História Felicidades de inverno - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Taegi, Vgi, Vsuga, Yoonland, Yoonv
Visualizações 33
Palavras 2.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


quem é vivo sempre aparece :D

Boa Leitura!

Capítulo 2 - Run


Fazia horas que Min Yoongi estava na frente daquele computador, na verdade, gritando na frente dele. Estava jogando desde as duas da tarde – já se passava das dez da noite – com seus amigos virtuais, e praticamente não viram o tempo passar.

— Galera, esqueci de contar para vocês, aconteceu algo estranho comigo hoje. — Yoongi anunciou, no meio da ligação. Rindo um pouco. — Meu professor hoje falou comigo depois da escola, dizendo que eu sou muito isolado, e o Taehyung me acompanhou até em casa por causa que ele me atropelou.

Seokjin e Namjoon caíram na gargalhada nessa ultima parte, fazendo também, Yoongi rir junto com eles.

— Mas espera, como assim seu professor conversou com você sobre ser isolado? — Namjoon falou, no mesmo momento em que ele conseguiu matar um cara do time rival.

— Nam, você sabe que eu sou praticamente invisível ali, não faria diferença se eu falasse ou não com alguém. — nesse momento, Yoongi acabou de ser morto. — A única coisa que ele não sabe, é que eu não ligo para isso.

— Temos uma revolução aqui, Min Yoongi não se importa em ficar sozinho na escola. — os três riram.

— ‘Tá, mas e o garoto que te atropelou? Como foi isso? — Seokjin perguntou, voltando ao assunto.

— Foi quando eu estava voltando para casa, perdi o ônibus e do nada ouvi alguém gritando ‘pra eu tomar cuidado, mas quando fui ver, já estava no chão.

— E você conhecia o guri? — Namjoon perguntou.

— Seria estranho se eu não conhecesse... ele é do tipo popular, sabe? Mas não aquele que é babaca e tudo mais, ele só é conhecido na escola por fazer todo mundo rir. Quando é em sala de aula, ele as vezes faz uns comentários tão idiotas que... até o professor não resiste.

— Ah, já entendi. Tem um monte desses palhaços lá na sala, mas no caso, eles são uns babacas mesmo.

Seokjin e Namjoon eram de cidades diferentes, o mais velho era de Gwacheon, e Namjoon de Ilsan. Os três acabaram virando amigos por conta das partidas de jogos online, enquanto estavam no mesmo time. Depois disso, Namjoon criou um bate papo com os outros dois, perguntando se queriam jogar uma partida com eles juntos novamente. E foi assim que surgiu a amizade.

Yoongi ouviu batidas na porta, e ele já sabia quem era. Gritou dizendo que ele poderia entrar. Era apenas Seokmin avisando que estava tarde, e que ele precisava ir dormir para não se atrasar na escola. O Min apenas concordou, dando por encerrada a partida, e desligando a chamada com os amigos.

[...]

O de cabelos verdes estava novamente naquele ônibus, e a cada parada que ele dava, sua vontade era de sair e ir correndo para a casa. Ficara observando todo o caminho para a escola olhando através da janela. Ninguém se sentava ao seu lado, portanto, não se preocupava se alguém iria atrapalhar sua música.

Apesar de estar de fone, conseguiu escutar a algazarra que se formou, e logo sentiu alguém sentado ao seu lado. Yoongi obviamente se assustou, tanto que até tirou os fones e olhou para o lado, vendo que era Taehyung que estava ali, e ainda sorria para si.

— O que ‘tá fazendo aqui? — perguntou Yoongi, confuso, já que ele nunca ia de ônibus.

— Bom dia para você também, Yoongi. — tirou a touca do outro e bagunçou os fios esverdeados. — Eu ‘tô aqui porque minha bicicleta quebrou, então não tive outra escolha a não ser vir por aqui.

— E por que se sentou logo do meu lado?

— Por que eu não sentaria? Somos amigos agora.

Yoongi franziu o cenho, mas preferiu não falar nada. Ajeitou seu cabelo que fora bagunçado por Taehyung, e pegou sua touca de volta, colocando-a em si. Conseguia ouvir o Kim conversando com algumas pessoas ao seu lado, e também ouviu quando perguntaram quem era que estava do lado dele. O Min não os julgava, afinal, ele também não sabia quem era mais da metade dos estudantes daquela escola.

Chegava até ser engraçado, pois tudo naquela escola era padrão demais, e quando chegara com os cabelos verdes, quase ninguém notou. E foi aí que percebera que era um completo invisível em sua escola. Parece até um titulo ruim, mas Yoongi gostava. Gostava de ficar sozinho e ter privacidade, e só pelo fato de passar despercebido pelas pessoas, já estava de bom tamanho.

Quando o ônibus parou em frente ao colégio, colocou sua mochila nas costas e saiu rapidamente. Ouviu Taehyung lhe chamar, mas não parou, apenas continuou andando apressadamente até sua sala. Não o entenda mal, mas Yoongi gostava de ficar sozinho, e com o Kim em sua cola, ele não sabia o que fazer se não fugir, mesmo que não soubesse exatamente o motivo de estar fugindo.

Pensou no que seu professor lhe dissera ontem, mas com Taehyung, isso estava fora de cogitação. Sabia como as coisas funcionavam por lá, quando você vira amigo de um popular, todos passam a querer saber mais de você, querendo ser seu amigo ou sentar com você no intervalo, e bom, isso era a ultima coisa que Yoongi queria.

Quando chegou na sala de aula, sentou-se na mesma cadeira que ontem, lá no final da sala. Soltou um suspiro por já estar ali, então voltou a pegar seus fones de ouvido, e os colocou, esperando o professor chegar. Não demorou muito para os outros alunos entrarem, e logo a sala de aula ficar barulhenta por conta dos alunos que não sabiam conversar baixo. Mas logo essa algazarra foi interrompida pelo professor de matemática, que anunciou sua entrada e todos ficaram quietos.

Yoongi não prestou atenção em nada, como sempre. Ficou ocupado demais perdido em seus pensamentos, olhando para a janela e não vendo a hora de ir para a casa. Do outro lado da sala, Taehyung o observava. Sentia que o mais velho era uma pessoa muito interessante, e iria correr atrás de sua amizade. Não entendia o motivo de todos o ignorarem, afinal, ele tinha cabelos verdes menta! Ele estava dando cores a uma escola que estava fadada ao preto e branco.

[...]

Na hora do intervalo, caminhou até o pátio e se sentou perto de uma arvore, apoiando suas costas no tronco. A esse horário, a fila da cantina estava enorme, e o Min nunca agradeceu tanto aos seus pais por não o deixar depender da comida de lá.

Tirou o sanduiche da sacola, pegou o livro que tinha alugado da biblioteca e o abriu, comendo um pedaço do seu lanche. Geralmente costumava ficar no celular no intervalo, mas por este estar descarregado, decidiu voltar a ler um pouquinho. Faz dois anos que ele não pegara num livro para ler, não depois que começou a jogar.

— Achei você!

Yoongi tomou um susto, e logo reconheceu a voz. Taehyung se sentou ao seu lado, e o Min, mais uma vez, respirou fundo. Não teria mais paciência para ler agora, na verdade, não conseguia ler quando alguém estava ao seu lado. Se sentia incomodado.

— Você tem habito de leitura? Admiro quem tem. Único livro que eu li eu nem lembro mais o nome, mas sei que era do... John Green! — Taehyung disparou.

— John Green? — olhou para o mais novo, e deu uma risada baixa. — Não curto muito as estórias dele, digamos que ele siga um padrão muito obvio.

— Um padrão? Como assim? Eu achei a história bem interessante, queria saber o nome para poder ler de novo.

— Eu li... quatro livros dele. Os mais famosos, digamos assim... li Quem é você, alaska?, Cidades de papel, A culpa é das estrelas e Teorema de katherine. Certo, eu não cheguei a terminar de ler ‘cidades de papel’ e nem ‘teorema de Katherine’ mas li o bastante para perceber que: todos esses filmes segue um mesmo padrão.

Taehyung encarava Yoongi com curiosidade, esperando que ele continuasse. Era como se ele estivesse em uma sala de aula, e o assunto estivesse interessante demais para os alunos mudarem o foco.

— Um garoto feio, possivelmente nerd, que tem algum marco em sua vida, mas não algo trágico ou algo do tipo, é apenas alguma coisa que ninguém liga. Conhecem alguma menina muito linda, misteriosa, cheia de teorias em sua cabeça e que não parece que está “aí” para alguma coisa da vida. Mas o pior não é isso, pois esse é o típico clichê que quase todos os adolescentes gostam de ler. O pior é que: quase nunca tem um final feliz. Qual é, nós lemos um livro para nos livrar da realidade e pensar na possibilidade de um fim feliz apesar de tudo, se quiséssemos ler algo que retrata a realidade, leríamos uma biografia.

O mais novo concordou com Yoongi, pensando bem no que ele acabou de dizer. Não tinha paciência para ficar lendo, mas certamente não queria ler algo triste. O sinal tocou, e os dois se levantaram, caminhando até a sala de aula enquanto falava sobre algo aleatório. Aquilo, de certa forma, atraia os olhares das pessoas, que se perguntavam: “quem é esse esquisito que está do lado do Taehyung?” mas nenhum dos dois estavam realmente ligando para isso.

O resto da aula passou até que rápido, já que o assunto era algo interessante, e foi como se o tempo voasse – diferente de como normalmente era. Assim que o sinal tocou, Yoongi arrumou suas coisas e andou rapidamente até a saída. Não queria ter outra conversa daquela com outro professor, e por causa disso, acabou esbarrando em alguns alunos.

Quando chegou no ponto de ônibus escolar, suspirou aliviado. Muitas pessoas começaram a chegar, e acabou virando a algazarra que sempre era. Mas não os culpava, os professores o forçavam a ficarem calados por mais de cinco horas – com exceção os intervalos – então entendia a euforia deles quando batia o sinal para ir embora.

Enquanto o ônibus não chegava, Yoongi via os primeiros flocos de neve cair. Já era inverno, e não tinha outra estação que ele amasse tanto quanto o inverno. Gostava de ficar no calor de sua casa, assistindo um bom filme e bebendo chocolate quente, como seu pai sempre fazia quando estavam em casa. O Min achava que essa estação do ano fora feita para aproveitar o aconchego de casa, e quem sabe, dormir umas horinhas a mais quando não tivesse aula.

Seus amigos, pelo o contrário, não ficavam muito em casa quando estava nesse período. Costumavam sair muito, e sinceramente, Yoongi não os entendia, e nem estava disposto a entender. Tinha que ser uma alma muito boa para lhe tirar de casa nessa época. Faltava apenas uma semana para se ver livre daquela escola, e aproveitar esse mês de férias de inverno para fazer grandiosos nadas dentro de casa.

O ônibus finalmente chegou, e como sempre, Yoongi foi o primeiro a entrar, sentando na primeira fileira. Tratou de colocar logo os seus fones, enquanto os outros também subiam. Mas, da mesma forma como teve sua música interrompida mais cedo, fora interrompido agora. Era novamente ali, Taehyung, sorrindo daquele mesmo jeito único que tinha. Um sorriso quadrado.

— Você está me seguindo, não é?

— Hum... não chamo isso de seguir você, mas queria me desculpar apropriadamente por ter atropelado você ontem. — Yoongi franziu o cenho.

— Mas eu já te desculpei, Taehyung. Não estou machucado, como pode ver.

— Mas não é só por isso que eu vim atrás de você. Te achei uma pessoa legal, e queria saber se você queria ser meu amigo.

O mais velho parou a musica. Não tinha certeza do que ouvira. Alguém como o Taehyung, que era basicamente o centro das atenções, que tinha vários amigos espalhados pela escola, queria ser amigo de alguém como ele? Que o tratavam como se fosse invisível? Isso só poderia ser brincadeira, pensou.

— Olha, não sei se isso é uma boa ideia, fora que eu prezo muito pelo meu momento sozinho, e agora que essas férias estão chegando, vou apenas aproveitar para ficar em casa sem ninguém vir me perturbar. — o Kim arregalou os olhos, como se tivesse escutado uma coisa absurda.

— Você não sai de casa quando está de férias?

— Hum... não?! Taehyung, estamos no inverno, você acha mesmo que eu vou sair para algum canto num frio desse?

— Meu deus, eu não acredito nisso...

O Kim não conseguiu completar sua fala, pois logo a hora de descer do Yoongi chegou, mas Taehyung o acompanhou. Não se importava em ter que andar mais um pouquinho para chegar em casa, iria convencer Yoongi a sair consigo durante esse período de férias, e faze-lo perceber que inverno não é só ficar em casa.

— Yoongi, espera! — segurou o braço do outro, que parou de andar abruptamente. — Olha, vamos fazer um acordo... eu sei que você gosta de ficar sozinho, mas se você aceitar sair comigo esses dias e deixar eu te mostrar como o inverno pode ser três vezes mais divertidos do que ficar em casa assistindo filme, eu te deixo em paz quando voltar as aulas e me contento que fui desculpado por ontem. Aceita?

O de cabelos esverdeados pensou muito naquela proposta. Não queria gastar seu precioso tempo para poder ficar mais horas em casa – o que também significava, mais horas jogando – mas, era apenas um mês. Depois disso poderia voltar para a sua zona de conforto.

— Está certo, mas só depois que as aulas terminarem.

Taehyung abriu um sorriso imenso, e bagunçou os fios verdes do outro, dizendo que não iria se decepcionar. Yoongi soltou uma risada fraca, e quando abriu a porta de sua casa, deu de cara com seu pai. Eunjae.

— Quem era aquele garoto? — seus olhos transbordavam curiosidade.

— Ah... um amigo. — respondeu meio sem jeito. Os olhos de Eunjae praticamente brilharam quando escutou aquilo.  

— Amigo? Por que não chamou ele para vir almoçar com a gente? — Yoongi apenas revirou os olhos, ajeitando sua mochila nas costas e caminhou até as escadas.

— Estou subindo, pai. — e com isso, foi direto para seu quarto, onde iria deitar e tirar seu cochilo, mesmo sem ter almoçado ainda.


Notas Finais


comentem o que acharam, é muito importante para mim saber a reação de vocês u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...