1. Spirit Fanfics >
  2. Femboy >
  3. Vou lanchar com meu suposto namorado!

História Femboy - Capítulo 4


Escrita por: e tsukiaa


Notas do Autor


Olá... Acabei de acorda, tipo, uma da manhã "-" Já terei q fazer outros caps, comerei na minha aula.

Enfim, boa leitura ^^

Capítulo 4 - Vou lanchar com meu suposto namorado!


Chego na minha sala e vou até minha amiguinhaaaa. Ela precisa saber o que aconteceu mais cedo com o saiko. 


— Ingrid você não vai acreditar! — me sento na cadeira ao seu lado e ela para de desenhar e me olha — nossa que desenho lindo — admiro seu desenho — enfim o badboy, Rodrigo, saiko, tudo mesma pessoa falou — e comecei a falar sobre tudo! 


Ela parecia bem atenta a tudo e fazia caras e bocas enquanto ouvia e quando chegou w parte da skii, ela corou. Será que.. Não sei não. Termino de falar ela me olha menos corada. 


— Você gosta de skii? 

— Não sei direito. Ontem eu fui beber água antes das águas começarem e ela veio e ficamos conversando. Ela é muito legal — own ela deu um suspiro apaixonada

— Agora você que esta com olhos de coração haha

— M-Mentira! 

— Alunos podem parar de conversar e abrir seus cadernos... 


A aula passa normal, atividades chatas e tudo mais, enfim. O negócio que toca o sino apita mostrando que vão dar um recado, será algo legal? 


— Atenção alunos. Hoje gostaríamos de anunciar que neste final de semana faremos uma festa para comemorar o início do ano letivo. Se vocês forem vamos ficar agradecidos mas não é obrigatório. Boa aula. 

— Bom... Vocês ouviram — ela voltou a escrever no quadro mas logo acaba, ela se senta e começa a ver se os outros estão copiando ou sei lá. 


Geralmente quando eu acabo de copiar eu faço algumas coisas mas hoje não tem nada! Vou observando a sala e olho pra carteira dela, encontrando algo interessante. 


— Aiko. — falo num sussurro mas dando pra ela ouvir — você ainda ta copiando? 

— Sim, por que? 

— Posso ler seu mangá? Depois te devolvo 

— Claro — ela me da o livro que se lê ao contrário


Eu nunca li mas acho que vou gostar. Ta falando que é yaoi. Ui, yaoi, amo. Começo a ler e meu Deus! Já no início tem lemon, caralho. Uau que top. 


E se alguém ver que eu to lendo? E se alguém aqui ler mentes? E se-


— Carlos ycaro –puta que pariu, a professora – o que o senhor esta lendo? Não era para estar copiando? 

— Ehh, eu já terminei de copiar – que vergonha estão todos me olhando (⁄ ⁄•⁄ω⁄•⁄ ⁄)

— Então me mostre o que esta lendo por favor — eu não posso mostrar, ela pode falar pra diretora e ela pode mostrar pra minha mãe! 


Vou procurando uma página que é não pesada sem ela ver e isso parece impossível. 


— Página 45, é uma das partes mais fofas

— Valeu! — vou até a página e me levanto indo mostrar pra prof. 


Meus passos pareciam cada vez mais pesados e ainda mais impossível de se andar. Chego na mesa dela e ela vê a página e começa a folhear, não previa que ela fizesse isso. Sinto o peso dos vários olhares em mim, é horrível essa sensação. 


Ela me devolve o mangá com um olhar feio, já imagino o que ela tenha visto. Volto pro meu lugar, me encolho e volto a ler. 


゚ *:;;:* *:;;:* ゚


O recreio chegou e eu fui até o encontro de André falar que não iria lanchar com eles hoje. 


— André, hoje não vou lanchar com vocês, desculpe. Avisa a Aiko por favor? Esqueci da falar pra ela. 

— Sem problema cara. Da próxima a gente lancha junto 

— Valeu! — abraço ele 

— Ei! Vamo. — uma voz esquisita soa em nossos ouvidos, era o Rodrigo 

— To indo! 


Vou até ele, que estava sozinho, provavelmente os outros estão lá na mesa já. Um ato repentino me assusta,me fazendo soltar um gritinho, foi ele passando um braço envolta da minha cintura me puxando pra mais perto. 


Não vou mentir, meu coração está a mil agora. Vamos indo até o pátio, onde tinha as mesas e o grupinho dele. Ele me coloca em sua frente e meio que me empurra fraquinho pra frente, no caminho que ia cumprimentando umas pessoas que eu não conheço e finalmente nos sentamos. 


Eles começaram a conversar como amigos de muito tempo, na verdade devem ser. 


— Ei, princesa! Você dever ser a namorada do saiko, né? — olho pro saiko com uma cara meio brava, como assim namoradA?! 

— Na verdade sou o namoradO dele — todos olham pra gente chocados e sinto o saiko me olhar com raiva. Agora ELE vai ficar bravo? 

— Sim, é um menino — ele diz meio forçado eu acho

— Você tinha nos dito ao contrário — um outro menino fala parecendo meio confuso 


Então meio que o resto do recreio foi o saiko falando que eles devem ter escutado errado e tals. Ele tinha me dito outra coisa. 


゚ *:;;:* *:;;:* ゚


Já está na hora da saída e estou indo buscar minha irmã, até que sinto meu braço ser puxado. Isso doeu! 


— Por que você disse aquilo pra eles?! — por que ele ta bravo? 

— Por que disse que eu era uma garota?

— Porque você usa esse tipo de roupa, eu pensei que preferisse ser chamado no feminino. E pra não estragar minha reputação na escola. 

— Primeiramente, minha roupa não influencia no jeito que eu me vejo, que é como menino. Segundamente, você tinha dito que não importava meu gênero. 

— Quando eu disse isso?! 

— Nem vem de desentendido, foi hoje de manhã lá no terraço! 

— Aham sei — foi irônico 

— Sabe mesmo afinal você disse. — que raiva dele! — tenho que ir buscar minha irmã! Tchau. 


Volto a ir até a entrada da parte das crianças, sabendo que ele está me seguindo. Quando chego lá peço pra moça da recepção chamar a minha irmã. 


— Maninho! — ela corre até mim e me abraça

— Oi mm! Vamos? Quer ir de ônibus hoje? — talvez, só talvez seja uma tentativa de não precisar andar tanto 

— Quelo! — ela olha pra trás de mim provavelmente pra ele


Me viro e dou de cara com o Rodrigo. Nos olhando com um sorrisinho. 


— As princesas gostariam de serem acompanhadas? 

— Sim! — a menina no meu colo se exalta — é tipo um cavaleiro 

— Sim, vamos — ele segura a minha mão 


Só não solto a mão dele porque é gostoso ficar de mão dada. Saímos de lá e começamos a andar até o ponto de ônibus, acho que foi no meio do caminho que ela viu o que saiko estava segurando. 


— Principe, eu posso andar nisso? — fala apontando pro skate

— Claro, mas tenha cuidado — ele coloca ele no chão e ela pula do meu colo e fica em pé no objeto com rodinhas que eu já falei várias vezes. 

— Ahhh — ela quase cai mas ele consegue segura-la 

— Melhor não ir em pé. Se senta e vai empurrando — ela faz isso e fica se divertindo ali — olha, me desculpe por mais cedo, eu fui um puta bosta contigo

— Eu também acho. — continuamos andando — te desculpo — acho que não consigo ficar bravo por muito tempo, só chateado mesmo


Chegamos no ponto e por sorte já tinha o ônibus que ia pra minha casa perto. Entramos no veículo e tinha mais gente do que de costume. Tem muita gente Jesus. Tinha só dois acentos juntos então fomos naqueles mesmo. 


É, é isso que você está pensando. Eu fiquei na janela com a mm no meu colo e o Rodrigo do meu lado, só que com o braço envolta dos meus ombros. 


— Ei mm, qual seu nome? 

— Mm

— Não o apelido, o seu nome mesmo

— Maria Marta, é esse né maninho? 

— Sim, é


Depois disso eles ficaram se conhecendo melhor e eu dormi no ombro do meu suposto namorado. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...