História Feind in Kraft - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Camila Cabello, Jensen Ackles, Kylie Jenner, Selena Gomez, Zac Efron
Personagens Camila Cabello, Kylie Jenner, Selena Gomez, Zac Efron
Tags Brigas, Drama, Homofobia, Jaewon, One
Visualizações 7
Palavras 2.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi galera, tudo de boa?

Cá estou de volta com mais um capítulo, só queria dizer que tá chegando cenas de impacto - pelo menos eu acho que é impactantekkkj. Então, eu fiz umas 10 capas para substituir a antiga, e no fim, eu não gostei de nenhum e fiz uma do mesmo estilo - que é essa que tá na capa. Quem votou no subtítulo foi a clara, alguns podem pensar "ah, mas não tem nada a ver com o conteúdo", galera, essa estória ainda tem muita coisa pra mostrar, e eu to muito afim de mostrar.

Enfim, boa leitura.

Capítulo 6 - Capítulo 6


MARCOS

Olho meu celular, não tinha nenhuma mensagem. De nenhum dos meus amigos, de nenhum familiar, resumindo, não tinha de ninguém. Nem minha própria mãe tinha me mandando uma mensagem, mas eu sei que assim que chegar em casa ela vai estar lá esperando por mim, eu sei que ela se preocupa comigo, ela só deve estar em outra reunião do trabalho. 

Respiro fundo e jogo o celular na mesa, e encosto as costas na cadeira enquanto fechava os olhos. As vezes eu sentia falta de como era antes, mas aquele não era eu, aquilo não era o que eu queria, isso que eu to vivendo é o que eu quero. Ter poder, ter pessoas aos seus pés, ser convidado para todas as festas, ter todas as garotas, isso era o que faltava em mim, essa é uma parte em mim que eu gosto e não quero me desfazer dela. 

A porta se abre e se fecha em um estrondo, dou um meio sorriso irônico. Com certeza é Tracy para falar sobre o nosso plano da conversa ter dado certo, mas no som de salto não ecoava pela sala. Abro um olho e vejo a Isabella para ao meu lado com os braços cruzados, abro o outro olho e ajeito minha postura. 

- Achei que estivesse dormindo. - falou calmamente, descruzou os braços e se sentou na mesa. 

- Bem que eu queria, mas daqui a pouco vou estar indo para casa; Tenho uma festa para organizar. - digo a olhando. - O que te traz aqui? 

- Você sabe sobre o evento que vai acontecer, que dentro desse evento vai ter a competição de dança. - assento e me curvo um pouco para a frente como se estivesse demonstrando atenção. - Precisamos de mais dançarinos homens, e eu pensei se você não poderia pedir para aquele setor que só tem apenas sete pessoas, os que tem o dom da dança. 

- O líder não irá aceitar. - me encosto na cadeira. 

- Ofereça ajuda, diga que se eles participarem, você irá ajudar no setor deles, mas se algum deles querer entrar no setor, aceite. - ela fala simplesmente e balança os ombros. - Ouvi dizer que eles vão a festa pra ver se ganhar um pouco de "reputação", você poderia aproveitar isso. - ela sorriu. 

Sorrio de lado e balanço a cabeça positivamente. - Irei tentar, mas me prometa que mesmo sem eles, você vai ganhar. 

- Claro que vamos. - ela desceu da mesa e ficou entre minhas pernas. - Mas, você tem que acabar com a Luana, quebre algum membro dela para que ela não possa dançar no dia do evento. 

- Se você fosse inteligente saberia que alguma das outras meninas dançaria no lugar dela. - Mack fala entrando na sala enquanto olhava seu celular. 

- A professora e a diretora não aceitaria. - Isa fala saindo de perto de mim e indo pra frente da mesa. - Ou seja, sem líder, sem apresentação. 

- Por que precisa que ela quebre algum membro? Não está confiante em si mesma? - ele perguntando enquanto se aproxima dela. 

- O que não me falta é confiança, meu anjo. - ela fala sorrindo irônica e se vira para mim. - Você pode fazer isso?

- Claro. - ela sorri e sai da sala fechando a porta. 

- Marcos, que merda você tá fazendo? - ele pergunta e eu me levanto da cadeira pegando meu celular. 

- Só conferindo que nosso setor irá ganhar. - balanço os ombros. 

- A gente pode ganhar sem acabar com ela, porra. - ele fala aumentando seu tom de voz e o olho. - Marcos, você sabe o quanto isso é importante pra Luana, rouba os passos dela, rouba a música dela, mas a deixe participar disso.

- Por que está tão preocupado? Está do lado delas agora? - falo e rio. - Só o que me faltava, você, Mack, se fingindo de preocupado com elas. Faz um favor e faça o que você faz de melhor, ficar calado. - começo a andar em direção a porta.

- Eu e você sabe que você não tem coragem o suficiente pra fazer isso. - ele fala e eu paro de andar, me viro pra ele e sorrio.

- Vamos ver. - abro a porta. 

- Marcos, eu acredito que você não quer acabar com o sonho dela, e nem machuca - la. - ele fala e escuto seus passos se aproximando de mim. - Nós dois sabemos que lá no fundo, lá no fundo mesmo, você só quer vê - la sorrir de novo como sempre fazia quando estava com você! - fecho os olhos respirando fundo. - Deixe ela participar disso, apenas, coloque uma câmera na sala de ensaio deles e descubra tudo para fazermos melhor, escolher melhor os passos e as músicas. 

Balanço a cabeça positivamente e abro os olhos. - Tudo bem. - falo e abro a porta. - Você pode cuidar disso, não é? 

- Sim. - ele fala por fim e eu saio da sala. 

Não podia negar o que Mack estava falando, não podia falar que tudo que ele disse era mentira. Eu tenho sim a coragem de passar por cima dela para ter minhas ganancias, mas ele estava certo sobre eu não querer machuca las, não querer vê las triste. Eu ainda me lembro, até hoje, como elas ficaram quando eu finalmente formei o setor e me tornei quem eu sou, declarei guerra contra ela, e eu nunca vou retirar isso, vou passar por cima delas sim para conseguir meus desejos, mas como Mack disse, quando eu tiver que machuca las, eu não vou conseguir fazer isso com minhas próprias mãos. 

22:06, HORA DA FESTA

LUANA

Abro a porta e olho a Clara, ela me olha de cima abaixo e entra no meu apartamento. 

- Não vai mais pra festa? - fecho a porta e a olho enquanto jogava algumas sacolas encima do meu sofá.

- Eu vou. - cruzo os braços e ando até ela. 

- Você ia assim? - arqueio a sobrancelha e olho minhas roupas. 

- Eu vou assim. - reviro os olhos. 

- Qual é, você já teve bom gosto. - disse, e pegou uma sacola me estendendo. - Veste isso e vamos. 

- Por que? 

- Não faz pergunta, apenas vista. - ela pega mais duas sacolas. - Calça esse sapato e coloca esses brincos.

- Não. - ela me olha. - Clara, por que tá fazendo isso? Achei que você não ia pra festa. 

- A gente precisa ir, você precisa ficar até amanhã de manhã na casa, e pra isso acontecer você precisa seduzir um deles, e vai precisar estar sexy. - ela fala balançando os ombros. 

- Por que? - abro a sacola. 

- Porque essa noite pode ser armação, mas a gente tem uma bem melhor. - ela se vira. - Acorde cedo e entre na sala do Marcos, olhe os arquivos, roube o disco rigido dele, e descubra o que ele vai armar. 

- Por que você não faz isso? Sabe que eu não sei seduzir alguém, e eu não estou no ânimo pra transar. - a olho e ela rir. 

- Eu? Eu vou estar beijando o Carlos, e se der certo, talvez a gente transe até de manhã. - ela fala mordendo os lábios e faço uma careta.

- Me poupe dos detalhes. - ela rir ainda mais. - Vai logo se trocar. - pego as sacolas e vou para o meu quarto me trocar.

NA FESTA

A música alta dava pra se ouvir no inicio da rua, assim que chegamos em frente a casa, o gramado estava cheio de latinhas e garrafas de bebida, algumas pessoas se pegando e outras desmaiada de tão bêbadas que estavam - e a festa só havia começado há 42 minutos. Algumas pessoas realmente são muito fracas para bebidas. Assim que entramos, eu e Clara nos separamos, eu teria que começar a armar algum plano pra ouvir algo da reunião e escolher alguém para seduzir antes da metade dessas pessoas irem embora. 

Os únicos que dormiam na casa, era Brad, Mack, Guilherme, Alec e Alisson. Brad e Mack já estava excluído de minha lista, Guilherme também, já que ele não caia mais em meus jogos - Marcos claramente teria aberto sua mente, se eu fizesse isso com alguma de suas garotas ele teria mais ódio de mim. Alisson com certeza é gay, já que ele nunca foi visto com nenhuma garota e só sai com homens, essa é minha conclusão; Então, só me sobrou Alec. O inocente e dócil Alec. Sorrio e vou até o bar pedindo uma bebida. 

Olho para a escada e vejo Carlos, me pergunto se Clara já o viu para começar com sua noite de prazer. Rio com meu pensamento e agradeço pela bebida a virando. 

- Ora, ora, ora, se eu não estou vendo o lado sombrio da garotinha. - fecho a cara assim que ouço sua voz e olho o Brad que estava parado do meu lado. - Ah não, esperar, beber sempre fez parte da sua vida, mas acho que a falta de dinheiro prejudicou isso, não é? - engulo a seco. - Você deve estar se perguntando: "como ele sabe disso?", bem, eu sou ótimo em descobrir coisas. - ele sorrir, olho meu copo vazio.

- Há quanto tempo sabe? - é a única coisa que sai da minha boca, e porra, eu praticamente estou me confessando. 

- Há uns meses, eu acho. - ele fala e o olho rapidamente. - Te assustou, não foi? Eu só estou esperando o momento certo para falar que na verdade você é uma pobretona, sem pai, sem mãe, sem família, resumindo, você não tem nada. - ele vai se aproximando cada vez mais de mim. - Mas eu sei uma boa forma de você ganhar dinheiro. - ele aponta pro meu corpo. - Tem homens que pagaria uma grana preta pra ver seu outro lado, até eu faria isso, porque, como sabe, sou um homem curioso. - ajeito minha postura. 

- Está se oferendo a mim? Acho que suas vadias não ficaria satisfeita com isso. - sorrio de lado. 

- É só eu dizer que você se jogou pra mim. - ele balança os ombros.

- Então não nega que quer ir pra cama comigo? - arqueio a sobrancelha. 

Ele ri e olha para as pessoas da festa e volta a me olhar. - Você também nega? - ele pende a cabeça pro lado. 

- Transar com você é como seu eu estivesse transando com o próprio demônio. - ele ri e segura meu queixo com força. 

- Eu só estou curioso sobre seu outro lado. - ele sorri e dá dois tapinhas no meu rosto. 

Reviro os olhos e peço outra bebida. 

CLARA

Olho ao redor procurando pelo Carlos, e assim que meu olhar para na escada, vejo ele descendo juntamente de algum dos meninos de seu setor. Fico o olhando, ele estava usando uma camisa azul claro com uma calça preta. Ando até a escada e esbarro nele. 

- Ei. - ele me olha e sorri. 

- Você veio! - disse e me abraçou. - Pensei que não viesse. - separou o abraço e colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha.

- Eu meio que tinha que te dar logo o que tava devendo. - sorrio de lado, ele sorrio. - Mas, antes, eu quero fazer uma pergunta. 

- Pode perguntar. - segurou minha cintura. 

- Por que estava vindo lá de cima? Pelo que eu saiba é proibido. - falo olhando no seus olhos.

- É como eu te disse, os meninos do setor queria vir aqui pra ver se ganhava atenção. - ele balançou os ombros. - Mas não era nada que queríamos, então só descemos de novo. - ele se separou de mim e segurou minha mão. - Vamos pegar uma bebida. 

Ele saiu me puxando pela multidão até o bar, pude ver claramente o momento em que Brad se despedia de Luana. Será ele o escolhido? Não, ele não cai fácil em joguinhos de sedução. Me aproximo do balcão e uma bebida forte.

- Opa, vai com calma. Se for beber isso a noite toda vou acabar carregando você no final. - Carlos falou sorrindo. 

- Sendo por você. - falo o olhando, ele se encosta no balcão e sorri. 

Essa noite vai ser ótima.

 


Notas Finais


Galera, eu ia escrever a festa praticamente toda, porém, bateu preguiça, então no próximo capítulo eu conto rsrs. Até o próximo, e ainda vai ter bastante brigas, asdoro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...