1. Spirit Fanfics >
  2. Felices los 4 - Mark Lee e Seo Johnny >
  3. Se começaram, vão terminar.

História Felices los 4 - Mark Lee e Seo Johnny - Capítulo 12


Escrita por: e Ohopya


Notas do Autor


Boa noite, meus amores.

Como havia prometido, vou tentar postar assim que o capítulo do dia de NC sair. Espero que consiga cumprir o prometido.

Enfim, queria dar alguns recadinhos:

⚡Eu ainda estou no período de experiência nessa questão de poliamor, então não garanto que o meu hot seja MARAVILHOSO. Mas eu prometo ir melhorando.
⚡Se você tiver menos de 18 anos/não for a favor do poliamor, pelo amor de deus, não leia esse tipo de coisa. Não me responsabilizo por nenhuma reação de vocês.
⚡Esse capítulo está iniciando a segunda fase da fic. A partir de agora, as coisas ficarão um pouco mais intensas (isso inclui o sexo kk) e os personagens serão mais desenvolvidos.
⚡Essa fic ta sendo o meu xodó, espero realmente que estejam gostando. Mesmo que eu demore, não me abandonem❤.

Só isso mesmo, boa leitura🎶.

Capítulo 12 - Se começaram, vão terminar.


Algumas horas depois, o grupo se encontrava discutindo no aeroporto. Cansada das farpadas que eles trocavam, Hanna bateu o pé no chão e bufou alto, chamando a atenção dos meninos.

— Vocês podem fazer o favor de parar de discutir? Ninguém sabe que vamos promover na porra da Coréia. — Resmungou irritada, fazendo o grupo abaixar a cabeça e Sophie sorrir orgulhosa. — Decidam no joquempô de uma vez. Daremos 3 minutos e vamos direto para o avião.

Sem deixar uma abertura para discussões maiores, a morena saiu do local, sendo seguida por Johnny, Hyuck, Jaehyun e Taeyong. A manager mais velha segurava a risada e olhava o resto do grupo com o rosto sério.

— Ela falou sério, decidam de uma vez. — A canadense ordenou e viu Mark sussurrar algo no ouvido de cada um dos quatro amigos, logo Yuta fez uma careta, atraindo a curiosidade da mulher. — Já decidiram? Porque eu já estou perdendo a paciência.

O quinteto se virou para ela, todos pareciam levemente tensos com a fala de Mark, mas ela ignorou isso, quando eles correram na direção do embarque.

Quando estavam prestes a entrar no jatinho, a coreana se virou para o grupo e pediu pela divisão finalizada. Rapidamente, o líder se manifestou, fazendo os outros suspirarem de alívio.

— Eu, Yuta e Hyuck vamos juntos. 

Sem que desse tempo de perguntar, Jaehyun toma a frente.

— Eu, Taeil, Doyoung e Jungwoo vamos ficar juntos, também.  — Ele sorri e coloca a mochila em seu ombro direito. — O resto pode ficar junto. Aproveitem esse tempo pra dormir ou conversar, pombinhos.

Sentindo o deboche na voz do cantor, Hanna ameaçou jogar seu livro nele, que saiu correndo e rindo.

O quarteto de cantores ficou no primeiro compartimento, o trio no segundo e o quarteto amoroso ficou por último.

Após todos se posicionarem em suas poltronas, Sophie passou por todo o jatinho, conferindo se estava tudo em ordem. Após isso, ela pegou o telefone que permitia que sua voz saísse por todo o avião.

— Espero que saibam que, independente dessas cortinas estarem fechadas ou não, eu passarei de tempos em tempos por todos os compartimentos. — Ela avisa e ri ao ouvir o resmungo de alguns meninos. — Não me deem dor de cabeça, aproveitem para descansar e, quem sabe, dormir um pouco. Tenham uma boa viagem, amores.

Ela desligou o "interfone" e passou por todos novamente, finalmente fechando os nichos e dando privacidade aos idols.

Quando ela chegou em seu compartimento, viu Hanna mostrando algo para Johnny, que parecia realmente interessado no assunto, e Mark escrevia algo em seu tablet. 

Como o lugar ao lado do canadense estava vago, ela sentou por ali mesmo e apoiou sua cabeça no ombro do jovem.

– Tem problema de eu dormir em cima de ti por uma hora? Depois disso, precisarei ficar acordada, para ajudar os vocês no que for preciso. — Ela indagou e recebeu um olhar confuso do mais novo. — Eles vão ficar quietos por uma hora, pois a turbulência e o nervosismo sobre a volta para casa, vai mantê-los assim. Quando passar, ou eles irão dormir, ou estarão a mil por hora.

Mark rapidamente compreende e concorda com a manager, rapidamente desligando o tablet e a puxando para deitar em seu peito. Sophie colocou o despertador para acordá-la uma hora depois, logo caindo no sono.

Johnny e Hanna estavam se entretendo com algumas fotos do desfile de moda da nova coleção da Prada. Quando finalmente acabaram de ver tudo, eles olharam para o casal, que já estava em um sono profundo.

— Acho incrível como todos ficaram cansados, depois desses dias. — A coreana comentou, sorrindo ao observar os dois abraçados. — John, posso te fazer uma pergunta? 

— Claro, princesa. O que você quiser. — Ele fica tenso, mas finge que tudo está bem e a puxa para perto de si, atraindo seu olhar.

— Você e Mark não vão simplesmente aceitar essas regras e esse namoro não oficial, certo? — Sua voz saia tão calma, que assustou o estadunidense. — Eu conheço o Mark de cabo a rabo, sei quando ele fica incomodado com algo. Então supus que você estivesse igual, já que lança algumas indiretas, às vezes.

O mais alto suspirou e a apertou contra ele, criando coragem.

— É complicado, gatinha…

— Eu sei, mas meu namoro com a So começou assim também. — A morena comentou e riu de suas lembranças. — Ela tem dificuldade em se permitir cem por cento. Por isso é cismada com essas coisas de teste. Então, por favor, não tentem forçá-la, principalmente se for diretamente.

O cantor concordou e decidiu que não contaria seu plano, mas que a deixaria avisada.

— Apenas se deixe levar, ok? Não faremos nada que a faça se sentir mal. — Ele segurou o queixo da mulher e selou seus lábios carinhosamente. — Eu prometo.

O rosto da manager se iluminou de uma forma estranhamente fofa, fazendo Johnny rir e puxar o celular, lhe mostrando coisas do interesse de ambos.


♡゚・。。・゚♡゚・。♥。・゚♥♡゚・。。・゚♡゚・。♥。・゚♥♡゚・。。・゚♡゚・。♥。・゚♥♡゚・。。・゚♡゚・。♥。・゚♥


Quando o despertador de Sophie tocou, o casal acordou meio lento e com a cara toda amassada. Olhando para o lado, perceberam que o olhar de Johnny estava em cima deles. 

Sem ter tempo de ter qualquer reação, o estadunidense levantou o dedo e apertou o botão que chamava a aeromoça, irritando as duas mulheres, que se levantaram e desligaram a luz que a chamava.

— Vocês não entenderam que não podemos chamar essa mulher? Ela não assinou nenhum contrato de confidencialidade, então eu e Sophie teremos que fazer tudo. — A coreana explicou o motivo de suas feições. — Por favor, não chamem a garota, não queremos que haja uma exposição desnecessária.

Sorrindo de forma estranha, o estadunidense concordou e disse que apenas queria uma bebida, coisa que a jovem lhe entregou prontamente.

Quando ambas se movimentaram para seus lugares, o mesmo barulho soou mais três vezes, agora dos outros compartimentos. Sem nem piscar, Sophie correu para onde estava uma parte do grupo, vendo que Jungwoo estava emburrado.

— O que houve, Woo? — A mais velha indagou e rapidamente explicou que ele não poderia chamar a moça. 

— Eu não estou conseguindo dormir, noona. Será que você consegue cantar ou me ajudar a dormir? 

 Seu pedido soou tão infantil, que a mulher apenas riu e concordou, sentando-se no braço da cadeira do cantor.

— Faremos assim, eu cantarei um pouco, depois vou te deixar com o meu ipod com algumas músicas que ajudam a dormir, ok? — Quando o loiro concordou, ela cantou sua música favorita do NCT: Angel. 

Assim que ele começou a se acalmar, Sophie rapidamente colocou os fones no ouvido dele e apertou o play do aplicativo.

— Se precisar de mim, me chame lá atrás, ok? 

Vendo ele concordar, a canadense saiu, e passou para o segundo compartimento, vendo Hanna com dificuldade de acalmar Hyuck e Yuta. Percebendo que sua namorada estava a ponto de explodir e chorar, ela apenas bateu na cabeça dos dois jovens e xingou, fazendo os dois se acalmarem.

— Vocês deveriam respeitar a Hanna, sabiam? — A mais velha rosnou, recebendo um aceno afirmativo em resposta. — Peçam desculpas e digam logo o que precisam.

A dupla olhou para a coreana e beijou as mãos da mesma, a deixando levemente corada. Quando eles explicaram que era para pedir um cobertor para Yuta e Haechan apenas queria atenção, Hanna providenciou o objeto e entregou o tablet de Hyuck para que ele se ocupasse ou tentasse ouvir música para dormir. 

Quando finalmente as coisas se acalmaram, as namoradas suspiraram e começaram a seguir para seu compartimento, de onde saia alguns sons abafados. 

Estranhando a situação, Sophie fechou a primeira cortina e abriu a segunda de uma vez, vendo Mark no colo de Johnny, rebolando em cima de sua pélvis e arrancando gemidos de ambos.

Sem saber muito o que fazer, Hanna empurrou Sophie para dentro e fechou a cortina atrás de si, começando a ficar ansiosa e animada.

— Acho que eles querem se mostrar para nós duas, Boo. — A jovem tentou "acordar" a namorada para a realidade. — O que devemos fazer? Você sabe como eu fico, com esse tipo de coisa.

Johnny – que prestava atenção em tudo – sorriu entre o beijo, mordiscou o lábio do namorado e o forçou contra seu quadril, arrancando mais um gemido dos dois.

Sophie ainda estava chocada com a cena. Sentia seu corpo inteiro em alerta, por saber que alguém poderia ouvir ou chegar ali. Mas, da mesma forma, sua calcinha começava a molhar só de vê-los e de ouvir sua namorada começar a ficar manhosa, chamando sua atenção.

— Angel, que tal você entrar ali? Pode ir, sei que você vai adorar ficar entre eles. 

Sophie caminhou até sua poltrona e apoiou suas mãos na saia de couro, apenas observando os três à sua frente. Hanna praticamente correu até os dois garotos e os cutucou com certa timidez.

— Tem problema de eu atrapalhar esse monumento de beijo, para me juntar a ele e o tornar uma obra de arte? — Ela brincou quando eles a olharam. 

— Quando nós negaríamos isso a ti, gatinha? — O sorriso de John denunciou que era exatamente isso o que ele queria. 

Então Mark puxou os dois em direção a sua boca, iniciando um beijo triplo. A Byun observava tudo maravilhada e excitada, mas sem mover um músculo.

Ansiosa, Hanna separa o beijo e indica para que o rapper faça algo em relação a outra mulher. Assim que ele concordou, ela pulou no colo do estadunidense e se permitiu esfregar contra seu corpo, gemendo necessitada.

Sophie viu Mark caminhando em sua direção como um leão faminto, então apenas o deixou fazer o que tivesse vontade, senão ela tomaria as rédeas e ele faria barulho demais.

— Espero que saiba que aqui você é uma raposinha, a minha raposinha. — O olhar confuso da mais velha sobre a escolha do animal foi explícito, fazendo o jovem rir. — Você é linda e fofa, mas sorrateira e ardilosa, como uma raposa.

Sem que ela pudesse expressar seu sentimento pela comparação, o Lee atacou seus lábios e a levantou levemente, a colocando na mesa ali existente.

Sem que a coreana percebesse o movimento, Johnny subiu discretamente a saia rodada da jovem, apertando e acariciando sua bunda. Quando ela ia comentar algo, o dedo do cantor passou por sua coxa interna e parou bem em cima de sua calcinha, acariciando seu ponto sensível e já pulsante.

— Infelizmente eu não serei capaz de foder as duas juntas, hoje. — Sua voz rouca arrepiou o corpo da mais nova. — Estarei satisfeito com o que podemos fazer por agora… Mark, venha aqui.

Sem nem protestar, o canadense se sentou na poltrona ao lado de John, com Sophie ainda em seu colo. Os dois idols trocaram um rápido olhar e sorriram sapecas.

Era óbvio que eles não perderiam a oportunidade de provocá-las.

Mark puxou o estadunidense para um beijo afoito e, ao mesmo tempo, ambos faziam as managers rebolarem e friccionarem suas intimidades contra eles.

As duas garotas sentiam suas intimidades ficarem cada vez mais úmidas, com a cena à frente delas. Rapidamente, Hanna xingou alto e beijou sua namorada.

Se separando ligeiramente, os dois garotos sorriram e aproveitaram que as mulheres estavam de saia, a puxando para cima, deixando suas intimidades cobertas apenas pela calcinha. 

Sophie usava uma calcinha de renda azul escuro, enquanto Hanna estava com uma lingerie com uma liga rosa. 

Quando as duas perceberam, suas calcinhas foram invadidas ao mesmo tempo. O dedo de Johnny era longo e fino, conseguindo ir fundo na intimidade de Hanna. Já os dedos de Mark eram menores, porém grossos, conseguindo proporcionar uma sensação de preenchimento em Sophie.

Sem perceber, a mais velha segurou forte na cintura da coreana, arrancando mais um gemido da mais nova. John observava tudo extremamente excitado, enquanto Mark parecia estar no céu.

Sem muita pressa, os dois homens faziam elas se moverem e esfregarem contra seus dedos, usando seus dedões para pressionar seus clitóris, proporcionando-as mais prazer.

Sophie, sempre sendo orgulhosa, conseguia manter os sons que lutavam para sair. Hanna nem se importava, soltou gemidos de acordo com o prazer que sentia.

Sabendo que não podiam demorar muito, John piscou para seu parceiro, que entendeu o recado e retirou seu dedo do interior da namorada, assim como o mais velho, deixando ambas irritadas.

— Se vocês começaram, vão terminar. Nem que eu bata na cara de vocês, por isso.  

A pequena coreana resmungou, fazendo Mark soltar uma risada soprada e pedir para Sophie sair de seu colo, coisa que ela fez de forma confusa.

— O que está acontecendo aqui? Se vocês estiverem brincando com a gente, eu juro que…

— Relaxa, Mommy. É que eu ainda não tive a oportunidade de foder a sua linda boceta, assim como Mark ainda não transou com a Hanna. — Johnny a interrompeu rapidamente, acalmando a mais velha. — Vem logo, Sophie. Quanto mais demorar, menos tempo ficará engolindo meu pau.

— Ele tem razão, sabe? A qualquer momento, alguém pode entrar aqui, sabiam? — Sem perder a oportunidade, Mark comentou e puxou Hanna por sua bunda, fazendo ela soltar uma risadinha. — Estão sendo bobas em desconfiar de seus namorados, queridas.

— Não oficiais, só pra deixar claro. — Sophie resmungou, ouvindo um resmungo e levando um tapa forte em sua coxa desnuda. — Ei! Isso doeu, seu filho da mãe.

O estadunidense a puxou pela camisa e a fez ficar de pernas abertas, em cima dele. Suas mãos ágeis retiraram o moletom do corpo da mulher, fazendo o mesmo perceber que ela estava sem sutiã. Ele a encarou incrédulo e ela deu de ombros.

— Viagens me fazem ficar com dor nos seios. — Quando ela ia explicar que Hanna também era assim, ela ouviu o gemido manhoso da namorada. Mark já estava chupando os seios da mais nova.

— Espero que continue usando essas blusas largas, então. Odeio a ideia dos meninos sabendo que você não os usa. — John falou possesso e apertou o seio direito da mais velha, a fazendo fechar os olhos com força e abrir a boca levemente. — Sobre o namoro: Não oficial é o meu ovo. Vocês são meus e eu sou de vocês, acabou.

Quando ela ia responder, o mais alto abriu a própria calça, colocou seu membro para fora e rasgou a calcinha da manager, a encaixando em seu pau rapidamente, arrancando um gemido surpreso da mesma.

— Sabia que você estava segurando essa belezinha. — Ele sorriu e apertou a cintura a morena com força, começando a ditar os movimentos com mestria. — Espero que saiba que essa não vai ser a primeira vez que vamos transar nesse avião, hoje.

Ela sorriu com deboche e rebolou contra seu membro, tirando um gemido rouco do mesmo.

— Espero que saiba que não será tão fácil, então aproveite bem essa vez

 Ela piscou para John e sentiu o jovem a foder com mais força.

Hanna e Mark ainda estavam se provocando e aproveitando cada segundo. O canadense se sentia realizado, com sua boca sugando a pele de sua namorada. Já a coreana estava animada, tentando abrir a calça do jovem, conseguindo finalmente segurar o tão desejado membro.

A mais nova o bombeava com vontade, sentindo o corpo tremer, quando o jovem gemia contra seu peito. Sem que ela percebesse, seu quadril se movia contra o de Mark, esbarrando em seu pau, o deixando ainda mais louco.

Quando Mark não aguentava mais, ele tirou a mão da mesma de seu falo e arrastou a calcinha dela para o lado, a encarando e fazendo um pedido silencioso. Assim que ela concordou, o rapper a penetrou com rapidez e vontade, arrancando um gemido alto da mesma.

Quando Sophie percebeu, as duas estavam de mãos dadas, quicando e rebolando nos falos de seus namorados e delirando com o perigo de serem pegas.

Johnny puxou a mais velha pelo cabelo, colando sua boca em seu ouvido e começando a falar xingamentos e a elogiá-la. Enquanto isso, Mark encostou sua testa na da mais nova e a xingou diversas vezes, apertando sua bunda – já que bater não podia, por causa do barulho –.

— Se você parar agora, Seo, eu juro que te mato. – Sophie tentou soar agressiva, mas sua fala saiu manhosa e arrastada, passando o efeito contrário. — Falta tão pouco.

O mais alto, então, sorriu malicioso e levou sua mão ao clitóris da mulher  o provocando e o sentindo pulsar. A Byun não conseguia segurar as palavras desconexas que saiam de sua boca, muito menos quando saia o nome de Seo Johnny. 

Ao ouvir a namorada gemer e xingar, Hanna cravou as unhas em Mark, se sentindo ainda mais excitada e molhada. Quando percebeu isso, Lee a ajudou a se movimentar com mais força e rapidez, junto com mordidas e chupões em seu corpo.

As mãos das jovens continuavam unidas e ficavam cada vez mais brancas, de tamanha a força que era depositada nelas. 

Johnny sentiu o corpo da mais velha tremer sobre ele e soube que ela não se seguraria. Então a puxou para um beijo profundo e, no meio do ósculo, o interior dela se contraiu contra seu pau, fazendo os dois gozarem juntos. 

O gemido de Sophie fora contido pela boca do cantor, mas não impediu que saísse alto, coisa que atiçou Mark que ficou à um fio de gozar.

Sem ter muito o que fazer, ele levantou o quadril de Hanna e forçou o dele várias vezes para cima, adentrando de maneira bruta o interior da mesma, coisa que a fez gozar fortemente.

Assim que seu orgasmo e a tremedeira pararam, Hanna voltou a se movimentar de forma precisa contra Mark, puxando seu cabelo e mordendo seu pescoço, coisa que o fez gozar rapidamente.

Quando todos pararam finalmente para descansar, pois o ar fica rarefeito naquela altura, Sophie percebeu que sua calcinha não existia mais. Ao invés de reclamar, como normalmente faria, ela apenas se ajustou no colo do namorado e sorriu sacana.

— Falou tanto sobre eu estar sem sutiã, mas acabou de me deixar sem calcinha perto dos meninos, pelas próximas 20 horas. — Ela falou satisfeita com a feição de desespero do garoto. — Espero que saiba que a culpa é toda sua, Daddy.

Ela beijou os lábios dos dois garotos e puxou Hanna para o banheiro, para que pudessem se arrumar devidamente. Antes que elas começassem a se arrumar ou colocar alguma peça de roupa, a mais nova foi ágil e puxou a mais velha para uma beijo, se deixando ser pressionada contra a porta.

Quando elas iam avançar, a voz manhosa de Hyuck se fez presente no lado de fora, o que fez as duas bufarem e se afastarem contra sua vontade.

— Mais tarde, você me aguarde na minha poltrona, que eu ainda não acabei com você. — A canadense ordenou, segurando o queixo de Hanna com firmeza. Ao ver a namorada afirmando que a obedeceria, ela sorriu e beijou seu lábio com carinho. — Boa menina.

Elas se arrumaram rapidamente e saíram do banheiro, encontrando tudo no lugar. Hanna foi se sentar no banco designado pela namorada, apenas esperando por sua volta.

Sophie sorriu e seguiu rapidamente até o compartimento da frente, parando ao lado de Haechan e cruzando os braços.

— Posso saber o motivo de você atrapalhar meu momento com a minha namorada, Donghyuck?


Notas Finais


O que vocês acharam? Sei que não deve estar a melhor coisa do mundo, mas me esforcei.
Se tiverem qualquer dúvida, não é para hesitar em comentar ou me mandar um direct.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...