1. Spirit Fanfics >
  2. .Fênix ; Akatsuki No Yona. >
  3. A Viagem Incansável Até Chi'shin, Uma Presença Boa!

História .Fênix ; Akatsuki No Yona. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite/ Bom dia/ Boa tarde!

Não saberei qual horário vocês irão ver mais estou com mais um capítulo fresco!

Aqui vamos ter a experiência de Yona com a Fênix vermelha ligada ao sangue do dragão vermelho, e talvez cause alguns impactos no pessoal pois isso também afetaram um pouco os dragões. Então haverá surpresas e desdém, além de Yona se desenvolver com o Hak hehehe!

Até lá aproveitem! UM BEIJO COM QUEIJO E ATÉ LÁ!

Boa noite/Boa tarde/Bom dia!

Capítulo 3 - A Viagem Incansável Até Chi'shin, Uma Presença Boa!


Fanfic / Fanfiction .Fênix ; Akatsuki No Yona. - Capítulo 3 - A Viagem Incansável Até Chi'shin, Uma Presença Boa!

 

'' Eu nunca vou me esquecer daqueles lábios que um dia foram apenas meus, e só meus naquela nossa noite em especial. ''

Akai

 

 

Pov Hak

 

 

Por mais que eu esteja de acordo com essa viagem, Yona estava confiante de mais para alguém que não sabe o caminho nos guiando a frente. Veja agora, estamos pela metade do caminho para a Tribo da Terra, Yun disse que só precisaríamos atravessar um rio de uma cachoeira por ali perto que estaríamos no território em breve. Mas por agora, acampamos ali perto, uma tenda bem improvisada, observava Yona pensativa com algo mas acho que era coisa de minha cabeça, o que aquela cabeça de vento pensaria?

Pelo visto, minha paz foi logo interrompida com a aparição repentina de Jae-ha que caiu do céu. Ainda nisso, minha hipótese de testar se ele plana no ar ainda está em fase teste.

- Você anda bem caidinho pela Yona, não é Hak? ~ - Aponto minha espada na cara de Jae-ha que ri de nervoso me perturbando, estava com uma cara de quem não sabia de nada.

- Prefere picadinho de dragão verde ou Udon de dragão, Ei Olhos caídos?

- Não seja cruel Hak! Estava apenas dizendo uma verdade que deveria aceitar. - Puxei o cabelo dele para trás o derrubando no mato, escapando para ajudar os outros.

- Hak, pode acompanhar a Yona para pegar algumas ervas? Elas tem um formato como de ervas medicinais, mas seu cheiro tem um odor bom. Rápido antes que eu me estresse.

- Sim mamãe, já volto logo Iterashai'Mase! - Sai correndo puxando Yona pela mão enquanto ouvia a o mesmo gritar e arremessar coisas como: As nozes da Ao que o Shin-Ah havia colhido para a mesma, que só cessaram quando estávamos o distante suficiente do acampamento montado. Assim que chegamos no local tratei de soltar sua mãe a seguir para ajudar a procurar.

Demoramos um pouco até procuramos o que Yun queria, parecia quase impossível reconhecer mas achei um arbusto cheio delas, idem como Yona que acenou para mim pegar elas e colocar no saco, já que o dela estava literalmente, lotado, e ela carregava sem dificuldades. Ela me surpreende a cada dia, não é à toa que seu desejo de querer ser forte está a motivando, por mais inútil que seja.

Ela veio até mim me entregando as sacolas e pegando outras para recolher, mas ela parou no meio do caminho e estranhei seu comportamento, fui direto em sua posição e toquei seu ombro. Por um momento, pude ver seus olhos atentamente arregalados em uma direção fixada e marcada, não conseguindo desviar a atenção de qualquer jeito, quando fiquei preocupado, entrei na sua frente segurando seus ombros na tentativa de chamar sua atenção até mim. Chamava pelo nome várias vezes, a balançando pelos ombros de leve. Até que... Me empolguei e a sacudi como um graveto e ela reclamou me dando uma cabeçada forte no queixo. Ponto em cheio, me fez sangrar na hora e o inchaço bater de imediato.

- Hak! Me desculpa desculpa! Mas você mereceu... - Ela falou emburrada e concordando consigo mesma, mas sua feição mudou para uma séria e apreensiva se tornou, me fazendo tirar a raiva de imediato do corpo. - Eu vi, uma mulher...

- Hum? Mulher? Que tipo? 

- Ela estava bem ali perto daquelas árvores. - Disse apontando para o local e logo depois se direcionando as ervas e as puxando pela raiz para colocar no saco para terminar de os encher. - Ela usava uma vestimenta de sacerdotisa, seus cabelos eram tão negros quanto a noite e seus olhos... Tinham um sentimento de felicidade misturados com de tristeza, me fazendo ficar como ela se sentia. Acho que ela está ligada as Fênix, deduzi então. De que ela seja a Fênix de fogo, descendente de Hiryuu.

Me surpreendo como ela falava, demonstrando um sentimento de confiança e de realidade como uma surpresa para mim, pois para mim era uma surpresa ver Yona daquele jeito. Ela terminou de colher todas as plantas, jogando todas dentro do saco e as amarrando coma cora, colocou sobre as costas e começou a andar. Demorei para seguir ela, pois olhei para trás aonde ela havera me apontado, a sensação estranha de que havia alguém observando me incomodava, mas tratei de voltar a ela o mais rápido possível.

Quando chegamos lá, eles estavam dançando e cantando, Zeno fazia malabarismo com pequenas pedrinhas embrulhadas em sacolas coloridas, enquanto Jae-Ha tocava o seu erhu de uma forma de animadora para os ouvidos de todos, Shin-Ah apreciava de uma forma... Do jeito dele, com Ao em seu ombro como sempre que comia as nozes se divertindo com a agitação, Yun havia terminado a comida e nos aguardou indo até nós aliviados por termos voltado. A noite enfim tinha caído, todos comíamos a comida que Yun havia preparado, eram ensopado de ave, com cogumelos e ervas e para completar haviam bolinhos de arroz salgados. Shin-Ah comia a comida como se não tivesse se alimentado há dias, Ki-ja se questionava entre lutar com uma lagarta em sua comida, ou se evitava a comida em que Jae-Ha roubava metade dela. Eu ria daquela cena com certo deboche com Yun ao meu lado, oferecendo o pote com o ensopado, se sentando ao meu lado com um certo sorriso de tranquilidade.

- Hm? O que foi Yun? Bom sabe, se sentir saudade dele você pode voltar voando com Jae-Ha. - Fui recebido com um grito no meu ouvido que me deixou surdo, agora estava surdo de um ouvido. Que brilhante...

- Não é isso, só estou feliz de estar com todos assim, reunidos e sem nenhum problema. Porém... Algo me incomoda.

- Em que? Posso saber?

- Tem haver com a Yona, quando ela havia parado para caçar entre as matas, retornou com uma feição muito triste e pensativa. - Ele disse comendo um pouco e logo em seguida dando continuidade. - Ela parecia perdida em algum outro lugar diferente.

Meu olhar se direcionou no local em que Yona seguiu para ir treinar com o Arco, preocupado, pensei que talvez, aquela mulher que ela havia falado ser a Fênix vermelha possa estar tentando se comunicar ou se aproximar dela. Me deixei levar tanto pelas minhas sugestões que nem percebi Yun me chamando para ajudar a tirar Jae-Ha de cima do Shin-Ah que tentava arrancar sua máscara. Suspiro me levantando indo até eles, mas olho mais uma vez para o local e vou até os mesmo para os ajudar.

 

 

POV Yona

 

200 flechas em cheio. Foi o que eu consegui em tempo recorde disparar, mas minhas mãos estavam vermelhas demais por conta de como eu segurava e botava pressão demais, dei uma pausa para mim mesma me sentando numa rocha deixando o arco e a bolsa de flechas encostada na árvore. Deixei minha mente esvair um pouco com o que eu presenciei, observando aquele céu azul grande e repleto de estrelas de diferentes formas e constelações. Aquilo realmente me tranquilizou de verdade, me senti melhor, mas aquela mesma mulher eu não consigo esquecê-lá, foi como Ik-Soo disse, ela está ligada à mim e a Hiryuu. Mas tem algo nela que me chama tanta, mas tanta atenção que me deixa sem ar. Fechei meus olhos para descansar um pouco, apenas ouvindo as sensações da noite, os pássaros conversando, a brisa do vento que fazia as folhas conversarem entre si, tudo harmonioso.

 

Y.......

 

Que estranho... Parece que alguém está me chamando na minha cabeça, mas não vejo ninguém. O que será isso?

 

- Yona..... Yona.... 

 

Abri meus olhos no susto ao ouvir a voz perto do meu ouvido, olhei para os lados pegando o arco e apontei a flecha olhando os locais em que mais eu prestava a atenção e preparando a mira. Foi então que vi, a Fênix vermelha, caminhando entre as árvores indo a algum lugar. Pensei em alertar os outros mas... E se ela ir embora antes mesmo de a encontrar? Acabei por pensar rápido e larguei meu arco coma flecha indo atrás dela, ela caminhava rápido entre as árvores que não me permitiam que minha visão a enxergasse, mas os poucos raios da lua que adentravam dentro das copas me davam o vislumbre de seus cabelos negros que sobrevoavam de leve com o vento. Quando consegui alcançar a mesma ela tinha parado no meio do caminho, me fazendo tropeçar e esbarrar contra ela. Levantei meu olhar e congelei automaticamente...

Ela era muito bonita! Seus olhos prateados escurecidos me olhavam com certo carinho e curiosidade, me segurando com delicadeza erguendo meu corpo. Corei e me afastei dela pedindo desculpas, ela nada fez ou se moveu, apenas deixou um pequeno riso baixo escapar de seus lábios. Ela veio até mim e me fez ergue a cabeça a fazendo olhar em seus olhos, ela matinha um sorriso muito amoroso para minha direção.

Yona... Estou correta de que esses és o seu nome? - Ela falou, me fazendo arrepiar e arregalar os olhos e abri um sorriso fofo para a mesma.

- S-sim... Eu me chamo Yona, e você deve se a Fênix Vermelha. Eu sou sua descendente, assim como Hiryuu era.

Hiryuu... A quanto tempo eu não ouvia aquele nome... O meu primeiro e último amor na qual eu vivi com o mesmo. - Pude ver seus olhos ficarem perdidos por um tempo, até que ela voltou sua atenção a mim e se pôs ao meu lado, e começou a caminhar me levando consigo. - Yona, eu fui conhecida por vários nomes... Rainha II, Akairikkisu, mas nunca chegaram a perguntar qual era o meu nome...

- Então... Qual é o seu verdadeiro nome?

Por um momento ela se surpreendeu, pela forma como eu havia perguntado ela deu um olhar tranquilizador olhando para o horizonte, naquele momento um brisa passou por nós duas fazendo minha capa e suas roupas voarem levemente com o doce ''Boa noite'', ela logo pronunciou as palavras que havia dado um longo prazo.

Chihiro. Me chamo Chihiro... Era como meu pai costumava me chamar.

- É um nome muito bonito, tenho certeza que ele fez bem em te dar esse nome, Senhorita Chihiro. - Ela negou quando falei senhorita, e entendi sorrindo de nervoso pedindo desculpas. Continuamos a andar enquanto conversávamos, ela era tão divertida e sensata, quando me dei conta estava de volta aonde treinava e dessa vez o pessoal estava lá com uma feição preocupada.

Quando me viram eles ficaram surpresos, acho que por que estavam vendo a aparição de Chihiro presente, expliquei para eles quem era.

 

.  .  .  . (...) .  .  .  .

 

 

E eles logo se acalmaram, claro que, me deram um sermão por ter sumido daquele jeito, e Hak ficou dando uma de que eu era lenta e que devia tomar cuidado, dei logo uma cabeça em seu queixo machucado e ele riu de raiva e desgosto para mim, Ki-ja estava todo bobo por ter conhecido descendente de Hiryuu e ficou se curvando durante todo momento em que falava come la, ela deu um sorriso fofo para o mesmo fazendo um cafuné em sua cabeça, ele ficou vermelho pelo gesto se afastando de nervoso. Zeno abraçava ela e a mesma retribuía o afeto o deixando animado, ela logo fez um sinal para Shin-Ah se aproximar e deu um beijo sob a máscara dele que fez ele ficar de leve vermelho também. Jae-Ha estava observando de braços cruzados com um sorriso meio que curioso eu acho? Ela foi até ele e deu dois tapinhas carinhos na sua bochecha que o fez desviar da atenção. E nisso, Ki-ja discutiu com ele.

Hak observava ela de todas as formas, suspeitando dela de qualquer jeito, foi quando ele se aproximou dela e o passou sua lança nela que atravessou seu corpo. Eu gritei assim como os outros e os dragões puxaram ele com toda sua força quase quebrando seus ossos, ela ficou com uma cara de sem entender nada, assim como eu. Fui até ela junto de Yun que ficou preocupado com seu estado.

- Chihiro! Esta tudo bem?! Não se machucou não? - Mas quando reparei ela estava inteira e estranhei pois ela estava intacta e me assustei.

- Mas como você está completamente inteira? A lâmina deveria ter te tocado assim como os outros dragões!

- Armas letais não podem atravessar-me apenas se eu permitir, eu já estou morta, mas ainda sim a força e energia de vocês me trouxe aqui por algum motivo. Mas fico feliz de poder ter conseguido me comunicar com vocês porque até agora, não consegui.

- Isso é novo para mim, és a primeira vez que vejo uma das descendentes de Hiryuu! Diga-me como era Hiryuu?? - Ki-ja perguntou animado se sentando de frente para ela, ele emitia um brilho nos olhos ao falar do Rei dragão.

- Tudo bem, sentem todos, vou lhes contar como eu conheci Hiryuu. - E assim, cada um de nós e posicionou, contando com Zeno que se mantinha entre as pernas dela, descansando recebendo seus carinho. Ela logo respirou fundo antes de começar a contar, parecia tranquila e calma em conta para nós o que aconteceu.

- Pode começar senhorita! - Disse Zeno que agora, havia se pronunciado tranquilo para ouvir, o calor das chamas da fogueira deverás estava calmo com a presença dela. Logo movi meu olhar para ela que começou então a contar.

- Eu quando reinava o templo sob as montanhas acima do reino de Kouka, com a companhia de minhas Fênix, Hiryuu havia convocado uma festa entre seus moradores e coincidentemente um de meus cuidadores era de lá e me convidou para ir. Porém, não queria deixar as montanhas do Templo de Kouka II, mas elas insistiram tanto para mim sair e me divertir que não pude recusar. Fui lá apenas para me entreter e deixar ele lá, mas acabou que quando cruzei o caminho, nossos olhares se encontraram de uma forma como eu nunca havia imaginado... Foi então que eu o conheci.

Estava com o rosto vermelho e brilhando de emoção, e parece que todos me olharam preocupados. Hak ia rir mas eu dei uma cutucada no queixo dele que ele caiu para trás, ela prosseguiu logo após uma de suas risadas doce e amáveis.

- Eu comecei a visitar ele com frequência, mas como não queríamos preocupar ninguém fizemos escondido, ele me levava para conhecer os arredores de Kouka, as vezes me dando pequenas flores como lembranças como margaridas ou narcisos. E quando me vi, estava apaixonada por ele, e ele parecia retribuir o mesmo. As Fênix começaram a suspeitar do meu estado meio molenga e nesse dia eu disse para mim mesma que iria me confessar, e foi numa noite especial que contei a ele e recebi meu beijo. Os seus lábios calmamente se encontraram com os meus e pude sentir os fogos de artifícios dizerem que o mundo e ele eram só meus. Porém, com o tempo, ele acabou adoecendo e... Simplesmente se foi.

Todos nós ficamos com um pesar no coração, pois ver como ela amava ele e como demonstrava de tal forma nos deixou abalados, principalmente a mim e aos dragões, olhei para Hak de relance pensativa sobre o mesmo mas logo voltei minha atenção sob mesma que estava com um olhar meio triste e de repente, senti uma grande dor no coração e senti as minhas lágrimas descerem pelo meu rosto. Ela notou e veio até mim secando elas, a olhei com preocupação e sem nem questionar, a abracei. De uma forma que eu nunca pudesse ter abraço, e fui correspondida pela mesma, e podia sentir algo molhado em meu ombro então deixei que, ela ficasse ali por um bom tempo.

Ela se afastou e com um sorriso tranquilo ela me cativou.

- Obrigada por me dar essa chance de te conhecer, querida e pequena Yona.

E com essas belas palavras, ela foi desaparecendo em pétalas brancas, me surpreendi e entrelaço meus dedos nas suas mãos pedindo para que nãos e vá, mas assim como seu corpo a dissipar logo foi o restante e apenas fiquei ali segurando as mãos de alguém que desapareceu diante de segundos.

Senti meu rosto novamente esquentar e quando ia começar a chorar, Hak de imediato me abraçou, me fazendo corar de forma rápida. Não me deixei segurar e acabei por me deixar a chorar vulgo alto o suficiente para o resto então, se direcionar até nós e nos abraçar em conjunto. Eu me lamentava por ela ter sumido, por alguém em tão pouco tempo na qual me fez sentir a dor de perder alguém novamente. Eu não queria que ela sumisse, não queria que ela se dissipa-se entre as copas verdes da noite, só queria ela aqui, ao meu lado, como fazia meu coração pulsar de tal forma que não pudesse me segurar de um alvo em andamento.

Quando me vi, eu chorava fortemente por ter visto ela sumir, e Hak estava aguentando isso me abraçando calorosamente junto dos outros, que me faziam um carinho, me acalmando em silêncio, apenas de olhos fechados respeitando meu lado de tal forma eu sie que eles estavam sentindo. Pois sentia suas lágrimas escorrendo assim como as minhas, estava coma s bochechas vermelhas, escondiam a visão delas com a palma de minhas mãos.

 

Em tão pouco tempo, eu havia me apego a ela e... Eu nem mesmo pude dizer que eu realmente fiquei feliz poder tê-la conhecido ou que gostei de ter finalmente ela ao meu lado. ALgo simbólico, algo maternal por quem eu pudesse me apoiar sempre que eu precisasse.

Então...

 

Chihiro... Onde quer que esteja eu queria dizer....... Obrigada.


Notas Finais


Boa noite/ Bom dia/ Boa tarde!

Aaaah eu chorei com esse capítulo ;;-;; Eai? Curtiram? Gostaram o que acaharam? Criem suas teorias e me digam!
Amanhã vou jogar capítulos novos então aguardem até de noite para os receber, espero que realmente tenham gostado da forma como as coisas aconteceram desse meio tempo para agora!

UM BEIJO COM QUEIJO E ATÉ LÁ!

Boa noite/ Bom dia/ Boa tarde!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...