1. Spirit Fanfics >
  2. Férias >
  3. Pseudo-Solitude

História Férias - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Tá, não me atirem pedras que eu mesma já querendo me matar já é o suficiente.
Eu prometi que não ia levar três meses para atualizar essa fanfic, mas... Acabou que eu levei UM FUCKIN ANO.
Sinceramente, não tenho desculpa alguma... Apenas não vi o tempo passar e acabei deixando muitos projetos de lado. MAS, hoje eu decidi tomar vergonha na cara e pelo menos uns 3 capítulos vão ser lançados essa semana de histórias diferentes.
Então, sei que ninguém se lembra dessa história aqui, porque FAZ UM ANO desde a última att, mas, peço que não desistam de mim. O terceiro capítulo está bem encaminhado e eu não vou demorar a postar...
Obrigado a todos e... Boa leitura!

Capítulo 2 - Pseudo-Solitude


Namjoon fez questão que Jungkook fosse hospedado em um hotel luxuoso e perto do centro. Por telefone mesmo, havia conversado com seu amigo e empregado, pedindo para que ele descansasse e buscasse novas experiências de vida naquele lugar novo, e para que curtisse a praia e os lindos parques de Busan.

Jungkook mal havia chegado e já estava cansado de tudo. Desde a viagem até sua instalação no quarto e a pressão de sua mãe para que ele fosse a ver depois de tanto tempo, ou mesmo o grande fluxo de pessoas que poluíam a visão dele na bela Busan que brilhava no auge do verão mais quente que já havia experimentado.

Estava fora de sua casa depois de semanas, e não sabia bem como descrever a sensação de estar bem vestido e interagindo com tantas pessoas num mesmo dia.

Jeon estava exausto. Sentado num dos cafés que sempre ia quando adolescente para comer com os amigos, depois de uma hora de viagem de avião e mais quarenta minutos em um carro, e de dormir por suas horas seguidas na sua cama de hotel, não se dando ao trabalho nem de arrumar as malas e seus pertences para o mês que viveria naquele quarto de hotel. Sempre que viajava acabava extremamente cansado e mal conseguia curtir os lugares, principalmente quando ia para trabalhar. E mesmo não sendo o caso, aquela não era uma exceção. Sentia cada músculo de seu corpo implorar por descanso, e de repente a coragem de se mexer havia ido embora.

Busan era linda, sua adolescência fora perfeitamente marcada pelas lindas paisagens, entre praias e estabelecimento comerciais dignos de cartões postais. Mas, naquele momento, a linda paisagem de Busan não era tão atraente assim e ele não queria fazer nada. Sua mente estava cansada, e ele ao menos conseguia parar de pensar em como estava decepcionando seus fãs com a pausa, e nos prejuízos que toda a sua equipe sofreria. Só havia saído de sua cama em busca de comida, e a lanchonete era convenientemente perto de sua hospedagem.

Bufou, revirando os olhos e levando mais um pedaço de bolo de chocolate até a boca, procurando uma posição confortável na poltrona acolchoada do local. 

O incômodo de estar totalmente parado, num local com movimentação exagerada, no calor infernal do verão e tão barulhento era maior que o cansaço, impedindo-o de relaxar mesmo que minimamente.

Com muito esforço, tirou o celular do bolso de sua calça e pôs-se a entrar em suas redes sociais quase esquecidas. Seu instagram tinha muitos seguidores novos, mesmo tendo apenas 15 fotos que ele postava quase que de três em três meses. Entediado e disposto a postar algo novo, abriu o rolo de sua câmera em busca de alguma foto legal sua, mas surpreendeu-se ao ver que a última foto que tirou foi de um documento que ele nem se lembrava mais do porque. Com as sobrancelhas em riste, apagou a foto inútil e desistiu da ideia de postar uma nova - já que bater uma agora estava fora de cogitação, de acordo consigo e sua aparência desgastada -, e foi xeretar a vida dos famosos que seguia. 

Alguns postavam selfies com águas de coco, outros indo ao trabalho, fotos de lindas paisagens e muitos outros momentos que remetiam paz e curtição. Curtiu as fotos do filho de seu irmão que acabara de nascer nos Estados Unidos, e algumas fotos de amigos seus do colégio casando ou viajando junto de seus parceiros. Todos muito felizes e com suas vidas evoluindo, enquanto o Jeon mesmo estava na mesma. Com uma carreira de sucesso, mas longe de ter uma vida social ou amorosa saudável. Até porque elas eram inexistentes.

Seus amigos exibiam físicos incríveis, ostentando abdomens trincados, pernas saradas e bíceps definidos, suas namoradas lindíssimas e suas saídas de fim de semana para comer um lanche fora. A variedade em seu feed o assustava, já que ele mesmo pensava que todos os seus amigos estariam na mesma que ele.

Ledo engano.

Afundando-se em um estado de depressão ao ver no que sua vida havia se tornado, ele abriu o seu perfil e pôs-se a comparar com o dos amigos. 

Apenas selfies antigas e algumas imagens suas em algum fanmeeting de seus livros. Mordeu os lábios, analisando aquilo, e quando decidiu que iria apagar uma por uma, a notificação de um novo seguidor surgiu. Os olhos escuros vidraram-se naquilo, e ele logo abriu o perfil do tal.

imminsuga

A imagem de perfil era muito bonita, que mostrava um lindo homem loiro, com uma edição maravilhosa e perfeita, profissional. Ele tinha um número quase exorbitante de seguidores quando comparado ao seu perfil, contando cento e cinquenta e seis mil deles. 

Mas era com razão, já que ele possuía mais de mil fotos compartilhadas, status salvos e um perfil esteticamente perfeito. Com fotos desde conceituais até fofas e engraçadas, ele tinha de tudo. Seus hobbys estavam destacados, esses como: violão, cozinha e até mesmo dança! Ele parecia incrível.

Decidiu stalkear um pouco, e percebeu que ele postava bastante vídeos sobre maquiagem, e que até possuía um canal no youtube sobre isso. Seus status recentes o mostravam em um restaurante com alguns amigos, em que eles faziam alguma graça enquanto comiam.

“O que um cara desses faz me seguindo?”

Pensou. Poderia gostar de seus livros? Poderia o conhecer de algum lugar? Era uma grande icógnita, mas antes mesmo de parar para raciocinar, já estava observando foto por foto no feed, seguindo de volta e inscrito em seu canal no youtube.

Acabou se distraindo naquela rede social que fazia questão de esfregar em sua cara como sua vida era inútil, mas, daquela vez, procurando mais sobre um alguém interessante que ele conheceu.

Por isso, levou um susto quando seu ombro foi segurado por alguém, e ficou ainda mais surpreso ao ver o sorriso de coração o qual ele tanto havia sentido falta.

— Hoseok??

Sorriu imediatamente, se levantando para cumprimentar o primo descentemente, este que acabou o puxando para um abraço caloroso cheio de saudades e da energia típica que só Jung Hoseok exibia.

— Porquê diabos não avisou que estava vindo para Busan, Koo? Quanto tempo, meu Deus, você mudou tanto! — Seu primo disse animado ao se separar do abraço, analisando-o de cima a baixo. — Ah, tem alguém que eu quero que reveja também.

E assim, anteriormente não notado, uma figura ruiva e muito fofa saiu de trás de Hoseok, parando ao seu lado. Os olhos de Jeon se iluminaram ao ver a figura pequena do namorado de seu primo, Park Jimin, que estudou junto com eles desde o ensino médio. Lembrava-se bem de suas peripécias com o baixinho, e mais ainda do seu crush não correspondido.

— Jimin! Eu não vejo você desde que começou a namorar o Hoseok!

— Estamos noivos. — Foi a primeira coisa que saiu dos lábios cheinhos de Jimin, e seus olhinhos iluminados foram direcionados ao seu noivo, num sorriso tímido. — Não achei que fosse te ver tão cedo, ainda mais antes do casamento.

— Oh… Noivos? — O sorriso de Jeon deu uma vacilada, sua mente ficando confusa de repente. Realmente era só ele quem estava sozinho? Era realmente só ele que estava ficando para trás? Ou era só porque ainda sentia algo por Jimin? Nem ele mesmo sabia dizer. — P-parabéns! Minha nossa… Quer dizer, isso é incrível! E quando pretendem se casar?

— Próximo mês. Inclusive, eu só não te convidei porque sei que anda muito ocupado com o trabalho desde sempre. Mal responde as mensagens que mandamos pra ti, hahaha. — Ele disse em tom descontraído. — Falando nisso, o que faz aqui em Busan?

— V-vamos sentar e pedir algo? Eu pago, e a gente aproveita e conversa melhor.

Sugeriu, simpático, convidando os dois para sua mesa. Dito e feito, logo ambos estavam ali, sentados, conversando, comendo e relembrando os acontecimentos de sua adolescência divertida. O assunto do trabalho de Hoseok na sua academia de dança veio à tona junto com a carreira de ator de Jimin decolando, e, bem, foi inevitável chegar em sua situação atual. Estagnado, sem saber para onde ir, sem muito para se orgulhar, apenas suas centenas de prêmios de escrita e… Livros lançados em tempo recorde. Enquanto Hoseok e Jimin iriam se casar e planejavam adotar uma criança e expandir seus negócios…

Oh, merda, porque ele se sentia cada vez pior com toda a situação em si? Porque diabos ele demorou tanto tempo para perceber o quão infeliz ele estava esse tempo todo? E agora que descobria aos poucos, como diabos ele faria para se redescobrir?

— Jungkook, obrigado pela conversa, mas acho que já precisamos ir, certo Hobi? Temos que ir até a casa da minha mãe ainda hoje para o jantar ou ela nos mata. Eu mesmo pago a conta, já já eu venho.

Jimin manifestou-se, interrompendo a conversa ao se atentar ao horário, e sem nem mesmo deixar Jeon protestar, levantou-se e foi até o caixa, que tinha uma fila considerável, deixando Jeon e Hoseok a sós.

— Jungkook… Tem certeza que está tudo bem? Eu mal consegui te reconhecer. Você está um caco, cara. — Ele perguntou, preocupado, aproveitando a ausência de Jimin para tocar em um assunto que poderia ser delicado. — Pode contar comigo para o que for, você sabe. Não sei, isso pode ser desde um chifre até drogas mas não impor-

— Hoseok! Não, não é nada disso. É só que… Eu ando com uns problemas no trabalho e isso tem me chateado. E é só por isso que eu vim tirar férias em Busan. Meu chefe disse que me faria bem, mas… Tirar férias… Argh, como isso vai me ajudar a escrever? Só está me fazendo questionar minhas decisões de vida mesmo…

Bradou irritado, apoiando o rosto em suas duas mãos, abafando alguns de resmungos enquanto Hoseok o observava.

— Eu… Meio que percebi que passo minha vida enfurnado dentro de casa. Mas, não entendo mesmo como sair de casa e da minha cidade vai me trazer de volta para o trabalho.

Reclamou. Hoseok logo o respondeu:

— Olha cara, eu sei que as coisas andam complicadas para ti, mas, pensa bem, a única coisa que você fez nos últimos oito anos foi trabalhar dia e noite. Até quando veio visitar sua mãe, você passava horas dentro do quarto anotando e escrevendo. Nunca abria os olhos para o mundo ao seu redor… Eu acho que isso é o que vem te causando problemas. Sei que é clichê, e bla bla bla, mas, a gente precisa viver nossa vida. — Ele disse, suspirando, meio chateado. — Você mal consegue contar nos dedos quantas reais boas lembranças você teve nesse tempo longe de Busan. Você só… Se isolou. Na sua pseudo-solitude, e agora, sua mente está te dando a resposta: Seu bloqueio é justamente por que você não sai de casa para quase nada. Sabe, não vê nada novo, não vive nada diferente, não conhece pessoas novas e não passa pelas experiências do dia a dia que normalmente nos inspiram a compor, escrever um livro ou pintar um quadro, essas coisas que nós artistas, seja dançarino ou escritor fazemos. — Hoseok disse de forma cuidadosa, buscando suas próprias experiências de vida e com base em tudo que conversaram nos últimos momentos.  —  Viver experiências novas nos ajudam a ter sentimentos, a pensar de formas diferentes e consequentemente nos dão ideias de enredos, coisas que vão fazer os outros terem diferentes ideias e sentimentos também. Acho que seu superior está mais do que certo em te mandar passear. Você deveria aproveitar, sair, fazer coisas novas e, sei lá, quem sabe conhecer alguém interessante? Sério, aproveita enquanto você pode, cara. A nossa vida passa rápido demais para ficar enfurnado em um quarto sem realmente viver.

Jungkook concordou, alisando a boca da sua xícara de chá já vazia de forma pensativa, concordando com a cabeça perante a fala de Hoseok.

— Eu… Acho que pode ser isso. Sinceramente, ando tão perdido e confuso, vazio, como se realmente algo faltasse. Talvez seja meu lado sociável sentindo falta da minha vida… — Ele diz dando uma risada nasalada, observando o rosto preocupado de seu primo. — Obrigado pelo conselho, primo. Eu fico feliz de sempre poder contar contigo, mesmo depois de tanto tempo que ficamos sem nos falar.

— Relaxa, Koo. Você só precisa se soltar mais. Depois marcamos algo para fazer, hm? Tenho umas pessoas divertidas pra te apresentar! Já voltou, Minnie? — Ele disse numa despedida não muito formal, rodeando a cintura de seu noivo ao se levantar para sair do local. — Foi muito bom rever você. Vou te mandar o convite do casamento na próxima vez que nos virmos! Até mais Koo, e pense no que eu te disse!

E assim, Jimin e Hoseok saíram da lanchonete, deixando Jungkook sozinho com sua cabeça bagunçada e seu telefone que não parava de vibrar. Acabou o ligando, decidindo passar mais um tempinho no estabelecimento, abrindo direto do ig do tal Min Yoongi, que era o motivo pelas notificações de seu telefone, que por coincidência havia sido o próprio Jeon a ativar os avisos para novas postagens do desconhecido.

Haviam novas fotos bonitas em seu feed. Admirou algumas delas, e logo foi abrindo os status do influencer. As fotos e vídeos compartilhados exibiam um grupo de amigos que pareciam ser muito próximos, comendo pizza em casa. As fotos eram deveras cômica, e Yoongi estava lindíssimo naquela camiseta larga de pijama. O vídeo de trinta segundos exibia os cinco jovens conversando e fazendo gracinhas e piadas internas, mostrando um pouco da dinâmica do grupo.

Jungkook sentiu uma pontinha de inveja.

Todos os seus amigos de infância e primos tinham uma vida legal, de dar inveja. Saíam com os amigos, se divertiam com pets fofos e todos tinham algum relacionamento romântico, ou até mesmo filhos! Enquanto ele mesmo estava perto da casa dos trinta e vivia enfurnado em casa sem ter contato com o mundo real.

Aquele vídeo de Yoongi com os amigos eram como um tapa na cara do homem solitário, que pensava em como gostava da época em que avacalhava por aí com seus amigos na época do ensino médio, e as palavras de Hoseok se faziam cada vez mais presentes em sua mente.

Acabou que, abdicar de algo tão importante como sua vida pessoal para focar no seu trabalho também tão importante, acabou afetando de forma negativa as duas áreas, e, bem, Jeon não tinha ideia de como começar a arrumar toda aquela bagunça.

"A nossa vida passa rápido demais para ficar enfurnado em um quarto sem realmente viver."

"Eu preciso mesmo mudar…"


Notas Finais


Perdão x1000

Comentem o que acharam, pode ser crítica, pode ser qualquer coisa... Eu só estou bem desanimadinha ultimamente, seria legal se isso aqui não flopasse 100%.
Muito obrigada a todos que leram até aqui e... Uff, eu juro que as coisas vão melhorar.
Beijos e se cuidem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...