tive alguns problemas. – Sentiu seu rosto esquentar ao pensar que um desses “problemas” era a falta de seu gato preto.

Chat riu ao perceber a reação da garota as próprias palavras.

- Por muito tempo eu fui seu fã, sabia? – Ele se aproximou o suficiente para sussurrar em seu ouvido, fazendo ela corar ainda mais. Chat mordeu levemente a hélice de sua orelha, disparando arrepios por todo o corpo da garota. – Por que você não se transforma para mim?

Marinette achou estranho, mas mesmo assim fez o que ele pediu. Chat a levou involuntariamente até a parede, em que a prendera no dia anterior. Ele se aproximou e a olhou nos olhos, passando seus dedos pela mecha que caía na frente do ouvido da garota.

- Chat? – Marinette chamou, timidamente.

- O que foi?- Perguntou ele, sem desviar o olhar.

- Luka está em casa. – Ela falou.

- Eu sei.

Ele a beijou de forma demorada e calma, aproveitando para retirar os brincos sem que ela percebesse. Sabia que ela estava sonolenta e não notaria algo assim, só quando já estivesse destransformada, mas não faria diferença já que ela notaria cedo ou tarde. Agora ele havia oficialmente beijado Ladybug e estava prestes a pegar seu miraculous. Não havia alguém melhor que ele no mundo. Ele já havia conseguido retirar a tarrachinha dos brincos sem que ela percebesse, então foi só puxar. Chat se separou da garota, finalmente. Surpreendentemente fácil.

- Mas o quê...? – Marinette viu-se destransformando.

- Desculpe... e obrigado. – Riu, saindo pela janela em seguida.

- Não! – Marinette gritou o mais alto que pôde, enquanto o observava desaparecer entre os prédios.

Ela caiu de joelhos, sentindo-se derrotada. Como pôde deixá-lo tirar seu miraculous?  Como ele pôde fazer isso? Ela sentiu as lágrimas começarem a rolar pelo seu rosto em uma velocidade incrível, desimpedidas. Não por ter perdido o direito de ser Ladybug, mas por ser enganada pelo cara que realmente amou.


Notas Finais


Obrigada por lerem e desculpem-me pelos erros.
Até a próxima! S2!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...