História Feito de estrelas


Escrita por:


Sinopse:
[Kaisoo] [+18]
KyungSoo era constelação, todo feito de estrelas. Emanava luz, mistério e magnificência. Alguém com uma alma intocável e inalcançável. Porém, era uma beleza para todos cultuarem. Um corpo que pertencia a quem tivesse capital.

Jongin era um egoísta, sem nenhuma constelação, feito de estrelas mortas, sem brilho, sem nenhum mistério, era apenas Jongin, o simples e comum Kim Jongin. Que queria o brilho de KyungSoo apenas para si, que ele apenas tivesse olhos para si.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 462
Favoritos 117
Comentários 7
Listas de Leitura 10
Palavras 4.721
Terminada Sim
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kai
Tags Chankai, Chansoo, Drama, Estrelas, Kaisoo, Referencias

Fanfic / Fanfiction Feito de estrelas
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Luta, Poesias, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Feito de estrelas mortas
7
462
4.721

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por kailosh
Capítulo 1 - Feito de estrelas mortas
Usuário: kailosh
Usuário
Antes de tudo: cara, eu tô na merda.

É quase inexplicável os meus sentimentos depois de ler esta one-shot, porque, sinceramente, ela acabou de se tornar parte das minhas favoritas, que, por um acaso, são poucas. Mas esta estória, sem dúvida alguma, merece todo reconhecimento possível, pois, se ninguém e nem nada é perfeito, eu digo que isto aqui está pelo menos na lista de coisas indiscutivelmente maravilhosas, ótimas, incríveis e tudo que há de elogios. E, sério, não me interprete como uma completa exagerada, é pura sinceridade.

Eu me deparei com a divulgação desta Fanfic no Facebook e, na verdade, eu não costumo muito ter a atenção roubada por divulgações, fora que o fato de ser também uma KaiSoo era pra ter contribuído para que meus olhos se voltassem pra outra coisa. Quando dei de cara com isto, porém, eu simplesmente tive aquela imensa curiosidade em saber do que se tratava a estória. Tanto pelo título, quanto pela sinopse e capa. E eu não me arrependi. De verdade.

Quanto ao fato de ser KaiSoo, eu juro por tudo que é mais sagrado que esse couple nunca foi um dos meus mais chegados, mas depois de todas as palavras que li aqui, estou shippando JongIn e KyungSoo fortemente. Só não mais que ChanBaek porque é o amor da minha vida. /q

Mas voltando a estória: eu não sei como lidar com isso. Talvez porque sou meio lerda da vida não tenha compreendido de cara o porquê de KyungSoo pertencer a quem tivesse capital, mas vamos pular a parte em que mostro minha burrice. Okay. Continuando: eu amei cada pequena coisa e tudo ficou registrado na minha mente.

Eu nunca imaginei KyungSoo como um prostituto, acho que sempre pensei mais em Kai com um papel assim (por aqueles movimentos na dança e tal, ‘cê sabe), mas a forma como você o descreveu fez com que eu lesse com uma incrível normalidade, sem problema com a criação das cenas na minha mente. Um prostituto, mas tão angelical. E mesmo que seja uma pessoa já existente no mundo real e mais fácil de imaginar por conta disso, eu me apaixonei por seu personagem, moça. Por todos, na verdade. Até mesmo o ChanYeol com suas atitudes repugnantes, mas claro, isso não me impediu de ter ódio dele enquanto lia.

E aí eu simplesmente enlouqueci com o fato de JongIn ser um pintor, se apaixonar por KyungSoo e pintar seus olhos porque agora o conhecia. Eu penso que isso se encaixou tão bem e é tão... não sei, moça, é só inexplicavelmente apaixonante.

Então, depois, eu estava quase querendo atravessar a tela de meu celular para entrar na estória e dar uns belos socos na cara de ChanYeol e um chute onde você sabe bem, mas obviamente eu tive que ter paciência e aguardar por JongIn para fazer isso por mim.

Daí chegou o fim. E eu volto ao que eu disse ao início deste comentário: eu tô na merda. Como no comentário acima: se espera um final trágico, mas foi surpreendente. Na minha memória está perfeitamente a imagem de JongIn lançando um último olhar a Kyung e depois ao céu. E eu não consigo mais esquecer esta Fic.

E então, querida autora, chego ao fim de meu comentário que mais parece uma nova one-shot /n’ E olha que eu nem disse tudo o que eu queria para não prolongar mais. ~ Pois bem, eu nem preciso dizer que amei, não é? Você é uma excelente escritora, mesmo! E eu só tenho a agradecer por ter escrito uma estória tão cativante e maravilhosa assim. Parabéns, de verdade! ♥
Postado por fume
Capítulo 1 - Feito de estrelas mortas
Usuário: fume
Usuário
SOCORRO, ARETHA, EU TE AMO, PQP.



























Como já sabes, desde que me contaste o plot eu ansiava a publicação da história, proibindo-te de me contar o respectivo final porque eu queria ficar surpreendida. Apesar de conhecer algumas circunstâncias que ocorreram, e estar feliz por ter acompanhado o processo de desenvolvimento da narrativa, eu não deixei de ficar surpreendida com o final, que foi simplesmente maravilhoso. Mesmo com a música deprimente a tocar, eu não chorei, mas acredita que ganhei um carinho especial por Feito de Estrelas que veio a crescer nos últimos dias. Só a própria caracterização das personagens já me encanta, com um clima ou uma aura que eu nem sei descrever, apenas imaginar e sentir até à ponta dos dedos. Jongin pintor, é possível imaginar aquela melancolia no estado espírito visível nos gestos, misturados com os vícios ilícitos e a tinta. E essas referências ficaram maravilhosas, esse pintor ganhou a minha atenção após me falares sobre ele quando o descobriste, digamos assim. É realmente agradável imaginar os momentos que o pintor passou com o prostituto, Kyungsoo, que eu imagino com aquele ar de pureza, pele clara, mesmo que não seja nada inocente. É um amor realmente belo, imaginar Kyungsoo deitado com Jongin a pintá-lo foi realmente fácil através da tua maravilhosa descrição (aproveito para elogiar essa parte da tua escrita). Não te perdeste em diálogos desnecessários e apenas abriste as aspas para escrever algo crucial, como aquela explicação. Sem falar da parte sobre pintar os olhos ou deixá-los por pintar, isso tem um significado tão belo que atribui uma certa pureza à relação de ambos assim que Jongin os pinta. Esse poema, voltarei a falar do poema porque eu realmente amei, apesar de que a transição da narração para o poema foi um pouco brusca. Construíste um ambiente um tanto mágico, muito rapidamente mas sem problema algum. Apesar de descreveres apenas certas partes, acho que tanto eu como outros leitores conseguimos imaginar todos os outros pedaços da história que começou entre ambos e que se tornou naquilo que podemos ler. Assim que Chanyeol entrou na história, eu já estava quase com o rosto colado ao ecrã, precisava saber o que me esperava. Mesmo com um spoiler enorme sobre a atitude maldita de Chanyeol, eu ainda senti a revolta e nojo dele, mas confesso ter adorado a sua neura. E eu apenas aguardava que Jongin chegasse, saber se ele o ia matar e depois o casal morrer ou fugir, ou lá o que fosse. E as tuas palavras no kakao ecoavam na minha cabeça e eu aguardava que o pior fosse acontecer. Eu estava tão mergulhada que, quando terminou, isso sim me deu vontade de chorar. Dava para mais, claro que dava, mas é suficiente. Sinto como se tivesse lido uma fic completa, de poucos capítulos, neste pequeno texto. Ah... E esse final, esse tão inesperado final, mesmo que de inesperado não tenha nada, porque algo trágico era evidente.
Eu só fiquei aqui, a controlar a quantidade de sentimentos que senti durante a leitura para concentrar-me no que estava a ler no momento, imaginando tal como um filme. E essa parte do Chanyeol, apesar de iminente (maldito spoiler), eu fiquei chocada e maravilhada (sou louca, sim). Eu adoro imaginar o que leio, enfim. Na minha mente, no filme mental (quê?), tanto a expressão de Jongin como o desespero de Kyungsoo ficaram gravados. Apesar de trágico, foi belo, um final tão lindo que eu só te quero abraçar (e bater também). O céu estrelado, os quadros, o sangue jorrado, as últimas palavras desse último maldito parágrafo e a frase final... Estou destruída, maravilhada, Sehun já foi, agora foi Jongin. O que o amor, que pode chegar a ser doentio após o final, levou Jongin a fazer...

Foi rápido demais, mas nada faltou. Estão aí todos os detalhes necessários em menos de cinco mil palavras que são capazes de deixar leitores rendidos por esta história tão bela. Não é necessário epílogo, o suficiente está escrito, se adicionares mais és capaz de estragar um pouco a magia desta one-shot. Não existem explicações, deixa assim como está. Eu agora posso dizer que valeu a espera, porque eu apaixonei-me logo pela ideia e acompanhar-te quando mandavas mensagens a desenvolver certas partes, ou a dizer que pensaste em algo genial para adicionares à história, fez-me adorar ainda mais o resultado, talvez porque acompanhar o desenvolvimento desta fic pode-se igualar a ver um filho crescer. E eu posso afirmar, estou orgulhosa de ti.