1. Spirit Fanfics >
  2. Feliz aniverssauro >
  3. Parte 1: 23 de Março

História Feliz aniverssauro - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


SURPRISE KDKKXKCKKDKFKKKKK
aposto que você me jogou umas pragas por não ter te dado feliz aniversário, confesso que não tava afim mesmo, você já me conhece o suficiente, mas ainda não é meia-noite e 15 anos são um marco pra alguma coisa importante ou não, você que decide a relevância. Espero que adquira mais experiência de mundo e não espere muito dos outros e bora trabalhar nessa evolução pokemon!! Gosto muito de você, fique bem, beba água e lave bem as mãozinhas. Evite abraços e beijos, são desnecessários. 😊

Ps: a capa é zoada mesmo

Capítulo 1 - Parte 1: 23 de Março


Fanfic / Fanfiction Feliz aniverssauro - Capítulo 1 - Parte 1: 23 de Março

Naquela manhã Yoongi amanheceu sem os gritos dos vizinhos barraqueiros e tampouco sentiu o cheiro insuportável de cigarro que seu irmão deixava no banheiro compartilhado, pequenas coisas que para o Min não poderiam ser um bom presságio. Mesmo assim deixou pra lá e foi se arrumar pra mais um dia de aulas e coisas estúpidas que um adulto é obrigado a lidar, sem direito ao tal do livre arbítrio. Arrumou a cama o máximo que pode e foi se vestir como um protótipo de ator de dorama, sim, o próprio mocinho ingênuo ficaria se moendo de inveja. 

Quando desceu pra comer qualquer coisa às pressas para poder vazar sem perder o ônibus lotado que circula por Taejon, por voltas das 7:12 e alguns quebrados, a mesa estava posta, o que fez o homem estranhar, seu hyung esperava mais é que ele fizesse a própria comida ou que morresse de fome se fosse esperar por sua boa vontade inexistente. Havia alguns dos pratos que Yoongi mais gostava, mas não havia tempo a perder, ainda tinha de correr umas duas ruas pra chegar ao ponto do ônibus se quisesse assistir as aulas de Teoria do Direito Constitucional. Ignorando os roncos do seu estômago e o cheiro daquela comida, ele deu a volta e foi até à geladeira, lá dentro havia uma marmita com o seu nome, Yoongi apenas a jogou dentro da mochila e se apressou em ir pra parada. 

O caminho foi tranquilo, ouvia música pra disfarçar os barulhos que seu estômago fazia, poderia comer quando chegasse, e por mais estranha que aquela segunda-feira poderia ser, Yoongi estava indo sentado! Algo de muito errado estava para acontecer. 

Havia dormido bem naquela noite, não estava pensando em como descolar um estágio ou um emprego de meio-período e nem nas batidas que havia feito com Namjoon, aquele era um caminho perigoso, saber tocar piano era uma coisa, mas aquilo já estava ultrapassando os limites dos seus sonhos, tinha que terminar o raio da faculdade primeiro. Depois poderia tentar seguir algo mais arriscado. Suspirou sentindo uma leve enxaqueca querer começar, encostou a testa no vidro da janela e fechou os olhos, dava tempo de tirar um cochilo. 


Passava das 8:50 quando Yoongi rompeu pelas portas da sala, estava quase 30 minutos atrasado, o cochilo havia lhe custado uma corrida de volta e santo pai, estava precisando fazer exercícios antes que infartasse. O professor o olhou com uma expressão bovina e voltou-se para os papéis que lia, a desgraça do quadro tinha uma lista de páginas e indicações sobre o que deveria ser feito até o final dos 3 horários restantes. Sentou-se na fileira que havia menos pessoas e abriu a mochila, havia algumas apostilas, o estojo e a marmita revirada, mas sem nada vazando. Como saiu apressado nem sabia o que se passava no grupo do Kakao e Jimin não estava perto de si para situá-lo das coisas que deveriam ser feitas. 

O jeito foi ler as indicações e rezar mentalmente que estivesse fazendo direito, aquele professor era um mercenáriozinho de quinta categoria que gosta de infernizar a vida já desgraçada dos alunos. Estava vendo algumas estrelas enquanto lia uma teoria estranha e mega confusa quando Jimin deslizou pelo banco e deu um sorriso de quem está satisfeito com a própria vida, o tempo todo. O que é algo extremamente irritante e quase insuportável de aguentar, sem querer amassar aquele rosto sorridente. 

— Bom dia, hyung. — Saudou tombando a cabeça para o lado, em meias luas verticais. — Oh, já terminei o meu, quer ajuda? 

— Bom dia pra quem.— Revirou os olhos e virou-se para o Park finalmente, dando um sorriso mal-intencionado. — Que tipo de ajuda você se refere? 

Longe de Min Yoongi ser um aproveitador maquiavélico, mas seu amigo estava oferecendo ajuda em uma coisa que ele não sabia e tampouco estava com vontade de saber, só queria se livrar e poder ir comer finalmente, seu estômago já deveria estar cantando o hino nacional. 

— É que o professor Jong quer uma síntese dos principais objetivos apresentados em cada teoria e quer que relacione as ideias em busca de associações entre os teóricos. Achei bem didático. — Jimin explicou calmamente e Min Yoongi pode imaginar seu corpo voando sobre o do amigo em uma briga mortal. 

Yoongi deu de ombros fingindo calmaria, estava para subir naquela mesa, jogar os cadernos na cara dos colegas e lançar um twerk bombástico anunciando a sua saída daquele curso — saída dramática que entraria na história do Fórum online da Faculdade de Direito. 

— Só isso? — inquiriu sarcástico. — Ótimo, é hoje que eu mato um. 

— O negócio deve tá feio, hein — Jimin ficou constrangido, mas logo voltou a iluminar-se. — Vou marcar as partes que você deve focar, só não te dou o meu, porque ele vai perceber… 

Quase se sentiu tranquilo com aquilo, mas não confiava fielmente no Park, ele era legal demais, algo de errado aquele cara deveria ter. Jimin puxou as apostilas para si e começou a folhear as páginas e marcando trechos relevantes — que o Min teria de ler umas 2 vezes pra entender e ver se não estava caindo em alguma pegadinha.  

Enquanto isso Yoongi montava os cabeçalhos do trabalho, sempre ficava nervoso com alguma coisa e acabava errando algo, o que simplesmente o deixa puto da vida. Aquele 23 de março só estava nos terços do seu início, algo ainda estava para vir, ele sentia isso em suas entranhas — mesmo que isso só fosse a paranoia causada pela fome e pelo ódio. 

Quando Yoongi terminou, faltava menos de 15 minutos para o fim do horário, o professor o olhou com uma cara desconfiada, mas não ousou fazer nenhum comentário sobre o atraso de mais cedo, felizmente, pois Yoongi ainda estava sentindo o formigamento em seus punhos e tinha quase certeza que sairia dali preso, expulso e processado por agressão contra um docente. 


— Vamos almoçar — Jimin apareceu na frente de Yoongi quando ele já estava a caminho do refeitório, que ficava no outro prédio, alguns minutos de caminhada poderiam fazer bem. 


— Espero que hoje tenha frango.— O mais velho disse apenas isso e manteve o seu passo largo em compensação ao caminhar charmoso de Jimin. 

O Park deu um sorriso balançando a cabeça negativamente e decidiu deixar o seu hyung em paz por enquanto, preferia manter certa distância quando a bomba explodisse, seria algo divertido e memorável para todos. 


[***]


Yoongi havia conseguido finalmente almoçar, felizmente a comida estava bem temperada e a fome não fez muitas exigências, ainda sentia uma leve brecha em seu estômago quando lembrou da marmita em sua mochila, poderia comer mais alguma coisinha e enfrentar o restante do dia. Com esse pensamento abriu o compartimento e de lá tirou a marmiteira de alumínio, fez tudo tranquilamente como um ritual. Pousou o objeto ao lado da bandeja e seus hashis descartáveis, quando tirou a tampa algo lhe atingiu como um soco. 

Havia um cupcake de morango, mordido com uma aparência duvidosa e ao lado havia um bilhete meio sujo com o que Yoongi julgou ser a comida que estava na marmita, meio estarrecido pegou aquele pedaço de papel gorduroso nas laterais e começou a ler o que havia ali. 


"Venha me bater com força às 11 horas. Feliz aniversário, filho da puta".

Não havia assinatura e Yoongi desconhecia aquela caligrafia. Mas nem se importava mais, algum desgraçado havia mexido na sua mochila, estragado a sua comida e deixado a porra de um bolinho velho logo no seu até então esquecido, aniversário. Já havia passado das 12:15 e nem sabia onde deveria encontrar o miserável, e nem sabia quem poderia ter sido já que havia dormido no ônibus e também ido à mesa do professor, seu irmão não era criativo o suficiente para tal e nem ousaria xingar a própria mãe, sra. Min saberia se algo desse tipo acontecesse, como um 8 sentido do mal.  


Agora Yoongi teria de caçar a pessoa. Então aquilo era a premonição que estava se anunciando desde que havia acordado, algo desgraçado iria acontecer, talvez quando encontrasse a pessoa o instinto de vingança da sua comida desperdiçada se anunciasse ou poderia esperar até às 11 da noite. Yoongi levantou segurando o bilhete odioso em uma mão e na outra segurava o bolinho duro e sangrento de geleia de morango, o mundo estava falando consigo e havia conspirações o cercando. 

Quem poderia ter feito aquilo com ele? 

Em quem deveria confiar? Deveria contar a alguém? E se? 

Seus amigos não haviam dado sinal de vida, o que era até normal devido a vida corrida de cada um. E Yoongi é paranoico o suficiente pra criar uma trama de novela que até Haruki Murakami sentiria vontade de ler. 


Notas Finais


Ps2:Ah, feliz aniverssauro, Cláudio 💜

E aos demais leitores, fiquem em casa, se cuidem bem e aproveitem esse tempo para fazer algo que acrescente algo relevante na vida de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...