1. Spirit Fanfics >
  2. Felicidade Mórbida >
  3. Capítulo único

História Felicidade Mórbida - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Salute, meus bons ninjas. Estava guardando essa one-shot a alguns dias e finalmente estou postando.

Ela não é uma fanfic narusasu/sasunaru com tantas insinuações. Ela vai falar mais sobre a amizade e rivalidade dos dois. Se passa na época do clássico! Então, fiquem tranquilos: não vai ter nenhuma insinuação sexual nessa fanfic.

A capa (linda) foi feita pela maravilhosa @Kyaaasea. Ela tirou um tempinho para fazê-la e eu quero agradecer! Créditos ao trabalho maravilhoso da mesma. Obrigada!

Espero que tenham uma boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo único


Eles tinham treze anos quando aconteceu.


Era uma semana calma em Konoha, não havia muitas missões importantes para o Time 7. Visto esse fato, Kakashi os instruia em novas técnicas de combate que poderiam ser úteis no futuro (ele esperava que, com o exame chunnin próximo, seu time tivesse uma chance nas lutas corpo-a-corpo). O Hatake era um professor muito exigente, portanto, seus alunos já estavam cedo no campo de treinamento. Naquela semana, eles treinavam taijutsus e movimentos com kunais e shurikens. Kakashi estava ensinando-os a como concentrar o chakra em uma arma e a torná-la mais capacitada para ferir seu adversário. Eram aqueles poucos momentos que Sasuke reconhecia que seu treinador e seu time eram úteis para ele.


Naquele dia em específico, o Uchiha decidiu que chegaria mais cedo no campo (antes que seus colegas e professor). Ele havia conseguido, no dia anterior, depois de três dias de treino, concentrar o chakra na kunai e exercer o movimento de lançamento com êxito, provocando em seu rival e colega de time um resmungo irritado. É claro que Sasuke não perdeu tempo em insinuar humilhações, provocando concordâncias em Sakura, que parecia muito emocionada com a vitória do Uchiha.


O garoto havia conseguido transferir o chakra para uma kunai de tamanho médio, o que não era muito, mas ainda sim, era uma vitória e ele estava um passo na frente de Naruto. Como o shinobi barulhento que era, o loiro lhe xingou e tentou fazer o mesmo, falhando no processo. Uzumaki tropeçou em seus próprios pés, a shuriken voou ruidosamente (sem o chakra, pois ele, é claro, se esqueceu dessa parte) e quase acertou Kakashi, que desviou a tempo. O professor lhe deu uma bronca e Sakura verbalizou que Naruto era burro demais para entender a hora de parar.


Sasuke havia ficado quieto, mas após a frase da colega de time, ele se sentiu um pouco mal pelo rival. Naruto ficou de castigo o resto do dia de treinamento, mas não menos irritante. Sempre que tentava fazer um movimento, o loiro bufava e zombava de suas técnicas. Então, o olhar de Sasuke sempre acabava em Naruto, que estava sorrindo como sempre e brilhando na luz do Sol, como se fosse um raio solar que ganhou vida. Foi em uma dessas distrações que Sakura lhe acertou um chute no estômago.


Mas aquilo havia sido uma distração boba provocada por Naruto e sua personalidade barulhenta. Naquele dia, Sasuke garantiria que estaria muito à frente do rival em suas técnicas shinobis.


No entanto, chegando no campo de treinamento, o moreno teve uma visão confusa.


Naruto estava lá. Junto dele, estava Asuma, um ninja mais velho que suspirava de modo orgulhoso enquanto olhava o loiro um pouco mais a frente exercer seu treinamento. Sasuke resolveu ficar onde estava, completamente escondido do professor que mantinha os olhos em Uzumaki e fumava um cigarro tranquilamente. Sasuke tinha um rosto franzido enquanto ouvia a conversa dos dois:


— Você se superou bastante. — disse de modo relaxado. Naruto coçou a cabeça com seu típico sorriso. — Mas Kakashi não está gostando nada de suas atitudes, sabe disso, certo?


— Nee, Asuma-sensei… o Kakashi-sensei entende os meus motivos. — Naruto pegou uma shuriken de duas pontas, do tamanho de seu braço. — De novo?


— Sim. Mas apenas essa. Nosso tempo está acabando e daqui a pouco o seu time chegará. — Asuma se afastou um pouco e gesticulou para Naruto de maneira entediada.


Sasuke arregalou quando o colega de time conseguiu concentrar o chakra na arma sem muita cerimônia e a lançou, acertando um dos troncos que rachou ao meio.


O que… O que aquilo significava?


Naruto sabia exercer a técnica? Mas como? Ainda no dia anterior, ele mal conseguia segurar uma shuriken média sem tropeçar. Como aquilo era possível?


— Bom, bom… acho que meu trabalho termina aqui, certo? — Asuma sibilou de forma calma. — Tente não matar ninguém. — brincou e assistiu Naruto se jogar na grama com um rosto relaxado e feliz.


— Obrigado por me ajudar nisso, Asuma-sensei. — agradeceu e assistiu o professor se distanciar.


— Arrume a bagunça, Naruto-baka!


O Uzumaki não ficou irritado ou barulhento com o apelido. Na verdade, ele apenas riu ruidosamente e continuou olhando o céu. Quando Sasuke percebeu que o ninja mais velho se distanciou, ele achou uma boa hora para aparecer e questionar o colega do que aquilo significava.


Ele estava treinando sozinho? Isso era injusto!


— Usuratonkachi! — Naruto pulou de seu lugar com os olhos arregalados. Ele olhou alarmado para a kunai presa ao tronco e depois para Sasuke. — Eu vi você e o ninja mais velho aqui!


— Sasuke, isso-


— O que é isso?! Você anda treinando sozinho?! Kakashi sabe?! — o Uchiha rosnou e Naruto se afastou.


— Eu apenas pedi ajuda, Teme! — ele disse raivoso. Sasuke jogou suas coisas no chão e estreitou os olhos.


— Há quanto tempo saber concentrar chakra nas armas?!


— Há mais de um mês. — Naruto murmurou, se afastando e indo retirar a arma da árvore. Sasuke ficou parado em seu lugar com um rosto surpreso.


— Se sabia fazer a técnica, então porque não fez ela antes? O que estava esperando? — perguntou. Se fosse ele, é claro que faria a técnica no primeiro dia de treinamento e encheria seu ego por isso.


— Não é dessa forma que quero que as pessoas me enxerguem. — Naruto disse de maneira séria, tirando a kunai do tronco e jogando-a no chão. — Eu quero ser forte, mas não quero humilhar as pessoas por saber mais. Quero que elas se sintam inteligentes perto de mim e avancem, mesmo que para isso eu tenha que me sair como burro.


— Porque…? Eu não entendo. — pela primeira vez, Sasuke parecia encurralado em uma conversa complexa e sem sentido. Naruto sorriu, como sempre fazia. O Sol pousou nele, dando a impressão de que ele era um raio solar vivo.


— Como se sentiu quando conseguiu fazer a técnica antes de mim? — perguntou.


— Eu me senti poderoso e feliz. — admitiu. Aquela foi uma frase estúpida, mas a mais sincera que Sasuke dizia em anos.


— Exato. Eu quero que as pessoas se sintam felizes, nem que pra isso, a felicidade delas seja em caráter do meu fracasso. 


— Isso é... Eu te humilhei! Você foi punido por Kakashi! Sakura lhe humilhou! — Sasuke avançou um passo com as mãos fechadas e os olhos brilhando de ódio. — O que pensa que está fazendo, imbecil?! O que esperava com tudo isso?!


— A sua felicidade. — o loiro disse simples e se sentou na grama, olhando para o chão enquanto arrancava alguns raminhos de planta. — Eu notei o quanto você fica feliz quando me supera em algo. Você é o único amigo que eu tive e eu não sei se há algo que te faça feliz sem que seja eu ser humilhado por você. Você sempre é todo quieto e melancólico e eu não gosto disso. Por isso, eu finjo que não sei fazer coisas simples, como jogar kunais ou andar na água ou até mesmo fazer simples movimentos de taijutsu. Eu espero você aprender primeiro, pois é o único momento que o vejo ficar feliz de verdade. Seu rosto de realização me deixa feliz também.


— Porque diabos você faria isso?! O que… — Sasuke sentia vontade de vomitar. Ele podia se lembrar de todas as vezes que chamou Naruto de estúpido e o humilhou na frente da equipe.


Aquilo estava errado. Tão errado, que Sasuke queria socar Naruto com todas as forças que tinha. Desde quando o loiro fazia aquilo?


— Eu não queria contar isso pra você, Sasuke-teme. — o menino retirou uma pequena flor do chão e a encarou um pouco, com seu sorriso largo. — Você é meu amigo, e a gente não fica na frente ou atrás dos amigos. Ficamos lado a lado. — ele jogou a flor no chão. — E eu quero te pedir desculpas por uma coisa.


Sasuke engoliu secamente. 


— Peço perdão por dar a entender que sempre tento atrapalhar seu desempenho nas missões. Não faço de propósito. — comentou. — Eu tento… eu tento entender seus planos, suas técnicas, para conseguir executar de maneira correta. Tento ganhar tempo para você, mas nem sempre sai de maneira como queremos, certo?


Ganhar tempo…


Todas as vezes que Naruto entrava na luta de Sasuke sem ele pedir. Todas as vezes que Naruto atacava seu inimigo inesperada. Isso dava para o Uchiha tempo suficiente para descansar, se recuperar e planejar um novo ataque, mas ele nunca contava nada para Naruto, pois achava que ele iria atrapalhar novamente.


Contudo, ele não estava atrapalhando. Estava protegendo-o. Era uma distração perfeita. A estratégia mais antiga, escondida nas sombras de uma personalidade barulhenta e falsamente idiota, e o Uchiha nunca percebeu, cego demais pelo seu ego enorme.


Naruto ganhava tempo para que Sasuke pudesse vencer suas batalhas. Todas elas.


— Baka… — ele murmurou com a voz tremida. Naruto sorriu para o xingamento. — Como você ousa…


Sasuke não notou que estava chorando.


— Sasuke, eu-


O Uchiha avançou, desferindo um soco em Naruto. O loiro se curvou de dor enquanto o moreno tremia.


— Eu é que tenho que te pedir perdão, seu idiota! — gritou com a mão fechada. Naruto o encarou com os olhos marejado pelo soco que levou. — Todo esse tempo, eu o humilhei, quando você tinha intenções boas. Eu sou o imbecil, o idiota, o burro!


— Sasuke, pare com isso! Não se chame dessa forma! Eu não permitirei que você se chame assim! — o loiro gritou de volta, mas Sasuke agora não pararia.


— Você deveria me odiar e não me pedir desculpas como se todos os meus problemas fossem por sua culpa! Você deveria estar planejando me matar e não estar me chamando de amigo! — berrou, os olhos vermelhos pelo sharingan ativado sem notar. Naruto se recompôs, andando até o Uchiha, que agora limpava as lágrimas do rosto de maneira furiosa.


Ele se odiava. Sasuke tinha tanto ódio e agora esse sentimento, além de ser direcionado para Itachi, também era para si mesmo.


— Eu estraguei tudo, né? — Naruto perguntou baixinho. Sasuke o olhou, visivelmente surpreso por aquela nova face de seu rival ser mostrada.


Ele parecia frágil. Nada como o Naruto barulhento e elétrico que era.


— Eu que estraguei tudo, Usuratonkachi. — falou singelo e se jogou no gramado, com um rosto sério. Ele fungou por culpa do choro, mas sentiu que Naruto se aproximou e se sentou ao seu lado.


— Me desculpe.


— Pare de pedir desculpas! — falou irritado, rolando os olhos. — Naruto? Que merda…?


Naruto fungou. Era ele que estava chorando agora.


— Eu não queria magoar você, Teme. É só que…


— Cala a boca, Dobe. — Sasuke, por impulso, puxou Naruto para um abraço.


O loiro sentiu o mundo ficar em câmera lenta. O que ele deveria fazer? Como ele deveria reagir? De olhos arregalados, devolveu o abraço, que durou alguns longos segundos. O Uchiha foi o primeiro a se afastar, mas ele já tinha aquele rosto sério e marrento de sempre.


— Nunca mais faça isso. Nunca mais pense que a para alguém ser feliz, você precise sofrer. Eu não fico feliz com sua humilhação. Eu falo essas coisas pois quero que você reaja de volta e chegue ao meu nível! — disse severo e se levantou. Naruto o observou contra o sol, ele estava sorrindo de lado. — Eu quero vê-lo ficar forte, usuratonkachi. Se você viver sua vida fingindo ser um estúpido, eu jamais irei enxergar você como um rival que possa ser digno de lutar comigo.


Sasuke estendeu a mão e Naruto abriu um sorriso tão lindo que o Uchiha percebeu que o Uzumaki não era um raio solar, ele era o próprio Sol. Animado, ele aceitou a mão do moreno e se levantou, parecendo esquecer a discussão que tiveram.


— Eu prometo que vou fazê-lo me ver como um rival digno! — o loiro parecia voltar a ser barulhento como antes. Sasuke sorriu desafiador, enquanto o amigo tagarelava e o puxava pelo campo com o intuito de pegar as armas que estavam espalhadas.


O moreno encarou as mãos entrelaçadas e sentiu um outro tipo de felicidade. Era diferente da felicidade mórbida que sentia ao superar Naruto em alguma coisa; era diferente de qualquer coisa que ele havia sentido. Abaixou a cabeça e deixou seus fios negros cobrirem um pouco seu rosto enquanto sentia-se corar com aquela nova sensação.


Eles só soltaram as mãos quando Sakura chegou. A rosada os olhou confusa, mas antes de poder dizer qualquer coisa, Kakashi chegou logo atrás com os olhos presos em seu livro. Em uma conversa muda, os dois prometeram para si mesmos que iriam estar lado a lado, e quando o loiro fingiu ainda não saber o movimento com as armas por conta de Sakura, Sasuke fingiu errar também, apenas para mostrar que ele não iria viver a sombra da humilhação de seu rival.


Notas Finais


Salute! Agradeço a leitura. Caso queiram ler outra história minha, segue os links:

Fogo Crepitante (KakaIru): https://www.spiritfanfiction.com/historia/fogo-crepitante-19686155

Olhos de Fogo (TobiIzu): https://www.spiritfanfiction.com/historia/olhos-de-fogo-19791996

Nos vemos em uma próxima vez! 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...